Semanada / Mesada | De Mãe para Mãe

Semanada / Mesada

Responda
52 mensagens
Vanessa R -
Offline
Desde 01 Set 2015

Bom dia,
Com que idade começaram da dar semanada ou mesada às vossas crianças?
Obrigada.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Com 4 anos, 1€ por semana. Agora quando iniciar o ano lectivo vou passar a dar 1,5€.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Eu ia começar a escrever sobre as vantagens de dar uma mesada/semanada mas confesso que estou um bocado preguiçosa para escrever 😝 mas encontrei este artigo bastante interessante
https://www.e-konomista.pt/mesada-para-filhos/

carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

Sansa escreveu:
Com 4 anos, 1€ por semana. Agora quando iniciar o ano lectivo vou passar a dar 1,5€.

Eu acho a nível de valor.
Mas por outro lado é mais facil para eles contarem.

carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

Sansa escreveu:
Eu ia começar a escrever sobre as vantagens de dar uma mesada/semanada mas confesso que estou um bocado preguiçosa para escrever 😝 mas encontrei este artigo bastante interessante
https://www.e-konomista.pt/mesada-para-filhos/

interessante.
eu nunca tinha pensado neste assunto.
mas também so agora vejo que ele começa a ter real noçao do que é dinheiro e para que serve.
acho que a partir dos 6 anos será uma boa ideia.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:Eu ia começar a escrever sobre as vantagens de dar uma mesada/semanada mas confesso que estou um bocado preguiçosa para escrever 😝 mas encontrei este artigo bastante interessante
https://www.e-konomista.pt/mesada-para-filhos/

interessante.
eu nunca tinha pensado neste assunto.
mas também so agora vejo que ele começa a ter real noçao do que é dinheiro e para que serve.
acho que a partir dos 6 anos será uma boa ideia.


O ideal é iniciar antes dos 6. Apartir dos 3,5 já é uma boa idade para se começar.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:Com 4 anos, 1€ por semana. Agora quando iniciar o ano lectivo vou passar a dar 1,5€.

Eu acho a nível de valor.
Mas por outro lado é mais facil para eles contarem.


Muito ou pouco? 😂

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

E quem tiver interesse em ler mais sobre este assunto, este artigo dá muito boas dicas
.
https://sarahockwell-smith.com/2018/04/16/when-and-how-should-you-handle...

Mai. -
Offline
Desde 05 Ago 2022

Para quem já tem filhos nessa fase as crianças fazem uso do dinheiro? Gastam - no em quê? Digo crianças de 4/5 anos...

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Por volta dos 4 anos quando começou a ir a visitas de estudo e começaram as vendas na escola (bolos e afins para angariar €). Arranjei um porta moedas e coloco lá umas moedas (até 2€) para ela comprar um gelado ou fatia de bolo. Também para começar a ter alguma pequena responsabilidade e aprender a fazer escolhas.

Jessica Romero -
Offline
Desde 24 Maio 2022

A minha já tem 8 anos e gasta sempre em gomas ou fitas para o cabelo ou coisas dessas 😂

Vanessa R -
Offline
Desde 01 Set 2015

O meu fez agora 8 anos e estou a pensar dar-lhe uma semanada de 3Eur para ser ele a gerir a compra daquelas pequenas coisas que me vai pedindo e para que tenha a noção que o dinheiro não é infinito. Estou a falar de coisas como cartas pókemon e coisas do género que sejam a “moda” do momento na escola e que habitualmente compro em papelarias ou numa loja chinesa.
Estou com algumas dúvidas em relação a um valor que seja razoável.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Mai. escreveu:
Para quem já tem filhos nessa fase as crianças fazem uso do dinheiro? Gastam - no em quê? Digo crianças de 4/5 anos...

No que calhar... A intenção da mesada nesta idade é perceber que se gasta fica sem nada, e portanto tem de pensar se realmente quer gastar o dinheiro nessa compra ou guardar para outra coisa que goste mais.
A minha filha já chegou a comprar gelados para ela e mais 2 amigos num impulso, e depois percebeu que ficou quase sem nada, e quando na semana seguinte viu algo numa loja que realmente queria comprar, não tinha dinheiro suficiente. São pequenas lições importantes.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Vanessa R escreveu:
O meu fez agora 8 anos e estou a pensar dar-lhe uma semanada de 3Eur para ser ele a gerir a compra daquelas pequenas coisas que me vai pedindo e para que tenha a noção que o dinheiro não é infinito. Estou a falar de coisas como cartas pókemon e coisas do género que sejam a “moda” do momento na escola e que habitualmente compro em papelarias ou numa loja chinesa.
Estou com algumas dúvidas em relação a um valor que seja razoável.

3€ parece-me bem para uma criança de 8 anos. São 12€ / mês.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Sansa escreveu:

Mai. escreveu:Para quem já tem filhos nessa fase as crianças fazem uso do dinheiro? Gastam - no em quê? Digo crianças de 4/5 anos...

No que calhar... A intenção da mesada nesta idade é perceber que se gasta fica sem nada, e portanto tem de pensar se realmente quer gastar o dinheiro nessa compra ou guardar para outra coisa que goste mais.
A minha filha já chegou a comprar gelados para ela e mais 2 amigos num impulso, e depois percebeu que ficou quase sem nada, e quando na semana seguinte viu algo numa loja que realmente queria comprar, não tinha dinheiro suficiente. São pequenas lições importantes.


Só para não ficarem a pensar que bem um gelado compro e que têm de ser a cachopa a gastar a mesada dela 😂😂😂 está situação aconteceu no parque onde vamos com muita regularidade, e os gelado que a miúda gosta custa mais de 2€. Não vou gastar 2€ cada vez que lá vou (há semanas em que vamos lá 3x), até porque temos gelados em casa. Esta é uma das regras, e ela sabe que se quiser um gelado no parque então tem de pagar com o dinheiro dela, e normalmente passar-lhe a vontade 😆

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Com a minha filha nada disso funciona, não faz efeito nenhum. Ela não entende a lógica se tem acha que é para gastar, nem que o dê, se não é para gastar não entende a que propósito há-de ter dinheiro guardado, de meia em meia volta vem dar-me o dinheiro dela e diz "junta ao teu". Se há coisas que não quero que coma ou não quero comprar, compra ela e nunca se arrepende nem que gaste 5€ numa treta que nem 1 vale 🙈

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

MisaL escreveu:
Com a minha filha nada disso funciona, não faz efeito nenhum. Ela não entende a lógica se tem acha que é para gastar, nem que o dê, se não é para gastar não entende a que propósito há-de ter dinheiro guardado, de meia em meia volta vem dar-me o dinheiro dela e diz "junta ao teu". Se há coisas que não quero que coma ou não quero comprar, compra ela e nunca se arrepende nem que gaste 5€ numa treta que nem 1 vale 🙈

Não tem necessariamente devo guardar. Eu não faço questão que o guarde. O que eu pretendo é que aprenda a saber gerir o dinheiro, mesmo que o gaste todo, mas que seja em algo que ache que vale a pena (para ela). Gastar 5€ numa treta que vale apenas 1€ faz parte da aprendizagem.
Mas para que resulte têm de existir algumas regras. Por exemplo, brinquedos fora do aniversário, natal, ou algum outro evento que ache que possa receber uma prenda, tem de ser ela a comprar. Aquelas tretas das máquinas de meter a moeda, tem de ser ela a comprar. Gelados no parque, tem de ser ela a comprar. Não vou umas vezes comprar e outras vezes dizer que não. Aqui, tem de existir consistência.
Por diversas vezes que quis comprar um brinquedo, e eu expliquei o quanto custava, e se tinha mesmo a certeza que queria gastar aquela quantidade naquele brinquedo, e depois de pensar, pousou-o e disse que preferia guardar para outro que gostasse mais.
Há dois meses gastou tudo o que tinha guardado num peluche do Stich, agora tem de esperar para voltar a ter outra vez uma quantia de dinheiro suficiente para comprar outro peluche.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Também não faço questão que guarde, mas não a vejo a dar valor nenhum ao processo, para ela é mais ou menos indiferente. Claro que tem os avós perto e vão dando presentes ou repondo algum dinheiro que vai gastando, mas se não tiver tudo bem na mesma.
A minha não é das que hesita em comprar para não gastar dinheiro.
Tem muita dificuldade em devolver ou não comprar algo que gosta, mas não lhe serve, por exemplo. Há uns tempos impus a regra que nesses casos tem de ser ela a pagar, tem pago. Ultimamente gasta em coisas que não vai usar.

Sansa escreveu:

MisaL escreveu:Com a minha filha nada disso funciona, não faz efeito nenhum. Ela não entende a lógica se tem acha que é para gastar, nem que o dê, se não é para gastar não entende a que propósito há-de ter dinheiro guardado, de meia em meia volta vem dar-me o dinheiro dela e diz "junta ao teu". Se há coisas que não quero que coma ou não quero comprar, compra ela e nunca se arrepende nem que gaste 5€ numa treta que nem 1 vale 🙈

Não tem necessariamente devo guardar. Eu não faço questão que o guarde. O que eu pretendo é que aprenda a saber gerir o dinheiro, mesmo que o gaste todo, mas que seja em algo que ache que vale a pena (para ela). Gastar 5€ numa treta que vale apenas 1€ faz parte da aprendizagem.
Mas para que resulte têm de existir algumas regras. Por exemplo, brinquedos fora do aniversário, natal, ou algum outro evento que ache que possa receber uma prenda, tem de ser ela a comprar. Aquelas tretas das máquinas de meter a moeda, tem de ser ela a comprar. Gelados no parque, tem de ser ela a comprar. Não vou umas vezes comprar e outras vezes dizer que não. Aqui, tem de existir consistência.
Por diversas vezes que quis comprar um brinquedo, e eu expliquei o quanto custava, e se tinha mesmo a certeza que queria gastar aquela quantidade naquele brinquedo, e depois de pensar, pousou-o e disse que preferia guardar para outro que gostasse mais.
Há dois meses gastou tudo o que tinha guardado num peluche do Stich, agora tem de esperar para voltar a ter outra vez uma quantia de dinheiro suficiente para comprar outro peluche.

Ana Svensson -
Online
Desde 23 Abr 2017

Mai. escreveu:
Para quem já tem filhos nessa fase as crianças fazem uso do dinheiro? Gastam - no em quê? Digo crianças de 4/5 anos...

Faz-me alguma confusão. Não que ache mal dar. Dou semanada há mais velha, há um ano. Não gastou 1 cêntimo desse dinheiro, nem do que está no cartão do bar na escola 🤷‍♀️

Ana Svensson -
Online
Desde 23 Abr 2017

*à mais velha (não “há”, claro)

Gabri -
Offline
Desde 24 Abr 2010

Chego à conclusa que sou uma forreta! O meu filho recebe 25€, desse dinheiro tinha que carregar o cartão da escola com 20€para as refeições fixas.
Depois pago 2,5€ por cada vez que me aspira o carro.
Desde cedo que tem o seu próprio “negócio”, compra cápsulas de café, águas de 0,5lt e chocolates que nos vende. Os cafés compra a cerca de 20 cent e cobra 50cent, as águas 25 cent (custam acho que 8 no Lidl) os chocolates depende do que for…
Eu e o pai vamos comprando principalmente café e água e acaba por fazer um extra jeitoso.

Gabri -
Offline
Desde 24 Abr 2010

* conclusão

carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

Sansa escreveu:

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:Com 4 anos, 1€ por semana. Agora quando iniciar o ano lectivo vou passar a dar 1,5€.

Eu acho a nível de valor.
Mas por outro lado é mais facil para eles contarem.

Muito ou pouco? 😂

lol
Falhou-me essa parte.
Muito!

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:Com 4 anos, 1€ por semana. Agora quando iniciar o ano lectivo vou passar a dar 1,5€.

Eu acho a nível de valor.
Mas por outro lado é mais facil para eles contarem.

Muito ou pouco? 😂

lol
Falhou-me essa parte.
Muito!


Sim é mais fácil para contar. São 4€ por mês. Eu pessoalmente não acho muito. Os miúdos têm tendência em andarem sempre a pedir, e não podemos comprar tudo, mas também não vamos andar sempre a dizer não a tudo. Terem o próprio dinheiro é uma forma de comprar algo extra. Tipo aquelas bolas que saem nas máquinas de venda automática, por exemplo. Há pais que dão diretamente o dinheiro quando a criança pede, eu não dou. Se quiser essas "porcarias" então paga ela com a mesada dela, sabendo que se gasta ali depois tem de esperar mais tempo até ter dinheiro para comprar aquele peluche que viu na loja de brinquedos.

ClaraMiguel -
Offline
Desde 03 Nov 2013

Por aqui (vai fazer 7) ainda não tem mesada ou semanada. Estou a pensar mais quando tiver 10 anos. O que não significa que não haja já uma aprendizagem financeira. Por exemplo, andámos meses a poupar para podermos viajar. Todos os meses eu e o pai púnhamos x€ no mealheiro e ela contava o dinheiro que tínhamos e quanto faltava para finalmente termos suficiente para irmos. Já fomos e já nos perguntou se podemos voltar a começar a poupar para um dia repetirmos. Para essa mesma viagem, recebeu como prenda de um familiar uma quantia de dinheiro para comprar uma lembrança. Expliquei que não lhe daria dinheiro extra, o que ela quisesse comprar teria de caber naquele orçamento. E ajudámo-la a ver o preço das coisas e a pensar. Acabou por gastar apenas metade e preferiu guardar o resto para quando encontrasse outra coisa que quisesse mesmo. Assim foi meses mais tarde.
Depois também gere o dinheiro que a fada dos dentes deixa (vai guardando até um dia querer comprar algo).
Por outro lado, nunca demos dinheiro para máquinas de bolas e afins. Explicamos que preferimos não gastar dinheiro nesse tipo de coisas e gastar noutras (damos exemplos de coisas que ela também aproveita). Ela já entende esta escolha. Não sinto que neste momento uma mesada fizesse sentido porque efectivamente não há grandes oportunidades para ela gastar dinheiro ou de o gerir. 🤷🏻‍♀️

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

A noção de orçamento familiar acaba por ser um pouco diferente da gestão do próprio dinheiro, no meu entender. E também penso que a atribuição de mesada/semanada possa ter uma certa influência cultural. Aqui na Holanda dão muita importância à gestão do dinheiro ainda em idades jovens. Muitos adolescentes de 14 anos começam a trabalhar para ganharem dinheiro para as suas despesas, e não é porque os pais não o possam fazer, mas porque acham que é importante que apartir de determinada idade deixem de contar com os pais para comprar coisas "supérfluas", saídas com amigos, etc.
Em Portugal existe uma maior proteção financeira. Eu falo por mim, apesar de entender que o dinheiro em casa tinha de ser gerido, e tinha de existir poupanças, quando chegou a hora de ter o meu próprio dinheiro fiz uma péssima gestão, justamente por nunca ter dado valor ao dinheiro. E este é mais um factor que me motiva a dar uma semanada às minha filha.
Evidentemente que as crianças podem aprender de outra forma, cabe aos pais ensinarem as diversas questões relacionadas com o dinheiro, mas isto não retira os benefícios de começarem cedo a receberem uma mesada.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

A questão cultural é muito importante e também as personalidades de cada um acabam por ter influência.
Eu fui ao contrário, nunca tive nenhum envolvimento nas questões financeiras familiares, não fazia a menor ideia de nada, nunca tive mesada, nem dinheiro extra, o meu para gerir era o que me ia dando a minha avó, e comecei cedo a fazer trabalhos para ganhar dinheiro, comecei cedo a trabalhar e fiz uma gestão financeira muito melhor que a dos meus pais.
Independentemente da forma como é feito é importante que tenham noção que custa a receber dinheiro, que é finito, que é necessário estabelecer prioridades e assumir as consequências pelas decisões erradas que se vai fazendo.

Sansa escreveu:
A noção de orçamento familiar acaba por ser um pouco diferente da gestão do próprio dinheiro, no meu entender. E também penso que a atribuição de mesada/semanada possa ter uma certa influência cultural. Aqui na Holanda dão muita importância à gestão do dinheiro ainda em idades jovens. Muitos adolescentes de 14 anos começam a trabalhar para ganharem dinheiro para as suas despesas, e não é porque os pais não o possam fazer, mas porque acham que é importante que apartir de determinada idade deixem de contar com os pais para comprar coisas "supérfluas", saídas com amigos, etc.
Em Portugal existe uma maior proteção financeira. Eu falo por mim, apesar de entender que o dinheiro em casa tinha de ser gerido, e tinha de existir poupanças, quando chegou a hora de ter o meu próprio dinheiro fiz uma péssima gestão, justamente por nunca ter dado valor ao dinheiro. E este é mais um factor que me motiva a dar uma semanada às minha filha.
Evidentemente que as crianças podem aprender de outra forma, cabe aos pais ensinarem as diversas questões relacionadas com o dinheiro, mas isto não retira os benefícios de começarem cedo a receberem uma mesada.

carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

Sansa escreveu:

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:

carlabrito escreveu:

Sansa escreveu:Com 4 anos, 1€ por semana. Agora quando iniciar o ano lectivo vou passar a dar 1,5€.

Eu acho a nível de valor.
Mas por outro lado é mais facil para eles contarem.

Muito ou pouco? 😂

lol
Falhou-me essa parte.
Muito!

Sim é mais fácil para contar. São 4€ por mês. Eu pessoalmente não acho muito. Os miúdos têm tendência em andarem sempre a pedir, e não podemos comprar tudo, mas também não vamos andar sempre a dizer não a tudo. Terem o próprio dinheiro é uma forma de comprar algo extra. Tipo aquelas bolas que saem nas máquinas de venda automática, por exemplo. Há pais que dão diretamente o dinheiro quando a criança pede, eu não dou. Se quiser essas "porcarias" então paga ela com a mesada dela, sabendo que se gasta ali depois tem de esperar mais tempo até ter dinheiro para comprar aquele peluche que viu na loja de brinquedos.

Por agora os meus filhos nunca pedem nada.
Quando vão ao supermercado eles pedem sermpre para ir ver os brinquedos e estao ali o tempo que querem (é raro irem ao supermercado).
Vêem, falam, querem atencao, mas depois digo para porem no sitio e vêm embora.
O mesmo nessas maquinas das bolas. Mexem, vêm, querem que eu veja, mas por enquanto nao pedem.
Quando o Henrique quer alguma coisa, pede sempre para o Natal ou para o aniversario.
Ja começa a ter nocao de que o dinheiro existe, que nao ha para tudo. Por isso acho que vou aproveitar a embalagem para lhe explicar melhor o que sao as finanças.
Gostei das ideias que falaram.
Vou seguir esses exemplos.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Sansa escreveu:
A noção de orçamento familiar acaba por ser um pouco diferente da gestão do próprio dinheiro, no meu entender. E também penso que a atribuição de mesada/semanada possa ter uma certa influência cultural. Aqui na Holanda dão muita importância à gestão do dinheiro ainda em idades jovens. Muitos adolescentes de 14 anos começam a trabalhar para ganharem dinheiro para as suas despesas, e não é porque os pais não o possam fazer, mas porque acham que é importante que apartir de determinada idade deixem de contar com os pais para comprar coisas "supérfluas", saídas com amigos, etc.
Em Portugal existe uma maior proteção financeira. Eu falo por mim, apesar de entender que o dinheiro em casa tinha de ser gerido, e tinha de existir poupanças, quando chegou a hora de ter o meu próprio dinheiro fiz uma péssima gestão, justamente por nunca ter dado valor ao dinheiro. E este é mais um factor que me motiva a dar uma semanada às minha filha.
Evidentemente que as crianças podem aprender de outra forma, cabe aos pais ensinarem as diversas questões relacionadas com o dinheiro, mas isto não retira os benefícios de começarem cedo a receberem uma mesada.

Nem tinha pensado na questão cultural mas realmente habituaram-me cedo também (a minha mãe sempre foi muito prática lol)
Sim, também acho que há diferenças. A minha filha guarda o dinheiro que lhe dão no mealheiro dela e eu depois deposito. Ela sabe que aquele dinheiro não é para gastar. A "semanada" é porque a faz fazer escolhas, porque é um voto da minha confiança e autonomia que lhe dou. E é engraçado vê-la a contar, a sentir-se responsável e importante por pagar ela alguma coisa com dinheiro da carteira dela.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

fmmartins escreveu:

Sansa escreveu:A noção de orçamento familiar acaba por ser um pouco diferente da gestão do próprio dinheiro, no meu entender. E também penso que a atribuição de mesada/semanada possa ter uma certa influência cultural. Aqui na Holanda dão muita importância à gestão do dinheiro ainda em idades jovens. Muitos adolescentes de 14 anos começam a trabalhar para ganharem dinheiro para as suas despesas, e não é porque os pais não o possam fazer, mas porque acham que é importante que apartir de determinada idade deixem de contar com os pais para comprar coisas "supérfluas", saídas com amigos, etc.
Em Portugal existe uma maior proteção financeira. Eu falo por mim, apesar de entender que o dinheiro em casa tinha de ser gerido, e tinha de existir poupanças, quando chegou a hora de ter o meu próprio dinheiro fiz uma péssima gestão, justamente por nunca ter dado valor ao dinheiro. E este é mais um factor que me motiva a dar uma semanada às minha filha.
Evidentemente que as crianças podem aprender de outra forma, cabe aos pais ensinarem as diversas questões relacionadas com o dinheiro, mas isto não retira os benefícios de começarem cedo a receberem uma mesada.

Nem tinha pensado na questão cultural mas realmente habituaram-me cedo também (a minha mãe sempre foi muito prática lol)
Sim, também acho que há diferenças. A minha filha guarda o dinheiro que lhe dão no mealheiro dela e eu depois deposito. Ela sabe que aquele dinheiro não é para gastar. A "semanada" é porque a faz fazer escolhas, porque é um voto da minha confiança e autonomia que lhe dou. E é engraçado vê-la a contar, a sentir-se responsável e importante por pagar ela alguma coisa com dinheiro da carteira dela.


Eu também acho graça. Às vezes pergunta quanto custa alguma coisa e depois põe-se a "fazer contas" para ver se tem dinheiro suficiente 😄 Anda há mais de um ano a namorar um baby Yoda robótico que custa 40€ (nunca lá irá chegar a não ser que não gaste nada durante ano e meio).

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Também acontecia com a minha.
Agora quer um carro da Barbie daqueles elétricos que deve custar uns 300€, mas como já tem mais noção, desistiu de juntar para o carro. Há dias disse "quando tiver dinheiro já não caibo no carro"...até me deu pena.

Sansa escreveu:

fmmartins escreveu:

Sansa escreveu:A noção de orçamento familiar acaba por ser um pouco diferente da gestão do próprio dinheiro, no meu entender. E também penso que a atribuição de mesada/semanada possa ter uma certa influência cultural. Aqui na Holanda dão muita importância à gestão do dinheiro ainda em idades jovens. Muitos adolescentes de 14 anos começam a trabalhar para ganharem dinheiro para as suas despesas, e não é porque os pais não o possam fazer, mas porque acham que é importante que apartir de determinada idade deixem de contar com os pais para comprar coisas "supérfluas", saídas com amigos, etc.
Em Portugal existe uma maior proteção financeira. Eu falo por mim, apesar de entender que o dinheiro em casa tinha de ser gerido, e tinha de existir poupanças, quando chegou a hora de ter o meu próprio dinheiro fiz uma péssima gestão, justamente por nunca ter dado valor ao dinheiro. E este é mais um factor que me motiva a dar uma semanada às minha filha.
Evidentemente que as crianças podem aprender de outra forma, cabe aos pais ensinarem as diversas questões relacionadas com o dinheiro, mas isto não retira os benefícios de começarem cedo a receberem uma mesada.

Nem tinha pensado na questão cultural mas realmente habituaram-me cedo também (a minha mãe sempre foi muito prática lol)
Sim, também acho que há diferenças. A minha filha guarda o dinheiro que lhe dão no mealheiro dela e eu depois deposito. Ela sabe que aquele dinheiro não é para gastar. A "semanada" é porque a faz fazer escolhas, porque é um voto da minha confiança e autonomia que lhe dou. E é engraçado vê-la a contar, a sentir-se responsável e importante por pagar ela alguma coisa com dinheiro da carteira dela.

Eu também acho graça. Às vezes pergunta quanto custa alguma coisa e depois põe-se a "fazer contas" para ver se tem dinheiro suficiente 😄 Anda há mais de um ano a namorar um baby Yoda robótico que custa 40€ (nunca lá irá chegar a não ser que não gaste nada durante ano e meio).