Questão sobre o serviço público | De Mãe para Mãe

Questão sobre o serviço público

Responda
49 mensagens
DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Bom dia,
esclareçam-me uma situação. Nos partos no sistema publico não é suposto estar sempre presente um pediatra no nascimento? Especialmente se se tratar de um parto prematuro, é aceitável que o pediatra não esteja na sala de parto e tenha que ser chamado só quando se notam complicações no bebé já nascido? Imagino que não haja de serviço um pediatra para cada grávida, mas não devia haver um em cada parto ainda enfatizando que se tratou de um parto prematuro? Obrigada

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

No parto das minhas filhas gémeas estavam dois neonatologistas, mas foi uma cesariana programada. Suponho que possa haver situações de emergência em que, por uma combinação de circunstâncias, não exista um pediatra imediatamente disponível. Infelizmente, os recursos humanos não abundam nos hospitais hoje em dia.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

guialmi escreveu:
No parto das minhas filhas gémeas estavam dois neonatologistas, mas foi uma cesariana programada. Suponho que possa haver situações de emergência em que, por uma combinação de circunstâncias, não exista um pediatra imediatamente disponível. Infelizmente, os recursos humanos não abundam nos hospitais hoje em dia.

Eu pessoalmente acho negligente que se deixe ocorrer um parto antes do tempo, já com complicações associadas sem a presença do pediatra. Segundo soube o bebé teve 3 paragens cardio-respiratorias, esteve à espera do pediatra que teve que o reanimar, foi para a incubadora por não conseguir respirar sozinho e acabou por falecer esta manhã após a injeção de maturação pulmonar. A mãe já veio embora sem qualquer apoio psicológico… E é esta a merda de serviço público que temos e que tanta gente se cansou de gabar de cada vez que eu argumentava a minha preferência de ter parto no privado.

Luh A. -
Offline
Desde 29 Mar 2014

Lamento imenso o sucedido...😢
Posso dizer que no parto do meu menino mais novo, que nasceu às 34 semanas esteve uma pediatra na sala de partos durante todo o trabalho de parto e avaliou-o logo que nasceu...

Sobre Luh A.

Luh A.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Nos meus partos o pediatra entrou assim que nasceu, não assistiu propriamente ao parto, mas penso que depende muito do hospital e da afluência do mesmo. No serviço de urgência obstétrica há um pediatra de serviço, mas se houver dois ou três casos urgentes em simultâneo... infelizmente alguém vai ter de esperar Triste
Por exemplo, no meu primeiro parto "ocupei" a médica anestesista 2:30h, nesse espaço de tempo houve muitas mães a sofrer à espera de um epidural.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Luh A. escreveu:
Lamento imenso o sucedido...😢
Posso dizer que no parto do meu menino mais novo, que nasceu às 34 semanas esteve uma pediatra na sala de partos durante todo o trabalho de parto e avaliou-o logo que nasceu...

Eu sempre pensei que seria assim, mas infelizmente não é... Mas honestamente pensei que se tratando de um prematuro haveria a obrigatoriedade de ser assim, e se calhar protocolarmente há mas na prática não se cumpriu. Espero que sejam apuradas responsabilidades. Mais triste ainda é que sendo no hospital que foi já não me chega a espantar, não sei se me chegam os dedos das mãos para contar relatos que deixam muito a desejar na neonatologia desta unidade. Não era em vão que quando estava grávida me davam suores frios só de pensar que podia ter um acidente qualquer e acabar por lá ir parar para ter o bebé, já que é o hospital mais perto da minha residência.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

DianaES escreveu:

guialmi escreveu:No parto das minhas filhas gémeas estavam dois neonatologistas, mas foi uma cesariana programada. Suponho que possa haver situações de emergência em que, por uma combinação de circunstâncias, não exista um pediatra imediatamente disponível. Infelizmente, os recursos humanos não abundam nos hospitais hoje em dia.

Eu pessoalmente acho negligente que se deixe ocorrer um parto antes do tempo, já com complicações associadas sem a presença do pediatra. Segundo soube o bebé teve 3 paragens cardio-respiratorias, esteve à espera do pediatra que teve que o reanimar, foi para a incubadora por não conseguir respirar sozinho e acabou por falecer esta manhã após a injeção de maturação pulmonar. A mãe já veio embora sem qualquer apoio psicológico… E é esta a merda de serviço público que temos e que tanta gente se cansou de gabar de cada vez que eu argumentava a minha preferência de ter parto no privado.


Ainda bem que é tão rápida a generalizar, felizmente pode, ao longo da sua vida, nunca pôr os pés num serviço público de saúde.
Por acaso foi a "merda" de um serviço público de saúde que salvou a vida de uma amiga minha depois de um médico num serviço privado saúde lhe ter perfurado o útero numa raspagem e ter encoberto o erro deliberadamente. E certamente as centenas de pais que têm ou tiveram os filhos internados meses em serviços de neonatologia também subscreverão a sua rápida conclusão.
Lamento imenso o que aconteceu e, se houve negligência, que ela seja apurada. O que não precisamos é de generalizações que não têm em conta que os casos complicados, os prematuros extremos, as mães em risco em vida vão parar mesmo é a esse serviço público de que tanto desenha.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

*desdenha

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

MisaL escreveu:
Nos meus partos o pediatra entrou assim que nasceu, não assistiu propriamente ao parto, mas penso que depende muito do hospital e da afluência do mesmo. No serviço de urgência obstétrica há um pediatra de serviço, mas se houver dois ou três casos urgentes em simultâneo... infelizmente alguém vai ter de esperar
Por exemplo, no meu primeiro parto "ocupei" a médica anestesista 2:30h, nesse espaço de tempo houve muitas mães a sofrer à espera de um epidural.

Entendo, mas sofrer pela epidural não traz as consequências que a demora na espera por um pediatra pode causar… Logo deve ser medido em escalas diferentes o acesso e necessidade destes dois tipos de médicos. Além de que não se tratou de uma chegada de emergência, a grávida já lá estava internada há 1 dia, ou seja estava contabilizada na gestão de pacientes/pediatras. É mau de mais.

Patriciaa83 -
Offline
Desde 20 Jun 2017

Realmente não sei bem como funciona num parto normal, mas sendo pré termo e já com problemas associados devia ter já lá um neonatologista.

Os meus filhos nasceram os 2 de cesariana emergente e estava lá um neonatologista preparado para os ver logo após o nascimento.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Lamento muito Diana,que horror, até me arrepiei ao ler o relato e não consigo imaginar o tamanho do sofrimento dessa mãe. Nos partos normais não faço ideia, mas na minha cesariana (público), tinha uma pediatra no bloco à espera da minha filhota.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Sim, óbvio, só estava a dar o exemplo do que se pode passar numa urgência quando só há um médico, vai para o primeiro. Disse epidural, mas sei que houve um cesariana de urgência à espera da "minha" médica anestesista. Pode ter estado em sofrimento aquele bebé, pode ter tido consequências...
No caso que falou, supondo que há riscos acrescidos, devia estar algum pediatra disponível, fazerem algum pedido prévio.

DianaES escreveu:

MisaL escreveu:Nos meus partos o pediatra entrou assim que nasceu, não assistiu propriamente ao parto, mas penso que depende muito do hospital e da afluência do mesmo. No serviço de urgência obstétrica há um pediatra de serviço, mas se houver dois ou três casos urgentes em simultâneo... infelizmente alguém vai ter de esperar
Por exemplo, no meu primeiro parto "ocupei" a médica anestesista 2:30h, nesse espaço de tempo houve muitas mães a sofrer à espera de um epidural.

Entendo, mas sofrer pela epidural não traz as consequências que a demora na espera por um pediatra pode causar… Logo deve ser medido em escalas diferentes o acesso e necessidade destes dois tipos de médicos. Além de que não se tratou de uma chegada de emergência, a grávida já lá estava internada há 1 dia, ou seja estava contabilizada na gestão de pacientes/pediatras. É mau de mais.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

guialmi escreveu:

DianaES escreveu:
guialmi escreveu:No parto das minhas filhas gémeas estavam dois neonatologistas, mas foi uma cesariana programada. Suponho que possa haver situações de emergência em que, por uma combinação de circunstâncias, não exista um pediatra imediatamente disponível. Infelizmente, os recursos humanos não abundam nos hospitais hoje em dia.

Eu pessoalmente acho negligente que se deixe ocorrer um parto antes do tempo, já com complicações associadas sem a presença do pediatra. Segundo soube o bebé teve 3 paragens cardio-respiratorias, esteve à espera do pediatra que teve que o reanimar, foi para a incubadora por não conseguir respirar sozinho e acabou por falecer esta manhã após a injeção de maturação pulmonar. A mãe já veio embora sem qualquer apoio psicológico… E é esta a merda de serviço público que temos e que tanta gente se cansou de gabar de cada vez que eu argumentava a minha preferência de ter parto no privado.

Ainda bem que é tão rápida a generalizar, felizmente pode, ao longo da sua vida, nunca pôr os pés num serviço público de saúde.
Por acaso foi a "merda" de um serviço público de saúde que salvou a vida de uma amiga minha depois de um médico num serviço privado saúde lhe ter perfurado o útero numa raspagem e ter encoberto o erro deliberadamente. E certamente as centenas de pais que têm ou tiveram os filhos internados meses em serviços de neonatologia também subscreverão a sua rápida conclusão.
Lamento imenso o que aconteceu e, se houve negligência, que ela seja apurada. O que não precisamos é de generalizações que não têm em conta que os casos complicados, os prematuros extremos, as mães em risco em vida vão parar mesmo é a esse serviço público de que tanto desenha.


Faça-me um favor e não seja cínica. Nunca generaliza nada? É a unica pessoa no mundo que não faz generalizações... Deve ser Cristo reencarnado.
É OBVIO que há casos de grande sucesso e competência no público e também há merda no privado. E isso tira-me a legitimidade de estar revoltada e dizer que acho que há mais merda no público que no privado?! Quanto mais não seja porque sabemos que conta muito a poupança, é esperar até à última porque as cesarianas são caras. Enfim, mas gosta e está satisfeita, fixe para si, é uma pessoa de sorte.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Nasceu de quantas semanas?

mariafc -
Offline
Desde 03 Jan 2019

DianaES escreveu:

Luh A. escreveu:Lamento imenso o sucedido...😢
Posso dizer que no parto do meu menino mais novo, que nasceu às 34 semanas esteve uma pediatra na sala de partos durante todo o trabalho de parto e avaliou-o logo que nasceu...

Eu sempre pensei que seria assim, mas infelizmente não é... Mas honestamente pensei que se tratando de um prematuro haveria a obrigatoriedade de ser assim, e se calhar protocolarmente há mas na prática não se cumpriu. Espero que sejam apuradas responsabilidades. Mais triste ainda é que sendo no hospital que foi já não me chega a espantar, não sei se me chegam os dedos das mãos para contar relatos que deixam muito a desejar na neonatologia desta unidade. Não era em vão que quando estava grávida me davam suores frios só de pensar que podia ter um acidente qualquer e acabar por lá ir parar para ter o bebé, já que é o hospital mais perto da minha residência.

Lamento muito Triste Qual foi o hospital? Acho importante referir, para que quem tenha que ir pra lá esteja prevenido.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

fmmartins escreveu:
Nasceu de quantas semanas?

de 36, com 2,600 Kg...

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

mariafc escreveu:

DianaES escreveu:
Luh A. escreveu:Lamento imenso o sucedido...😢
Posso dizer que no parto do meu menino mais novo, que nasceu às 34 semanas esteve uma pediatra na sala de partos durante todo o trabalho de parto e avaliou-o logo que nasceu...

Eu sempre pensei que seria assim, mas infelizmente não é... Mas honestamente pensei que se tratando de um prematuro haveria a obrigatoriedade de ser assim, e se calhar protocolarmente há mas na prática não se cumpriu. Espero que sejam apuradas responsabilidades. Mais triste ainda é que sendo no hospital que foi já não me chega a espantar, não sei se me chegam os dedos das mãos para contar relatos que deixam muito a desejar na neonatologia desta unidade. Não era em vão que quando estava grávida me davam suores frios só de pensar que podia ter um acidente qualquer e acabar por lá ir parar para ter o bebé, já que é o hospital mais perto da minha residência.

Lamento muito Qual foi o hospital? Acho importante referir, para que quem tenha que ir pra lá esteja prevenido.


Centro Hospitalar entre Douro e Vouga (Hospital de São Sebastião). Ainda no ano passado vivi de perto um caso e uma familiar em que induziram um parto por 5 dias, a bebé nasceu já com mazelas… felizmente coisas revertíveis, mesmo assim 1 ano depois ainda não gira o pescoço e tem que fazer fisio, tudo por ter estado para nascer demasiado tempo… Existem procedimentos e diretivas adotadas de como agir numa e noutra situação, mas parece que nunca são realmente cumpridos, seja porque não há meios, seja porque quem toma a decisão tem sempre margem para usar de consciência… Enfim.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

MisaL escreveu:
Sim, óbvio, só estava a dar o exemplo do que se pode passar numa urgência quando só há um médico, vai para o primeiro. Disse epidural, mas sei que houve um cesariana de urgência à espera da "minha" médica anestesista. Pode ter estado em sofrimento aquele bebé, pode ter tido consequências...
No caso que falou, supondo que há riscos acrescidos, devia estar algum pediatra disponível, fazerem algum pedido prévio.

DianaES escreveu:

MisaL escreveu:Nos meus partos o pediatra entrou assim que nasceu, não assistiu propriamente ao parto, mas penso que depende muito do hospital e da afluência do mesmo. No serviço de urgência obstétrica há um pediatra de serviço, mas se houver dois ou três casos urgentes em simultâneo... infelizmente alguém vai ter de esperar
Por exemplo, no meu primeiro parto "ocupei" a médica anestesista 2:30h, nesse espaço de tempo houve muitas mães a sofrer à espera de um epidural.

Entendo, mas sofrer pela epidural não traz as consequências que a demora na espera por um pediatra pode causar… Logo deve ser medido em escalas diferentes o acesso e necessidade destes dois tipos de médicos. Além de que não se tratou de uma chegada de emergência, a grávida já lá estava internada há 1 dia, ou seja estava contabilizada na gestão de pacientes/pediatras. É mau de mais.


Pois exatamente, a mãe deu entrada na segunda, logo sabiam já com o que contar...

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Retifico, afinal não mandaram a mãe embora, ela assinou o termo para vir porque como imaginam não deve ser fácil gerir todas estas emoções com outras mães e seus bebés nas camas ao lado… e não sei se por indisponibilidade ou outra coisa qualquer, mas não trocaram a mãe de lugar após o sucedido, portanto ela assinou o termo e veio. E só de pensar que vai chegar a casa e ter que lidar com tudo o que estava preparado para o bebé, já me dá uma angústia e um aperto no peito… Estas coisas fazem-me mesmo mal.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

DianaES escreveu:

guialmi escreveu:
DianaES escreveu:
guialmi escreveu:No parto das minhas filhas gémeas estavam dois neonatologistas, mas foi uma cesariana programada. Suponho que possa haver situações de emergência em que, por uma combinação de circunstâncias, não exista um pediatra imediatamente disponível. Infelizmente, os recursos humanos não abundam nos hospitais hoje em dia.

Eu pessoalmente acho negligente que se deixe ocorrer um parto antes do tempo, já com complicações associadas sem a presença do pediatra. Segundo soube o bebé teve 3 paragens cardio-respiratorias, esteve à espera do pediatra que teve que o reanimar, foi para a incubadora por não conseguir respirar sozinho e acabou por falecer esta manhã após a injeção de maturação pulmonar. A mãe já veio embora sem qualquer apoio psicológico… E é esta a merda de serviço público que temos e que tanta gente se cansou de gabar de cada vez que eu argumentava a minha preferência de ter parto no privado.

Ainda bem que é tão rápida a generalizar, felizmente pode, ao longo da sua vida, nunca pôr os pés num serviço público de saúde.
Por acaso foi a "merda" de um serviço público de saúde que salvou a vida de uma amiga minha depois de um médico num serviço privado saúde lhe ter perfurado o útero numa raspagem e ter encoberto o erro deliberadamente. E certamente as centenas de pais que têm ou tiveram os filhos internados meses em serviços de neonatologia também subscreverão a sua rápida conclusão.
Lamento imenso o que aconteceu e, se houve negligência, que ela seja apurada. O que não precisamos é de generalizações que não têm em conta que os casos complicados, os prematuros extremos, as mães em risco em vida vão parar mesmo é a esse serviço público de que tanto desenha.

Faça-me um favor e não seja cínica. Nunca generaliza nada? É a unica pessoa no mundo que não faz generalizações... Deve ser Cristo reencarnado.
É OBVIO que há casos de grande sucesso e competência no público e também há merda no privado. E isso tira-me a legitimidade de estar revoltada e dizer que acho que há mais merda no público que no privado?! Quanto mais não seja porque sabemos que conta muito a poupança, é esperar até à última porque as cesarianas são caras. Enfim, mas gosta e está satisfeita, fixe para si, é uma pessoa de sorte.


Já devia saber que a sua forma de reagir a opiniões diferentes da sua é ser agressiva e fazer ataques pessoais. Mea culpa. Não a incómodo mais.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

guialmi escreveu:

DianaES escreveu:
guialmi escreveu:
DianaES escreveu:
guialmi escreveu:No parto das minhas filhas gémeas estavam dois neonatologistas, mas foi uma cesariana programada. Suponho que possa haver situações de emergência em que, por uma combinação de circunstâncias, não exista um pediatra imediatamente disponível. Infelizmente, os recursos humanos não abundam nos hospitais hoje em dia.

Eu pessoalmente acho negligente que se deixe ocorrer um parto antes do tempo, já com complicações associadas sem a presença do pediatra. Segundo soube o bebé teve 3 paragens cardio-respiratorias, esteve à espera do pediatra que teve que o reanimar, foi para a incubadora por não conseguir respirar sozinho e acabou por falecer esta manhã após a injeção de maturação pulmonar. A mãe já veio embora sem qualquer apoio psicológico… E é esta a merda de serviço público que temos e que tanta gente se cansou de gabar de cada vez que eu argumentava a minha preferência de ter parto no privado.

Ainda bem que é tão rápida a generalizar, felizmente pode, ao longo da sua vida, nunca pôr os pés num serviço público de saúde.
Por acaso foi a "merda" de um serviço público de saúde que salvou a vida de uma amiga minha depois de um médico num serviço privado saúde lhe ter perfurado o útero numa raspagem e ter encoberto o erro deliberadamente. E certamente as centenas de pais que têm ou tiveram os filhos internados meses em serviços de neonatologia também subscreverão a sua rápida conclusão.
Lamento imenso o que aconteceu e, se houve negligência, que ela seja apurada. O que não precisamos é de generalizações que não têm em conta que os casos complicados, os prematuros extremos, as mães em risco em vida vão parar mesmo é a esse serviço público de que tanto desenha.

Faça-me um favor e não seja cínica. Nunca generaliza nada? É a unica pessoa no mundo que não faz generalizações... Deve ser Cristo reencarnado.
É OBVIO que há casos de grande sucesso e competência no público e também há merda no privado. E isso tira-me a legitimidade de estar revoltada e dizer que acho que há mais merda no público que no privado?! Quanto mais não seja porque sabemos que conta muito a poupança, é esperar até à última porque as cesarianas são caras. Enfim, mas gosta e está satisfeita, fixe para si, é uma pessoa de sorte.

Já devia saber que a sua forma de reagir a opiniões diferentes da sua é ser agressiva e fazer ataques pessoais. Mea culpa. Não a incómodo mais.


Não lhe quis fazer um ataque pessoal, mas foi cínica ao dizer "ainda bem que é tão rápida a generalizar"... Foi sarcasmo. Mas pronto, respeito a sua opinião e peço desculpa se fui agressiva.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

DianaES escreveu:
Retifico, afinal não mandaram a mãe embora, ela assinou o termo para vir porque como imaginam não deve ser fácil gerir todas estas emoções com outras mães e seus bebés nas camas ao lado… e não sei se por indisponibilidade ou outra coisa qualquer, mas não trocaram a mãe de lugar após o sucedido, portanto ela assinou o termo e veio. E só de pensar que vai chegar a casa e ter que lidar com tudo o que estava preparado para o bebé, já me dá uma angústia e um aperto no peito… Estas coisas fazem-me mesmo mal.

Compreendo a tua revolta, Diana. Especialmente quando pensamos que poderia haver a possibilidade de não acontecer houvesse um pediatra disponível e presente. E é sempre muito complicado digerir as razões pelas quais isso falhou.
Nem sequer consigo imaginar a dimensão da mágoa que essa tua amiga está a sentir. Não tenho palavras sequer, apenas desejo muita força.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Fico sempre muito tocada com estes relatos, é muito triste. Não consigo imaginar o desgosto dessa mãe. Espero que tenha forças para responsabilizar esse hospital.

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Há muitas variáveis e esse bebe até nasceu quase com um peso bebé de termo certo?... Tenho uma prima que nasceu com 600gr num hospital público e está cá saudável com 14 anos, portanto não sabemos até que ponto história tão triste e trágica podia ser evitada... Também sei que em Coimbra as mamãs que abortaram ou os bebés morreram estão em enfermarias/quartos à parte e são muito acarinhadas. Não podemos mesmo generalizar mas a sua raiva é compreensível.

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Há muitas variáveis e esse bebe até nasceu quase com um peso bebé de termo certo?... Tenho uma prima que nasceu com 600gr num hospital público e está cá saudável com 14 anos, portanto não sabemos até que ponto história tão triste e trágica podia ser evitada... Também sei que em Coimbra as mamãs que abortaram ou os bebés morreram estão em enfermarias/quartos à parte e são muito acarinhadas. Não podemos mesmo generalizar mas a sua raiva é compreensível.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Acho que mediante as experiências pessoais das pessoas, as opiniões vão variando. Com sinceridade eu confio mais no serviço público. Cresci a ouvir a minha madrinha dizer (parteira da MAC) que quando corre mal no privado vão parar ao público, acredito que ela tenha os seus motivos para o dizer. Há uns meses tive conhecimento do caso de uma bebé que teve uma alergia alimentar grave e teve duas semanas internada num hospital privado em Lisboa onde não conseguiam detectar o problema, foi transferida para o Hospital de Santa Maria e foi lá que tudo se resolveu.
No entanto, eu estive 20 e tal horas em trabalho de parto para me fazerem uma cesariana num hospital público.
Quando são coisas mais simples muitas vezes vou ao privado (constipações da miúda e consultas de rotina) mas quando é sério prefiro o público. Neste caso em concreto, é muito triste e se houver negligência que paguem por ela.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Eu sei que sendo prematuro, embora quase pré-termo tem logo maiores probabilidades de correr mal... Mas fica-me sempre a questão de não ter estado o pediatra ali à espera dele… Colocaram no colo da mãe, e passado pouco tempo começou a ficar roxo e entrar em paragem cardio-respiratória… Chamaram então o pediatra para o ver. Não acham que falhou ali qualquer coisa? A minha filha nasceu às 39, deram-ma 5 segundos para um beijinho e o pediatra levou-a logo para examinar, 10min depois estava ao meu lado outra vez… Um bebé que nasce prematuro não tem tantas vezes necessidade de auxílio para a parte pulmonar?! Não é suposto o pediatra ver se quando nasce precisa ou não desse auxílio?...

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Acho que sim, sem duvida falhou. A minha filha nem a vi, saiu da minha barriga e foi logo vista e era um bebé de termo sem complicações.

FranciscaS -
Offline
Desde 13 Jan 2008

No parto do meu filho, no CMIN, mal ele nasceu entrou logo uma pediatra e uma interna de pediatria. É a primeira vez que ouço que tal não acontece e acho negligente...

14/07/2016: POSITIVO!!! Sorriso DPP: 19/03/2017
29/07/2016: Vi o teu coração pela primeira vez.<3
02/11/2016: 20+1s - Vem aí um menino! Espertalhão
29/03/2017: o Duarte nasceu às 09:06 e o meu coração quase explodiu de felicidade! 💙
***
16/03/2019: Supresa! Vem aí mais um bebé! DPP 19/11/2019

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

É realmente horrível saber que há histórias assim 😥
Mas eu levanto outra questão : e o obstetra? Digo isto pq ele tb tem conhecimentos de Medicina para socorrer o bébé , juntamente com os enfermeiros que lá estavam, e tb porque no caso dos meus filhos , foi o próprio obstetra que lhes fez logo uma massagem para libertarem o líquido amniotico que tinham aspirado , e depois sim, foram para o pediatra e choraram finalmente.

CatiaS_S -
Online
Desde 30 Set 2016

Ansha escreveu:
É realmente horrível saber que há histórias assim 😥
Mas eu levanto outra questão : e o obstetra? Digo isto pq ele tb tem conhecimentos de Medicina para socorrer o bébé , juntamente com os enfermeiros que lá estavam, e tb porque no caso dos meus filhos , foi o próprio obstetra que lhes fez logo uma massagem para libertarem o líquido amniotico que tinham aspirado , e depois sim, foram para o pediatra e choraram finalmente.

Era isso que ia comentar.... É que mesmo sem pediatria, estavam naquela sala (ou perto) mais profissionais de saúde habilitados a fazer manobras de reanimação!

Sobre CatiaS_S

Agosto 2016: Vamos tentar ter um filhote!
Set-Out 2016: Consultas, exames, análises; Folicil e Yodafar
Novembro 2016: Começam os treinos
10 Maio 2017: Positivo ao 5º ciclo Espertalhão
DPP: 11 Janeiro.....e se não quiser nascer, indução marcada para dia 17...
http://outroblogsobrematernidade.blogspot.pt/

Outros tópicos relacionados

Será? HELP!!!
olá a Todas, preciso de falar com alguém mesmo que seja alguem desconhecido. Vou contar a historia desde o inicio. Por motivos de saude, tomo a pilula seguida desde à uns 4 anos com apenas duas pausas anuais. Em Maio deixei de tomar a pilula, e o...
limas cartao
olá a todas, eu ando á procura de limas de cartão próprias para bebés mas não encontro em lado nenhum!!! será que alguma de vocês sabe onde encontrar? obrigada
Escova e Pente
Mamãs onde compraram a escova e pente para as vossas meninas? Ainda não encontrei nada que achasse fofinho para a minha Margarida. Ah, e as limas para as unhas são como as que usamos para nós ou compram-se em sitios especificos?
Opinião se faz favor ( de mamãs que já tiveram o bebé)
Boa noite. Acabei agora de terminar a mala de maternidade do bebé. Na lista do hospital está: 5 mudas de roupa interior 5 fatinhos 5 fraldas de pano 1 cobertor ou xaile fraldas descartáveis 2 toalhas de banho Vou acrescentar toalhitas e o kit com...
Duvida
Olá a tds necessitava de saber o q precisava de comprar, para a higiene do bebé. Sei que necessito de comprar: - Alcool mas n me lembro de qts graus - Comprensas esterelizadas - Lima, tesoura ou corta unhas Mas n me lembro de mais nada poderao me...
Kit e Medela
Olá mamas Alguém sabe onde posso comprar o kit com a tesoura, corta-unhas e lima de cartão? É que me ofereceram o pente e a escova em separado e eu só vejo as 5 coisas juntas. E os discos para o peito da Medela? Na maternidade mandaram levar...

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?