Poder paternal MAES SOLTEIRAS | De Mãe para Mãe

Poder paternal MAES SOLTEIRAS

Responda
48 mensagens
Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Meninas eu estou separada do pai da minha filha. Nnc quis saber da gravidez agora k nasceu esta a dar para pai dedicado. A cena é que ele antes visitava-a aqui em casa pk ela tem 4 meses.. De uns tempos diz k precisa de ficar sozinho com ela e desaparece com ela. Não a devolve. Só a trás qdo quer. Na primeira vez activei a polícia... E como n tinha o papel das responsabilidades n fizeram nada pk supostamente apesar de muito pequena ele tem direitos.. Então abri processo em tribunal e estamos a aguardar. Mas ele tem feito isto... Leva a minha filha contra a minha vontade, retém ela na casa dele pk diz k tem de dormir com ela. Sendo k ele n tem condições criadas, n tem berço, ela dorme na cama dele, ele tem um café bar k lhe obriga sucessivamente a deslocar se ao café e as únicas pessoas que têm são os dois filhos menores. E um dia com apenas 1 mês um dos filhos ligou me pk o pai saiu e deixou a bebé sozinha c eles... E ela tava com fome, cagada até as costas. Está a custar me imenso estar tantas horas longe dela e principalmente ela pernoitar... Para já não queria e não concordo com pernoites em bebé pequena, ela sujeitar se a constante mudança de ambiente. Ela vive comigo... Ele está com ela durante o dia e devolve à noite... Mas ele não quer e arranca me ela à força pk diz que ela tem de dormir tb com ele... E estar com eles desde novinha para habituar. Estou a passar me. Alguém já passou por isso? Como resolveu? Eu n quero que o juiz aceite essa condição de pernoites pelo menos para já. Alguém me aconselha alguma coisa?

amadalena -
Offline
Desde 13 Maio 2009

Olá Marisa…
Não posso ajudar, mas queria apenas dizer que fico com o coração apertado só em pensar nessa situação. se há coisa que me custaria engolir era ter que dividir a minha filha, fosse com quem fosse.

Sobre amadalena

♥ Deixei de tomar a pílula a 01/06/2015 - Início dos treinos: 12/07/2015 - Que Deus nos ajude <3
♥ Positivo: 01/09/2015 - meu Deus muito obrigado - Agarra-te meu amor
♥ Meu blog: http://umsonhoatres29.blogspot.pt/

Maarsol -
Offline
Desde 29 Out 2018

A única coisa pelo que estou a passar, é a parte de não querer saber nada nesta fase. Mas já imagino que depois vá dar uma de pai dedicado. Infelizmente muitos são assim🤦🏻‍♀️

Anete Silva -
Offline
Desde 06 Fev 2019

Olá Marisa! Em primeiro lugar sinto muito pelo que estás a passar...
Tens que levar o teu caso a um juiz o mais rápido possível... tens que ir com muita calma e ponderação, contar tudo como se estivesses a relatar factos e sem muita componente emocional, fala sempre no bem estar da menina e explica muito bem a falta de condições do pai.
É importante que fique claro que estás a zelar pelo bem estar da menina unicamente e não a querer uma vingança ou represália ao pai por isso digo que tens que falar com calma e sem tom acusatório, mas tens que expor os pormenores todos.
Porque em toda essa história o que mais pesa é a falta de condições que o pai tem para pernoitar com a menina e acho muito grave ter deixado a menina sozinha com os irmãos que embora não digas a idade parecem-me ser menores, certo?
Mostra-te disponível para deixar o pai estar com a filha de dia, dá abertura, mas explica que te sentes mais segura que não pernoite assim como que o pai tenha o bom senso que quando não pode estar com a filha em condições a vá deixar contigo e não deixar com os irmãos sozinha, nem levá-la para sítios menos próprios...
Parece-me um caso do pai querer levar a filha esse tempo todo também para magoar a mãe, por teimosia, infelizmente é muito comum, muito imaturo, mas muito comum... percebem que é algo que magoa a mãe, que a deixa ansiosa e fazem como vingança por todos os sentimentos mal resolvidos que têm dentro deles...
Por isso é importante que te mostres firme mas não muito afectada e leves o teu caso para o juiz analisar, tenta mostrar que estás unicamente pelo bem da tua filha e que ele está a agir sem usar o bom senso...
Boa Sorte!

Desde 13 Set 2012

Bom dia;

Creio que os bebés só poderão pernoitar fora da sua casa habitual após os 2 anos de idade.

Não percas tempo nem corras riscos. Leva o caso ao tribunal de menores, mas fá-lo já, agora mesmo.

Nunca digas ao Juiz que o pai da menina nunca quis saber da gravidez nem nada do tipo, a menos que sejas questionada diretamente. Nunca o acuses de nada que não seja verdade e que não possas provar nem que seja de forma circunstancial. ele paga pensão mensalmente? compra alguma coisa para aliviar despesas? Se sim, relata isso também porque vai mostrar imparcialidade da tua parte. reforça sempre que não pretendes aleanar a tua filha do convívio com o pai, mas que entre estar segura contigo ou entregue a irmãos menores, claro que consideras mais seguro que a bebé fique contigo. Não o acuses de não ter berços porque isso é algo de fácil resolução e ele pode ir comprar um a correr só para provar que estás a mentir. Relata ao Juiz a vida profissional dele e o que acontece quando ele te leva a menina e não a devolve. Diz que pensas que ele a deixa entregue aos irmãos menores em casa sem condições, mas que provas disso não tens (a menos que as tenhas, claro). em suma, não deixes o Juiz pensar que estás simplesmente a fazer um jogo com o pai da pequena cujo o prémio é ficar co ela. Se o Juiz pensar isso, vai decretar uma guarda partilhada e aí ficas uma semana sem ela e ponto final, embora eu não tenha certeza se isso é feito com bebés tão pequenos, creio que não, mas nestas coisas nunca se sabe. Uma cosa te garanto, homem nenhum levava um filho meu para longe de mim com 1 mês de idade, sem que um tribunal me forçasse a tal.

Conta novidades...

tudo de bom

SMSantos

Flor.1987 -
Offline
Desde 09 Fev 2019

Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Flor.1987 escreveu:
Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?

Flor.1987 -
Offline
Desde 09 Fev 2019

Sansa escreveu:

Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?


Sansa , sem querer entrar em grandes discórdias porque opiniões são o que são e valem o que valem, sim, gostava que falassem assim comigo , no dia em que quisesse privar ou limitar o poder paternal para com o meu filho ! Aliás, agradecia !
Disse à autora do tópico o que já disse inúmeras vezes quer em contexto de trabalho , quer em contexto pessoal a pessoas que nos são próximas!
É importante confrontarmos as pessoas de forma menos agradável, porque na maioria das vezes , de forma involuntária e inconsciente estão a usar os filhos numa guerra que não é deles !
Se um pai é bom pai , TEM O DIREITO DE ESTAR COM UM FILHO !!! E uma mãe que pense no bem estar do seu filho e um pai que pense no bem estar do filho , nem precisam de regulamentação de tribunal , sabe porquê? Porque um filho é caso de amor , não é caso de tribunal , quando existem 2 pessoas responsáveis , uma mãe e um pai ! Infelizmente muitas vezes uma das pessoas , ou as duas não são responsáveis e acontece o que mais se vê por aí, paga quem menos tem que pagar !

CatiaS_S -
Online
Desde 30 Set 2016

Flor.1987 escreveu:

Sansa escreveu:
Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?

Sansa , sem querer entrar em grandes discórdias porque opiniões são o que são e valem o que valem, sim, gostava que falassem assim comigo , no dia em que quisesse privar ou limitar o poder paternal para com o meu filho ! Aliás, agradecia !
Disse à autora do tópico o que já disse inúmeras vezes quer em contexto de trabalho , quer em contexto pessoal a pessoas que nos são próximas!
É importante confrontarmos as pessoas de forma menos agradável, porque na maioria das vezes , de forma involuntária e inconsciente estão a usar os filhos numa guerra que não é deles !
Se um pai é bom pai , TEM O DIREITO DE ESTAR COM UM FILHO !!! E uma mãe que pense no bem estar do seu filho e um pai que pense no bem estar do filho , nem precisam de regulamentação de tribunal , sabe porquê? Porque um filho é caso de amor , não é caso de tribunal , quando existem 2 pessoas responsáveis , uma mãe e um pai ! Infelizmente muitas vezes uma das pessoas , ou as duas não são responsáveis e acontece o que mais se vê por aí, paga quem menos tem que pagar !

Concordo com a parte do pai ter o direito a estar com o filho... Mas, pernoitar assim tão novo? Nem sabia que isso era possível! É?

Sobre CatiaS_S

Agosto 2016: Vamos tentar ter um filhote!
Set-Out 2016: Consultas, exames, análises; Folicil e Yodafar
Novembro 2016: Começam os treinos
10 Maio 2017: Positivo ao 5º ciclo Espertalhão
DPP: 11 Janeiro.....e se não quiser nascer, indução marcada para dia 17...
http://outroblogsobrematernidade.blogspot.pt/

Flor.1987 -
Offline
Desde 09 Fev 2019

CatiaS_S escreveu:

Flor.1987 escreveu:
Sansa escreveu:
Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?

Sansa , sem querer entrar em grandes discórdias porque opiniões são o que são e valem o que valem, sim, gostava que falassem assim comigo , no dia em que quisesse privar ou limitar o poder paternal para com o meu filho ! Aliás, agradecia !
Disse à autora do tópico o que já disse inúmeras vezes quer em contexto de trabalho , quer em contexto pessoal a pessoas que nos são próximas!
É importante confrontarmos as pessoas de forma menos agradável, porque na maioria das vezes , de forma involuntária e inconsciente estão a usar os filhos numa guerra que não é deles !
Se um pai é bom pai , TEM O DIREITO DE ESTAR COM UM FILHO !!! E uma mãe que pense no bem estar do seu filho e um pai que pense no bem estar do filho , nem precisam de regulamentação de tribunal , sabe porquê? Porque um filho é caso de amor , não é caso de tribunal , quando existem 2 pessoas responsáveis , uma mãe e um pai ! Infelizmente muitas vezes uma das pessoas , ou as duas não são responsáveis e acontece o que mais se vê por aí, paga quem menos tem que pagar !

Concordo com a parte do pai ter o direito a estar com o filho... Mas, pernoitar assim tão novo? Nem sabia que isso era possível! É?

Cátia a minha opinião nem vai especificamente por aí, porque em primeiro lugar esteja o bem estar de um bebê e se um médico achar que um bebê tão pequenino não deve dormir fora do seu ambiente natural e fora da mãe, que seja !
A minha opinião prende -se com o facto de neste tipo de situações quer o pai quer a mãe usarem a criança como arma de arremesso, a questão deles não é o bem estar das crianças, é o seu ego ferido e isso não pode ser . Estão a por em risco o desenvolvimento saudável da criança que tem direito a uma figura maternal e paternal .
A autora do tópico começa por dizer algo do género "agora está armado em bom pai" em tom pejorativo, e se a pessoa está armado em bom pai , a mãe só devia ficar feliz ! Eu não quero juntar ninguém, até porque muitas vezes é necessário um trabalho interno muito grande para se conseguir chegar a esta maturidade , mas bolas , são crianças que vieram ao mundo sem pedir , que não escolheram nem o pai nem a mãe mas que têm direito a eles !

Flor.1987 -
Offline
Desde 09 Fev 2019

*julgar

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Flor.1987 escreveu:

Sansa escreveu:
Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?

Sansa , sem querer entrar em grandes discórdias porque opiniões são o que são e valem o que valem, sim, gostava que falassem assim comigo , no dia em que quisesse privar ou limitar o poder paternal para com o meu filho ! Aliás, agradecia !
Disse à autora do tópico o que já disse inúmeras vezes quer em contexto de trabalho , quer em contexto pessoal a pessoas que nos são próximas!
É importante confrontarmos as pessoas de forma menos agradável, porque na maioria das vezes , de forma involuntária e inconsciente estão a usar os filhos numa guerra que não é deles !
Se um pai é bom pai , TEM O DIREITO DE ESTAR COM UM FILHO !!! E uma mãe que pense no bem estar do seu filho e um pai que pense no bem estar do filho , nem precisam de regulamentação de tribunal , sabe porquê? Porque um filho é caso de amor , não é caso de tribunal , quando existem 2 pessoas responsáveis , uma mãe e um pai ! Infelizmente muitas vezes uma das pessoas , ou as duas não são responsáveis e acontece o que mais se vê por aí, paga quem menos tem que pagar !


Leu bem o tópico? Leu todas as palavras e deu sentido às frases? Ou leu apenas na diagonal e precipitou-se em ser tão moralista? Acha bem um pai ausentar-se e deixar um recém-nascido ao cuidado de 2 crianças menores?

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Quando se fala em bedsharing cai o carmo e a trindade porque “uhr uhr é um perigo e as mães podem rebolar para cima dos bebés e bla bla bla...”
Mas pelos vistos um PAI já pode dormir na mesma cama que um recém-nascido porque, Deus nos livre pensar em tirar o direito a um pai de estar com o filho... como se essa fosse a única ocasião durante o dia de um pai poder exercer os seus direitos.
Enfim... valha-nos!

Anete Silva -
Offline
Desde 06 Fev 2019

bem, a mim custa-me imenso ler comentários como esses.
Eu também trabalho na área e acho que a sua postura é tão parcial e até agressiva e mais nociva do que os pais que usam os filhos como bola de ping pong...
Parece-me que tem algum recalcamento com um caso semelhante e está a personalizar e atacar uma mãe de um bebé pequeno de uma forma feia.
Sabe o sofrimento de uma mãe ao ver um bebé tão pequeno a ser levado para longe? Sabe o que é estar com as hormonas aos saltos e não saber como está o filho, com quem está, se tem fome, frio, o que seja... não é fácil digo-lhe já, veja muita dor diariamente e tenho muito respeito por essas pessoas... você não tem o mínimo de empatia, acha-se superior à dor, trata mal uma mãe por se achar racional e mais esperta que os outros...
Conhece casos assim e assado, pois digo-lhe que também conheço muitos casos em que os pais fazem questão de levar os filhos bem pequenos para longe das mães para se vingarem, alguns depositam na casa dos avós e nem lhes ligam mas fazem questão que a mãe sofra, muitas vezes uma forma de punir uma mãe que quis se tornar independente, quis uma vida melhor, não quis viver subjugada a um homem infantil que não queria mais que uma emprega em casa...
Assim como existem casos de pais que são óptimos, dedicados e perfeitamente aptos a estar com um bebé, sem dúvida, mas não sei porque parte logo do princípio que a autora está a ser uma malvada a querer tirar o filho do pai, o que não me parece de todo o caso, principalmente porque ela diz que acha bem que esteja com o pai só não de noite.
Leu bem a parte que diz que o pai deixou um bebé com crianças menores e que estava cheia de cocó e fome, acha isso bem? acha que é de um adulto responsável?
Se o que importa é o bem estar das crianças se os pais têm que se deixar de brigas e pensar unicamente nisso digo-lhe desde já que o bem estar de um bebé tão pequeno é estar na sua casa, com as suas rotinas muito bem definidas... amar o filho é isso, conheço muitos mas mesmo muitos pais que respeitaram o espaço dos bebés e das mães fazendo visitas diárias mas não querendo levar os bebés para pernoitar fora. Isso para mim são grandes homens, ainda mais aqueles que admite que não têm condições para ter os bebés consigo, nem vida e só fazem isso depois dos 2 anos.
Respeitar as crianças é isso! Não é pegar num bebé pequeno levar para uma casa estranha, colocar a dormir numa cama diferente e alterar tudo na sua vida só porque tem direitos. Faz assim tanta diferença pernoitar? Se estiver todos os dias com o bebé de tarde por exemplo não chega? É preciso dormir para se sentir pai?

Mas principalmente digo-lhe... respeito a falar com as pessoas, principalmente pessoas que estão magoadas, a passar por momentos complicados, a sofrer. Esses "abanões" é para se sentir superior e humilhar os outros... tenho muita pena que trabalhe na área, mesmo muita pena...

Flor.1987 escreveu:
Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Mama_Xana -
Offline
Desde 15 Maio 2012

Flor.1987 escreveu:

CatiaS_S escreveu:
Flor.1987 escreveu:
Sansa escreveu:
Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?

Sansa , sem querer entrar em grandes discórdias porque opiniões são o que são e valem o que valem, sim, gostava que falassem assim comigo , no dia em que quisesse privar ou limitar o poder paternal para com o meu filho ! Aliás, agradecia !
Disse à autora do tópico o que já disse inúmeras vezes quer em contexto de trabalho , quer em contexto pessoal a pessoas que nos são próximas!
É importante confrontarmos as pessoas de forma menos agradável, porque na maioria das vezes , de forma involuntária e inconsciente estão a usar os filhos numa guerra que não é deles !
Se um pai é bom pai , TEM O DIREITO DE ESTAR COM UM FILHO !!! E uma mãe que pense no bem estar do seu filho e um pai que pense no bem estar do filho , nem precisam de regulamentação de tribunal , sabe porquê? Porque um filho é caso de amor , não é caso de tribunal , quando existem 2 pessoas responsáveis , uma mãe e um pai ! Infelizmente muitas vezes uma das pessoas , ou as duas não são responsáveis e acontece o que mais se vê por aí, paga quem menos tem que pagar !

Concordo com a parte do pai ter o direito a estar com o filho... Mas, pernoitar assim tão novo? Nem sabia que isso era possível! É?

Cátia a minha opinião nem vai especificamente por aí, porque em primeiro lugar esteja o bem estar de um bebê e se um médico achar que um bebê tão pequenino não deve dormir fora do seu ambiente natural e fora da mãe, que seja !
A minha opinião prende -se com o facto de neste tipo de situações quer o pai quer a mãe usarem a criança como arma de arremesso, a questão deles não é o bem estar das crianças, é o seu ego ferido e isso não pode ser . Estão a por em risco o desenvolvimento saudável da criança que tem direito a uma figura maternal e paternal .
A autora do tópico começa por dizer algo do género "agora está armado em bom pai" em tom pejorativo, e se a pessoa está armado em bom pai , a mãe só devia ficar feliz ! Eu não quero juntar ninguém, até porque muitas vezes é necessário um trabalho interno muito grande para se conseguir chegar a esta maturidade , mas bolas , são crianças que vieram ao mundo sem pedir , que não escolheram nem o pai nem a mãe mas que têm direito a eles !

Até concordo com algumas coisas que disse.
Todas as crianças tem direito à convivência com ambos os pais e os pais tem o dever de proporcionar essa convivência. Isto é o básico e que sabemos todos que nem sempre funciona.
Agora o que não entendo do seu comentário é como é que pode achar normal o pai não devolver a criança (que tem apenas 4 meses) sem dar uma justificação à mãe! Isto é total e completa falta de respeito! É obvio que esta mãe não confia e cada vez que lhe entrega a filha deve ter o coração no chão!
Eu nunca passei por uma situação destas, mas acho que faria queixa em todas as entidades que me passasse pela cabeça até que alguém me desse ouvidos.
À mãe desejo que a vossa audiência de responsabilidades parentais seja o mais breve possível e que fique claro quando, onde e a que horas para em caso de abuso poder sim recorrer às entidades. A falta de respeito por si enquanto mãe é o que mais me faz confusão e não acho que utilize a sua filha como arma de arremesso, se fosse esse o caso simplesmente não a deixaria ir.
Tudo de bom!

KellyPT -
Offline
Desde 05 Abr 2011

Eu sou o mais possível a favor do direito dos pais a serem efetivamente pais (em prol do bem dos filhos, dos pais e das mães), mas em momento algum vejo aqui a vontade de privar o pai disso. Vejo, sim, uma mãe de um bebé aflita por o filho de 4 meses lhe ser retirado contra a sua vontade, na ausência de qualquer regulação do poder paternal e com indícios de que a criança não está a ser bem tratada, como se demonstra pelo facto de ter ficado ao cuidado de dois menores. É óbvio que um homem que faz as coisas desta forma não está a pensar no bem-estar do seu filho, mas apenas a exercer arbitrariamente os seus "direitos". A minha sugestão é que peça com urgência a regulação do poder paternal e, neste âmbito, solicite que as visitas do pai tenham lugar de dia e a criança não seja autorizada a pernoitar longe de si até uma certa idade a definir pelo tribunal (não tem necessariamente de ser os 2 anos, mas dificilmente será os 4 meses). Boa sorte e coragem, que eu não queria de facto estar no seu lugar

Flor.1987 -
Offline
Desde 09 Fev 2019

Minhas caras , quanta amargura !!! Sorriso
Estou quase a sentir-me a Rita Pereira a sofrer um ataque em rede social ! Sorriso
À menina que disse que pareço ter um ressentimento, sim Tenho um ressentimento com alienação parental e enquanto tiver voz irei dar sempre a minha opinião em relação a isso !
Sobre o tópico em questão, às meninas que conseguiram ler na horizontal (e sim eu também tenho o poder extraordinário de ler na vertical principalmente em algumas situações. ) disse.lhe para tentarem resolver as coisas pacificamente , disse para colocarem o interesse do filho em primeiro lugar , disse para caso a capacidade do pai estivesse em causa , ai sim , debater nos locais próprios, mas sempre em último caso !
E sim, custa -me (e ainda bem que custa e que assim continue , diretrizes lógicas de valores) ler casos de pais que se separam com bebês tão pequeninos, de pais em guerra por causa dos filhos . Custa -me a mim e devia custar-vos a todas vós que estais com pedras na mão para me atirar e que provavelmente já fosteis apedrejadas...
Bem haja a todas e à vossa capacidade de aceitar opiniões.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Flor.1987 escreveu:
Minhas caras , quanta amargura !!!
Estou quase a sentir-me a Rita Pereira a sofrer um ataque em rede social !
À menina que disse que pareço ter um ressentimento, sim Tenho um ressentimento com alienação parental e enquanto tiver voz irei dar sempre a minha opinião em relação a isso !
Sobre o tópico em questão, às meninas que conseguiram ler na horizontal (e sim eu também tenho o poder extraordinário de ler na vertical principalmente em algumas situações. ) disse.lhe para tentarem resolver as coisas pacificamente , disse para colocarem o interesse do filho em primeiro lugar , disse para caso a capacidade do pai estivesse em causa , ai sim , debater nos locais próprios, mas sempre em último caso !
E sim, custa -me (e ainda bem que custa e que assim continue , diretrizes lógicas de valores) ler casos de pais que se separam com bebês tão pequeninos, de pais em guerra por causa dos filhos . Custa -me a mim e devia custar-vos a todas vós que estais com pedras na mão para me atirar e que provavelmente já fosteis apedrejadas...
Bem haja a todas e à vossa capacidade de aceitar opiniões.

Nem é tanto a opinião, mas a forma como foi colocada, de forma tão fria, sem empatia nenhuma e com um discurso de quem quer sentir-se moralmente superior. E sim, amarga-me esta falta de empatia em relação a alguém que está fragilizado.

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

amadalena escreveu:
Olá Marisa…
Não posso ajudar, mas queria apenas dizer que fico com o coração apertado só em pensar nessa situação. se há coisa que me custaria engolir era ter que dividir a minha filha, fosse com quem fosse.

Pois.... Eu entendo k ele seja pai... Mas está a custar me que seja tão pequena e ele tira me ela à força e diz que vai insistir nisso. A sério já não posso com ele. As vezes acho k é pelo simples prazer de me afetar. Enfim

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Anete Silva escreveu:
Olá Marisa! Em primeiro lugar sinto muito pelo que estás a passar...
Tens que levar o teu caso a um juiz o mais rápido possível... tens que ir com muita calma e ponderação, contar tudo como se estivesses a relatar factos e sem muita componente emocional, fala sempre no bem estar da menina e explica muito bem a falta de condições do pai.
É importante que fique claro que estás a zelar pelo bem estar da menina unicamente e não a querer uma vingança ou represália ao pai por isso digo que tens que falar com calma e sem tom acusatório, mas tens que expor os pormenores todos.
Porque em toda essa história o que mais pesa é a falta de condições que o pai tem para pernoitar com a menina e acho muito grave ter deixado a menina sozinha com os irmãos que embora não digas a idade parecem-me ser menores, certo?
Mostra-te disponível para deixar o pai estar com a filha de dia, dá abertura, mas explica que te sentes mais segura que não pernoite assim como que o pai tenha o bom senso que quando não pode estar com a filha em condições a vá deixar contigo e não deixar com os irmãos sozinha, nem levá-la para sítios menos próprios...
Parece-me um caso do pai querer levar a filha esse tempo todo também para magoar a mãe, por teimosia, infelizmente é muito comum, muito imaturo, mas muito comum... percebem que é algo que magoa a mãe, que a deixa ansiosa e fazem como vingança por todos os sentimentos mal resolvidos que têm dentro deles...
Por isso é importante que te mostres firme mas não muito afectada e leves o teu caso para o juiz analisar, tenta mostrar que estás unicamente pelo bem da tua filha e que ele está a agir sem usar o bom senso...
Boa Sorte!

Obrigada anete... Estou a passar um bocado... Ele tem me deixado exausta com as atitudes. Não facilita, não cede, dia 25 vamos ter audiência. Estou ansiosa que alguém consiga por um controlo nisto e me dê alguma paz de espírito. Eu n sei o k ele ganha em ser assim tão intempestivo. Mas vou ter isso que disseste em consideração.

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Sónia Maria Santos escreveu:
Bom dia;
Creio que os bebés só poderão pernoitar fora da sua casa habitual após os 2 anos de idade.
Não percas tempo nem corras riscos. Leva o caso ao tribunal de menores, mas fá-lo já, agora mesmo.
Nunca digas ao Juiz que o pai da menina nunca quis saber da gravidez nem nada do tipo, a menos que sejas questionada diretamente. Nunca o acuses de nada que não seja verdade e que não possas provar nem que seja de forma circunstancial. ele paga pensão mensalmente? compra alguma coisa para aliviar despesas? Se sim, relata isso também porque vai mostrar imparcialidade da tua parte. reforça sempre que não pretendes aleanar a tua filha do convívio com o pai, mas que entre estar segura contigo ou entregue a irmãos menores, claro que consideras mais seguro que a bebé fique contigo. Não o acuses de não ter berços porque isso é algo de fácil resolução e ele pode ir comprar um a correr só para provar que estás a mentir. Relata ao Juiz a vida profissional dele e o que acontece quando ele te leva a menina e não a devolve. Diz que pensas que ele a deixa entregue aos irmãos menores em casa sem condições, mas que provas disso não tens (a menos que as tenhas, claro). em suma, não deixes o Juiz pensar que estás simplesmente a fazer um jogo com o pai da pequena cujo o prémio é ficar co ela. Se o Juiz pensar isso, vai decretar uma guarda partilhada e aí ficas uma semana sem ela e ponto final, embora eu não tenha certeza se isso é feito com bebés tão pequenos, creio que não, mas nestas coisas nunca se sabe. Uma cosa te garanto, homem nenhum levava um filho meu para longe de mim com 1 mês de idade, sem que um tribunal me forçasse a tal.
Conta novidades...
tudo de bom

Obrigada Sónia.
Dia 25 tenho audiência de pais. Vamos ver como corre. Mas morro de medo que digam que ela tem de dormir com ele. Depois sabes o k me diz kd dorme com ela? Tipo que precisa de mais tempo.. Mas que mais???? Que todas as semanas precisa estar com ela. Todas uma ova.... Eu vou começar a trabalhar.. Preciso tb dos fins de semana para estar com ela. Ele k esqueça isso.... Tá doido... E ta a tentar destabilizar me com estas picardias. Pk depois sei que ele usa a minha filha como faz com os outros filhos para"angariar" mulher dando uma de pai extremoso. Afff.... Odeio isso.... Meter as crianças no meio de jogos sujos. Enfim... Mas que belo exemplo de pai. Até recentemente me chegou aos ouvidos que ele andava em confusão porque se envolveu com a mulher casada de um amigo.... Estas coisas me ultrapassam sinceramente e depois quer dar uma de bom moço.

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Flor.1987 escreveu:
Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Eu n escolhi nada.... Ele me mostrou ser o que ele não é. E graças a Deus TODA a gente inclusive a família viu o teatro k ele pintou. Claro k a máscara n demorou mto a cair... Mas qdo toda a porcaria emergiu eu engravidei sem querer e aí ele mostrou a sua pior faceta. Pk verdade seja dita se ele me tivesse mostrado o que é jamais me teria envolvido com alguém tão baixo e é algo mesmo k me entristece... Pk sempre fui organizada formei me e pensava formar família mais tarde... Tanto adiei k me calhou um escroto... K fez cmg o k fez com a mãe dos filhos e eu nem sabia dessa história

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Flor.1987 escreveu:

Sansa escreveu:
Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Pois a mim custa-me ler este tipo de comentários! Gostava que falassem assim consigo?

Sansa , sem querer entrar em grandes discórdias porque opiniões são o que são e valem o que valem, sim, gostava que falassem assim comigo , no dia em que quisesse privar ou limitar o poder paternal para com o meu filho ! Aliás, agradecia !
Disse à autora do tópico o que já disse inúmeras vezes quer em contexto de trabalho , quer em contexto pessoal a pessoas que nos são próximas!
É importante confrontarmos as pessoas de forma menos agradável, porque na maioria das vezes , de forma involuntária e inconsciente estão a usar os filhos numa guerra que não é deles !
Se um pai é bom pai , TEM O DIREITO DE ESTAR COM UM FILHO !!! E uma mãe que pense no bem estar do seu filho e um pai que pense no bem estar do filho , nem precisam de regulamentação de tribunal , sabe porquê? Porque um filho é caso de amor , não é caso de tribunal , quando existem 2 pessoas responsáveis , uma mãe e um pai ! Infelizmente muitas vezes uma das pessoas , ou as duas não são responsáveis e acontece o que mais se vê por aí, paga quem menos tem que pagar !

Que fique aqui esclarecido que nunca alienei ngm.. E ele nnc diria isso. Eu até sou boa demais.. Mais do que o querido pai que você fala sem conhecer factos e nem sequer estou a generalizar.. Tou a falar do meu caso específico. Pk quem usa crianças aqui é ele... E sempre lhe facilitei tar com a filha... Até pk tenho plena noção de que qdo ela for maiorzinha terá de passar fins de semana com ele... Apenas considero k tão nova um bebé precisa mto mais dos cuidados da mãe...sao muitas horas longe de mim... E n estamos a falar de um boneco de borracha que tem forçosamente de saltar de um lado para o outro. N concordo e não acho saudável para uma criança. Toda a criança tem de ter residência fixa... Precisamente pk precisa criar rotinas, fixar no mesmo ambiente ter alguma estabilidade... Dei lhe mais horas e mais dias.... Quer que lhe dê maus o quê? Dormir não concordo... Para já... Ele é instável....nao cumpre horários.. Os filhos dele n tem rotinas precisamente pk passam o tempo sozinhos, eu falo do k sei pk vivi com ele... Sou eu k como mãe sei quais são os motivos que me levam a ficar com o pé atrás e tb sou filha sem pai e percebo exatamente a falta que um pai faz Mas..... Nngm me pode condenar a minha preocupação... Pk ser mãe e pai passa por ter bom senso... Uma pessoa com bom senso não arranca um bebê dos braços da mãe e a mantém cativa na casa dele só pk está a ser bom pai. Vc iria concordar de boa k lhe arrancassem a sua filha à força? Iria confiar numa pessoa que desaparece dias? K diz que depois traz...E enquanto isso vc está aí... Sem notícia... Desculpe mas então vc é que não sabe ser mãe. Não confio num homem desorientado para dormir com a minha filha....seja ele pai ou não.... Pk pai de boca há muitos... Se você é entendida deveria articular melhor as coisas k vc fala... Pk as pessoas devem falar baseados em factos e não em suposições e eu já apresentei aqui os meus factos.

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Anete Silva escreveu:
bem, a mim custa-me imenso ler comentários como esses.
Eu também trabalho na área e acho que a sua postura é tão parcial e até agressiva e mais nociva do que os pais que usam os filhos como bola de ping pong...
Parece-me que tem algum recalcamento com um caso semelhante e está a personalizar e atacar uma mãe de um bebé pequeno de uma forma feia.
Sabe o sofrimento de uma mãe ao ver um bebé tão pequeno a ser levado para longe? Sabe o que é estar com as hormonas aos saltos e não saber como está o filho, com quem está, se tem fome, frio, o que seja... não é fácil digo-lhe já, veja muita dor diariamente e tenho muito respeito por essas pessoas... você não tem o mínimo de empatia, acha-se superior à dor, trata mal uma mãe por se achar racional e mais esperta que os outros...
Conhece casos assim e assado, pois digo-lhe que também conheço muitos casos em que os pais fazem questão de levar os filhos bem pequenos para longe das mães para se vingarem, alguns depositam na casa dos avós e nem lhes ligam mas fazem questão que a mãe sofra, muitas vezes uma forma de punir uma mãe que quis se tornar independente, quis uma vida melhor, não quis viver subjugada a um homem infantil que não queria mais que uma emprega em casa...
Assim como existem casos de pais que são óptimos, dedicados e perfeitamente aptos a estar com um bebé, sem dúvida, mas não sei porque parte logo do princípio que a autora está a ser uma malvada a querer tirar o filho do pai, o que não me parece de todo o caso, principalmente porque ela diz que acha bem que esteja com o pai só não de noite.
Leu bem a parte que diz que o pai deixou um bebé com crianças menores e que estava cheia de cocó e fome, acha isso bem? acha que é de um adulto responsável?
Se o que importa é o bem estar das crianças se os pais têm que se deixar de brigas e pensar unicamente nisso digo-lhe desde já que o bem estar de um bebé tão pequeno é estar na sua casa, com as suas rotinas muito bem definidas... amar o filho é isso, conheço muitos mas mesmo muitos pais que respeitaram o espaço dos bebés e das mães fazendo visitas diárias mas não querendo levar os bebés para pernoitar fora. Isso para mim são grandes homens, ainda mais aqueles que admite que não têm condições para ter os bebés consigo, nem vida e só fazem isso depois dos 2 anos.
Respeitar as crianças é isso! Não é pegar num bebé pequeno levar para uma casa estranha, colocar a dormir numa cama diferente e alterar tudo na sua vida só porque tem direitos. Faz assim tanta diferença pernoitar? Se estiver todos os dias com o bebé de tarde por exemplo não chega? É preciso dormir para se sentir pai?
Mas principalmente digo-lhe... respeito a falar com as pessoas, principalmente pessoas que estão magoadas, a passar por momentos complicados, a sofrer. Esses "abanões" é para se sentir superior e humilhar os outros... tenho muita pena que trabalhe na área, mesmo muita pena...

Flor.1987 escreveu:Bom dia !
Custa -me tanto ler ou ouvir estes relatos , ainda por cima de bebês tão pequeninos...
Perdoe -me a franqueza , foi a Marisa que escolheu esse homem para ser pai da sua filha certo ? A Marisa não foi obrigada, correto ? A sua filha não tem culpa da sua escolha , a sua bebê apenas tem o direito a ter um pai e uma mãe como qualquer criança!!! Tentem resolver as coisas de forma pacífica, as crianças não tem culpa das vossas más escolhas . Não as usem como uma bola de ping.pong !!! Se ele não faz mal à sua filha , tem o direito de estar com ela , tanto como a senhora, pq é tão pai como a senhora é mãe! Se for um mau pai (com factos provados , não só pq a senhora acha) então ai resolva as coisas na via onde devem ser resolvidas !
Não me leve a mal , mas profissionalmente lido com tantos casos destes , que me revoltam tanto, quando tenho a certeza que os únicos prejudicados são os miúdos. Tente resolver isso da melhor maneira !

Anete nem vale a pena.. Sinceramente são juízos de valor que se fazem k nem merece atenção. Mas foi exatamente isso que disse... Apenas não concordo com as dormidas para já e tenho pleno direito de saber as horas que ela volta e ter td certinho... Até pk ele já me disse k viajou com o outro filho com 8 meses.... Sei lá se não lhe dá uma raiva momentânea e pega na minha filha e desaparece. E é mesmo isso.. Ele tá com dor de cotovelo pk eu segui... Pk n voltei.... Pk estou a fazer a minha vida e lhe dou para trás... Pk ele me stressou tanto mas tanto na gravidez que tive de me afastar para bem da minha filha... Pk aí ele n quis saber... E eu estava de gravidez de risco... E tenho a certeza que se ela tivesse caído ele n teria se importado.... Portanto eu mandei o a ele e aos stresses dele pra porra e protegi a minha filha dele e tratei de td sozinha até à chegada dela.... Depois vem essa senhora dizer k eu não sou mãe? Aqui o recalcado não sou eu.... É ele.... K tenta atingir e está a conseguir através daquilo que é mais precioso para mim.....

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Se já tem a audiência marcada tem meio problema resolvido. Dificilmente vai ter direito a dormidas com a bebé tão pequenina.
Quando crescer terá o direito como é óbvio, mas se ele é assim tão mau pai como diz tem que tentar recolher provas, testemunhas, que confirmem essa negligência.
Quanto ao resto dê pouca importância, ele só faz isso porque sabe que a magoa, se não lhe mostrar tanta mágoa ele vai deixando de ter motivos para continuar com essa atitude. Mesmo a sofrer horrores, não lhe mostre, reduza-o à sua insignificância.
Boa sorte para a audiência

Anete Silva -
Offline
Desde 06 Fev 2019

Rita Pereira? Agora está a fazer uma comparação a uma figura pública existe aí um ego imenso deve ser por isso que existe a necessidade de humilhar os outros com um comentário tão agressivo e pouco empático...
O seu comentário causa desconforto e revolta em outras mães porque é agressivo e supõe coisas que podem não ser verdade de todo... é um ataque feio a uma mãe aflita porque tem na sua cabeça um caso ou dois de alienação parental que lhe incomodam...
Não está importada com as crianças, neste caso os bebés, está importada com os pais, os homens que acham que são extremamente prejudicados. Qual a sugestão? Que fiquem juntos pelo bem dos bebés não?
Com bom senso existe sempre forma de ambos os progenitores estarem próximos dos filhos, com pessoas maduras é possível ambos acordarem tempo com ambos, mas principalmente está em casa a segurança dos bebés e o bem estar dos pais, acha que levar um bebé de 4 meses e não dizer à mãe quando traz de volta é respeito? é assim que se faz as coisas? Não existir alienação parental é um pai pegar num bebé de 4 meses e levar para longe da mãe sem ela saber mais dele?
Devia se incomodar tanto com a alienação parental como se incomoda com um pai com uma atitude destas e se quer descarregar no mundo a raiva pela alienação parental não sei porque tem que ser num testemunho de uma mãe aflita que em nada sugere o afastamento do pai... Bom senso anda a fazer falta!

Flor.1987 escreveu:
Minhas caras , quanta amargura !!!
Estou quase a sentir-me a Rita Pereira a sofrer um ataque em rede social !
À menina que disse que pareço ter um ressentimento, sim Tenho um ressentimento com alienação parental e enquanto tiver voz irei dar sempre a minha opinião em relação a isso !
Sobre o tópico em questão, às meninas que conseguiram ler na horizontal (e sim eu também tenho o poder extraordinário de ler na vertical principalmente em algumas situações. ) disse.lhe para tentarem resolver as coisas pacificamente , disse para colocarem o interesse do filho em primeiro lugar , disse para caso a capacidade do pai estivesse em causa , ai sim , debater nos locais próprios, mas sempre em último caso !
E sim, custa -me (e ainda bem que custa e que assim continue , diretrizes lógicas de valores) ler casos de pais que se separam com bebês tão pequeninos, de pais em guerra por causa dos filhos . Custa -me a mim e devia custar-vos a todas vós que estais com pedras na mão para me atirar e que provavelmente já fosteis apedrejadas...
Bem haja a todas e à vossa capacidade de aceitar opiniões.

Marisa Quinto1 -
Offline
Desde 29 Jun 2018

Meninas,
Obrigada por tudo, pelo apoio. A audiência de pais correu bem. Vejam lá k ele se importou tanto k nem ia aparecendo. Eu k tive de ter o bom senso de o ligar para o avisar... Ficou todo enervado aos gritos cmg, chegou no tribunal doido da cabeça a culpar me... N entendi, q eu saiba n é minha responsabilidade alertar lhe de nada e ainda assim o fiz para ele n ser penalizado. Enfim.... Até pk a presença era obrigatória. Mas qto à audiência chegou se a um acordo amigável até pk nnc fiz questão de o distanciar dela. Apenas ressalvei k mais importante k td era ter td escrito e estabelecido os horários de visita. O juiz decidiu k já é muito bom eu ser flexível o suficiente para k o pai esteja sempre presente na vida da filha pk ele a vê 1 X por semana e k isso era o k se pretendia em mts casais mas k grande maioria so estabelece 15 em 15. Então ficou isso na acta "o pai tem direito a estar pelo menos 1x por semana nas suas folgas, em acordo com a mãe e que deve avisar a mesma da hora que a vai buscar e a hora que entrega".
Claro k começou a dzr k a filha n lhe iria reconhecer e k ela precisa estar mais tempo com o outro lado da família e precisa dormir e estar lá para puder fazer reconhecimento. O juiz respondeu k nesta 1a fase a bebé não reconhece nada, e o nível maior do conforto é junto da mãe, a bebé n distingue o ontem do onteontem do hoje. É indiferente isso neste momento. Ela sente o k a mãe sente, as emoções estão lá e não é saudável isso para a criança. O pai faz as visitas regularmente, entregando a bebé à mãe. A partir dos 5 anos a bebé pode passar fins de semana completos com o pai. Até lá a responsabilidade parental é minha. Mas eu n sei até k ponto ele vai levar a sério o k esta lá pk continua a dzr k a vem buscar num dia à noite e entregar no outro. Essa sisma dele k n entendo.. Juro.... Bem a ver vamos...

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Se ele não cumprir com o que foi acordado, chamas a polícia. Eles agora já podem agir.
Vamos torcer para que ele tenha bom senso.
Boa sorte!

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Ainda bem que tudo se resolveu a seu contento e, tendo em conta a 'qualidade' desse pai, é o adequado. É no entanto, é desculpe o desabafo, mas o que esse juiz disse é uma barbaridade. Um bebé não reconhece o pai? É - lhe indiferente estar com ele ou não? O normal é aceitável (para o juiz) seria o pai visitá-lo de 15 em 15dias? Só aos 5 anos é que o pai pode passar fins de semana completos? Fico parva com estas posições, se está é a prática habitual do juiz, então não progredimos mesmo nada em termos de igualdade na responsabilidade parental.
Repito, o regime acordado é justo neste caso, mas esses pressupostos do juiz são absurdos.

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

guialmi escreveu:
Ainda bem que tudo se resolveu a seu contento e, tendo em conta a 'qualidade' desse pai, é o adequado. É no entanto, é desculpe o desabafo, mas o que esse juiz disse é uma barbaridade. Um bebé não reconhece o pai? É - lhe indiferente estar com ele ou não? O normal é aceitável (para o juiz) seria o pai visitá-lo de 15 em 15dias? Só aos 5 anos é que o pai pode passar fins de semana completos? Fico parva com estas posições, se está é a prática habitual do juiz, então não progredimos mesmo nada em termos de igualdade na responsabilidade parental.
Repito, o regime acordado é justo neste caso, mas esses pressupostos do juiz são absurdos.

Pelo que percebi ele disse q a maior parte dos casais decide assim de 15 em 15 dias , mas elogiou o facto de neste caso concordarem ambos em fazer esse encontro semanalmente
Qt ao resto, acredito q o tenha dito em relação a este caso em concreto ( eles veêm logo na maior parte das vezes com quem estão a lidar)

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

* vêem

Outros tópicos relacionados

Alteração na alimentação / ideias precisam-se
Mãmãs, a minha pequena há 2 semana que não toca no biberão. O leite artificial só pelo cheiro ela já mandava para trás, tentava fazer pápá com o leite e dava-lhe vómitos... Como estava quase com 12 meses iniciei o leite de vaca. Quanto ao biberão...
Actifed / Aerius / Xyzal ajuda!
Olá mamys. A minha menina está adoentada, ontem fomos à pediatra que receitou tomar Actifed de manhã e à noite 2,5ml. Comecei a dar-lhe ontem. Resultado: a miúda passa mais tempo a dormir do que acordada é quando está acordada tem com uma birra...
Batata doce xs batata normal
Boa noite mãmãs, a minha bébé come bem a sopa tanto co batata doce como com a outra batata normal. A minha questao é:qualdas duas é mais saudável? É que assim passaria a dar-lhe apenas essa. Obrigada a todas que me possam ajudar.
Os vossos bébés crescem todos os meses?
Olá mãmãs, queria saber se os vossos babys crescem todos os meses. É que já por duas vezes que a minha filha nao aumentou de altura. Primeiro foi dos 7 para os 8 meses e agora dos 10 para os 11meses. A pediatra diz que é normal mas eu fiquei de pé...
Desmame da Chucha
Olá mãmãs, a minha pequenina está cada dia mais viciada na chucha e como se uma não bastasse agora pede duas, uma para a boca e outra para a mão. Acho que está na altura de começar o desmama. Alguém tem dicas para me ajudar? Não sei muito bem como...
Actividades para menina de 2 anos
Ola mãmas, é o seguinte: a minha pirralha vai fazer este mês 2 aninhos. Neste momento está em casa com a avó. Era para ir para a creche este ano mas a avó ofereceu-se para ficar com ela até aos 3 anos e eu agradeço!! Acontece que durante o Verão ela...

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?