Consultório | De Mãe para Mãe

Está aqui

Consultório

Os especialistas esclarecem! Consulte dúvidas comuns que os médicos especialistas já responderam, ou coloque a sua própria questão!

Marcela Forjaz
Ginecologia e obstetricia

Nasceu em 1965 em Lisboa, passando no entanto sua infância em Lourenço Marques, Moçambique. Licenciou-se em Medicina em 1989 ( Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa) e especializou-se em Ginecologia/Obstetrícia no H.S.Francisco Xavier; foi Assistente Convidada de Clínica Obstétrica e Ginecológica (6º Ano) do Curso de Medicina da mesma Faculdade. Dedica-se desde 2006 à actividade clínica privada, tendo ainda publicado dois livros, um em 2008 - "Entre Barrigas"", onde em tom ligeiro procura dar resposta a muitas das questões que preocupam uma mulher grávida e recentemente o "O Grande Livro da Grávida", baseado na experiência clínica de anos da autora e nos últimos dados e estudos científicos sobre a matéria, encontrará todas as respostas às suas dúvidas.
Mãe de três filhos, Filipa, Francisco e Pedro, acreditando que cada filho multiplica a capacidade de amar, dedica-se ainda à escrita (com novos projectos em curso). Nos seus tempos livres tenta manter a forma nadando sendo o seu "momento zen" a aula de piano semanal.

Dra. Susana Cardoso
Nutricionista

SUSANA CARDOSO é Licenciada em Ciências da Nutrição, pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, desde Fevereiro de 2000, tendo feito Pós-Graduações em Nutrição Clínica pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e em Cursos Integrados no Mestrado Europeu de Nutrição e Saúde Pública.
Desenvolve/eu o seu trabalho nas várias áreas de atuação do nutricionista, nomeadamente Nutrição Clínica. Formadora em várias escolas de formação profissional ao longo da sua carreira profissional.
Possui uma vasta experiência que adquiriu do saber específico de várias áreas com a integração e sincronização de conhecimentos e trabalho em equipa.
Atualmente, muito direcionada para o tratamento da obesidade e obesidade infantil, doenças do comportamento alimentar, diabetes e dislipidemias. Trabalha individualmente e em grupo a educação alimentar e o estilo de vida, abordando uma perspetiva de integração da alimentação saudável de forma continuada e sustentada.

CETI - Dra. Florbela Gomes
Infertilidade

A Dra. Florbela Gomes licenciou-se em Medicina na Faculdade de Medicina do Porto, em 1996, concluindo a Especialidade de Ginecologia e Obstetrícia no Hospital de São João em 2004 e, posteriormente, sub-especialidade em Medicina da Reprodução. Foi Assistente Hospitalar no Hospital de São João e no Hospital Pedro Hispano. Colaborou ainda no Centro de Simulação Médica do Porto (CESIMED). É membro da Sociedade Portuguesa de Ginecologia e da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução. Publicou vários artigos científicos e foi orientadora de várias teses de mestrado integrado em Ginecologia e Obstetrícia.

CETI - Prof. Dr. Silva Carvalho
Infertilidade

O Prof. Dr. Silva Carvalho e a Dra. Florbela Gomes integram o corpo clínico da CETI - Centro de Estudo e Tratamento da Infertilidade, uma clínica vocacionada para o estudo exaustivo das situações de infertilidade e habilitada para a realização de todos os tratamentos, sejam eles médicos, cirúrgicos ou de Reprodução Medicamente Assistida.

O Prof. Dr. Silva Carvalho licenciou-se em Medicina em 1976 e, um ano mais tarde, foi monitor da disciplina de Ginecologia na FMUP. Participou no concurso para assistente de Ginecologia da FMUP, em 1984 e prestou provas de Aptidão Pedagogica e Capacidade Cientifica, em 1990 e tirou o seu doutoramento na area de Ginecologia / Obstetricia, em 1996. Foi professor auxiliar da disciplina de Ginecologia/Obstetrícia e professor associado da disciplica de Ginecologia / Obstetricia da FMUP. Prestou serviços como Secretario-Geral da Sociedade Portuguesa de Ginecologia durante 12 anos, foi Presidente da Sociedade Portuguesa da Medicina da Reprodução durante 6 anos e durante 4 anos foi membro do General Board da Sociedade Europeia de Endoscopia Ginecologica (ESGE) e do Advisory Board da Sociedade Europeia da Medicina da Reprodução (ESHRE). Presidiu ao Congresso Europeu de Endoscopia Ginecologica em 2002 e é Presidente do Colégio de Ginecologia/Obstetricia da Ordem dos Médicos, desde 2009 e director do Departamento de Ginecologia / Obstetricia do Hospital Cuf Porto, desde 2010.

Hugo Rodrigues
Pediatria

Licenciou-se em Medicina no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto em 2004 e regressou a Viana do Castelo, cidade de onde é natural e onde sempre viveu, para completar a sua formação profissional enquanto pediatra.
Desde então exerce a sua atividade na Unidade Local de Saúde do Alto Minho, onde possui ainda uma consulta especializada em Medicina da Adolescência.
O gosto pelo ensino foi sempre uma constante, exercendo atualmente funções de docência na Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho (Curso – Medicina) e Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Instituto Politécnico do Porto (Curso – Fisioterapia).
Para além disso, é também formador do Grupo de Reanimação Pediátrica e European Ressuscitation Council na área da emergência pediátrica e membro da Direção da Sociedade Portuguesa de Medicina do Adolescente.
Em 2011 criou o blogue “Pediatria para todos”, que evoluiu em 2014 para o livro “Pediatra para todos”, onde pretende responder às dúvidas dos pais de forma descomplicada, simples e objetiva, sempre com o rigor científico de um Pediatra, mas numa linguagem acessível a toda a gente.
Colabora ainda, como residente, no programa “Queridas Manhãs” da SIC. É na Pediatria Geral que se sente realizado, sempre numa perspetiva comunitária e próxima da população.
É um apaixonado pela família e os seus dois filhos são “um enorme orgulho e a melhor coisa que alguma vez fez na vida”, como costuma dizer…

Joana Prudêncio
Psicologia

Joana Prudêncio licenciou-se em Psicologia Clínica pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada em Lisboa, em 2006, com posterior formação avançada em Psicologia da Gravidez e da Maternidade pela mesma Instituição. Fez estágio profissional em Pádua, Itália, em Mediação e Terapia Familiar pelo Centro Padovano di Terapia della Famiglia, tendo ainda frequentado Pós-Graduação em Neuropsicologia Pediátrica. Actualmente trabalha no Centro Hospitalar do Algarve – unidade de Faro, dedicando-se ainda à prática privada no Grupo Hospital Particular do Algarve. Apostando sempre na prevenção e intervenção precoce, com vista à estabilidade emocional e ao desenvolvimento psicossocial e familiar adaptativo, é uma apaixonada pelas questões da gravidez e parentalidade, considerando este um momento de excelência na intervenção junto dos bebés e suas famílias.

Perguntas da comunidade

Qui, 03/05/2018 - 14:58
Nutricionista
accastelinho offline

Boa tarde,

Desde sempre que a alimentação tem sido um desafio tanto para a minha filha como para nós pais.

Tem 18 meses e não come sólidos da forma que se esperava.
Vai "petiscando" com as próprias mãos o que lhe dermos, escolhe o que pretende comer...mas não faz um refeição.
À colher rejeita totalmente.
Tentamos lhe dar os sólidos antes da sopa, mas não tem comido de forma a que lhe possamos chamar refeição.
Em Setembro irá para a creche e estou a ficar bastante preocupada pelo impacto que isso terá, assim como na importância que a mastigação tem no desenvolvimento dela.

Parece que à medida que ela cresce mais difícil fica que ela encare os sólidos como uma refeição.

Obrigada

Seg, 30/04/2018 - 11:58
Ginecologia e obstetricia
acr.silva offline

Boa tarde,

Tenho 35 anos e estou de 12 semanas e 4 dias na minha segunda gravidez, sendo que na primeira correu tudo super bem (parto normal, gravidez de termo aos 33 anos).
Foi-me diagnosticada artrite reumatoide aos 28 anos e a minha medicação diária atual, tal como já foi na primeira gravidez, é 1 cp ácido fólico, 1 cp lepicortinolo 5mg e 4 cp salazopirina.

Na passada sexta feira, dia 24/04, fiz a ecografia do primeiro trimestre e estava tudo bem, com exceção do IP Ducto Venoso que estava elevado - 1.4. ( > IP 0,95).
A TN estava a 2.0 (< IP 0,95) e o osso nasal estava presente.
O médico que fez a ecografia disse que o valor isoladamente tem pouca relevância mas que tinha de ser relatado.
A minha obstetra disse que o valor só por si nada indica, pois terá de ser analisado conjuntamente com os resultados do rastreio que fiz às 10 semanas e que ainda não chegaram.
Por prevenção marcou nova consulta e ecocardiografia para análise do coração do bebé para o próximo dia 18 de maio (estarei com 15 semanas) e já me informou que quer que faça nova ecografia completa às 18 semanas.
Também me disse que assim que os resultados do rastreio chegassem, caso estivessem alterados, contactava.

Já tenho lido vários artigos sobre o assunto, mas as conclusões a que chego são poucas e não percebo o que poderá estar em causa.

A alteração do IP Ducto Venoso, só por si, pode ser indicador de algum problema?
É possível que tal valor regularize com o avançar da gravidez?
Quais podem ser as consequências de tal alteração para o meu bebé?

Sou uma pessoa positiva e quero estar tranquila, mas o não saber o que pode estar em causa está a deixar-me ansiosa.

Muito obrigada.

Cumprimentos,

Ana Carolina Silva

Qua, 21/03/2018 - 18:47
Ginecologia e obstetricia

Venho sofrendo com a tal fissura vaginal há um bom tempo... Gostaria de saber se encontraram a solução para este problema que causa tanto desconforto para nós mulheres... Já li, já assisti vídeos.... Enfim, é um assunto pouquíssimo falado na internet... É muito constrangedor falar sobre isso... As pessoas afirmam que a falta de lubrificação é a causa das fissuras, mas no meu caso não é esse o problema... Estou desesperada..

Votação

Como é que conheceu a marca Nunex?