Tenho hipótese de ir para uma casa infinitamente maior, mas não sei se devo | De Mãe para Mãe

Tenho hipótese de ir para uma casa infinitamente maior, mas não sei se devo

Responda
71 mensagens
DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Já aqui tinha falado que moro num imóvel da família, o que me dá a ótima vantagem de não pagar renda. É um T3 grande, mas embora não seja apartamento, é na mesma em coabitação, tenho vizinhos em baixo e de 1 lado, partilhamos entradas e garagens. Mas tenho um grande pátio privado... Foi todo pintado e mobilado de novo, embora tenha permanecido com chão e madeiras que não escolheria, achei que estava tudo impecável porque nunca tinha sido habitado, achei um desperdício estar a mudar só porque sim. Mas de um modo geral gosto de onde vivo... Aponto como únicos defeitos os vizinhos de baixo (dão cabo das reuniões de condomínio) e a falta de arrumação, porque somos pessoas com muita tralha...
O que sucede é que em agosto há outro imóvel de família que ficará vago e para onde me poderei mudar, uma vez mais sem pagar nada... Trata-se de uma casa independente. T4, 5 casas de banho, 3 pisos... Enorme. Com lavandaria e garagem em separado, com um enorme terreno nas traseiras que daria para ter piscina, campo de futebol... Portanto assim de repente parece coisa para nem ter de se pestanejar.
Mas fico de pé atrás com uma série de coisas...
Obviamente que uma manhã não chegaria a uma empregada para limpar, teria certamente que ser o dobro do tempo... Além disso os meus móveis não ficarão lá bem, a palete de cores não tem nada a ver... Portanto iria gastar ou em lacagens e alterações ou em comprar novos... Depois com certeza iria gastar imenso a colocar o terreno das traseiras (é um pomar) num grande relvado... fazer contrato com uma empresa de jardinagem... Às vezes sou um bocado sumítica...
Embora tenha ideia de aumentar a família e achar que gente com tralha como nós precisa mesmo de mais arrumação...
Eu sou aquela pessoa que tem sempre reticências de mudar... Sair de onde sou feliz...
Medo que nos "perdamos" um bocado uns dos outros numa casa tão grande...
Vejo muita gente que ao segundo filho se mudou, contem-me as vossas experiências, e chamem-me totó se preciso for.

Leticia _29 -
Offline
Desde 12 Set 2019

Pela descrição da casa eu mudava já.
Eu estou num T2 pequeno, numa moradia também de familiares mas pago renda.
Andava ao tempo à procura de casa e nada, encontrei agora uma que estamos a ver se conseguimos fechar negócio.
A acontecer vamos fazer mudanças comigo grávida de 35 semanas, mas nem pensei duas vezes, já só quero uma casa maior e com melhores condições da que tenho agora.
Acho que se conseguir imaginar se naquela casa deve mudar sim, ainda mais se já sente falta de espaço nesta casa e pretende aumentar a família.
São oportunidades que não aparecem sempre

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Leticia _29 escreveu:
Pela descrição da casa eu mudava já.
Eu estou num T2 pequeno, numa moradia também de familiares mas pago renda.
Andava ao tempo à procura de casa e nada, encontrei agora uma que estamos a ver se conseguimos fechar negócio.
A acontecer vamos fazer mudanças comigo grávida de 35 semanas, mas nem pensei duas vezes, já só quero uma casa maior e com melhores condições da que tenho agora.
Acho que se conseguir imaginar se naquela casa deve mudar sim, ainda mais se já sente falta de espaço nesta casa e pretende aumentar a família.
São oportunidades que não aparecem sempre

Obrigada! Pois, não me posso dar ao luxo de comer sono... Porque perco a oportunidade... Aliás a ideia até seria ser vendida, mas com esta crise imobiliária perderam a ideia, quando me perguntaram se queria ir para lá disse logo que não, que era demasiado grande e exige muita manutenção... Mas entretanto já voltei atrás e disse que estou a pensar melhor... Mas não posso deixar passar muito tempo porque se não for de certeza que a alugam ou assim, nem se dá a hipótese de ficar fechada porque seria para se deteriorar. E ainda tem o bem de ser perto na mesma, noutra freguesia mas perto de onde vivo e do meu trabalho... O meu marido nem pestaneja, principalmente porque no próximo o ano onde vivemos ira´entrar em obras e era um modo de nos livramos dessa chatice...

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Uma vivenda com essas condições sem pagar nada...pronto....tenho de morder um bocado a língua Pausa
Eu vivia num T4 normal, mas com 2 filhos, as enteadas e as suas futuras famílias, mais a mãe que vive longe, sentimos necessidade de construir algo mais espaçoso e independente. Temos 4 quartos, um escritório (fundamental porque trabalhamos muito em casa), uma lavandaria, garagem, arrumos, um terraço, um pequeno jardim/matagal. A empregada vem 3 manhãs por semana mas penso reduzir para 2 num futuro próximo, jardineiro não tenho (daí o matagal). Apesar de às vezes pensar que o dinheiro da prestação me dava muito jeito para outras coisas - viajar, por ex - continuo sem me arrepender porque a tranquilidade é total, há espaço de sobra para todos e as meninas adoram viver aqui.

Teresa.A -
Offline
Desde 28 Nov 2019

Para mim, uma das coisas mais importantes na casa é a zona. Faço ( fazia...) toda a minha vida a pé no bairro. Comércio, escolas e ambiente envolvente para mim são decisivos na escolha da casa. Não disse nada sobre isso.
A casa é na mesma zona, ou com as mesmas características?
Casa grande dá mais trabalho. E não é só o limpar, o jardim maior dá muito mais trabalho. E despesas.
Se tiver folga no orçamento para reforçar a empregada e arranjar jardineiro, acho que vale a pena.
Se não tem que pensar bem nos prós e contras e talvez deitar alguma tralha fora 🤣
Um T3 grande dá bem para 3 ou 4. Mas o meu tem arrecadação, que leva MUITA tralha...

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Ah, e uma coisa...imóveis de família, a menos que sejam dos pais e não haja outros filhos, podem facilmente converter-se num pesadelo. Basta que haja uma morte inesperada...(mas isto sou eu que já vi muitos filmes lamentáveis)

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

guialmi escreveu:
Uma vivenda com essas condições sem pagar nada...pronto....tenho de morder um bocado a língua
Eu vivia num T4 normal, mas com 2 filhos, as enteadas e as suas futuras famílias, mais a mãe que vive longe, sentimos necessidade de construir algo mais espaçoso e independente. Temos 4 quartos, um escritório (fundamental porque trabalhamos muito em casa), uma lavandaria, garagem, arrumos, um terraço, um pequeno jardim/matagal. A empregada vem 3 manhãs por semana mas penso reduzir para 2 num futuro próximo, jardineiro não tenho (daí o matagal). Apesar de às vezes pensar que o dinheiro da prestação me dava muito jeito para outras coisas - viajar, por ex - continuo sem me arrepender porque a tranquilidade é total, há espaço de sobra para todos e as meninas adoram viver aqui.

Percebo Anjinho Mas eu sou aquela pessoa que nunca sonhou com a casa grande, embora sempre tenha vivido numa até casar e me mudar... Agora vejo que não sonhava porque até ver o que tenho era mais que suficiente para um casal... Nesta podemos ter quartos dos brinquedos, escritório... O terceiro piso é todo um salão que podemos tornar no que quisermos... Mas fica-me uma nostalgia de sair num lugar onde estou bem, tirando pormenores de arrumação, somos felizes aqui... Daí a dúvida estúpida de ficar de pé atrás em algo tão simples de ver que é melhor.

Ana Svensson -
Offline
Desde 23 Abr 2017

Eu mudava já. Vai claramente precisar da empregada mais tempo e, se quiser ter o jardim arranjado, de um jardineiro (eu tenho duas vezes por mês). Desde que haja possibilidades para isso, não vejo porque não mudar. Ter uma casa grande, com espaço para os miúdos brincarem no interior e no exterior, tem sido a nossa salvação nesta quarentena.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Teresa.A escreveu:
Para mim, uma das coisas mais importantes na casa é a zona. Faço ( fazia...) toda a minha vida a pé no bairro. Comércio, escolas e ambiente envolvente para mim são decisivos na escolha da casa. Não disse nada sobre isso.
A casa é na mesma zona, ou com as mesmas características?
Casa grande dá mais trabalho. E não é só o limpar, o jardim maior dá muito mais trabalho. E despesas.
Se tiver folga no orçamento para reforçar a empregada e arranjar jardineiro, acho que vale a pena.
Se não tem que pensar bem nos prós e contras e talvez deitar alguma tralha fora 🤣
Um T3 grande dá bem para 3 ou 4. Mas o meu tem arrecadação, que leva MUITA tralha...

É perto de onde moro e ainda mais perto de onde trabalho... Numa freguesia vizinha mas bem pertinho. Onde moro tem mais movimento, se descer a rua tenho padaria e super mercado... Mas ali também tenho padaria perto, menos movimentado é certo, mas não me faz confusão essa parte. O jardim, se fizer um contrato mensal à partida sai-me pelo mesmo que pago atualmente de condominio, a empregada, sim ficará mais caro mas é suportável... O meu receio é dar cabo das poupanças com as alterações de móveis e jardim...
A tralha não dá pra descartar... Além de sermos pessoas com muita roupa, sapatos e malas também temos coleções de coisas. A minha rrecadação é um ovo!!! Não cabe nada, está tão cheia até ao teto que tenho medo de lá ir alguma coisa ter caído e nem conseguir abrir a porta!!!

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

DianaES escreveu:

guialmi escreveu:Uma vivenda com essas condições sem pagar nada...pronto....tenho de morder um bocado a língua
Eu vivia num T4 normal, mas com 2 filhos, as enteadas e as suas futuras famílias, mais a mãe que vive longe, sentimos necessidade de construir algo mais espaçoso e independente. Temos 4 quartos, um escritório (fundamental porque trabalhamos muito em casa), uma lavandaria, garagem, arrumos, um terraço, um pequeno jardim/matagal. A empregada vem 3 manhãs por semana mas penso reduzir para 2 num futuro próximo, jardineiro não tenho (daí o matagal). Apesar de às vezes pensar que o dinheiro da prestação me dava muito jeito para outras coisas - viajar, por ex - continuo sem me arrepender porque a tranquilidade é total, há espaço de sobra para todos e as meninas adoram viver aqui.

Percebo Mas eu sou aquela pessoa que nunca sonhou com a casa grande, embora sempre tenha vivido numa até casar e me mudar... Agora vejo que não sonhava porque até ver o que tenho era mais que suficiente para um casal... Nesta podemos ter quartos dos brinquedos, escritório... O terceiro piso é todo um salão que podemos tornar no que quisermos... Mas fica-me uma nostalgia de sair num lugar onde estou bem, tirando pormenores de arrumação, somos felizes aqui... Daí a dúvida estúpida de ficar de pé atrás em algo tão simples de ver que é melhor.


Mas o que é melhor depende das pessoas e das suas circunstâncias.Nós temos uma situação familiar complexa, precisamos de contar com espaço para 4 mais...muitos. Se estão bem, é caso para refletir se essa mudança vos vai trazer um efetiva melhoria na qualidade de vida (a nós trouxe, sem dúvida, a única hesitação é que tivemos de prescindir de folga económica para ter a casa maior).

Ana Svensson -
Offline
Desde 23 Abr 2017

Ah e não se vão “perder” por a casa ser grande. Não gostar de mudanças é normal. A maioria das pessoas sente-se assim quando tem de mudar, mas isso não quer dizer que a mudança não seja positiva. E rapidamente vai estar habituada a ser feliz noutra casa.

Desde 24 Maio 2017

Aproveita, Diana!
Claro que vais ter mais trabalho, sobretudo com o quintal, mas caramba! Que sonho! Eu mudava-me já. 😄

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

guialmi escreveu:
Ah, e uma coisa...imóveis de família, a menos que sejam dos pais e não haja outros filhos, podem facilmente converter-se num pesadelo. Basta que haja uma morte inesperada...(mas isto sou eu que já vi muitos filmes lamentáveis)

É dos meus pais, mas os meus irmãos moram igualmente em imóveis dos meus pais. É um bocado lotaria, quando a minha irmã casou estava vaga uma casa, ela ficou lá, comigo na altura o que estava vaga era onde vivo, agora como vagou esta casa disseram-me porque a minha irmã já vive numa casa... O meu irmão não tem planos de casar. Quanto a isso espero não enfrentar partilhas tão cedo!

RoxyGirl -
Offline
Desde 27 Jan 2016

Bem, eu até a pagar iria😂

Eu morava num t3 (médio) no centro da cidade e sem pagar renda (conseguimos pagar a pronto).
Entretanto apareceu a oportunidade de comprar uma vivenda T4 com 3 pisos e (a única coisa menos boa, 2 WC) com espaço exterior, nem pensamos muito, fizemos contas à vida e lá fomos (já estava contentes, mas com toda esta situação fiquei ainda mais contente por ter uma casa com um bom espaço exterior).
Em relação aos móveis, comprei esta mobilada com moveis que não gosto nada, mas a verdade é que me fez confusão apenas no primeiro mês, agora já não me incomoda.
Em relação à limpeza e arrumação, tem sido um espetáculo, pois a casa mantém - se sempre arrumada (pois agora cada coisa tem um sitio específico) e consigo limpar a casa sozinha numa manhã (começo no andar mais alto e vou descendo), já na minha antiga casa, arrumava (demorava o mesmo tempo) e 1h depois parecia que nem tinha sido limpa

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Ana Svensson escreveu:
Eu mudava já. Vai claramente precisar da empregada mais tempo e, se quiser ter o jardim arranjado, de um jardineiro (eu tenho duas vezes por mês). Desde que haja possibilidades para isso, não vejo porque não mudar. Ter uma casa grande, com espaço para os miúdos brincarem no interior e no exterior, tem sido a nossa salvação nesta quarentena.

Tem toda a lógica... Também tenho ideia de fazer contrato com jardineiro... Pelo que vejo é o valor da minha mensalidade de condomínio... A empregada vai ser um aumento mas também não vamos ficar à rasca por causa disso... Fico com o pé atrás de investir no jardim... Vejo-me a ter que ir às poupanças e a minha veia sumítica desperta o alerta!

RoxyGirl -
Offline
Desde 27 Jan 2016

Bem, eu até a pagar iria😂

Eu morava num t3 (médio) no centro da cidade e sem pagar renda (conseguimos pagar a pronto).
Entretanto apareceu a oportunidade de comprar uma vivenda T4 com 3 pisos e (a única coisa menos boa, 2 WC) com espaço exterior, nem pensamos muito, fizemos contas à vida e lá fomos (já estava contentes, mas com toda esta situação fiquei ainda mais contente por ter uma casa com um bom espaço exterior).
Em relação aos móveis, comprei esta mobilada com moveis que não gosto nada, mas a verdade é que me fez confusão apenas no primeiro mês, agora já não me incomoda.
Em relação à limpeza e arrumação, tem sido um espetáculo, pois a casa mantém - se sempre arrumada (pois agora cada coisa tem um sitio específico) e consigo limpar a casa sozinha numa manhã (começo no andar mais alto e vou descendo), já na minha antiga casa, arrumava (demorava o mesmo tempo) e 1h depois parecia que nem tinha sido limpa

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Ana Svensson escreveu:
Ah e não se vão “perder” por a casa ser grande. Não gostar de mudanças é normal. A maioria das pessoas sente-se assim quando tem de mudar, mas isso não quer dizer que a mudança não seja positiva. E rapidamente vai estar habituada a ser feliz noutra casa.

Espero bem que sim! Até me sinto bipolar. Hora fico em pulgas por me mudar como me pesa uma receio não sei muito bem vindo de onde!

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

RoxyGirl escreveu:
Bem, eu até a pagar iria😂
Eu morava num t3 (médio) no centro da cidade e sem pagar renda (conseguimos pagar a pronto).
Entretanto apareceu a oportunidade de comprar uma vivenda T4 com 3 pisos e (a única coisa menos boa, 2 WC) com espaço exterior, nem pensamos muito, fizemos contas à vida e lá fomos (já estava contentes, mas com toda esta situação fiquei ainda mais contente por ter uma casa com um bom espaço exterior).
Em relação aos móveis, comprei esta mobilada com moveis que não gosto nada, mas a verdade é que me fez confusão apenas no primeiro mês, agora já não me incomoda.
Em relação à limpeza e arrumação, tem sido um espetáculo, pois a casa mantém - se sempre arrumada (pois agora cada coisa tem um sitio específico) e consigo limpar a casa sozinha numa manhã (começo no andar mais alto e vou descendo), já na minha antiga casa, arrumava (demorava o mesmo tempo) e 1h depois parecia que nem tinha sido limpa

Pois, eu gosto de espaços amplos pouco mobilados e sem tralha, mas depois por uma questão de arrumos acabo por ter que ter muitos moveis... Lá poderia ter tudo muito mais clean e fácil de manusear na hora de limpar!

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

DianaES escreveu:

guialmi escreveu:Ah, e uma coisa...imóveis de família, a menos que sejam dos pais e não haja outros filhos, podem facilmente converter-se num pesadelo. Basta que haja uma morte inesperada...(mas isto sou eu que já vi muitos filmes lamentáveis)

É dos meus pais, mas os meus irmãos moram igualmente em imóveis dos meus pais. É um bocado lotaria, quando a minha irmã casou estava vaga uma casa, ela ficou lá, comigo na altura o que estava vaga era onde vivo, agora como vagou esta casa disseram-me porque a minha irmã já vive numa casa... O meu irmão não tem planos de casar. Quanto a isso espero não enfrentar partilhas tão cedo!


Ainda assim, e para mais se vai investir algum dinheiro nesta casa, o melhor era os vossos pais fazerem a doação das casas aos filhos e deixar tudo legal. Parece de mau agoiro estar a falar nisto, mas posso contar várias histórias de famílias que se davam muito bem, até ao dia...e num caso era algo tão simples como um filho querer comprar (pelo valor justo) um apartamento aos pais...

PatL -
Offline
Desde 18 Mar 2015

A questão do espaço exterior é importante quando se é jovem, se tem filhos pequenos e possibilidade para pagar a manutenção ou conseguir fazê-lo sem apoio externo. Com o passar da idade as ideias podem ir mudando.
Até quinta-feira da semana passada a minha mãe tinha um espaço relvado para o qual ela já não tinha condições físicas para conseguir manter adequadamente. Inicialmente ficava com dores fortes nos pulsos e costas e mais recentemente apercebeu-se que o coração não reagia da melhor forma. Ela ia arranjando quem lá fosse cortar a relva mas eram mais as vezes que falhavam e nada diziam do que iam efetivamente prestar o serviço. Contratou há dias uma empresa para remover toda a relva e dois arbustos que ainda mantinha e substituiu por um jardim de pedra para não ter de se preocupar mais com a relva, além de que vai passar a economizar água. Em poucos anos o investimento fica pago e a saúde dela agradece.
Quanto à área da habitação como já disseram, tudo depende se realmente é uma necessidade dispor de tal espaço. Se me fosse feita uma proposta semelhante iria avaliar outros detalhes além da área, nomeadamente o conforto térmico. Se calhar não optaria por uma casa que no inverno nos fizesse bater o dente o tempo todo por não ter soluções de aquecimento e isolamento apropriadas ou tivesse de remover bolor dos pertences e móveis diariamente. Já vivi em casas assim, por isso é que estou a realçar este aspeto. Tens também de ver se a subida/descida de degraus é algo que não poderá vir a ser um problema daqui a uns anos.

Sobre PatL

Início-11/11 inexpl. 6 IO 2013/14 cancel
IIU-05/15 cancel; 08/15 cancel
FIV-02/16(SHO) 12 embr; 04/18(SHO) 4 embr
PGT-A-09/19(SHO) 3 eupl
TEC-05/16(-); 09/16(+) grav BQ; 01/17(-); 05/17(+) AE; 10/17(+) AE; 06/18(-); 11/18(+) grav BQ; 02/20(-); 07/20(-) Basta!
http://seiquechegaras.blogspot.com

moomis -
Offline
Desde 01 Out 2017

Depende muito da vossa disponibilidade financeira e daquilo que pretendem. Tudo aquilo que foi referido são questões na balança e as opções dependem sempre daquilo que vocês pretendem.

Se calhar a minha experiência faz-me ver as mudanças de casa com outros olhos mas eu não abdicava duma oportunidade dessas. Ainda por cima tendo a possibilidade de viver assim sem qualquer encargo com a habitação.

Para mim uma casa com uma pequena área exterior não dava. Viver num local com condomínio também não seria a minha primeira opção.
Por outro lado, pagar mais meio dia a uma empregada é uma diferença bastante simbólica, pagar a um jardineiro para a manutenção do espaço fica caríssimo ( pelo menos por aqui).
No entanto isto de ser caro ou não é também sempre muito subjetivo.
Aí novamente depende de vocês...

Mudar a mobília, transformar o pomar para jardim e outras coisas também serão custos acrescidos. No entanto, será algo que a longo prazo vos vai permitir uma vivência muito diferente.

Reflitam sobre os prós e os contras. Não só os momentâneos como aqueles a longo prazo.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

guialmi escreveu:

DianaES escreveu:
guialmi escreveu:Ah, e uma coisa...imóveis de família, a menos que sejam dos pais e não haja outros filhos, podem facilmente converter-se num pesadelo. Basta que haja uma morte inesperada...(mas isto sou eu que já vi muitos filmes lamentáveis)

É dos meus pais, mas os meus irmãos moram igualmente em imóveis dos meus pais. É um bocado lotaria, quando a minha irmã casou estava vaga uma casa, ela ficou lá, comigo na altura o que estava vaga era onde vivo, agora como vagou esta casa disseram-me porque a minha irmã já vive numa casa... O meu irmão não tem planos de casar. Quanto a isso espero não enfrentar partilhas tão cedo!

Ainda assim, e para mais se vai investir algum dinheiro nesta casa, o melhor era os vossos pais fazerem a doação das casas aos filhos e deixar tudo legal. Parece de mau agoiro estar a falar nisto, mas posso contar várias histórias de famílias que se davam muito bem, até ao dia...e num caso era algo tão simples como um filho querer comprar (pelo valor justo) um apartamento aos pais...


Pois, um travão para mudar algumas coisas que não gosto onde vivo sempre foi precisamente estar a enterrar dinheiro em algo que não é meu... Mas neste caso, o investimento seria a nivel de jardim, acredito que serão valores mais modestos que mudar pisos e madeiras da casa toda... De resto esta casa está toda impecável e gosto das madeiras e todas as cerâmicas.

moomis -
Offline
Desde 01 Out 2017

PatL escreveu:
A questão do espaço exterior é importante quando se é jovem, se tem filhos pequenos e possibilidade para pagar a manutenção ou conseguir fazê-lo sem apoio externo. Com o passar da idade as ideias podem ir mudando.
Até quinta-feira da semana passada a minha mãe tinha um espaço relvado para o qual ela já não tinha condições físicas para conseguir manter adequadamente. Inicialmente ficava com dores fortes nos pulsos e costas e mais recentemente apercebeu-se que o coração não reagia da melhor forma. Ela ia arranjando quem lá fosse cortar a relva mas eram mais as vezes que falhavam e nada diziam do que iam efetivamente prestar o serviço. Contratou há dias uma empresa para remover toda a relva e dois arbustos que ainda mantinha e substituiu por um jardim de pedra para não ter de se preocupar mais com a relva, além de que vai passar a economizar água. Em poucos anos o investimento fica pago e a saúde dela agradece.
Quanto à área da habitação como já disseram, tudo depende se realmente é uma necessidade dispor de tal espaço. Se me fosse feita uma proposta semelhante iria avaliar outros detalhes além da área, nomeadamente o conforto térmico. Se calhar não optaria por uma casa que no inverno nos fizesse bater o dente o tempo todo por não ter soluções de aquecimento e isolamento apropriadas ou tivesse de remover bolor dos pertences e móveis diariamente. Já vivi em casas assim, por isso é que estou a realçar este aspeto. Tens também de ver se a subida/descida de degraus é algo q

Lá está novamente a provável questão da experiência.
Eu já vivi em mais de 20 casas e em alguns países diferentes e, na minha opinião, quando a nossa casa deixa de nos servir ou às nossas necessidades, muda-se.
Não me imagino viver condicionada porque um dia poderei ter uma ideia diferente. Então e se não tiver?

Esta casa onde estou agora foi a única que compramos porque nos vemos a viver aqui pelo menos 1 ou 2 décadas. Depois vê-se...
Ou mudámos de casa ou mudamos as coisas na nossa casa ( elevador/assento elevatório, remodelação de todas as casas de banho...).
Até me imagino a viver na casinha que temos no jardim.
Apenas não me vejo é a viver novamente num apartamento ou sem um pequeno jardim relvado.
Sinto-me muito como uns vizinhos idosos que já tive. Colocaram pavimento em quase todo o seu terreno mas tinham uma espécie de oásis, com plantas e umas cadeiras muito confortáveis onde passavam imenso tempo 😁

moomis -
Offline
Desde 01 Out 2017

DianaES escreveu:

guialmi escreveu:
DianaES escreveu:
guialmi escreveu:Ah, e uma coisa...imóveis de família, a menos que sejam dos pais e não haja outros filhos, podem facilmente converter-se num pesadelo. Basta que haja uma morte inesperada...(mas isto sou eu que já vi muitos filmes lamentáveis)

É dos meus pais, mas os meus irmãos moram igualmente em imóveis dos meus pais. É um bocado lotaria, quando a minha irmã casou estava vaga uma casa, ela ficou lá, comigo na altura o que estava vaga era onde vivo, agora como vagou esta casa disseram-me porque a minha irmã já vive numa casa... O meu irmão não tem planos de casar. Quanto a isso espero não enfrentar partilhas tão cedo!

Ainda assim, e para mais se vai investir algum dinheiro nesta casa, o melhor era os vossos pais fazerem a doação das casas aos filhos e deixar tudo legal. Parece de mau agoiro estar a falar nisto, mas posso contar várias histórias de famílias que se davam muito bem, até ao dia...e num caso era algo tão simples como um filho querer comprar (pelo valor justo) um apartamento aos pais...

Pois, um travão para mudar algumas coisas que não gosto onde vivo sempre foi precisamente estar a enterrar dinheiro em algo que não é meu... Mas neste caso, o investimento seria a nivel de jardim, acredito que serão valores mais modestos que mudar pisos e madeiras da casa toda... De resto esta casa está toda impecável e gosto das madeiras e todas as cerâmicas.

Já fizeram pedidos de orçamento às empresas de jardinagem?
Pode depender da zona e certamente também depende do tamanho do jardim. Aqui os orçamentos que nos deram foram proibitivos.
Numa outra casa, para a colocação de sistema de rega e reposição do relvado, em cerca de 10m2 pediram 500€ + valor do sistema de rega, que teria que ser pago à parte.

Atualmente para a nossa casa, depois de pedirem os valores de um pequeno carro familiar apenas para colocar a relva numa parte do terreno, com direito a posterior contrato de manutenção mensal com valores a rondar o ordenado mínimo nacional, desistimos.
Felizmente temos um vizinho que se disponibilizou para nos ajudar a preparar o terreno. A "brincadeira" vai-nos ficar ao preço da uva ... E a sumitica dentro de mim agradece! A diferença dará praticamente para pagar uma piscina 😶😶

Pode ser diferente na vossa zona mas se não querem investir numa casa por não terem a certeza do futuro, pode ser importante terem essa informação também. Até porque se a ideia for retirar as árvores isso também deve encarecer o trabalho.

RLL78 -
Offline
Desde 18 Ago 2019

A Diana tem conhecimento atraves de outros topicos meus que me mudei com o meu filho e sabe o porquê que me mudei.
Se eliminarnos a razão maior, ainda há a vantagem de ter me mudado para uma casa maior, embora terrea. Dá mais trabalho, dà! Principalmente que agora sou eu a fazer mesmo tudo sozinha. Mas estamos tao melhores. Há espaço para ter tudo arrumado, para o miudo gatinhar, etc. Nao poderia estar melhor.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Eu estaria um pouco como tu. Se estivesse bem e não sonhasse com a nova casa, para mim estava decidido, mas isso sou eu que acho que as informações estão sempre lá. Se temos dúvidas, se achamos que isto e aquilo, se não sabemos muito bem...é porque já estamos a ter a resposta.
Neste caso a única coisa que poderia ponderar é: qual das duas casas é mais estável? Sendo de família, não devem estar as duas nas mesmas circunstâncias, qual a que vos dá mais garantias para ficarem lá por tempos indeterminados?

Teresa.A -
Offline
Desde 28 Nov 2019

DianaES escreveu:

Teresa.A escreveu:Para mim, uma das coisas mais importantes na casa é a zona. Faço ( fazia...) toda a minha vida a pé no bairro. Comércio, escolas e ambiente envolvente para mim são decisivos na escolha da casa. Não disse nada sobre isso.
A casa é na mesma zona, ou com as mesmas características?
Casa grande dá mais trabalho. E não é só o limpar, o jardim maior dá muito mais trabalho. E despesas.
Se tiver folga no orçamento para reforçar a empregada e arranjar jardineiro, acho que vale a pena.
Se não tem que pensar bem nos prós e contras e talvez deitar alguma tralha fora 🤣
Um T3 grande dá bem para 3 ou 4. Mas o meu tem arrecadação, que leva MUITA tralha...

É perto de onde moro e ainda mais perto de onde trabalho... Numa freguesia vizinha mas bem pertinho. Onde moro tem mais movimento, se descer a rua tenho padaria e super mercado... Mas ali também tenho padaria perto, menos movimentado é certo, mas não me faz confusão essa parte. O jardim, se fizer um contrato mensal à partida sai-me pelo mesmo que pago atualmente de condominio, a empregada, sim ficará mais caro mas é suportável... O meu receio é dar cabo das poupanças com as alterações de móveis e jardim...
A tralha não dá pra descartar... Além de sermos pessoas com muita roupa, sapatos e malas também temos coleções de coisas. A minha rrecadação é um ovo!!! Não cabe nada, está tão cheia até ao teto que tenho medo de lá ir alguma coisa ter caído e nem conseguir abrir a porta!!!


Nessas condições eu mudava-me e ia tratando dos móveis e de arranjar o jardim por partes.
Depois de postas algumas coisas nem ficam tão mal como imaginamos. Notei isso quando me mudei. Pensei que a minha mobília não ia ficar grande coisa e acabei por aproveitar uma grande parte e pintar eu alguma que não se enquadrava. Mas isso para mim é hobbie, mesmo que às vezes não fique profissional não fica nada mal.
Por aqui também há muita tralha, o meu marido se ninguém o controlar fica tipo aqueles acumuladores que às vezes aparecem na SIC mulher. Mas quando me mudei aproveitei para me desfazer de algumas coisas. Há com certeza coisas na arrecadação que nunca mais lhes vai mexer. Por aqui à muitas...

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

Eu sou pouco ambiciosa, nunca quereria viver numa casa "demasiado" grande. Só de pensar no trabalho que dá, tremo, gosto tanto de ir para o sofá relaxar.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Quanto ao jardim, muito importante é saber se a casa tem furo. Com água de rede, embora no norte seja muito mais barata que na minha zona, facilmente se pagam várias centenas de euros por mês nos meses de verão. Mas um pomar é um espaço verde magnífico, eu não lhe mexia.

CatiaS_S -
Offline
Desde 30 Set 2016

Marina4 escreveu:
Eu sou pouco ambiciosa, nunca quereria viver numa casa "demasiado" grande. Só de pensar no trabalho que dá, tremo, gosto tanto de ir para o sofá relaxar.

Já somos duas. Até fiquei cansada só de pensar na trabalheira. 🤣🤣. Eu mudei-me recentemente para um T3 (vivia num T2) e farto-me de dizer que ainda não me habituei a estarmos nas duas pontas das casas e não nos ouvirmos ou a ter de mudar 1000x o sítio onde logo o aspirador 🤣🤣. A minha mãe vive numa vivenda com varanda e tinham um quintal no piso debaixo (vá, -1 que é desnivelado) e diz que dá um trabalhão... Quando estava saudável fazia-se, mãe agora doente não. A minha sogra também vive numa vivenda com quintal e passa a vida a varrer e a limpar.
Resumindo, parece muito bonito em papel, mas para mim o trabalho não compensava.

Sobre CatiaS_S

Agosto 2016: Vamos tentar ter um filhote!
Set-Out 2016: Consultas, exames, análises; Folicil e Yodafar
Novembro 2016: Começam os treinos
10 Maio 2017: Positivo ao 5º ciclo Espertalhão
DPP: 11 Janeiro.....e se não quiser nascer, indução marcada para dia 17...
http://outroblogsobrematernidade.blogspot.pt/

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Também sou dessas 😅
Tenho uma casa enorme, mas só tem varandas, não tem terreno, e passo os dias a limpar, mas com empregada já seria outro assunto.

CatiaS_S escreveu:

Marina4 escreveu:Eu sou pouco ambiciosa, nunca quereria viver numa casa "demasiado" grande. Só de pensar no trabalho que dá, tremo, gosto tanto de ir para o sofá relaxar.

Já somos duas. Até fiquei cansada só de pensar na trabalheira. 🤣🤣. Eu mudei-me recentemente para um T3 (vivia num T2) e farto-me de dizer que ainda não me habituei a estarmos nas duas pontas das casas e não nos ouvirmos ou a ter de mudar 1000x o sítio onde logo o aspirador 🤣🤣. A minha mãe vive numa vivenda com varanda e tinham um quintal no piso debaixo (vá, -1 que é desnivelado) e diz que dá um trabalhão... Quando estava saudável fazia-se, mãe agora doente não. A minha sogra também vive numa vivenda com quintal e passa a vida a varrer e a limpar.
Resumindo, parece muito bonito em papel, mas para mim o trabalho não compensava.

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?