O Pesadelo das Férias | De Mãe para Mãe

O Pesadelo das Férias

Responda
73 mensagens
Cookie Snack -
Offline
Desde 09 Nov 2011

Bom Dia Mamãs,
Antes de mais Feliz Dia da Mulher para todas.
É com muita tristeza que hoje venho desabafar e perguntar por qualquer ideia que me possa ajudar.
Eu odeio tirar férias em Agosto, por causa da confusão dos preços de tudo, mas faço-o porque tem de ser, os meus filhos não tenho onde os deixar, familia ou ATL ou outra coisa qualquer. Pelo menos aqui na minha área de residência.
Troquei de emprego e sinceramente embora tenha melhores horários (o que me motivou a mudar para aqui) já tenho + de 1 ano de casa, mas já estou arrependida pois isto para tirar férias é horrível. Entaõ eu pedi a 1.ª quinzena e o meu marido a 2.ª quinzena de modo a ficarmos com os miudos. Marquei as minhas férias no mês passado e hoje recebo um e-mail que não posso tirar férias nesse período pedi então a 2.ª quinzena para puder trocar com o marido e negaram-me dizendo que os meus colegas.. somos 3 aqui no escritório logo é uma quinzena para cada um deles e foi me dito ponto final! Eu perguntei o porquê de ter de ser eu a mudar e o meu chefe diz que eles já estão à mais anos na empresa. Ou seja resumindo e concluindo eles tiram as férias que bem lhes apetecer ano após ano que vão ser mais antigos que eu. Expliquei que não tenho onde deixar os meninos e o meu chefe disse para falar com os meus colegas que para além de reagirem mal ainda me respondem "não os tivesses se estás mal vai para o desemprego assim não te falta tempo para ficares com eles". Juro que não achei normal hoje é o dia da mulher e fico muito triste de sermos prejudicadas no trabalho em pleno ano de 2019 porque tempos obrigações familiares.
Só me apetece levantar e sair porta fora. Está me a custar não responder à altura.
Como voces fazem mamãs? se calhar estou tão envolta no problema que nem vejo se calhar a saída.... Como voces fazem no fatidico mês de Agosto.
Obrigada a quem me puder ajudar!

FilipaMac -
Offline
Desde 06 Fev 2018

Ola mamã. Feliz dia da mulher. Por acaso ainda nao tenho muito esse problema. O meu filho nao entrpu ainda para o infantario fica com a minha mae e a minha avo. A minha mae ira comecar a trabalhar em Maio e a minha avo tambem ja tinha planos ao longo do ano para ir visitar os outros netos e ter as ferias dela ( o que eu acho muito bem) apesar de nao querer ferias em agosto tambem esta a ser dificil marcar as ferias mas nao tenho mesmo com quem deixar o meu menino. So entrei agora em marco de volta ao trabalho mas com antecedencia enviei email ao chefe a perguntar quando podia pedir as ferias e expliquei a situacao . Nao tive qualquer resposta da parte dele e entao o meu marido teve de marcar as ferias dele ao qual eu agora fiquei encarregue dos outrps dias e nao me estao a querer dar nao por antiguidade mas sim por numero de vendas ( eu nao fiz porque estive de licenca). O meu menino sozinho nao vai ficar . E ja os avisei se nao tiver as ferias vpu pedir aquilo que tenho direito (que sao as folgas ao fim de semana ate ele fazer 1 ano) . Nao sei mesmo como vou fazer nesta situação..

Sobre FilipaMac

Filipa Macedo

MissDiana -
Offline
Desde 11 Maio 2017

mas que colegas mais bestas... credo... gera um sentimento de revolta... gente mais mesquinha... espero que o karma trate deles da mesma forma que ele te tratam... Zangado
não há possibilidade de pagar a ninguém que possa tomar conta deles? avós está fora de hipótese?

Sobre MissDiana

*Treinante de 2017
*23/06/2017 ovusitol e progeffik 100 (ovários microquisticos)
*13/03/2018 Histerossalpingografia OK
*16/05/2018 Colposcopia e biopsia colo do utero
*Março 2019 arranque nas tentativas Inocare, progeffik e dufine
*29/03/2019 gravidez natural, o dia + feliz

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Bom dia e feliz dia da mulher também para sim Sorriso
Eu tiro o mês inteiro de agosto porque também não tenho onde deixar a minha filha. Aqui no meu trabalho dá-lhes mais jeito que tire no mês de agosto porque trabalho na área da justiça e em agosto há as férias judiciais. Relativamente ao que relata parece-me um egoísmo enorme e uma falta de respeito tremenda. Há uns anos atrás ainda não era mãe e trabalhava num sitio em que eu e a minha colega não podíamos ir de férias as duas ao mesmo tempo, eu cedia-lhe sempre o mês de agosto, para mim não era uma obrigação tirar o agosto mas para ela fazia toda a diferença. É uma questão de chegarem a um acordo que seja justo para todos mas esses argumentos (de que são trabalhadores mais antigos na empresa) não me parecem nada válidos. Respire fundo e com calma volte a tentar.

Patriciaa83 -
Offline
Desde 20 Jun 2017

O seus colegas são umas bestas. Lembre-se disso quando lhe pedirem algum favor, para lhes retribuir a gentileza... Será que não podiam adiar ou atrasar 1 semana cada um para que conseguisse ter ali alguma margem de manobra?
Outra coisa, a antiguidade numa empresa, paga-se com diuturnidades...
No entanto, é certo que o trabalhador tem direito a escolher dias de férias, mas não havendo concordância com a entidade patronal, é esta quem tem o poder de decisão...

Boa sorte.

Cookie Snack -
Offline
Desde 09 Nov 2011

Olá mamãs,
Obrigada a quem respondeu e fico muito triste de ver que sou a única a passar por situações destas.
Os meus sogros, que já estão reformados, moram a mais de 80 km daqui logo estão fora de questão. Os meus pais ainda trabalham a minha irmã para o final do mês que vem regressa ao trabalho, depois de acabar a licença o marido dela vai ficar com o bebé o mês de Agosto todo porque no trabalho dela não deixaram e ele falou na empresa dele e eles ficaram sensibilizados e autorizaram.
Falei na escola e não há AEC´s em Agosto já em Julho vou ter de pagar férias desportivas!
Não conheço pessoas de confiança que possam ficar com os 3.
O meu marido está a ver se falar com o diretor do departamento para colocar mais uma semana a ver se só fico com uma semana para tentar arranjar uma solução.

mamagemelar -
Offline
Desde 29 Ago 2011

Com esse tipo de respostas tanto do seu chefe como dos colegas eu arranjaria maneira de por baixa. E resolvia assim ate ter os meus direitos assegurados. E sim ja sei q vou ser ja apupada mas eu so digo o que certamente muita gente pensa e nao se chega a frente a dizer... felizmente ainda desconto e muito pa poder dizer q o faria sem qq peso na consciência. Felizmente q nunca me deparei com esse tipo de pessoas.

Fez se luz no meu coracao a 22\11\2010... Rafaela as 00h10m e Fábio as 00h13m..Minhas vidas!!! Amo vos mto mto Afilhada e Madrinha babada da mnh kerida TWINMUMMY!!!mais uma madrinha e afilhada 5* SUSANA CORVOS mais uma afilhada linda. Sara78_98 . madrinha e afilhada da APIPAS querida!!!

Cookie Snack -
Offline
Desde 09 Nov 2011

Cookie Snack escreveu:
Olá mamãs,
Obrigada a quem respondeu e fico muito triste de ver que sou a única a passar por situações destas.
Os meus sogros, que já estão reformados, moram a mais de 80 km daqui logo estão fora de questão. Os meus pais ainda trabalham a minha irmã para o final do mês que vem regressa ao trabalho, depois de acabar a licença o marido dela vai ficar com o bebé o mês de Agosto todo porque no trabalho dela não deixaram e ele falou na empresa dele e eles ficaram sensibilizados e autorizaram.
Falei na escola e não há AEC´s em Agosto já em Julho vou ter de pagar férias desportivas!
Não conheço pessoas de confiança que possam ficar com os 3.
O meu marido está a ver se falar com o diretor do departamento para colocar mais uma semana a ver se só fico com uma semana para tentar arranjar uma solução.

"Obrigada a quem respondeu e fico muito triste de ver que não sou a única a passar por situações destas"

Citei porque esqueci-me de por a palavra "não".. queria dizer que é triste mais pessoas também passarem por isto.

Patriciaa83 -
Offline
Desde 20 Jun 2017

mamagemelar escreveu:
Com esse tipo de respostas tanto do seu chefe como dos colegas eu arranjaria maneira de por baixa. E resolvia assim ate ter os meus direitos assegurados. E sim ja sei q vou ser ja apupada mas eu so digo o que certamente muita gente pensa e nao se chega a frente a dizer... felizmente ainda desconto e muito pa poder dizer q o faria sem qq peso na consciência. Felizmente q nunca me deparei com esse tipo de pessoas.

Por acaso não me tinha ocorrido essa situação devido ao corte que significa no rendimento. Mas entre isso e pagar balurdios pelas férias dos miudos... Além disso era bem merecido para a entidade patronal.

Cookie Snack -
Offline
Desde 09 Nov 2011

Mamagemelar,
É uma solução.. pouco ortodoxa lol mas provavelmente é o que vou fazer se não arranjar mais nada. É o que obrigam a fazer.
Para ser sincera nem me tinha passado isso pela cabeça, e não mãe não a vou apupar até me ajudou.
Muito Obrigada!

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Cookie Snack escreveu:
Olá mamãs,
Obrigada a quem respondeu e fico muito triste de ver que sou a única a passar por situações destas.
Os meus sogros, que já estão reformados, moram a mais de 80 km daqui logo estão fora de questão. Os meus pais ainda trabalham a minha irmã para o final do mês que vem regressa ao trabalho, depois de acabar a licença o marido dela vai ficar com o bebé o mês de Agosto todo porque no trabalho dela não deixaram e ele falou na empresa dele e eles ficaram sensibilizados e autorizaram.
Falei na escola e não há AEC´s em Agosto já em Julho vou ter de pagar férias desportivas!
Não conheço pessoas de confiança que possam ficar com os 3.
O meu marido está a ver se falar com o diretor do departamento para colocar mais uma semana a ver se só fico com uma semana para tentar arranjar uma solução.

Dado que não se entendem a obrigação do seu chefe era repartir as semanas de agosto pelos trabalhadores.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Tem aí uma situação complicada, mas não me parece que a solução seja meter baixa, algo que a entidade patronal vai perceber que é fraudulento (e também implica que um médico faça algo eticamente reprovável). Desculpem todas as que defendem este método, mas não acho que um errado se justifique com outro errado.
Se são três no escritório, terá de haver rotatividade entre vocês na escolha das férias, é isso que é certo e é isso que deverá solicitar à entidade patronal. Ou seja, em cada ano há um que tem a prioridade na escolha, no outro é o segundo a escolher e o último fica com o que sobrar, no ano a seguir rodam e por aí adiante. O que implicaria, por exemplo, que este ano até fique em último na escolha, mas para o ano seria a 2ª a escolher e no ano a seguir a 1ª. Proponha este esquema ao seu chefe e veja a recetividade. Eu (infelizmente) tenho de tirar férias obrigatoriamente em Agosto, mas tenho muitas amigas que trabalham em serviços em que se faz assim.
Em relação ao problema concreto deste ano, se os seus pais tiverem recetividade para isso, eu sugeria deixar as crianças a passar uma semana com eles. 80km não é muito, até dá para ir lá a meio da semana (eu fazia isso com as minhas filhas quando eram pequenas, e a minha mãe vive a 150km). Se esta hipótese não for viável, a única solução é mesmo encontrar um ATL ou ama que tome conta deles...

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

mamagemelar escreveu:
Com esse tipo de respostas tanto do seu chefe como dos colegas eu arranjaria maneira de por baixa. E resolvia assim ate ter os meus direitos assegurados. E sim ja sei q vou ser ja apupada mas eu so digo o que certamente muita gente pensa e nao se chega a frente a dizer... felizmente ainda desconto e muito pa poder dizer q o faria sem qq peso na consciência. Felizmente q nunca me deparei com esse tipo de pessoas.

Era o que eles mereciam sim!
Que raio de resposta essa? Uma falta de civismo e de respeito!

mamagemelar -
Offline
Desde 29 Ago 2011

guialmi escreveu:
Tem aí uma situação complicada, mas não me parece que a solução seja meter baixa, algo que a entidade patronal vai perceber que é fraudulento (e também implica que um médico faça algo eticamente reprovável). Desculpem todas as que defendem este método, mas não acho que um errado se justifique com outro errado.
Se são três no escritório, terá de haver rotatividade entre vocês na escolha das férias, é isso que é certo e é isso que deverá solicitar à entidade patronal. Ou seja, em cada ano há um que tem a prioridade na escolha, no outro é o segundo a escolher e o último fica com o que sobrar, no ano a seguir rodam e por aí adiante. O que implicaria, por exemplo, que este ano até fique em último na escolha, mas para o ano seria a 2ª a escolher e no ano a seguir a 1ª. Proponha este esquema ao seu chefe e veja a recetividade. Eu (infelizmente) tenho de tirar férias obrigatoriamente em Agosto, mas tenho muitas amigas que trabalham em serviços em que se faz assim.
Em relação ao problema concreto deste ano, se os seus pais tiverem recetividade para isso, eu sugeria deixar as crianças a passar uma semana com eles. 80km não é muito, até dá para ir lá a meio da semana (eu fazia isso com as minhas filhas quando eram pequenas, e a minha mãe vive a 150km). Se esta hipótese não for viável, a única solução é mesmo encontrar um ATL ou ama que tome conta deles...

Eu entendo perfeitamente e sei que seria fraudulento mas tb é triste por exemplo no mes de agosto os atl da escola sao o dobro do valor... no meu caso como nao tenho escalao sao 30 euros por mes mais 4.5 euros por dia mais as refeicoes. So pq é agosto. Vezes 2. Um abuso visto q durante o resto do ano é metade. (Atl escola publica atencao)Se nao pudesse ter ferias o meu subsídio seria so pa pagar o mes de agosto. Nao acho justo... alem disso parece me q estes pais tiram ferias ate para ficar so com os miudos visto q estao a tirar dias de ferias separados. Preferia ficar em casa presa do que nao fazer valer os direitos

Fez se luz no meu coracao a 22\11\2010... Rafaela as 00h10m e Fábio as 00h13m..Minhas vidas!!! Amo vos mto mto Afilhada e Madrinha babada da mnh kerida TWINMUMMY!!!mais uma madrinha e afilhada 5* SUSANA CORVOS mais uma afilhada linda. Sara78_98 . madrinha e afilhada da APIPAS querida!!!

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

Pelo que sei há 15 dias que tem direito a serem em comum com o seu marido, mas no seu caso não resolvia o problema e entrar em conflito também não sei se lhe interessa.
Eu acho que 80kms seria uma solução deixá-los com os avós, mas se não quer tente um atl, uma colónia de férias.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Olá,
que situação chata... Eu felizmente não sofro desse mal, ou melhor sofro do facto de ter obrigatoriamente férias em agosto, pois a empresa onde trabalho fecha durante esse mês, mas o meu marido também tem o mês de agosto portanto nisso estamos bem. Na minha zona de residência todos os infantários funcionam no mês de agosto, com pagamentos à parte claro. De qualquer modo a lei portuguesa é bem clara O TRABALHADOR TEM DIREITO A ESCOLHER METADE DOS SEUS DIAS ANUAIS DE FÉRIAS... Se calhar fazia um ultimato à entidade patronal, é um direito, se corresse mal e fosse despedida teria direito ao fundo de desemprego e depois logo se via, já não há tanta dificuldade em arranjar trabalho como há 2 anos atrás, além disso se não está feliz no emprego não tem assim tanto a perder! Ninguém merece colegas de trabalho que só olham para o próprio umbigo e são incapazes de pelo menos conversar para tentar chegar a um comum acordo benéfico para todos, porque com boa vontade tudo se consegue, isso é sabido.

SK. -
Offline
Desde 14 Ago 2012

Fico muito triste quando relatam situações destas. O seu patrão e colegas são um claro exemplo de homens que ainda tratam as mulheres como inferiores.
Eu tenho alguma dificuldade na marcação de férias, não por causa da empresa, mas por a minha função ser muito específica e ser difícil que alguém esteja a par o suficiente para me substituir. O meu trabalho não pode ficar em pausa durante as minhas férias mas também não pode ser outro colaborador qualquer a substituir-me. É sempre uma questão delicada mas os meus superiores são muito humanos e quando explico que preciso mesmo daquelas datas acabam por encontrar solução. Mas já trabalhei num local onde não existia qualquer tipo de flexibilidade, férias em Agosto só existiam para os gerentes, e nem no Natal permitiam rotatividade. Este foi um dos principais motivos que me levou a abandonar a empresa, seria impensável ter filhos e nem poder passar o período de férias e Natal com eles. É muito triste termos de lidar com este tipo de questões só por sermos mães.
Quanto a soluções não recomendo de todo tentar ter baixa. Percebo a sugestão mas como a Guialmi disse, irão saber que é fraudulenta e pode arranjar problemas. À falta de melhor opção, e tendo em conta a idade das crianças, poderia deixá-los com os avós. Também acho que 80 km's não seja assim tanto, a meio da semana fazem-se num instante para uma visita. De resto, só procurando locais que estejam abertos. Na minha zona há infantários privados que recebem crianças externas durante o mês de Agosto. Conheço um onde recebem crianças de todas as idades, as que já têm mais de 5 anos são inseridas como ajudantes nas salas com menos crianças ou ficam a fazer actividades com os donos da creche (ajudam na horta, etc). Pode ser que na sua zona alguma escola faça algo do género.

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

SK. escreveu:
Fico muito triste quando relatam situações destas. O seu patrão e colegas são um claro exemplo de homens que ainda tratam as mulheres como inferiores.
Eu tenho alguma dificuldade na marcação de férias, não por causa da empresa, mas por a minha função ser muito específica e ser difícil que alguém esteja a par o suficiente para me substituir. O meu trabalho não pode ficar em pausa durante as minhas férias mas também não pode ser outro colaborador qualquer a substituir-me. É sempre uma questão delicada mas os meus superiores são muito humanos e quando explico que preciso mesmo daquelas datas acabam por encontrar solução. Mas já trabalhei num local onde não existia qualquer tipo de flexibilidade, férias em Agosto só existiam para os gerentes, e nem no Natal permitiam rotatividade. Este foi um dos principais motivos que me levou a abandonar a empresa, seria impensável ter filhos e nem poder passar o período de férias e Natal com eles. É muito triste termos de lidar com este tipo de questões só por sermos mães.

A meu ver - e sei que o que vou dizer pode ser mal interpretado - os colegas da Cookie Snack foram uns imbecis naquilo que lhe disseram, e o patrão "lavou as mãos" de forma cobarde, mas nem uns nem outro tinham a obrigação de garantir que a Cookie Snack podia tirar férias nas datas que queriam. Não me parece que isto tenha nada a ver com tratar a mulher como inferior ou penalizá-la por ser mãe. É, acima de tudo, uma questão de justiça entre trabalhadores, que tem de ser resolvida, como defendi acima, criando um sistema rotativo em que, em cada ano, há uns beneficiados e outros prejudicados (no caso de haver conflito de interesses, como é o caso).
Uma vez que aqui no fórum quase todas são mães, é fácil defender que as mães devem ter prioridade sobre todos os outros na escolha das férias (ou dos horários, ou dos turnos), mas será isso justo? Uma mulher (ou homem) que não tenha filhos ou já os tenha adolescentes e adultos tem de ser penalizado? Imaginem que eu até trabalho numa empresa com mais 3 colegas (homens ou mulheres, não interessa) com filhos pequenos e, por essa razão, sou sempre a última a escolher férias, sou sempre eu a fazer o natal, sou sempre eu a fazer os horários piores...porque não tenho filhos... Não tenho filhos, mas posso ter pais, irmãos, sobrinhos, marido, amigos. Posso querer férias em agosto porque é nesse mês que vêm os meus irmãos de França ou viajo com o casal amigo que só tem férias nesse mês. É triste não poder passar a consoada com os filhos pequenos,mas se calhar é ainda mais triste não poder passar a consoada com os pais velhotes que até podem não sobreviver a mais um ano.
Se houver consenso entre os colegas, é o ideal (muitas vezes quem pode até prefere evitar agosto, eu sei que evitaria, se pudesse), mas se não há, o "mal" tem de tocar a todos.
Quanto à falta de opções para o mês de agosto e ao preço que ATL e colónias levam, de facto é um exagero, mas acontece precisamente porque há uma clara maioria de pessoas que querem tirar férias em agosto, incluindo os próprios trabalhadores desses espaços. É uma dificuldade que se tem de superar, como tantas outras relacionadas com a maternidade/paternidade.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

DianaES escreveu:
Olá,
De qualquer modo a lei portuguesa é bem clara O TRABALHADOR TEM DIREITO A ESCOLHER METADE DOS SEUS DIAS ANUAIS DE FÉRIAS... .

Não, não é assim. Deixo aqui o que estipula a lei:
https://sabiasque.pt/codigo-trabalho/1329-artigo-241-marcacao-do-periodo...

"1- O período de férias é marcado por acordo entre empregador e trabalhador.

2 — Na falta de acordo, o empregador marca as férias, que não podem ter início em dia de descanso semanal do trabalhador, ouvindo para o efeito a comissão de trabalhadores ou, na sua falta, a comissão intersindical ou a comissão sindical representativa do trabalhador interessado."

O que pode defender a Cookie é este artigo:

"6- Na marcação das férias, os períodos mais pretendidos devem ser rateados, sempre que possível, beneficiando alternadamente os trabalhadores em função dos períodos gozados nos dois anos anteriores."

Ou seja, a tal alternância que eu sugeri, embora na realidade a lei não obrigue ("sempre que possível").

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

Tyta.B escreveu:
Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

BiaC escreveu:

Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.

VitaminaABC -
Offline
Desde 29 Out 2016

Por que raio as creches fecham em Agosto?!! A minha nao fecha!! So fecha aos fds e feriados e quando o estado declara tolerância de ponto...fogo...todas deviam ser assim!!..acho francamente um abuso tirarem um mes inteiro de férias, é incompatível com a vida da generalidade das pessoas...juro que nao entendo Triste

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

VitaminaABC escreveu:
Por que raio as creches fecham em Agosto?!! A minha nao fecha!! So fecha aos fds e feriados e quando o estado declara tolerância de ponto...fogo...todas deviam ser assim!!..acho francamente um abuso tirarem um mes inteiro de férias, é incompatível com a vida da generalidade das pessoas...juro que nao entendo

Eu também não entendo...

mamagemelar -
Offline
Desde 29 Ago 2011

Tyta.B escreveu:

BiaC escreveu:
Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.

Ola... se te sentias exausta o medico tem obrigação de te dar uma baixa. Ou a minha medica é de outro mundo ou entao nao sei. A minha medica sabe perfeitamente atender as minhas/nossas necessidades. Tive um problema recente na minha familia e nao hesitou em dar me 5 dias para eu conseguir alinhar ideias pois estava a sentir me perdida e com pensamentos pouco bons e estava literalmente com medo de perder a cabeca. Mas tb posso dizer q em 8 anos de vida dos meus filhos nunca pus uma baixa nem apresentei nenhuma justificacao por cauda deles. Sempre fiz consultas fora do horario de trabalho e tento sempre faze lo. Pontualmente pus baixa apenas por doenca minha e neste ultimo caso q relatei. Em relacao as ferias mantenho a minha posição. Eu ando mt pouco toleravel com estas regras q so se aplicam a quem trabalha de facto e que parece q tem de levar o mundo as costas e calar e agradecer q tem um trabalho. No meu trabalho nunca me dificultaram a vida e nem me posso queixar minimamente nem eles de mim q me dedico muito mas custa me ler estas injusticas.

Fez se luz no meu coracao a 22\11\2010... Rafaela as 00h10m e Fábio as 00h13m..Minhas vidas!!! Amo vos mto mto Afilhada e Madrinha babada da mnh kerida TWINMUMMY!!!mais uma madrinha e afilhada 5* SUSANA CORVOS mais uma afilhada linda. Sara78_98 . madrinha e afilhada da APIPAS querida!!!

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

mamagemelar escreveu:

Tyta.B escreveu:
BiaC escreveu:
Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.

Ola... se te sentias exausta o medico tem obrigação de te dar uma baixa. Ou a minha medica é de outro mundo ou entao nao sei. A minha medica sabe perfeitamente atender as minhas/nossas necessidades. Tive um problema recente na minha familia e nao hesitou em dar me 5 dias para eu conseguir alinhar ideias pois estava a sentir me perdida e com pensamentos pouco bons e estava literalmente com medo de perder a cabeca. Mas tb posso dizer q em 8 anos de vida dos meus filhos nunca pus uma baixa nem apresentei nenhuma justificacao por cauda deles. Sempre fiz consultas fora do horario de trabalho e tento sempre faze lo. Pontualmente pus baixa apenas por doenca minha e neste ultimo caso q relatei. Em relacao as ferias mantenho a minha posição. Eu ando mt pouco toleravel com estas regras q so se aplicam a quem trabalha de facto e que parece q tem de levar o mundo as costas e calar e agradecer q tem um trabalho. No meu trabalho nunca me dificultaram a vida e nem me posso queixar minimamente nem eles de mim q me dedico muito mas custa me ler estas injusticas.


Eu acho muito bem que as pessoas tenham direito a baixa pelos motivos que referiste. Saber reconhecer as nossas limitações em lidar com determinadas situações ou saber quando estamos a precisar de uma pausa porque, emocionalmente não estamos a ser capazes de lidar com o que quer que seja que esteja a acontecer, pode prevenir que uma situação complicada evolua para um estado muito pior e bem mais nefasto, como a depressão ou o burnout.
Qualquer trabalhador deveria estar à vontade para poder dizer: tenho neste momento diferentes situações a acontecerem na minha vida com as quais preciso de lidar e que me estão a deixar completamente “overwhelmed” e exausto, e portanto preciso de tirar uns dias de baixa.

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

Sim, porque é uma baixa médica, mas como não se tem outra "licença" para outros casos não médicos acho que facilitam. Conheço pessoas que o fazem nas férias dos miúdos.

Tyta.B escreveu:

BiaC escreveu:
Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Tyta.B escreveu:

BiaC escreveu:
Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.


E porque é que achas que é preciso ter lata? A exaustão física e mental não é uma coisa séria?

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

BiaC escreveu:
Sim, porque é uma baixa médica, mas como não se tem outra "licença" para outros casos não médicos acho que facilitam. Conheço pessoas que o fazem nas férias dos miúdos.

Tyta.B escreveu:

BiaC escreveu:
Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.


Isso não são médicos que facilitam, são médicos que não se importam de passar baixas fraudulentas. Lamento, mas para mim não vale tudo. Para essas mães e pais estarem em casa pagos com o dinheiro dos contribuintes a tomar conta dos seus filhos, há outros pais e mães que fazem o pino, que abdicam de parte significativa dos seus rendimentos, que se esmifram, para poderem encontrar uma solução para os seus próprios filhos.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

VitaminaABC escreveu:
Por que raio as creches fecham em Agosto?!! A minha nao fecha!! So fecha aos fds e feriados e quando o estado declara tolerância de ponto...fogo...todas deviam ser assim!!..acho francamente um abuso tirarem um mes inteiro de férias, é incompatível com a vida da generalidade das pessoas...juro que nao entendo

Talvez porque as funcionárias e educadoras dessas creches não queiram trabalhar em agosto e, se a direção da creche lhes disser que têm de o fazer, vão ao médico pedir uma baixa...é que alguém tem de trabalhar para poder cuidar dos filhos das mães que trabalham...

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

Provavelmente não se enquadra, não estou certa e também não seria a minha opção.
Eu usei, já há muito, o mês inteiro pós licença para fazer os 6 meses de amamentação exclusiva (também não era propriamente doença) mas na altura fiquei com a ideia que a assistência à família não exige motivo ou a ss não o exige.
Nunca averiguei muito bem, porque não necessitei, mas também não estou certa que não seja legal é que nem se chama baixa é "Subsídio para assistência a filho menor / família" e os 30 dias anuais são isentos de junta médica.

guialmi escreveu:

BiaC escreveu:Sim, porque é uma baixa médica, mas como não se tem outra "licença" para outros casos não médicos acho que facilitam. Conheço pessoas que o fazem nas férias dos miúdos.

Tyta.B escreveu:

BiaC escreveu:
Tyta.B escreveu:Só tenho uma questao a quem diz que metia baixa, e atenção que não estou a querer criticar, é só mesmo curiosidade. Como é que vocês arranjam baixa sem estar doentes?

Assistência à família, por norma os médicos de família são sensíveis a essas questões. Claro que não é propriamente uma doença, mas é uma assistência à família e raramente alguém se opõe. O meu marido está a trabalhar longe e vai meter no final da minha gravidez.

Mas baixa para assistência a família pressupõe que o familiar esteja doente. Também vejo toda a lógica em meter baixa para assistência no final da gravidez da esposa. Pelas férias dos filhos achei que os médicos não facilitassem. Claro deve depender do médico...
Eu só perguntei porque no ano passado pensei em meter não por estar doente mas por estar exausta, pois estive 3 meses a trabalhar por 2 literalmente. o meu colega esteve de baixa e quando ele regressou eu ponderei tentar meter baixa eu, mas nao tive lata de o fazer, até porque a minha médica é um bocado informal demais e era capaz de dar falatório.
Isto foi completamente off topic. Desculpem.

Isso não são médicos que facilitam, são médicos que não se importam de passar baixas fraudulentas. Lamento, mas para mim não vale tudo. Para essas mães e pais estarem em casa pagos com o dinheiro dos contribuintes a tomar conta dos seus filhos, há outros pais e mães que fazem o pino, que abdicam de parte significativa dos seus rendimentos, que se esmifram, para poderem encontrar uma solução para os seus próprios filhos.

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?