Medo de perder a menina em tribunal | De Mãe para Mãe

Medo de perder a menina em tribunal

Responda
35 mensagens
sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

Boa noite meninas, o post que faço hoje é um bocado triste.
Acabei por me separar do pai da miúda, de uma forma drástica, pq do dia para a noite ele pôs-me fora de casa (dele) e tive q trazer a miúda p casa dos meus avós.
Ora então ele agora lembrou se que quer estar c a menina, eu já disse p ele estar c ela na hora da papa para poder ficar mais tempo com ela, pq nas outras horas ela mama. Ele como diz que quer ficar mais tempo com ela, diz que lhe dá leite em pó. Eu não consigo tirar leite com a bomba, e não vou permitir q ele mude a rotina alimentar dela por implicância comigo.
Como neste momento estou desempregada e não tenho casa própria, tenho medo de ir p tribunal e tirarem-me a miúda. A casa onde eu passo o dia é a dos meus avós, q é ótima mas só tem um quarto, eu durmo na casa ao lado q era a antiga casa deles q agora serve p guardar algumas coisas, mas tem um quarto composto com cama e arrumação que é onde fico c a miúda.
Ajudem-me pfv!! Alguém que tenha conhecimentos destas situações, eu já vou a uma entrevista de emprego p ter trabalho e procurar casa. Mas até lá ele vai fazer me a vida negra e querer estar com a miúda as três pancadas!

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Antes de mais acho que devia procurar ajuda de um advogado, não tendo possibilidades pode tentar ver algum que trabalhe pro bono ou pedir auxílio a alguma instituição de apoio familiar, normalmente eles têm advogados…
No entanto vou dar a minha opinião, o facto de ele a ter posto a si e à sua filha fora de casa vai pesar muito contra ele… Quanto a querer estar com a filha, é legítimo e só é bom para a menina ter um pai presente na sua vida (aqui tente separar um pouco as águas)… O ideal seria entrarem em acordo quanto a essas visitas de modo amigável… Se a bebé já come papa e não tira do seu leite suponho que seja papa láctea portanto já ingere leite artificial… Não sei se faz sentido bater o pé nessa questão… O ideal será sempre decidirem as coisas amigavelmente.
Quanto ao trabalho é muito importante que tenha como se sustentar e à sua filha e um lugar com condições de higiene e segurança para a bebé… Se é velo, novo, mais ou menos humilde, não quer dizer nada…

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Dificilmente o tribunal tira um bebé à mãe pelas razões apresentadas, ainda mais se as pôs fora de casa, por aí se vê o que se preocupa com a filha. Pode pedir advogado na segurança social. O contato com o pai é sim muito importante e em relação à rotina alimentar entre que as coisas se resolvem e não já a bebé vai estar a comer sopa também.

Anete Silva -
Online
Desde 06 Fev 2019

Olá! Concordo com as mães que já comentaram, só vou reiterar o que elas já disseram e ser mais uma voz a te tranquilizar que ninguém te vai tirar a tua menina...
Tens que batalhar por trabalho e por criar melhores condições de habitação para ti e para a tua menina, até pode ser no mesmo lugar onde estão a viver mas melhorar um pouco o local... desde que o juiz te veja empenhada em melhorar a vossa vida isso pesa muito a teu favor.
Quanto às visitas do pai tens que encontrar aí uma forma, conversem com calma e chegue a uma solução, se ainda mama as visitas são reduzidas por causa disso e mesmo em tribunal ninguém lhe dará muito tempo por ela mamar mas encontra uma solução e como a Diana referiu em cima se já come papa já ingere leite artificial...
Importante é teres uma postura facilitadora, teres provas disso de preferência por escrito, que facilitaste ao pai visitar e estar, se ele complicar que fique isso escrito e em tribunal ninguém te apontará o dedo.
Procura ajudas, orienta a tua vida e tudo vai correr bem e tu e a tua filha terão uma vida completa e descansada. Força.

Sansa -
Online
Desde 18 Jan 2018

Sharum, lamento muito, mas sendo muito honesta, não é nada que não se fizesse prever, devido ao comportamento violento dele, à falta de autocontrole, às ameaças de te pôr na rua (se bem me recordo dos teus tópicos).
Isso é tudo muito bonito, o convívio com o pai e tal, mas ele tem paciência para a filha? Eu não me sentiria nada segura em deixar a minha filha com uma pessoa que não se sabe controlar.
Desejo-te muita força e que tudo se resolva pelo melhor.

Sansa -
Online
Desde 18 Jan 2018

Já agora, pergunto-vos se vocês saberiam “separar as águas” para promover o convívio das vossas filhas com um homem que vos agrediu fisicamente no passado.
Eu não conseguiria ter essa claridade e disciplina mental.

anapmarques -
Offline
Desde 26 Nov 2017

Ninguém tira uma filha à mãe nessas circunstâncias. Mas de acordo com uma situação que aconteceu na minha família, aconselho a ir a um posto de polícia e dizer onde morava e onde está a morar por uma questão que o pai não possa alegar sequestro (mais vale prevenir). Desde que a casa esteja limpa e haja uma cama para a menina não há problema. O ideal era a menina ter o seu próprio quarto. Mas não tendo problemas de risco, acredito que nenhum juiz lhe irá tirar a menina. Tente a bem gerir as visitas e logo que possível regularizar o poder paternal e as visitas. O pai pode querer a guarda partilhada ao invés da pensão de alimentos. Espero de coração que tudo lhe corra pelo melhor.

Aborto expontâneo 05/01/17
Aborto retido 02/06/17
Aborto retido a 23/02/18

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Não conhecia o resto da história mas se era agredida já não estar com ele foi o melhor que lhe podia acontecer. Agora é andar para a frente que o tribunal vai estar com certeza do seu lado.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Sansa escreveu:
Já agora, pergunto-vos se vocês saberiam “separar as águas” para promover o convívio das vossas filhas com um homem que vos agrediu fisicamente no passado.
Eu não conseguiria ter essa claridade e disciplina mental.

De todo que não conseguiria nesse caso… Não sabia deste histórico… Confesso que fiquei de pé atrás com o expulsar as duas de casa assim feito tolo, mas uma pessoa também não conhece bem o caso. A ser assim mais argumentos tem para que não lhe seja dada a guarda e que as visitas tenham que ser supervisionadas.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Dado que estás desempregada podes dirigir-te à Segurança Social e pedir protecção jurídica para que te seja nomeado um advogado/a e procederes à regulação das responsabilidades parentais da tua bebé. Dessa forma serão definidas as visitas e a pensão de alimentos. Não tenhas medo, ninguém te vai tirar a tua bebé, os juízes estão mais que habituados a histórias destas e bestas quadradas como o teu ex.

Anete Silva -
Online
Desde 06 Fev 2019

Sansa, no tópico não menciona nenhuma desses episódios. É difícil decorar todas as histórias que lemos aqui e associar por isso a minha resposta foi somente tendo em conta este post, diz que o pai colocou-as fora de casa mas não explica o contexto... se existe esse historial terá concerteza que ir a tribunal ou mesmo fazer uma queixa mas o post não era sobre isso mas sim com o medo que lhe tirem a filha...

Sansa escreveu:
Já agora, pergunto-vos se vocês saberiam “separar as águas” para promover o convívio das vossas filhas com um homem que vos agrediu fisicamente no passado.
Eu não conseguiria ter essa claridade e disciplina mental.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Sharum, outra coisa, ele não tem de te fazer a vida negra. Se for violento ou andar a importunar, faz queixa dele na policia. Esses montes de esterco são muito valentões mas é a bater em mulheres, quando vão a Tribunal borram-se todos.

sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

Obrigada a todas pela ajuda! Felizmente ontem consegui emprego, por enquanto será apenas part time porque estou a amamentar mas é uma coisa fixa. Com o tempo vou juntando para alugar uma casa p mim e p menina.
Esta casa onde dormimos tem condições, apenas não tem mobiliário, mas a menina tem o berço dela, eu tenho uma cama, e existe outro quarto aqui que é onde tenho estado a arrumar as coisas dela e as minhas.
Eu tenho mensagens guardadas onde tentei conversa com o pai dela sobre as visitas, disse-lhe para combinarmos os dias e horas, disse-lhe também que como a menina come papas (que são de fruta, são naturais não são as cerelac e sim brevemente as sopas) podia levá-la nessas horas que não vai mamar e depois trazia-a de volta na hora da mama. Eu tenho mensagens dele a dizer que não aceita isso, quer passar dias inteiros com ela e vai lhe dar fórmula.
Ontem andei a transportar coisas aqui para casa e ele ficou com a miúda nesse tempo, mandou-me mensagem a pedir para ir lá mudar a fralda porque tinha coco e ele não queria mudar. Tenho também mensagens dele a mandar-me embora e outras a admitir que me expulsou.

sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

Tenho também inúmeras mensagens já mesmo de antes de ele me expulsar, onde eu falava com ele sobre mesmo que nos separássemos para que nos déssemos bem pela nossa filha, pois se ela quisesse passar um natal com os dois pais eu queria proporcionar-lhe isso.
Eu pensei em dirigir-me ao tribunal e pedir ajuda para tratar do controlo paternal, mas não sei se para isso preciso de um advogado ou não. É que ele tem advogada e eu não

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

desejo-te muita força. não tenhas medo que se nem as crianças maltratadas tiram dos pais , só depois de muita inquéritos e provas, porque achas que ta tiram?

se ele quer passar tempo com ela, marca entrevistas de trabalho para quando ele está com a bebé. já que tens onde ficar, poupas na renda, arranjas um trabalho qualquer, café, mac donald's etc, e vais poupando e vivendo a tua vida.

sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

E atenção: eu quero que a minha filha tenha o pai presente na vida dela! A menos que ele seja mau pai para ela... estas atitudes dele têm deixado mt a desejar.. mas simplesmente não quero ter que falar mais com ele uma vez que após imensas tentativas de me dar bem com ele pela menina ele não quis e só fez pior. E quero ter a certeza que ele não foge com a menina e trata dela com responsabilidade enquanto estiver com ela..

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

sharum escreveu:
Tenho também inúmeras mensagens já mesmo de antes de ele me expulsar, onde eu falava com ele sobre mesmo que nos separássemos para que nos déssemos bem pela nossa filha, pois se ela quisesse passar um natal com os dois pais eu queria proporcionar-lhe isso.
Eu pensei em dirigir-me ao tribunal e pedir ajuda para tratar do controlo paternal, mas não sei se para isso preciso de um advogado ou não. É que ele tem advogada e eu não

Não é obrigatório teres advogado mas com advogado tens mais apoio e se ele tem, os advogados que se entendam e não precisas de o aturar. Ele que vá aprender a mudar uma fralda primeiro.

Anete Silva -
Online
Desde 06 Fev 2019

Sinceramente Sharum acho que deves apressar a definição do poder parental... deves arranjar um advogado, se não consegues arranjar por ti pede que te nomeiem um e avança com as coisas bem definidas e por escrito e depois disso é cumprir com o que está definido e mais nada e acabaram as conversas com ele...
Pelo que contas esse homem é muito infantil e pouco consciente e acho que em tribunal vai ouvir das boas, pode ser que lhe faça bem...
Tem que ser responsável e dar uma vida equilibrada à filha dele... é certo que passe tempo com a filha mas o bem estar da menina têm que estar em primeiro lugar e obviamente que se mama deve estar perto da mãe e ele poderá se organizar contigo para estar em pequenos intervalos e quando a menina come a papa.
Quando ela deixar de mamar poderá ter mais tempo...
Deves tentar um acordo com ele amigável em que lhe permites algumas horas com a menina e deixar igualmente escrito que assim que ela deixar de mamar poderá ser revisto o regime de visitas e eventualmente pernoitar se o pai tiver condições para isso.
Se ele não aceitar as condições que apresentas deixa ir para tribunal... fala com o advogado, apresenta as provas e fica descansada que farão o melhor para a tua filha, confia... agora faz por ti, organiza bem a tua vida e mostra bem em tribunal como és responsável, equilibrada, dedicada, apaziguadora e que só queres o melhor para a tua filha e não terás nada a temer.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Isto é a sério?! Chamou-a porque a menina tinha cocó? Para não mudar ele a fralda?! Guarde essas provas todas porque isso só mostra que não tem capacidades de tomar conta dela… Se é assim com uma fralda suja imagine-se quando mais para a frente precisar de outro tipo de vigilância mais ativa...

Anete Silva -
Online
Desde 06 Fev 2019

Diana conheço um caso assim e de nada valeu em tribunal. O pai também não mudava fraldas, não dava de comer, não acordava de noite e a mãe usou esse argumento em tribunal, com provas para reduzir o tempo com o pai e o que aconteceu foi o juiz pregar um sermão ao pai e manteve os fins de semana com o pai dizendo que se não sabe aprende, todos têm que saber isso e aprender. A não ser que existam provas de agressividade para com a criança, instabilidade mental, comportamentos negligentes, vícios essas coisas não costumam ser argumento...

sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

Neste caso o pai da minha filha é cadastrado é esta a espera de julgamento outra vez.
Obrigada meninas pelos conselhos. Onde posso pedir ajuda de um advogado? Eu não conheço nenhum nem tenho condições para pagar a um. Se me dirigir ao tribunal para resolver este assunto eles ajudam-me nesse sentido também?

Sansa -
Online
Desde 18 Jan 2018

Se não estiver errada, penso que é na segurança social.

Mama do Martim -
Offline
Desde 29 Mar 2010

Anete Silva escreveu:
Diana conheço um caso assim e de nada valeu em tribunal. O pai também não mudava fraldas, não dava de comer, não acordava de noite e a mãe usou esse argumento em tribunal, com provas para reduzir o tempo com o pai e o que aconteceu foi o juiz pregar um sermão ao pai e manteve os fins de semana com o pai dizendo que se não sabe aprende, todos têm que saber isso e aprender. A não ser que existam provas de agressividade para com a criança, instabilidade mental, comportamentos negligentes, vícios essas coisas não costumam ser argumento...

Eu com alegações de que o pai não acorda de noite consegui logo à primeira que não existissem pernoites e como podem ver os meus filhos são mais velhos.
Cada caso é um caso e difere também do juíz

* Martim * 11-11-2008* 3190g e 49,5cm *
* Valentim * 01-12-2013 * 2160g e 43cm *
* Francisca * 15-07-2016 * 2760g e 46,5cm *

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Sim, no tribunal orientam-te nesse sentido mas se quiseres que seja um advogado a tratar podes pedir apoio judiciário na segurança social. Basta preencher um requerimento de proteção jurídica (há online), entregas na segurança social e será nomeado um advogado da tua área de residência. Nesse requerimento indicas que pretendes nomeação de advogado, dispensa das taxas de justiça e demais encargos com o processo para a finalidade de regulação das responsabilidades parentais. Posteriormente irás receber uma carta a dizer se o apoio judiciário foi deferido ou não e caso seja indicam-te os contactos do advogado, marca reunião com ele e explicas a tua situação. O advogado instaura a ação de responsabilidades parentais e depois será marcada a conferência de pais com o juiz.

sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

Será que esses processos na segurança social não demoram muito? Os tribunais fecham em agosto...

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Demora um pouco. Sim, vêm aí as férias judiciais (16 julho a 31 agosto) mas os tribunais não fecham.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Mas sim, em férias judiciais os processos que não são urgentes mexem pouco.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Mama do Martim escreveu:

Anete Silva escreveu:Diana conheço um caso assim e de nada valeu em tribunal. O pai também não mudava fraldas, não dava de comer, não acordava de noite e a mãe usou esse argumento em tribunal, com provas para reduzir o tempo com o pai e o que aconteceu foi o juiz pregar um sermão ao pai e manteve os fins de semana com o pai dizendo que se não sabe aprende, todos têm que saber isso e aprender. A não ser que existam provas de agressividade para com a criança, instabilidade mental, comportamentos negligentes, vícios essas coisas não costumam ser argumento...

Eu com alegações de que o pai não acorda de noite consegui logo à primeira que não existissem pernoites e como podem ver os meus filhos são mais velhos.
Cada caso é um caso e difere também do juíz


Independentemente de tudo, é igualmente preocupante que um juiz recuse pernoitas ao pai baseado apenas em alegações da mãe de que o pai não acorda de noite. Nesse caso, a mãe teria sempre o poder de impedir o pai de ficar com os filhos, bastava contar a versão certa da história.
Neste caso concreto, sharum, não me parece sequer que haja problemas em fundamentar a sua posição porque existem as tais mensagens que mostram a má vontade /irresponsabilidade do pai, o facto de ele ser cadastrado, a menina ainda ser amamentada e ter menos de um ano de idade...tudo joga a seu favor. Seria também conveniente ter testemunhas que possam corroborar a imaturidade e comportamento violento dele.

Mama do Martim -
Offline
Desde 29 Mar 2010

guialmi escreveu:

Mama do Martim escreveu:
Anete Silva escreveu:Diana conheço um caso assim e de nada valeu em tribunal. O pai também não mudava fraldas, não dava de comer, não acordava de noite e a mãe usou esse argumento em tribunal, com provas para reduzir o tempo com o pai e o que aconteceu foi o juiz pregar um sermão ao pai e manteve os fins de semana com o pai dizendo que se não sabe aprende, todos têm que saber isso e aprender. A não ser que existam provas de agressividade para com a criança, instabilidade mental, comportamentos negligentes, vícios essas coisas não costumam ser argumento...

Eu com alegações de que o pai não acorda de noite consegui logo à primeira que não existissem pernoites e como podem ver os meus filhos são mais velhos.
Cada caso é um caso e difere também do juíz

Independentemente de tudo, é igualmente preocupante que um juiz recuse pernoitas ao pai baseado apenas em alegações da mãe de que o pai não acorda de noite. Nesse caso, a mãe teria sempre o poder de impedir o pai de ficar com os filhos, bastava contar a versão certa da história.
Neste caso concreto, sharum, não me parece sequer que haja problemas em fundamentar a sua posição porque existem as tais mensagens que mostram a má vontade /irresponsabilidade do pai, o facto de ele ser cadastrado, a menina ainda ser amamentada e ter menos de um ano de idade...tudo joga a seu favor. Seria também conveniente ter testemunhas que possam corroborar a imaturidade e comportamento violento dele.

Obviamente que foi com provas de negligências grosseiras do pai,algumas das quais o pai confirmou e achar normais,tais como deixar o pequeno na altura com 2 anos ao cuidado do irmão de 7.
Actualmente até temos em curso a proibição de visitas ordenada pelo MP por uma agressão na presença de testemunhas do pai ao mais velho.

* Martim * 11-11-2008* 3190g e 49,5cm *
* Valentim * 01-12-2013 * 2160g e 43cm *
* Francisca * 15-07-2016 * 2760g e 46,5cm *

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Mama do Martim escreveu:

guialmi escreveu:
Mama do Martim escreveu:
Anete Silva escreveu:Diana conheço um caso assim e de nada valeu em tribunal. O pai também não mudava fraldas, não dava de comer, não acordava de noite e a mãe usou esse argumento em tribunal, com provas para reduzir o tempo com o pai e o que aconteceu foi o juiz pregar um sermão ao pai e manteve os fins de semana com o pai dizendo que se não sabe aprende, todos têm que saber isso e aprender. A não ser que existam provas de agressividade para com a criança, instabilidade mental, comportamentos negligentes, vícios essas coisas não costumam ser argumento...

Eu com alegações de que o pai não acorda de noite consegui logo à primeira que não existissem pernoites e como podem ver os meus filhos são mais velhos.
Cada caso é um caso e difere também do juíz

Independentemente de tudo, é igualmente preocupante que um juiz recuse pernoitas ao pai baseado apenas em alegações da mãe de que o pai não acorda de noite. Nesse caso, a mãe teria sempre o poder de impedir o pai de ficar com os filhos, bastava contar a versão certa da história.
Neste caso concreto, sharum, não me parece sequer que haja problemas em fundamentar a sua posição porque existem as tais mensagens que mostram a má vontade /irresponsabilidade do pai, o facto de ele ser cadastrado, a menina ainda ser amamentada e ter menos de um ano de idade...tudo joga a seu favor. Seria também conveniente ter testemunhas que possam corroborar a imaturidade e comportamento violento dele.

Obviamente que foi com provas de negligências grosseiras do pai,algumas das quais o pai confirmou e achar normais,tais como deixar o pequeno na altura com 2 anos ao cuidado do irmão de 7.
Actualmente até temos em curso a proibição de visitas ordenada pelo MP por uma agressão na presença de testemunhas do pai ao mais velho.


Lamento muito, espero que as coisas se resolvam pelo melhor.

sharum -
Offline
Desde 21 Maio 2018

Boa noite meninas.
Hoje deixei o pai da minha filha levá-la, o combinado foi levar a papa da tarde mais o biberon diário dela, ficava das 14h às 18:30 com a miúda. Ele só apareceu as 19:30, ainda falou comigo como se me fosse bater outra vez, ameaçou-me que se eu voltasse a ligar-lhe a dizer p trazer a miúda q íamos p tribunal e q era melhor eu chamar a policia.
Amanhã vou sem falta ao tribunal. Não sei bem como estas coisas correm, mas espero mesmo que não me tirem a menina.
Para a semana vou começar uma formação de trabalho. Se Deus existe que me ajude nesta luta...

Outros tópicos relacionados

Quem fez ou vai fazer chá de bebé?
Olá, hoje venho 'falar' sobre o chá de bebé. Há muito gente que acha 'feio' fazer chá de bebé porque acham que as grávidas só o fazem para ganhar prendas etc etc mas mesmo assim eu decidi fazer. As minhas amigas/familiares não são do tipo de...
Chá de Bebé Fotos!
Ola, boas noites! Venho partilhar convosco algumas fotos do meu chá de bebé que fiz cá por casa ontem! Correu super bem e foi mto divertido! Entre, brincadeiras e jogos foi uma tarde bem passada! 1ª foto: o bolo de fraldas 2ª: livro de mensagens 3ª...
E a prenda para a madrinha foi......
E a prenda para a madrinha foi......
A festinha do primeiro aniversario da Flôrzinha! :) (fotos)
a minha Maria Flôr fez 1 aninho no dia 29 de Novembro e claro que tinha de partilhar convosco! apesar de ja terem passado uns dias aqui estão as fotos! foi ums festinha simples para familia e amigos mais proximos,mas tudo preparado com muuuiiitooo...
A minha prenda para o dia do pai :D
Bem meninas hoje dediquei a manha a construçao da prenda do dia do pai para o meu namorido Acho que ficou fofinhos os materiais foram relativamente baratos e acho que ele vai gostar Espero que gostem meninas Beijinhos PS: talvez nao se note mas as...
fotos do cha de bebe do meu martim...
amigas no sabado organizei um cha de bebe, meu bebe martim, para minhas amigas e familiares, foi muito giro, e recebi muitas prendinhas, quero deixar vos aqui as fotos, dessa tarde bem passada, e dos presentinhos martim recebeu, espero que gostem,...

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?