Medo de um aborto | De Mãe para Mãe

Medo de um aborto

Responda
12 mensagens
Laura Oliveira ... -
Offline
Desde 09 Mar 2020

Ola mamas.

Queria partihar com voces este receio que guardo em mim... Estou gravida de 12 semanas e estou constantemente com medo de perder o meu filho. Pelo que leio as 12 semanas sao as mais importantes mas o que e certo e que ontem uma colega de trabalho perdeu o bebe e ja estava penso de 14 semanas +/-.... Isto nao me deixou nada tranquila e so veio aumentar esta angustia...

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Olá,
Umas mais do que outras, mas é algo que nos acompanha. Tem de aprender a lidar com esses pensamentos e a encontrar os seus pontos de escape. Quem tem tendência a ter esses medos não passa por chegar a determinada semana, depois há os abortos tardios, o sentir menos o bebé, a morte no parto... há sempre casos. Sim, as possibilidades de aborto vão diminuindo muito, mas não é impossível e quanto mais pensar nisso mais vai ouvir casos.
Eu é o primeiro ano de vida, à noite dá-me uma angústia acho sempre que um dia vai acontecer o pior e tento contrariar, tenho os meus meios para fugir a esses pensamentos.
Penso muito que o que pode acontecer não depende de mim, a única coisa que depende é saber aproveitar bem todos os momentos. No início da gravidez não deixaria me sentir feliz pelo medo de perder, se tiver de ser, vai ser, mas se ele tiver de se manter não me faz sentido não aproveitar aqueles meses iniciais.
Nunca acho que me vão tocar à porta todas as desgraças, mas também nunca vivo nas nuvens. Vou às ecos sempre com um certo medo a pensar no que podem dizer, vou sempre preparada, mas depois de saber que está tudo bem vivo feliz e tranquila.
Quando lhe vierem esses pensamentos diga para si própria "oh, muda de pensamento, está tudo bem, aproveita".

TA2020 -
Offline
Desde 23 Set 2019

Olá.
Eu tenho-me debatido com esse mesmo medo. Não sou a pessoa com mais sorte na vida e, desde que engravidei (após infertilidade), meti na cabeça que era demasiado bom para ser verdade.
Inicialmente, o meu medo eram as 12 semanas, optámos por fazer o teste de ADN Fetal para ver se eu ficava mais descansada e a verdade é que, quando os resultados das análises chegam e após as ecos onde me dizem que está tudo bem, eu fico mais tranquila. Mas basta começar a olhar para o calendário e perceber que ainda falta um mês para a consulta seguinte (além do público, sou seguida no privado) e começo logo com os macaquinhos na cabeça outra vez.
Para contrariar esses medos, tento agarrar-me aos pequenos momentos. Estou grávida de 19 semanas e a barriga já é mais visível, tento ostentá-la orgulhosamente; o meu marido, que anda muito entusiasmado, agora ganhou a mania de encostar a orelha à barriga para ver se ouve alguma coisa e eu tento aproveitar esses momentos felizes para "descansar-me" e pensar que está tudo bem.
Quando falo disto com outras pessoas, dizem-me que vai ser assim a vida toda, mesmo depois de ela nascer. Talvez vá, acredito que sim, mas pelo menos ela já está cá fora. Por agora, o que sinto é um pavor imenso de que esta gravidez não chegue ao fim, por algum motivo.
Um beijinho para ti e vou ficar atenta aos restantes testemunhos.

Leticia _29 -
Offline
Desde 12 Set 2019

Acho o que é um sentimento que quase todas sentimos em menor ou maior grau.
Eu desde o início que sempre tive muito medo de perder.
Ainda hoje com 22 semanas tenho medo.
Vou fazer hoje a ecografia do 2 trimestre e estou cheia de medo de não ouvir o coração, de me dizerem que o bebé está pequeno ou me dizer que tem um problema grave incompatível com a vida.
Acho que até ele nascer e vir que está bem volta e meia vou ter estes medos.
Apesar destes medos não podemos deixar de desfrutar da gravidez.
Temos que aproveitar pois o que tiver que acontecer, acontecerá.
Temos que pensar positivo e acreditar que vai correr tudo bem.
Tudo de bom para si 🍀

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Esse medo é normal, todas passamos por ele... Eu respirei de alívio às 12 semanas, porque embora aconteça, estatisticamente é muito menos provável, e temos que nos apoiar nas estatísticas, especialmente quando são positivas. E veja bem, se conhece uma pessoa a quem isso aconteceu, mais decrescem as suas chances de que isso aconteça... Tente relaxar, o que tiver de ser será.

Telma Isabel -
Offline
Desde 04 Maio 2010
I Love DMPM

Tb acho que todas passamos por isso, umas mais outras menos. E como já disseram depois do bebé nascer vêm outros medos. Eu por exemplo fiquei com imenso medo de andar de carro depois do meu filho nascer, na minha cabeça estava sempre a imaginar um acidente Preocupado
Temos de reagir e pensar que há muitas coisas que não podemos controlar, a vida é mesmo assim.
Tenta relaxar e aproveitar esta fase tão bonita da tua vida. Um beijinho

7-3-2010 e 12-7-2019...os dias mais felizes da minha vida!
Os meus tesouros nasceram!

Desde 13 Set 2012

Olá!

Eu gosto de ler estes testemunhos porque ao lê-los fico com a noção de que realmente não sou maluquinha... Curiosamente nunca pensei em aborto. as gravidezes foram tranquilas a esse nível. Mas... e há sempre um mas... os primeiros meses tive que combater um medo irracional quase palpável com o sono dos meus filhos. aconteceu com a primeira e, desengane-se quem pensa que isto passa, voltou a manifestar-se com o 2º filho 9 anos depois. claro que o meu lado racional acabava por vencer, mas não posso dizer que tenha sido fácil ultrapassar isto. Falar com quem? Partilhar com quem? Ora bolas, ninguém entende algo deste género porque,, aos olhos dos outros, isto não tem lógica nem explicação plausível. É algo que apenas a nós nos assola e assombra, mesmo que estejamos plenamente conscientes de que é algo que paira na nossa mente e que, felizmente, por norma não acontece com frequência. Mas bom, o que me acontecia é que eu acordava de noite com suores frios, respiração acelerada e superficial, e um único pensamento na mente: ela não respira! Ele não se mexe! isto a meio da madrugada sem sequer saber que horas eram... levantava-me a medo e lentamente colocava a mão no peito dos pequenos para lhes sentir o movimento tranquilo da respiração profunda durante o sono dos inocentes. Sim, fui abençoada com filhos dorminhocos e nem estavam aí para o pânico que me assolava... tranquilizava-me, às vezes chorava que nem Madalena arrependida, mas acalmava e voltava a tentar dormir. Nem sempre voltava a dormir...

É verdade que não controlamos tudo; aliás, acho que controlamos muito pouco do que nos pode acontecer de nefasto, portanto, há que aproveitar a vida com aquilo que ela nos oferece! eu, que vivo a dizer que o copo está sempre meio cheio em vez de meio vazio, também me vi perante algo que de racional e lógico nada tinha mas que, ainda assim, me roubava a paz de espírito e o soninho noturno.

Fique tranquila, force-se a desviar o pensamento para algo mais alegre, mais prazeiroso, force-se a focar no que realmente se passa e não no que pode vir a passar-se. As desgraças acontecem mas deixe isso para quando e de facto acontecerem. Para já está tudo ok e, por isso, aproveite!

Tudo de bom

SMSantos

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Sónia Maria Santos escreveu:
Olá!
Eu gosto de ler estes testemunhos porque ao lê-los fico com a noção de que realmente não sou maluquinha... Curiosamente nunca pensei em aborto. as gravidezes foram tranquilas a esse nível. Mas... e há sempre um mas... os primeiros meses tive que combater um medo irracional quase palpável com o sono dos meus filhos. aconteceu com a primeira e, desengane-se quem pensa que isto passa, voltou a manifestar-se com o 2º filho 9 anos depois. claro que o meu lado racional acabava por vencer, mas não posso dizer que tenha sido fácil ultrapassar isto. Falar com quem? Partilhar com quem? Ora bolas, ninguém entende algo deste género porque,, aos olhos dos outros, isto não tem lógica nem explicação plausível. É algo que apenas a nós nos assola e assombra, mesmo que estejamos plenamente conscientes de que é algo que paira na nossa mente e que, felizmente, por norma não acontece com frequência. Mas bom, o que me acontecia é que eu acordava de noite com suores frios, respiração acelerada e superficial, e um único pensamento na mente: ela não respira! Ele não se mexe! isto a meio da madrugada sem sequer saber que horas eram... levantava-me a medo e lentamente colocava a mão no peito dos pequenos para lhes sentir o movimento tranquilo da respiração profunda durante o sono dos inocentes. Sim, fui abençoada com filhos dorminhocos e nem estavam aí para o pânico que me assolava... tranquilizava-me, às vezes chorava que nem Madalena arrependida, mas acalmava e voltava a tentar dormir. Nem sempre voltava a dormir...
É verdade que não controlamos tudo; aliás, acho que controlamos muito pouco do que nos pode acontecer de nefasto, portanto, há que aproveitar a vida com aquilo que ela nos oferece! eu, que vivo a dizer que o copo está sempre meio cheio em vez de meio vazio, também me vi perante algo que de racional e lógico nada tinha mas que, ainda assim, me roubava a paz de espírito e o soninho noturno.
Fique tranquila, force-se a desviar o pensamento para algo mais alegre, mais prazeiroso, force-se a focar no que realmente se passa e não no que pode vir a passar-se. As desgraças acontecem mas deixe isso para quando e de facto acontecerem. Para já está tudo ok e, por isso, aproveite!
Tudo de bom

Também tive uns tempos essa coisa de ver se estava a respirar. Não acordava aflita, mas quando o pensamento me assolava eram uns segundos de aflição... Mas sim, nem partilhava essa angústia com ninguém porque acho que são daquelas coisas que só quem passa por elas entende.

TA2020 -
Offline
Desde 23 Set 2019

Por aqui, para verem o nível de insanidade em que a pessoa se encontra, agora a minha nova neura é por causa de ainda não sentir a miúda de forma "oficial". A médica tinha-me dito que tenho a placenta posterior e que, por isso, deveria começar a sentir a pequena mais cedo. Faço hoje 19 semanas e, apesar de às vezes achar que sinto umas picadas que não sentia antes, o facto de achar que já devia estar a senti-la mais anda a dar-me a "volta ao miolo" e só quero que chegue Sexta-Feira, porque tenho consulta e faremos eco e morro de medo de receber uma má notícia.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

TA2020 escreveu:
Por aqui, para verem o nível de insanidade em que a pessoa se encontra, agora a minha nova neura é por causa de ainda não sentir a miúda de forma "oficial". A médica tinha-me dito que tenho a placenta posterior e que, por isso, deveria começar a sentir a pequena mais cedo. Faço hoje 19 semanas e, apesar de às vezes achar que sinto umas picadas que não sentia antes, o facto de achar que já devia estar a senti-la mais anda a dar-me a "volta ao miolo" e só quero que chegue Sexta-Feira, porque tenho consulta e faremos eco e morro de medo de receber uma má notícia.

Só senti depois das 21 semanas... Não stress com isso

ritinhamag -
Offline
Desde 03 Fev 2010

Olá querida.
Em primeiro lugar, parabéns pela tua gravidez 🍀
Ora, vou partilhar cntg a minha experiência. O meu maior sonho, desde miúda, sempre foi ser mãe! Embora nunca tenha posto a carroça a frente dos bois, esse sonho acompanhou.me sempre. Licenciei.me, casei.me, viajei bastante e eis que no final de 2018 decidimos que era o momento. Nem queria acreditar que o meu sonho estava prestes a realizar.se.
Eis que o positivo chegou e acho que nem é preciso explicar o que senti... Infelizmente essa gravidez terminou num aborto retido. Eu que sou uma pessoa super tranquila, extrovertida, fui.me completamente abaixo ao ponto de ter precisado de terapia...
Passados 3m do aborto voltei a engravidar. Se na 1a gravidez o medo já me acompanhava, na 2a, perseguiu.me por completo.
Até as 12s um medo medonho do aborto. Sonhava com isso quase todas as noites. Das 12s até ali às 20e pcs semanas medo igualmente do aborto tardio. Depois medo do parto prematuro, morte fetal. Comprei um doppler pra ter em casa e todos os dias ouvia 2,3x por dia o coração do meu bebé. Deixei de me conhecer pq eu não sou nada assim e sempre tive muita capacidade de me controlar, coisa que nunca aconteceu na gravidez. Tive alguns sobressaltos que não ajudaram. Perdas de sangue, contrações muito cedo... Enfim. Foi uma gravidez de muito medo, muita ansiedade. Mas tudo correu pelo melhor ❤️ o meu bebé está cá, com muita saúde.
Sim acordo de noite pra ver se ele está bem. Sim, tremo só de pensar que alguma coisa de mal lhe pode acontecer.
Mas sinto.me mais capaz de controlar o medo. Pq olho pra ele, toco.lhe e sinto.me mais tranquila ❤️🍀
Vai tudo correr bem 🍀

CarlaSantiago -
Offline
Desde 30 Maio 2019

Olá.
Onde comprou o doppler? É consegue distinguir o coração do bebé e o seu?
Estou grávida de 16 semanas e tenho um feeling que o meu bebé já não está vivo. Desde as 14 semanas e meia que o meu peito amoleceu, os mamilos estão mais claros, a barriga continua igual e já não existe a mesma vontade de urinar.
E foi cancelada a minha consulta e agora é difícil fazer ecografias.

Pode me dizer onde comprou o doppler?

ritinhamag escreveu:
Olá querida.
Em primeiro lugar, parabéns pela tua gravidez 🍀
Ora, vou partilhar cntg a minha experiência. O meu maior sonho, desde miúda, sempre foi ser mãe! Embora nunca tenha posto a carroça a frente dos bois, esse sonho acompanhou.me sempre. Licenciei.me, casei.me, viajei bastante e eis que no final de 2018 decidimos que era o momento. Nem queria acreditar que o meu sonho estava prestes a realizar.se.
Eis que o positivo chegou e acho que nem é preciso explicar o que senti... Infelizmente essa gravidez terminou num aborto retido. Eu que sou uma pessoa super tranquila, extrovertida, fui.me completamente abaixo ao ponto de ter precisado de terapia...
Passados 3m do aborto voltei a engravidar. Se na 1a gravidez o medo já me acompanhava, na 2a, perseguiu.me por completo.
Até as 12s um medo medonho do aborto. Sonhava com isso quase todas as noites. Das 12s até ali às 20e pcs semanas medo igualmente do aborto tardio. Depois medo do parto prematuro, morte fetal. Comprei um doppler pra ter em casa e todos os dias ouvia 2,3x por dia o coração do meu bebé. Deixei de me conhecer pq eu não sou nada assim e sempre tive muita capacidade de me controlar, coisa que nunca aconteceu na gravidez. Tive alguns sobressaltos que não ajudaram. Perdas de sangue, contrações muito cedo... Enfim. Foi uma gravidez de muito medo, muita ansiedade. Mas tudo correu pelo melhor ❤️ o meu bebé está cá, com muita saúde.
Sim acordo de noite pra ver se ele está bem. Sim, tremo só de pensar que alguma coisa de mal lhe pode acontecer.
Mas sinto.me mais capaz de controlar o medo. Pq olho pra ele, toco.lhe e sinto.me mais tranquila ❤️🍀
Vai tudo correr bem 🍀

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?