Mamãs Fumadoras | De Mãe para Mãe

Mamãs Fumadoras

Responda
53 mensagens
M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Olá de novo.
Hoje vou abrir um tópico polémico pensei mais do que uma vez em falar sobre isto porque tenho medo mais a frente irão entender o porquê. Sou grávida fumadora e tenho a autorização do meu médico de família e com histórico de depressão e ansiedade e medicada anteriormente foi combinado 5/6 cig por dia e deixar os ancioliticos e antidepressivos, mas as vezes nem chego perto do número combinado! mas vim aqui pedir ajuda e testemunhos de mães que passam por o mesmo ou que passaram que me digam se os vossos bebés são saudáveis e felizes se houve complicações e que me tranquilizem a mente...Só eu sei a culpa que sinto só eu sei as noites que passo a chorar e em claro só eu sei a m*rda de mãe que sinto que sou. Porque esta semana tive um episódio em visita à família que não via há uns 3 anos que fui obrigada a fazer uma queixa na policia por agressão porque o marido da minha madrinha deu me um estalo porque me viu com o cigarro na boca algo que não fazia há 2 semanas e senti me orgulhosa! E ele ainda me disse me algo que nunca vou esquecer e perdoar "a tua filha devia morrer por ter uma m*rda de mãe como tu, não a mereces quando há mulheres que não podem e tu roubaste a bênção a elas"
Por isso agradeço que não haja comentários pouco simpáticos porque automaticamente será reportado, cansei de ter que ser ofendida, maltratada, porque falar é sempre fácil, criticar e apontar o dedo é fácil mas só eu sei a culpa que sinto, o ódio que sinto de mim a cada cig que acendo.
APENAS PROCURO AJUDA E DE APOIO DE MÃES COMO EU NÃO PROCURO JULGAMENTOS EM PRAÇA PÚBLICA e muito menos agressões tanto físicas como por palavras!

Desde 23 Ago 2020

Não fiques assim, vejo imensas grávidas filmadoras que não se preocupam sequer com a quantidade, e tive um caso na família em duas gravidezes , correram as duas bem e são super saudáveis
Sinceramente não conheço ninguém que tenha tido problemas com o bebê
Vai correr tudo bem, não fiques assim e não ligues aos outros porque só tu sabes o que pensas e o medo que tens, não és mà mãe por isso.

RoxyGirl -
Offline
Desde 27 Jan 2016

É o melhor para o bebé e para nós? Claramente que não.
Se eu consegui deixar de fumar? Também não.
Espero bem que a sua queixa vá para a frente e que essa pessoa seja castigada. Espero bem que nunca mais tenha de privar com essa pessoa

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Mãe_de_primeira_viagem escreveu:
Não fiques assim, vejo imensas grávidas filmadoras que não se preocupam sequer com a quantidade, e tive um caso na família em duas gravidezes , correram as duas bem e são super saudáveis
Sinceramente não conheço ninguém que tenha tido problemas com o bebê
Vai correr tudo bem, não fiques assim e não ligues aos outros porque só tu sabes o que pensas e o medo que tens, não és mà mãe por isso.

Olá minha querida e obrigada pelas as tuas palavras que haja mais como a tua porque só eu sei a culpa que sinto e dispenso ser enchovalhada por seja quem for estou cansada disso, mas não consigo esquecer aquele estalo eu sei que o faço não é correto mas só quem passa por elas é que entende, eu ponderei continuar com a medicação que tomava mas o meu médico obrigou me a parar porque são drogas fortes mas autorizou a fumar aquele X de cigs por alguma razão foi... Hoje apenas sinto medo

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

RoxyGirl escreveu:
É o melhor para o bebé e para nós? Claramente que não.
Se eu consegui deixar de fumar? Também não.
Espero bem que a sua queixa vá para a frente e que essa pessoa seja castigada. Espero bem que nunca mais tenha de privar com essa pessoa

Custou me horrores dizem que as palavras por vezes doem mais que um estalo mas este doeu me muito e a seguinte frase dita a desejar a morte a minha filha por ser uma m*erda de mãe, a queixa está feita e a justiça irá ser feita espero eu. aquela casa não volto mas a minha madrinha não tem a culpa mas neste momento não consigo lidar com ninguém que pertença ali e mais uam vez obrigado só procuro apoio de quem passa pelo o mesmo que eu, ajuda para tentar reduzir o sentimento de culpa

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Não acho que esteja a ser bem orientada em termos médicos. Passar a gravidez a sentir-se uma má mãe, a chorar e a culpar-se não pode ser a solução. Aconselho-a a procurar um psiquiatra que a ajude a gerir a ansiedade, mesmo que seja necessário recorrer a medicamentos (menos prejudiciais que o tabaco).

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Concordo com a Guialmi!

Atir00 -
Offline
Desde 05 Nov 2020

Olá.
Relativamente ao tabaco, também sou uma grávida fumadora... engravidei numa altura complicada da minha vida, e que se tem complicado durante a gravidez mas também nunca passei da marca dos 5 cigarros por dia. E relativamente a este assunto só há 2 pessoas que podem fazer comentários: eu e o meu médico.
A forma como te sentes, essa ansiedade e "mau estar" acho que devias ver com o teu médico porque há formas de tratares essa ansiedade. Eu estou a tratar a minha depois dos eventos traumáticos... nós temos que estar bem para os nossos bebés estarem bem.

Para te descansar, conheço muita gente que fumou a gravidez toda e os bebés estão ótimos. É o caso da minha vizinha... a bebé é linda e não tem nenhum problema para já. Mas pode aparecer como pode aparecer a um bebé filho de não fumadores.
Beijinho e do que precisares estamos aqui :\\\">

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

guialmi escreveu:
Não acho que esteja a ser bem orientada em termos médicos. Passar a gravidez a sentir-se uma má mãe, a chorar e a culpar-se não pode ser a solução. Aconselho-a a procurar um psiquiatra que a ajude a gerir a ansiedade, mesmo que seja necessário recorrer a medicamentos (menos prejudiciais que o tabaco).

Bom dia, obrigado pela a sua resposta mas já sou seguida por um psicólogo muito antes de engravidar porque a minha gravidez foi uma surpresa mas não é por isso que não tenha tentando deixar este vício, fumo desde dos meus 16 anos tenho 26 só eu sei as tentativas falhadas de deixar o vício do tabaco mas passei por depressão e tenho ansiedade tomava a dita medicação que não era nada leve que foi retirada pelo o meu médico de família e não é a medicação que vai fazer melhorar alguma coisa. Continua a ser drogas como o tabaco! Não é por isso que não deixo de fazer esforços pela a minha filha, o meu tópico é dirigido a mães que estão a passar pelo o mesmo e que há tenham passado para juízos de valor já bastou o estalo que eu não merecia e ouvir o que uma mãe nunca deveria ouvir.

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Ana Maria Costa1 escreveu:
Concordo com a Guialmi!

Então explique me o porquê? Sou maluca ou com problemas psicológicos graves que tenha de recorrer a um psiquiatra? Que tenha que recorrer a medicação que não passam de meras drogas? Relembro, leu bem o tópico que abri?

MartaSS -
Offline
Desde 17 Nov 2020

Olá.
Não sou fumadora, mas posso dar-lhe algumas palavras. Fumar durante a gravidez é um fator de risco, como muitos outros: ter peso a mais, peso a menos, idade, doenças, hábitos... Uma mãe tenta minimizar estes riscos, mas não muda radicalmente por estar grávida. Aliás, o que sempre ouvi foi que mudanças radicais poderiam ser mais prejudiciais do que o comportamento em si (por exemplo deixar de fumar de um momento para o outro e o stress e reação física que isso gera, são provavelmente piores do que continuar a fumar).

Aquilo que se passou com o anormal que a agrediu não tem justificação. Ninguém tem o direito de a agredir, fisica ou verbalmente. Fumar um cigarro é gravíssimo para esse senhor, mas levar um estalo não??? Espero bem que seja punido, uma agressão é grave, mas uma agressão a uma mulher grávida... Nem há palavras.

Acredito que a maioria das mães fumadoras não deixe de fumar, apenas reduza o mais que consegue. Simplesmente evitam fumar em público para evitar situações desagradáveis. As pessoas têm muito a mania de se meter na vida dos outros, e quando vêm um bebé ainda se sentem mais no direito de opinar. Sugiro que faça o mesmo e evite fumar em público, não porque esteja errada, mas porque neste momento julgo que não tem estabilidade emocional para lidar com situações dessas.

Não sei o que é o vício do tabaco, mas conheço bem esse estado de culpa, ódio a si mesma, desespero... E este só potencia o vício, que por sua vez aumenta esses sentimentos e é uma bola de neve. Procure ajuda para lidar com esses sentimentos, julgo ser a chave para ser mais feliz e resolvida. Um beijinho.

Atir00 -
Offline
Desde 05 Nov 2020

M.L.Santos, eu sofro de ansiedade e estou medicada (coisa fraca mas estou). Ninguém é maluco aqui porque fuma ou porque tem que recorrer a medicação.

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Atir00 escreveu:
Olá.
Relativamente ao tabaco, também sou uma grávida fumadora... engravidei numa altura complicada da minha vida, e que se tem complicado durante a gravidez mas também nunca passei da marca dos 5 cigarros por dia. E relativamente a este assunto só há 2 pessoas que podem fazer comentários: eu e o meu médico.
A forma como te sentes, essa ansiedade e "mau estar" acho que devias ver com o teu médico porque há formas de tratares essa ansiedade. Eu estou a tratar a minha depois dos eventos traumáticos... nós temos que estar bem para os nossos bebés estarem bem.
Para te descansar, conheço muita gente que fumou a gravidez toda e os bebés estão ótimos. É o caso da minha vizinha... a bebé é linda e não tem nenhum problema para já. Mas pode aparecer como pode aparecer a um bebé filho de não fumadores.
Beijinho e do que precisares estamos aqui :\\\">

Olá, eu fiquei neste estado depois da situação que passei no ceio familiar já tinha os meus pensamentos negativos em relação ao ser mãe de primeira viagem os meus medos e falo sobre tudo com o meu psicológico e com o médico de família, tenho o apoio do meu namorado. Nenhum dos médicos quer me por em medicação, eu já tinha noção que este tema iria abrir as portas da polémica mas eu sei que não sou a única e o medo de nós mães fumadoras de falar sobre isto num fórum ou seja a onde for é tão grande e as vezes é por não falar com quem passa pelo o mesmo ou passou é que nos vamos muito mais abaixo é fácil criticar no fim, espero que tenhas uma gravidez tranquila e feliz

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

MartaSS escreveu:
Olá.
Não sou fumadora, mas posso dar-lhe algumas palavras. Fumar durante a gravidez é um fator de risco, como muitos outros: ter peso a mais, peso a menos, idade, doenças, hábitos... Uma mãe tenta minimizar estes riscos, mas não muda radicalmente por estar grávida. Aliás, o que sempre ouvi foi que mudanças radicais poderiam ser mais prejudiciais do que o comportamento em si (por exemplo deixar de fumar de um momento para o outro e o stress e reação física que isso gera, são provavelmente piores do que continuar a fumar).
Aquilo que se passou com o anormal que a agrediu não tem justificação. Ninguém tem o direito de a agredir, fisica ou verbalmente. Fumar um cigarro é gravíssimo para esse senhor, mas levar um estalo não??? Espero bem que seja punido, uma agressão é grave, mas uma agressão a uma mulher grávida... Nem há palavras.
Acredito que a maioria das mães fumadoras não deixe de fumar, apenas reduza o mais que consegue. Simplesmente evitam fumar em público para evitar situações desagradáveis. As pessoas têm muito a mania de se meter na vida dos outros, e quando vêm um bebé ainda se sentem mais no direito de opinar. Sugiro que faça o mesmo e evite fumar em público, não porque esteja errada, mas porque neste momento julgo que não tem estabilidade emocional para lidar com situações dessas.
Não sei o que é o vício do tabaco, mas conheço bem esse estado de culpa, ódio a si mesma, desespero... E este só potencia o vício, que por sua vez aumenta esses sentimentos e é uma bola de neve. Procure ajuda para lidar com esses sentimentos, julgo ser a chave para ser mais feliz e resolvida. Um beijinho.

Eu não fumo em público nem quando não tinha barriga. Tenho os ditos max de cig mas as vezes nem a esse número eu chego e por vezes nem toco só que há momentos em que fumo os ditos 5/6. Agora deixo de ser boa mãe? O sentimento de culpa a consciência pesada demonstra o esforço que faço pela a minha filha, antes fumava 1 maço e meio por dia quando soube que estava grávida e que nem foi numa melhor altura reduzi não foi fácil mas reduzi e isto para mim já foi uma batalha ganha. Beijinho e obrigado.

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Atir00 escreveu:
M.L.Santos, eu sofro de ansiedade e estou medicada (coisa fraca mas estou). Ninguém é maluco aqui porque fuma ou porque tem que recorrer a medicação.

Mas fazem das mães fumadoras umas criminosas e outros abjectivos possíveis e imaginários. Só espero que um dia nunca sinta na pele o que senti o que faço é errado sim eu admito se não eu não estaria aqui a expor me e o que me assusta são reacções de como o marido da minha madrinha teve e o que disse e isso é que é o real crime aqui

Atir00 -
Offline
Desde 05 Nov 2020

M.LSantos escreveu:

Atir00 escreveu:M.L.Santos, eu sofro de ansiedade e estou medicada (coisa fraca mas estou). Ninguém é maluco aqui porque fuma ou porque tem que recorrer a medicação.

Mas fazem das mães fumadoras umas criminosas e outros abjectivos possíveis e imaginários. Só espero que um dia nunca sinta na pele o que senti o que faço é errado sim eu admito se não eu não estaria aqui a expor me e o que me assusta são reacções de como o marido da minha madrinha teve e o que disse e isso é que é o real crime aqui

Eu achava que essa opinião tinha ficado no seculo passado. Sinceramente, o que a M.L.Santos tem que fazer é ignorar opiniões que não lhe servem, nem lhe vão trazer nada de bom.
Sou da opinião que ninguém é perfeito, e as pessoas que lhe atiram isso à cara são as mesmas que tem outros comportamentos de risco.
Também lhe desejo a maior das sortes e uma gravidez feliz, se precisar de falar esteja à vontade... =D
Também sou mãe de primeira viagem

MartaSS -
Offline
Desde 17 Nov 2020

Não M.L.Santos, não deixa de ser boa mãe por causa disso. Esses rótulos de "boa mãe" e "má mãe" são demasiado simplistas e só servem para as pessoas se julgarem umas às outras para se sentirem melhor consigo próprias. Tem que aprender a ignorar. Aqui ninguém a está a julgar, se precisar de mais ajuda não é vergonha nenhuma nem significa que está maluca.
Se está num psicólogo, é seguida por médicos e até já conseguiu reduzir muito o tabaco, então está a fazer tudo certo e só tem que se orgulhar e levantar essa autoestima. Vai correr tudo bem.

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Atir00 escreveu:

M.LSantos escreveu:
Atir00 escreveu:M.L.Santos, eu sofro de ansiedade e estou medicada (coisa fraca mas estou). Ninguém é maluco aqui porque fuma ou porque tem que recorrer a medicação.

Mas fazem das mães fumadoras umas criminosas e outros abjectivos possíveis e imaginários. Só espero que um dia nunca sinta na pele o que senti o que faço é errado sim eu admito se não eu não estaria aqui a expor me e o que me assusta são reacções de como o marido da minha madrinha teve e o que disse e isso é que é o real crime aqui

Eu achava que essa opinião tinha ficado no seculo passado. Sinceramente, o que a M.L.Santos tem que fazer é ignorar opiniões que não lhe servem, nem lhe vão trazer nada de bom.
Sou da opinião que ninguém é perfeito, e as pessoas que lhe atiram isso à cara são as mesmas que tem outros comportamentos de risco.
Também lhe desejo a maior das sortes e uma gravidez feliz, se precisar de falar esteja à vontade... =D
Também sou mãe de primeira viagem

Infelizmente para muitos não ficou no século passado. E peço desculpa se fui indelicada é só que tento procurar um apoio nas pessoas que passam pelo o mesmo e acabo por ouvir o que não procurava. Se der autorização eu mando pedido privado Sorriso

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

MartaSS escreveu:
Não M.L.Santos, não deixa de ser boa mãe por causa disso. Esses rótulos de "boa mãe" e "má mãe" são demasiado simplistas e só servem para as pessoas se julgarem umas às outras para se sentirem melhor consigo próprias. Tem que aprender a ignorar. Aqui ninguém a está a julgar, se precisar de mais ajuda não é vergonha nenhuma nem significa que está maluca.
Se está num psicólogo, é seguida por médicos e até já conseguiu reduzir muito o tabaco, então está a fazer tudo certo e só tem que se orgulhar e levantar essa autoestima. Vai correr tudo bem.

Até agora todos os meus exames estão bem e nas ecografias igual, na última a morfológica das 20 semanas ela estava com o precentil50 e com peso de 350g a próxima que irei fazer é em Maio das 30 semanas apenas não tive informação do grau da placenta

ClaraMiguel -
Offline
Desde 03 Nov 2013

Mas ninguém aqui fez juízos de valor, ninguém lhe disse que era criminosa ou que era má mãe. Até fui ler os comentários duas vezes para ter a certeza. Como lhe disseram, fumar traz riscos assim como outras coisas. No meu caso, havia um excesso de peso bem grande e por isso fui acompanhada toda a gravidez para que minimizar os riscos que este excesso me poderia trazer. Claro que não era por estar grávida que ia de repente ficar uma top model Sorriso da mesma forma que muitas fumadoras deixam de conseguir fumar só por estarem grávidas. E nada disto faz de nós más mães, até porque cada uma à sua maneira faz o que pode para minimizar estes riscos.
Eu nunca me senti má mãe por ter engravidado sendo obesa mas se passasse as noites em claro e a chorar e a sentir-me má mãe, gostaria que alguém me dissesse que isso também não era bom, que também não me faria bem nem a mim nem ao bebé, que esta ansiedade e culpa deveriam também ser tratadas. E foi isso que lhe disseram, para a ajudar. <=)

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

ClaraMiguel escreveu:
Mas ninguém aqui fez juízos de valor, ninguém lhe disse que era criminosa ou que era má mãe. Até fui ler os comentários duas vezes para ter a certeza. Como lhe disseram, fumar traz riscos assim como outras coisas. No meu caso, havia um excesso de peso bem grande e por isso fui acompanhada toda a gravidez para que minimizar os riscos que este excesso me poderia trazer. Claro que não era por estar grávida que ia de repente ficar uma top model da mesma forma que muitas fumadoras deixam de conseguir fumar só por estarem grávidas. E nada disto faz de nós más mães, até porque cada uma à sua maneira faz o que pode para minimizar estes riscos.
Eu nunca me senti má mãe por ter engravidado sendo obesa mas se passasse as noites em claro e a chorar e a sentir-me má mãe, gostaria que alguém me dissesse que isso também não era bom, que também não me faria bem nem a mim nem ao bebé, que esta ansiedade e culpa deveriam também ser tratadas. E foi isso que lhe disseram, para a ajudar. <=)

O crime referi ao que o meu familiar me fez. Porque fumar para ele é crime mas agressão a uma grávida não é, penso que neste comentário não referi nenhum nome de uma mamã ou comentário específico quis referir que no geral é assim que muitos pensam. E mais uma vez eu sei o mal que o tabaco faz nem nunca disse o contrário no meu tópico repito eu tenho a consciência e estou aqui a expor me sem ter "medo". Sinto me sozinha em relação a este tema, apenas.

Atir00 -
Offline
Desde 05 Nov 2020

M.LSantos escreveu:

Atir00 escreveu:
M.LSantos escreveu:
Atir00 escreveu:M.L.Santos, eu sofro de ansiedade e estou medicada (coisa fraca mas estou). Ninguém é maluco aqui porque fuma ou porque tem que recorrer a medicação.

Mas fazem das mães fumadoras umas criminosas e outros abjectivos possíveis e imaginários. Só espero que um dia nunca sinta na pele o que senti o que faço é errado sim eu admito se não eu não estaria aqui a expor me e o que me assusta são reacções de como o marido da minha madrinha teve e o que disse e isso é que é o real crime aqui

Eu achava que essa opinião tinha ficado no seculo passado. Sinceramente, o que a M.L.Santos tem que fazer é ignorar opiniões que não lhe servem, nem lhe vão trazer nada de bom.
Sou da opinião que ninguém é perfeito, e as pessoas que lhe atiram isso à cara são as mesmas que tem outros comportamentos de risco.
Também lhe desejo a maior das sortes e uma gravidez feliz, se precisar de falar esteja à vontade... =D
Também sou mãe de primeira viagem

Infelizmente para muitos não ficou no século passado. E peço desculpa se fui indelicada é só que tento procurar um apoio nas pessoas que passam pelo o mesmo e acabo por ouvir o que não procurava. Se der autorização eu mando pedido privado

Esteja à vontade. Estamos aqui umas para as outras =)

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

M.LSantos escreveu:

Ana Maria Costa1 escreveu:Concordo com a Guialmi!

Então explique me o porquê? Sou maluca ou com problemas psicológicos graves que tenha de recorrer a um psiquiatra? Que tenha que recorrer a medicação que não passam de meras drogas? Relembro, leu bem o tópico que abri?

E você está a ler o que escreveu? É que não quer julgamentos por fumar mas está a fazê-los numa outra perspectiva. Sabe que há imensas grávidas que tomam medicação e não são malucas nem têm problemas psiquiátricos graves? sim, existe medicação segura e têm uma gravidez saudável, podendo até amamentar. Só que isso é acompanhado por um psiquiatra que efetivamente sabe o que faz.

Anotski85 -
Online
Desde 09 Jun 2020

Olá M. LSantos,

Penso que as outras foristas já lhe deram conselhos muito sensatos e por isso mesmo eu não tenho nada de muito novo a acrescentar.
Gostava, ainda assim, de lhe dar uma palavra de solidariedade e compreensão. A situação por que passou é muito perturbadora, e essa perturbação é evidente no modo como se está a expressar aqui no tópico. Não tem mal. Está legitimamente magoada e nervosa com toda a circunstância, mas isso não lhe faz bem a si nem ao seu bebé. O cuidado de que precisa, parece-me, é o de tentar minimizar esse estado nervoso em que se encontra. Julgo ter sido essa a preocupação de outras foristas. Aconselhá-la a procurar mais ajuda do seu psicólogo, ou até mesmo de um psiquiatra, não parte de um juízo depreciativo. Parte, sim, do reconhecimento de que esse estado de ansiedade e de transtorno é prejudicial a si e ao bebé. Isto aplica-se também à ansiedade causada pela privação tabágica. Eu também sou fumadora (considero-me mesmo tendo deixado de fumar, seremos sempre fumadores, a adição está sempre cá, pronta a retomar) e por isso lhe digo que até para essa redução tabágica o acompanhamento psicológico é importante. Para alguém que fumava um maço e meio de cigarros (portanto, 30 cigarros diários), a redução para 5 a 6 é muito drástica, causa sintomas de privação físicos e psicológicos, dentre os quais constam o incremento da ansiedade e os pensamentos intrusivos sobre o tabaco. Esses sintomas de privação precisam de ser trabalhados. Esse trabalho faz-se individualmente, mas é muito custoso. Com ajuda de psicoterapia é muito mais fácil e tende a ser mais bem sucedido. Do mesmo modo, fazer a eliminação de 25 cigarros diários e ainda mais dos ansiolíticos, parece-me muito drástico e perigoso para a sua saúde mental.
Espero mesmo que consiga ler preocupação e não juízos de valor nas minhas palavras. Não estou mesmo a julgar; só acho, genuinamente, que o acompanhamento médico que está a ter pode não ser o melhor por desconsiderar, precisamente, que essa eliminação simultânea dos ansiolíticos e dos cigarros pode estar a ser fonte de (um incrementado) transtorno de ansiedade. O conselho que lhe dou, se me permite, é que respire fundo, pense com calma nisto, e tente falar com o seu psicólogo (ou um outro psicólogo clínico) sobre uma possível ajuda extra na gestão desta sua ansiedade. Existem fármacos seguros para usar durante a gravidez, que a ajudam inclusivamente nos efeitos da privação tabágica.
Espero que a situação melhores rapidamente.
Boa sorte para si e para sua bebé. Sorriso

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Anotski85 escreveu:
Olá M. LSantos,
Penso que as outras foristas já lhe deram conselhos muito sensatos e por isso mesmo eu não tenho nada de muito novo a acrescentar.
Gostava, ainda assim, de lhe dar uma palavra de solidariedade e compreensão. A situação por que passou é muito perturbadora, e essa perturbação é evidente no modo como se está a expressar aqui no tópico. Não tem mal. Está legitimamente magoada e nervosa com toda a circunstância, mas isso não lhe faz bem a si nem ao seu bebé. O cuidado de que precisa, parece-me, é o de tentar minimizar esse estado nervoso em que se encontra. Julgo ter sido essa a preocupação de outras foristas. Aconselhá-la a procurar mais ajuda do seu psicólogo, ou até mesmo de um psiquiatra, não parte de um juízo depreciativo. Parte, sim, do reconhecimento de que esse estado de ansiedade e de transtorno é prejudicial a si e ao bebé. Isto aplica-se também à ansiedade causada pela privação tabágica. Eu também sou fumadora (considero-me mesmo tendo deixado de fumar, seremos sempre fumadores, a adição está sempre cá, pronta a retomar) e por isso lhe digo que até para essa redução tabágica o acompanhamento psicológico é importante. Para alguém que fumava um maço e meio de cigarros (portanto, 30 cigarros diários), a redução para 5 a 6 é muito drástica, causa sintomas de privação físicos e psicológicos, dentre os quais constam o incremento da ansiedade e os pensamentos intrusivos sobre o tabaco. Esses sintomas de privação precisam de ser trabalhados. Esse trabalho faz-se individualmente, mas é muito custoso. Com ajuda de psicoterapia é muito mais fácil e tende a ser mais bem sucedido. Do mesmo modo, fazer a eliminação de 25 cigarros diários e ainda mais dos ansiolíticos, parece-me muito drástico e perigoso para a sua saúde mental.
Espero mesmo que consiga ler preocupação e não juízos de valor nas minhas palavras. Não estou mesmo a julgar; só acho, genuinamente, que o acompanhamento médico que está a ter pode não ser o melhor por desconsiderar, precisamente, que essa eliminação simultânea dos ansiolíticos e dos cigarros pode estar a ser fonte de (um incrementado) transtorno de ansiedade. O conselho que lhe dou, se me permite, é que respire fundo, pense com calma nisto, e tente falar com o seu psicólogo (ou um outro psicólogo clínico) sobre uma possível ajuda extra na gestão desta sua ansiedade. Existem fármacos seguros para usar durante a gravidez, que a ajudam inclusivamente nos efeitos da privação tabágica.
Espero que a situação melhores rapidamente.
Boa sorte para si e para sua bebé.

Só tenho pedir desculpa a todas se magoei alguém não era a minha intenção mas foram tantos julgamentos que acabo por secalhar generalizar, reduzir desta forma foi una batalha pode ter a razão no que me aconselha e agradeço a sério mas se fui mal interpretada foi apenas por causa da mágoa. Eu choro a escrever cada resposta a culpa é tramada e apenas será minha se acontecer alguma coisa a minha filha e não me vou perdoar nunca as vezes penso se mereço ouvir certas coisas...

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Mais uma vez peço desculpa a quem ofendi, a quem magoei de alguma forma com as minhas palavras. A magoa falou mais alto, provavelmente irei fechar o tópico porque acabo nem conseguir me expressar sem magoar ou ser indelicada. Não quero que me passem a mão pela cabeça mas acho que o desespero por palavras amigas e de conforto levou me a ser o que não sou.

Anotski85 -
Online
Desde 09 Jun 2020

A ML não magoou ninguém. Tenha calma. Estamos cá para a ajudar. A ML está muito transtornada. Precisa de se acalmar. Não tem alguém a quem ligar? Não deveria estar sozinha nesse estado. Procure uma amiga, alguém que a ouça. Vá caminhar um bocadinho e espairecer a cabeça, apanhar um bocadinho de sol.
Nós daqui não podemos ajudar muito mais, não temos como.
Um abraço para si.

M.LSantos -
Offline
Desde 16 Nov 2020

Anotski85 escreveu:
A ML não magoou ninguém. Tenha calma. Estamos cá para a ajudar. A ML está muito transtornada. Precisa de se acalmar. Não tem alguém a quem ligar? Não deveria estar sozinha nesse estado. Procure uma amiga, alguém que a ouça. Vá caminhar um bocadinho e espairecer a cabeça, apanhar um bocadinho de sol.
Nós daqui não podemos ajudar muito mais, não temos como.
Um abraço para si.

Falta pouco para a minha filha nascer, será que ainda vou a tempo acabar com este vício horrível que me consome? Mesmo tendo a força de vontade de reduzir o que mais desejo era parar de vez para não prejudicar mais esta menina que não tem culpa e que a estou a fazer mal

MartaSS -
Offline
Desde 17 Nov 2020

Acho que a Anotski falou muito bem. Leia e releia o que ela escreveu. Aqui do outro lado do computador é muito evidente que o problema aqui é o transtorno emocional (e possivelmente físico) em que está, e não propriamente o consumo atual de tabaco
Passar noites a chorar, dias a odiar-se não é justo para si e você não merece. Merece estar estável e feliz. Ser fumadora ou não, gorda ou magra, nova ou velha, nenhuma dessas coisas lhe tira esse direito! Todos nós temos as nossas coisas Sorriso
Na minha opinião devia marcar uma consultinha com o seu psicólogo (se ele for bom) o quanto antes, para falar desse trauma que passou agora, e para falar sobre esse ódio e culpa que sente.
Vai ver que não há motivos para não gostar de si.

Anotski85 -
Online
Desde 09 Jun 2020

Falta pouco para a minha filha nascer, será que ainda vou a tempo acabar com este vício horrível que me consome? Mesmo tendo a força de vontade de reduzir o que mais desejo era parar de vez para não prejudicar mais esta menina que não tem culpa e que a estou a fazer mal[/quote]

Eu acho, ML, que neste momento deve tentar procurar ajuda para trabalhar o seu estado emocional e psicológico. Acabou de passar por evento traumático, violento. Provavelmente estará a sentir um conjunto muito forte de emoções que advêm desse evento e que estão a gerar muito transtorno emocional e muita instabilidade psicológica. Mais ainda, sendo esse evento relativo ao ato de fumar, a sua relação com o tabaco é neste momento uma fonte de distúrbio emocional acrescido, porque está associado a vários sentimentos e estados problemáticos, perturbadores: a agressão de que foi vítima, a privação tabágica e os sintomas que dela decorrem, a falta dos ansiolíticos que deixou sem fazer um desmame adequado (se percebi bem), mais a culpa que sente por fumar os poucos cigarros que fuma. Tudo isto é uma fonte de muita perturbação, que merece mesmo que procure ajuda do seu, ou outro, psicólogo/psiquiatra.
Sinceramente, eu acho que não está num estado em que consiga deixar de fumar agora e acredito que boa parte desse seu transtorno atual é fruto da combinação de sintomas resultantes da privação do tabaco e da medicação que fazia. Acho que a sua preocupação, neste momento, deve ser a de estabilizar a sua saúde emocional e psicológica, até porque precisa dela para passar pela fase que avizinha. Vai ser mãe dentro de pouco tempo, vai passar por um parto (que é sempre um evento muito marcante na vida da mulher) e vai ter uma bebé para cuidar no meio de uma avalanche de mudanças hormonais. A sua maior preocupação neste momento deve ser procurar ter a estabilidade e integridade emocional, psicológica e física para conseguir estar bem durante esta fase que está prestes a chegar. Fumar 5 cigarros por dia, repare, é o menor dos seus problemas neste momento e, na minha opinião - considerando as circunstâncias em que se encontra -, não deve ser fonte de tanta culpabilização. Eu compreendo que a sinta, porque sabe que é prejudicial, mas também é verdade que conseguiu uma redução muito grande na sua adição e deveria estar orgulhosa por tê-la conseguido. Um copo meio vazio é sempre também um copo meio cheio, sabe? Permita-se focar apenas na parte cheia, no que conseguiu de bom com o intuito de cuidar da sua menina.
Com o tempo, e com a ajuda do psicólogo, vai acabar por deixar esses 5 cigarros também. Não se martirize tanto agora por causa disso.
Um beijinho, tudo de bom para si.

mamagemelar -
Offline
Desde 29 Ago 2011

M.LSantos escreveu:

Anotski85 escreveu:A ML não magoou ninguém. Tenha calma. Estamos cá para a ajudar. A ML está muito transtornada. Precisa de se acalmar. Não tem alguém a quem ligar? Não deveria estar sozinha nesse estado. Procure uma amiga, alguém que a ouça. Vá caminhar um bocadinho e espairecer a cabeça, apanhar um bocadinho de sol.
Nós daqui não podemos ajudar muito mais, não temos como.
Um abraço para si.

Falta pouco para a minha filha nascer, será que ainda vou a tempo acabar com este vício horrível que me consome? Mesmo tendo a força de vontade de reduzir o que mais desejo era parar de vez para não prejudicar mais esta menina que não tem culpa e que a estou a fazer mal

Nunca é tarde para acabar com um vicio mas tem de ter em mente que um adicto de tabaco é para a vida toda ( eu estou nesse grupo). Deixei de fumar ha 10 anos antes de engravidar dos meus filhos e nao passa um dia desde entao que nao pense em fumar um cigarro. Requer uma dedicação enorme que sinto que neste momento nao esta preparada para o fazer sem acompanhamento medico. Se tiver de facto vontade nenhum.medico lhe vai dizer que fumar 5/6 cigarros é o melhor pa si. Existem consultas de tabagismo que pode pedir ao seu medico de familia e ele é obrigado a encaminha la.
Boa sorte e forca

Fez se luz no meu coracao a 22\11\2010... Rafaela as 00h10m e Fábio as 00h13m..Minhas vidas!!! Amo vos mto mto Afilhada e Madrinha babada da mnh kerida TWINMUMMY!!!mais uma madrinha e afilhada 5* SUSANA CORVOS mais uma afilhada linda. Sara78_98 . madrinha e afilhada da APIPAS querida!!!

Outros tópicos relacionados

Translucencia Nucal 2,55
Boa noite caras mamãs! Tenho 21 anos e estou de 12 semanas e 4 dias, hoje fiz a primeira eco, e a doutora disse que o meu bebê tinha uma anomalia na nuca, uma translucencia nucal de 2,55, mas mais tarde vi na eco, que uma certa imagem dava 2,84, a...
Alguem com Rastreio de risco reduzido decidiu fazer amniocentese na mesma?
Ola mamas! A combinação da eco + rastreio bioquímico deu risco reduzido mas nao estou descansada quanto ao despiste de outros síndromes detectados na amniocentese. Alguém decidiu fazer amniocentese mesmo com risco baixo para as trissomias?
Rastreio bioquimico e eco
Boa tarde! Tenho 37 anos e estou gravida de 14 semanas e ontem a minha médica largou me uma bomba nas maos que me tirou o chão e nem explicação alguma me deu so me disse que o meu rastreio bioquimico tinha dado positivo e que ha um grande risco de o...
harmony ou amniocentese
Ola, alguém que fez o harmony e deu baixo risco para a trissonomias, e decidiu fazer a amniocentese? eu tenho de decidir que se faço a amniocentese, fiz o teste harmony e deu bem (baixo risco), e a ecografia esta com bons parâmetros e o rastreio...
Amniocentese quando fazer?
Bom dia mamãs! Estou grávida pela primeira vez, e por isso imaginam que tudo é novo para mim. Recebi esta semana o meu resultado do rastreio 1º trimestre de gravidez. Segundo relatório, não existem riscos acrescidos para trissomia 21,18 e 13. No...
Hosp sto andre VS Bissaya Barreto
venho vos contar a minha experiência no Hospital Santo André, em Leiria... Bem, o que se passou foi o seguinte... Comecei a ser seguida no Hospital por indicação de uma médica de lá aquando de uma visita de urgência... Hoje fui la fazer a...

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?