Ivg... Não sei que fazer... | De Mãe para Mãe

Ivg... Não sei que fazer...

Responda
49 mensagens
Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Olá... Descobri que estou gravida... Pelas contas e pela eco que fiz no hospital, estou com 4 semanas... Nem se via o embrião, apenas o saco gestacional...
O problema aqui é que o meu namorado não quer ser pai... Eu deixei de tomar a pílula e ia colocar o Diu, mas entretanto houve descuidos e aconteceu...
Contei ao meu namorado e ele não aceita... Não quer ser pai de novo... Já tem uma filha de outra relação, tal como eu e não quer por nada voltar a ser pai pois diz que não se sente preparado emocionalmente e financeiramente para tal... Eu embora lhe dê alguma razão na parte financeira, seria capaz de arriscar se visse um pingo de vontade da parte dele... Mas já nos chateamos... Eu fiquei super revoltada pois eu gostava de ser mãe de novo, uma vez que fui mãe aos 19 anos e agora tenho 34...sinto que devo compreender o lado dele... E tenho muito medo de seguir esta gravidez sozinha e arcar com todas as despesas... Pois já não é fácil só com um filho, quanto mais com dois... Estou prestes a ir ao hospital marcar a ivg...Mas sei que me irei culpar para sempre desta decisão e principalmente culpar o meu namorado... Sei que vou sofrer se tirar esta vida de mim... Já o fiz uma vez à 10 anos... E ainda hoje me culpo... Acho que Deus me castigou desde esse dia e o meu castigo é sofrer sempre que toca no assunto "bebes"... Tou super confusa... Se seguir esta gravidez será sozinha... Contra tudo e todos e não sei se tenho forças para isso... 😭😭😭

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Acho graça aos homens assim, não querem ser pais nem por nada mas usam preservativo, não...olhe faça o que o coração lhe mandar!

Clara 🤰 -
Online
Desde 05 Mar 2019

Olá mamã,
Bem esta situação não é nada fácil estas num verdadeiro dilema.
Há muitas coisas que tem de ter em consideração é certo , apenas o que te posso dizer é que deves seguir o teu coração.
Na minha opinião uma vida e sempre uma vida, e namorados/maridos podem sair da nossa vida mas um filho não.
Pondera bem o que pretendes fazer conversa mais uma vez com o teu namorado e tenta que ele veja mais uma vez o teu lado.
Antigamente as pessoas tinham tantos filhos (sei que isto é conversa dos antigos mas tem razão a meu ver ) e tudo se criava ainda por cima com menos do que as pessoas têm agora mas isto é só a minha opinião..
Força mamã, segue o teu coração !

Didite -
Offline
Desde 20 Set 2012

Olha como diz o ditado o seu namorado andou a chuva agora.... Se decidir avançar com a gravidez não estará sozinha, o estado já não o permite, ele terá que contribuir para o bebe quer queira ou não até o mesmo concluir os estudos universitários se assim o desejar.
Mesmo que de recuse a perfilhar o estado obriga ao teste de adn e depois a contribuição financeira que pode ser voluntária ou não (caso em que vão buscar a contribuição ao salário directamente)...
Ainda é cedo para pensar nestas coisas mas é bom saber e estar informado, fale com ele e comuniquem estou certa que vão chegar a acordo Sorriso

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Estou a tentar refletir bem... Vou marcar a ivg... E lá vou fazer mais uma eco... Ver se realmente é uma gravidez em desenvolvimento e se não há ou não embrião (pois na eco que fiz não se viu, a médica não sabe se é porque é cedo ou se porque realmente vai ser uma gravidez embrionária)... Dependentemente dessa situação vou decidir o que faço... E aproveitar o período de reflexão dado...um novo filho, para mim seria uma bênção... É-se o pai nem o assumisse paciência... O problema é que eu não tenho família para me auxiliar...pago casa sozinha, contas...e o ordenado mal dá para tudo... Tenho medo de me afundar ainda mais apesar do sldesejo de ser mãe...

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Didite escreveu:
Olha como diz o ditado o seu namorado andou a chuva agora.... Se decidir avançar com a gravidez não estará sozinha, o estado já não o permite, ele terá que contribuir para o bebe quer queira ou não até o mesmo concluir os estudos universitários se assim o desejar.
Mesmo que de recuse a perfilhar o estado obriga ao teste de adn e depois a contribuição financeira que pode ser voluntária ou não (caso em que vão buscar a contribuição ao salário directamente)...
Ainda é cedo para pensar nestas coisas mas é bom saber e estar informado, fale com ele e comuniquem estou certa que vão chegar a acordo

Ele nem contribui monetariamente para a filha que tem pois não faz descontos...trabalha por conta própria... É triste... E ele teve problemas com drogas e não anda bem, anda na reabilitação e diz que não está bem psicologicamente...
Mas diga me... Se fosses tu?? Um filho com 14 anos, despesas de casa, renda e um ordenado mínimo... Arriscavas por outro filho na tua vida?

MisaL -
Online
Desde 17 Abr 2019

É muito difícil opinar nestes casos, mas muito sinceramente não a vejo, pelo o que diz, com capacidade financeira e familiar para arcar com tudo.
Ter um filho é um projeto, no mínimo, a 18 anos, pense nesse bebé também.
Tome o seu tempo para pensar em tudo e vá conversando com o pai também

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Concordo com a opinião anterior, sozinha pode ser extremamente difícil dar condições a este novo bebé. Mas pense também se este namorado lhe interessa e se é um bom modelo na vida do seu filho adolescente.

Patriciaa83 -
Offline
Desde 20 Jun 2017

Bom dia,

É realmente uma situação bastante complicada.
Pensa bem. em relação à situação económica, terás ajudas do estado. Não seria o suficiente, eu sei bem, mas certamente ajudaria alguma coisa.
Tão ou mais importante é realmente pensares se queres essa pessoa na tua vida.
Pensa bem.
Força!

Mc500 -
Offline
Desde 27 Jun 2019

ola mama!
é uma situação complicada de quem só passa por ela sabe como é mas se me permite pelo que contou mesmo que faça o aborto que deve ser bastante consciente a sua relação com o seu parceiro nunca mais será igual, já não o é pelo que me parece!! tens de pensar bem se vale a pena ficares sem o teu filho( isto de interromperes )...no teu caso acho que a confiança e o sentido família nao seria o mesmo...ja abortaste e como dizes culpas.te até hoje! vale a pena voltares a faze-lo e culpares-te duplamente!! se Deus te mandou esse anjo por alguma razão o será!!
pensa bem e seja qual for a decisão boa sorte!!
Felicidades!
Apaixonado

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Peço desculpa, mas Deus não manda anjo nenhum. Foi o descuido de um homem e de uma mulher que originou esta gravidez. Assim como não castiga mulheres que fizeram abortos, já agora. E eu até sou contra o aborto exceto em situações muito específicas, mas não posso embarcar na onda do "ah, e tal, tudo se cria". Pense bem. O hospital tem obrigação de providenciar apoio psicológico antes da IVG, assim como também pode pedir para falar com a assistente social para saber de que apoios podia usufruir.
Entretanto, como disse antes, goste de si um bocadinho. Tem um namorado ex(?)-toxicodependente, que não contribui para criar uma filha - o que é que isto diz dele como pessoa e como pai? Abra os olhos, não apenas por si mas sobretudo pelo seu filho.

Desde 13 Set 2012

Olá Sara...
Olá Sara!

Olha, a ivg é um recurso perfeitamente legal ao dispor das mulheres portuguesas... portanto, não te preocupes com a recriminação social porque essa é a que menos te deve afetar; ao contrário, e como tu mesma referiste, já recorreste uma vez e houve consequências emocionais das quais não te livraste até hoje... a vida é assim mesmo; tudo o que fazemos, as escolhas, as decisões, os caminhos que seguimos, tudo tem consequências; às vezes são consequências boas, outras vezes nem por isso; o importante é estarmos conscientes de que teremos, inexoravelmente, que estar preparados para lidar com elas e, mais importante, devemos estar preparados para viver com essas consequências.

Relativamente à ivg, só tu mesma poderás decidir e nada do que te possamos dizer aqui te vai dar uma resposta óbvia sobre o que fazer; tu decides e tu decides sozinha porque, ao que parece, esse teu namorado é apenas o progenitor dessa vida que se desenvolve. se o recrimino? nem por isso. Da mesma forma que eu entendo uma mulher que luta com unhas e dentes pela maternidade, não entendo menos um homem que, com a mesma convicção, diz que não quer ser pai novamente. A única falha, se é que se pode chamar falha, foi o facto de não se ter prevenido convenientemente para evitar descendência. Por outro lado, se era tua intenção ser novamente mãe, deverias ter falado abertamente com ele sobre isso. A parentalidade é um tema muito sério para ficar na gaveta e ser tirado mais tarde. Se cada um deixar bem claro o que pretende e o que não pretende, evitam-se algumas desilusões e frustrações. Não sei se foi o caso ou não, mas se querias uma nova gravidez e sabias que essa não era a vontade dele, qual era a ideia? Esperar para tentar convencê-lo? Pode funcionar, mas, quando acontecem imprevistos, o que ele fica a pensar é que foi usado e isso em geral não corre bem.

Seja como for, e independentemente da decisão que venhas a tomar em relação a essa gravidez, o que não me parece saudável é manter esse relacionamento. Ele pode não querer voltar a ser pai mas, como não fez o suficiente para o evitar, tem obrigação de respeitar a mulher que está ao seu lado, de a ouvir e de não a forçar a fazer algo que ela não pretende. Ele pode não querer voltar a ser pai, mas perdeu parte desse direito legítimo quando não se precaveu; pode não querer voltar a ser pai mas terá inequivocamente que ser progenitor dessa criança, terá que lhe dar o nome e cumprir com as responsabilidades inerentes. Um ser-humano não se concebe sozinho e por isso as responsabilidades de ambos os progenitores são, ou devem ser, repartidas equitativamente.

Já tens 34 anos, foste mãe bem cedo e certamente sabes o que te espera; se avançares, sabes que nem tudo será um mar de rosas, que os momentos de desespero serão bastantes e que também existirão momentos de profunda alegria; se decidires não avançar, segue em frente sem te recriminares ou culpares por uma decisão que, com os dados de que dispões, te parece a melhor para todos. O que não consigo ver é onde encaixar a relação no meio de tudo isso. Ser pai à força resulta quase sempre mal e viver com alguém que consideramos culpado por termos tomado uma decisão que não queríamos, também não me parece nada saudável.

Deixo -te um abraço apertado e desejo profundamente que sejas capaz de refletir e tomar a melhor decisão, seja ela qual for.

Beijinhos e tudo de bom

SMSantos

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Obrigada a todas pelas mensagens..
Estou quase a ter a certeza que vou fazer a ivg... E sim o meu namorado já deixou bem claro que a relação acabou... Que me apoia no processo da ivg em casa mas que não quer continuar nesta relação... Estou muito desiludida...sou demasiado ingénua... Um namoro de 2 anos, uma amizade de 20 anos e de repente este balde de água fria...
Beijinhos e obrigada

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Mauriciosara escreveu:
Obrigada a todas pelas mensagens..
Estou quase a ter a certeza que vou fazer a ivg... E sim o meu namorado já deixou bem claro que a relação acabou... Que me apoia no processo da ivg em casa mas que não quer continuar nesta relação... Estou muito desiludida...sou demasiado ingénua... Um namoro de 2 anos, uma amizade de 20 anos e de repente este balde de água fria...
Beijinhos e obrigada

Será pelo melhor Sara, embora agora não pareça. Desejo-te muita força e que tudo corra da melhor maneira possível.

MisaL -
Online
Desde 17 Abr 2019

Força. Um dia encontrará uma pessoa que a faça feliz

Mauriciosara escreveu:
Obrigada a todas pelas mensagens..
Estou quase a ter a certeza que vou fazer a ivg... E sim o meu namorado já deixou bem claro que a relação acabou... Que me apoia no processo da ivg em casa mas que não quer continuar nesta relação... Estou muito desiludida...sou demasiado ingénua... Um namoro de 2 anos, uma amizade de 20 anos e de repente este balde de água fria...
Beijinhos e obrigada

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Imagino o sofrimento em que se sente e não hesite em pedir apoio psicológico no hospital, acho que seria importante. Tem 34 anos e ainda bastante tempo para encontrar uma pessoa que a mereça e com quem pode ser feliz e eventualmente ter mais um ou dois filhos. Não se contente com migalhas de afeto. Felicidades para si e para o seu filho.

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Hoje estou mais calma... E apesar de tudo estou a ponderar seguir com a gravidez... Penso a toda a hora e o que posso tirar de bom disto tudo é mesmo um filho, que será meu para sempre, que me amara e que há de ser amado... Fui mãe aos 19 anos... Sem nada, comparado com o que tenho agora... Por isso não tenho medo de prosseguir sem o pai....vou refletir bem e decidir até à data da minha eco da ivg... O coração dará a resposta na altura.

Sfno92 -
Offline
Desde 02 Out 2019

Olá Sara
Acompanhei o seu tópico desde o início e não comentei antes porque me revi um bocadinho nela e porque todos os comentários me pareceram muito racionais (não é uma crítica). Quando engravidei estava numa relação há pouco tempo, vivia numa casa partilhada, viajava quase todos os meses sem preocupações em poupar porque era nova e nem pensava em ser mãe ainda. Quando fiz o teste e deu positivo o pai da minha bebé disse logo que não queria ser pai e que eu devia abortar. Todas as razões que ele me deu foram super plausíveis, não tinhamos estabilidade financeira, estavamos juntos há pouco tempo. E só a ideia de abortar destruiu-me por dentro. Acho que nunca chorei tanto como nessa altura. Decidi continuar com a gravidez, sou mãe solteira, o pai da menina não sei dele quase desde que vim da maternidade. Comecei literalmente do zero, mas tive a sorte de ter uns pais fantásticos que me deram a mão e me apoiaram. Todas nós aqui que não a conhecemos podemos dizer-lhe que realmente o mais racional é fazer uma ivg... mas só a Sara sabe como se sente. O amor não é tudo e não poe comida na mesa, mas vale muito também. Pense bem e se tiver uma amiga mais próxima ou alguém em quem confie fale com essa pessoa. E caso decida fazer a ivg, peça apoio psicológico porque é duro. Um beijinho apertado e muita força.

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Sfno92 escreveu:
Olá Sara
Acompanhei o seu tópico desde o início e não comentei antes porque me revi um bocadinho nela e porque todos os comentários me pareceram muito racionais (não é uma crítica). Quando engravidei estava numa relação há pouco tempo, vivia numa casa partilhada, viajava quase todos os meses sem preocupações em poupar porque era nova e nem pensava em ser mãe ainda. Quando fiz o teste e deu positivo o pai da minha bebé disse logo que não queria ser pai e que eu devia abortar. Todas as razões que ele me deu foram super plausíveis, não tinhamos estabilidade financeira, estavamos juntos há pouco tempo. E só a ideia de abortar destruiu-me por dentro. Acho que nunca chorei tanto como nessa altura. Decidi continuar com a gravidez, sou mãe solteira, o pai da menina não sei dele quase desde que vim da maternidade. Comecei literalmente do zero, mas tive a sorte de ter uns pais fantásticos que me deram a mão e me apoiaram. Todas nós aqui que não a conhecemos podemos dizer-lhe que realmente o mais racional é fazer uma ivg... mas só a Sara sabe como se sente. O amor não é tudo e não poe comida na mesa, mas vale muito também. Pense bem e se tiver uma amiga mais próxima ou alguém em quem confie fale com essa pessoa. E caso decida fazer a ivg, peça apoio psicológico porque é duro. Um beijinho apertado e muita força.

Pois eu acredito ser capaz... Ando triste e desiludida... Toda a gente só vê o lado racional, principalmente os familiares próximos... Eu sinto que sou capaz...Quando chegar a data eu decidirei.
Obrigada pelas palavras. 😘 Beijinhos

MisaL -
Online
Desde 17 Abr 2019

Eu não acho de todo que isso seja mau, quer dizer, a parte emocional tem de ser a sua. A função dos outros é mostrarem a parte racional, não é dar palmadinhas nas costas e dizerem-lhe aquilo que quer ouvir, é mostrar o outro lado, para que possa analisar a situação e ponderar, para que possa ver aquilo que a parte emocional a pode impedir. O contrário não é ajuda.
Não quer dizer que tenha de seguir o racional, não é essa a questão, mas só depois de ouvir o racional e ponderar com o seu emocional é que tem as ferramentas necessárias para tomar uma decisão.
No fundo todos estão a fazer o correto, diria apenas que a função dos familiares próximos seria acrescentar: decidas o que decidires podes contar connosco.
Leve o seu tempo, pense por si, e quando decidir é a sua decisão e não permita que a julguem ou critiquem.
Vai ver que um dia destes vê tudo mais claro. Vai decidir bem e não será uma decisão pressionada

Mauriciosara escreveu:

Sfno92 escreveu:Olá Sara
Acompanhei o seu tópico desde o início e não comentei antes porque me revi um bocadinho nela e porque todos os comentários me pareceram muito racionais (não é uma crítica). Quando engravidei estava numa relação há pouco tempo, vivia numa casa partilhada, viajava quase todos os meses sem preocupações em poupar porque era nova e nem pensava em ser mãe ainda. Quando fiz o teste e deu positivo o pai da minha bebé disse logo que não queria ser pai e que eu devia abortar. Todas as razões que ele me deu foram super plausíveis, não tinhamos estabilidade financeira, estavamos juntos há pouco tempo. E só a ideia de abortar destruiu-me por dentro. Acho que nunca chorei tanto como nessa altura. Decidi continuar com a gravidez, sou mãe solteira, o pai da menina não sei dele quase desde que vim da maternidade. Comecei literalmente do zero, mas tive a sorte de ter uns pais fantásticos que me deram a mão e me apoiaram. Todas nós aqui que não a conhecemos podemos dizer-lhe que realmente o mais racional é fazer uma ivg... mas só a Sara sabe como se sente. O amor não é tudo e não poe comida na mesa, mas vale muito também. Pense bem e se tiver uma amiga mais próxima ou alguém em quem confie fale com essa pessoa. E caso decida fazer a ivg, peça apoio psicológico porque é duro. Um beijinho apertado e muita força.

Pois eu acredito ser capaz... Ando triste e desiludida... Toda a gente só vê o lado racional, principalmente os familiares próximos... Eu sinto que sou capaz...Quando chegar a data eu decidirei.
Obrigada pelas palavras. 😘 Beijinhos

Ana Rita08 -
Offline
Desde 04 Nov 2013

ola bom dia,

Qualquer que seja a tua decisão será a certa , e só a ti , te cabe essa decisão, sei o quanto é difícil , tive de fazer uma IMG ( por motivos médicos , e estava gravida de 23 sem)
que decidas o melhor para ti.
e não deixes que nada te abale por nada nem por ninguem .
beijinho

Ana Rita

Lee_hyun_sun -
Offline
Desde 13 Fev 2019

Mama essa escolha só a ti te cabe. Posso falar pela minha experiência, tanto eu como o meu namorado tínhamos 21 anos quando engravidei, eu sempre disse que se acontecesse não aborta a. Para alem do corpo ser meu se engravidei a culpa era dos dois. No nosso caso ele não queria ser pai não novo. Estáveis a nível financeiro e emocional já estávamos uma vez que namoravamos ja há 6 anos.
Até aos 3 meses esteve de pé atrás a dizer que não se ia habituar a ideia de ser pai e de termos um filho e que eu ainda podia mudar de ideias sobre o aborto. Mas assim que ela nasceu mudou completamente. Aos 4 meses de gravidez passou a aceitar, foi cmg as todas as ecos e ao que podia. Ela nasceu e é a menina dele 😊

Positivo a 29 de Janeiro de 2019 💕
Uma gravidez não planeada mas desejada 🥰
Ameaça de parto prematuro as 28 semanas
A Eleonor nasceu a 7 de Setembro 2019 às 37 + 3 semanas 💕🥰

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Pois boa noite meninas...
E com tristeza que vos informo que estou cada vez mais próxima de fazer a ivg... Dia 31 tenho consulta... Ontem é hoje tenho andado super enervada... E conclui que o melhor é não ter este bebé, principalmente porque serei mãe solteira e acho que não irei conseguir suportar tudo... Em segundo admito que o meu ex me influenciou a tomar esta decisão... Não quero ser uma egoísta e pensar só em mim, mas dói me muito saber que vou perder este bebé e perdi também o pai dele... Que após estes dias todos me diz que com ou sem filho está relação acabou de vez...
Sinto que vou tirar a minha força de dentro de mim... O meu bebé, nem acredito que o vou fazer... Já estou a sofrer por isso... Oh meu deus... Preciso forças para isto... Já fiz asneiras, já fumei, tomei um calmante, estou super sozinha e desorientada porque vou tirar o meu bebé... 😭😭😭😭😭

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Mauriciosara escreveu:
Pois boa noite meninas...
E com tristeza que vos informo que estou cada vez mais próxima de fazer a ivg... Dia 31 tenho consulta... Ontem é hoje tenho andado super enervada... E conclui que o melhor é não ter este bebé, principalmente porque serei mãe solteira e acho que não irei conseguir suportar tudo... Em segundo admito que o meu ex me influenciou a tomar esta decisão... Não quero ser uma egoísta e pensar só em mim, mas dói me muito saber que vou perder este bebé e perdi também o pai dele... Que após estes dias todos me diz que com ou sem filho está relação acabou de vez...
Sinto que vou tirar a minha força de dentro de mim... O meu bebé, nem acredito que o vou fazer... Já estou a sofrer por isso... Oh meu deus... Preciso forças para isto... Já fiz asneiras, já fumei, tomei um calmante, estou super sozinha e desorientada porque vou tirar o meu bebé... 😭😭😭😭😭

Quis dizer dia 21...esta terça...

MisaL -
Online
Desde 17 Abr 2019

Peça ajuda, quer para enfrentar o presente, quer para o futuro.
Quanto ao pai, não pense que o perdeu, ganhou-se a si, e vai ganhar uma vida melhor longe dessa pessoa que não lhe faz bem.
Muita força e coragem

Mauriciosara escreveu:

Mauriciosara escreveu:Pois boa noite meninas...
E com tristeza que vos informo que estou cada vez mais próxima de fazer a ivg... Dia 31 tenho consulta... Ontem é hoje tenho andado super enervada... E conclui que o melhor é não ter este bebé, principalmente porque serei mãe solteira e acho que não irei conseguir suportar tudo... Em segundo admito que o meu ex me influenciou a tomar esta decisão... Não quero ser uma egoísta e pensar só em mim, mas dói me muito saber que vou perder este bebé e perdi também o pai dele... Que após estes dias todos me diz que com ou sem filho está relação acabou de vez...
Sinto que vou tirar a minha força de dentro de mim... O meu bebé, nem acredito que o vou fazer... Já estou a sofrer por isso... Oh meu deus... Preciso forças para isto... Já fiz asneiras, já fumei, tomei um calmante, estou super sozinha e desorientada porque vou tirar o meu bebé... 😭😭😭😭😭

Quis dizer dia 21...esta terça...

Lee_hyun_sun -
Offline
Desde 13 Fev 2019

Mama ha tantas mães solteiras que conseguem, se não queres fazer o aborto não faças. Se dizes que já perdeste o namorado por mais que seja difícil passa a frente. Uma coisa é certa teres o bebe nao te vai trazer arrependimentos só um amor incondicional para toda a vida
E há maneiras de o fazer pagar a pensão logo a nível financeiro não és só tu a pagar as coisas... Mas é só a minha opinião, se achares que deves antes ir para a frente c o aborto tambem só a ti te compete essa opcao

Mauriciosara escreveu:

Mauriciosara escreveu:Pois boa noite meninas...
E com tristeza que vos informo que estou cada vez mais próxima de fazer a ivg... Dia 31 tenho consulta... Ontem é hoje tenho andado super enervada... E conclui que o melhor é não ter este bebé, principalmente porque serei mãe solteira e acho que não irei conseguir suportar tudo... Em segundo admito que o meu ex me influenciou a tomar esta decisão... Não quero ser uma egoísta e pensar só em mim, mas dói me muito saber que vou perder este bebé e perdi também o pai dele... Que após estes dias todos me diz que com ou sem filho está relação acabou de vez...
Sinto que vou tirar a minha força de dentro de mim... O meu bebé, nem acredito que o vou fazer... Já estou a sofrer por isso... Oh meu deus... Preciso forças para isto... Já fiz asneiras, já fumei, tomei um calmante, estou super sozinha e desorientada porque vou tirar o meu bebé... 😭😭😭😭😭

Quis dizer dia 21...esta terça...

Positivo a 29 de Janeiro de 2019 💕
Uma gravidez não planeada mas desejada 🥰
Ameaça de parto prematuro as 28 semanas
A Eleonor nasceu a 7 de Setembro 2019 às 37 + 3 semanas 💕🥰

Ansha -
Online
Desde 13 Abr 2016

Sinceramente acho que se vai arrepender e depois vai ser tarde demais. Se não quer tirar o bébé não tire. Vão ser 2 tristezas em vez de 1

Mauriciosara -
Offline
Desde 05 Jan 2020

Ansha escreveu:
Sinceramente acho que se vai arrepender e depois vai ser tarde demais. Se não quer tirar o bébé não tire. Vão ser 2 tristezas em vez de 1

SABE que é precisamente o que penso??
Mas depois vem os receios do futuro... Como pagar um infantário sozinha, como gerir tudo, contas e despesas... Só ganho por volta de 700€...
Pago 200€ de casa... Essas contas assustam me...
E sei que vou arrepender me....porque a minha. Vontade é ser mamã de novo

Patriciaa83 -
Offline
Desde 20 Jun 2017

bom dia,

Não leve a mal este meu comentário. Não quero convencer de nada.
Mas acho que se vaii arrepender mesmo!
Quanto a despesas, 700 euros, 200 de renda + os apoios sociais, julgo que bem organizado consegue dar o essencial aos seus filhos, sem ter de viver a vida toda com a culpa.

FSilsa -
Offline
Desde 08 Abr 2014

Bom dia Sara. A segurança social paga a pensão quando o pai não paga. Além disso tem o abono que no seu caso, deverá ser mais de 100 euros nos primeiros anos. Não é o fim do mundo. Seria senão tivesse trabalho nem casa como acontece com imensas outras pessoas.
Quando tive a minha filha, vivia de uns trabalhos que fazia, vivia numa casa emprestada e nunca lhe faltou nada do que foi essencial. O abono era uns 150 euros e era mais que suficiente para as despesas do bebe. No meu caso, o progenitor comigo e só me dava ainda mais despesa e dor de cabeça. Entenda que mais vale sozinha que mal acompanhada.
Quando à ivg, com essas dúvidas todas também acho que não deve fazer. Tem a cabeça a mil por causa da desilusão que esse ser lhe deu ao dizer que nao volta consigo aconteça o que acontecer. Acha que merece ser tratada dessa forma? Quem ele pensa que é para a tratar dessa forma? TODA a gente merece respeito. Uma pessoa assim só lhe faz mal. Acredite que a sua vida sem ele será bem bem melhor. E mesmo que não tenha familia tem certamente pessoas que gostam de si e que a poderão apoiar e falar consigo.
Tem mais força do que pensa e dê a importância que esse homem merece. Senão lhe consegue dar a que ele merece, dê ao menos a que ele lhe dá. Nenhuma.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Estando assim tão dividida, não sei se a IVG não vai ser uma queda ainda maior. Tem direito a receber apoio psicológico e acho mesmo que o deve pedir (já o devia ter feito). Outra opção que pode considerar é dar o bebé para adoção. Eu sei que socialmente é muito recriminado, infelizmente, mas na realidade é um ato de amor e existe a possibilidade de adoções abertas, em que a mãe não perde o rasto da criança. É outra opção a considerar.

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?