Férias em família com avós. Dicas por favor | De Mãe para Mãe

Férias em família com avós. Dicas por favor

Responda
35 mensagens
anatc90 -
Offline
Desde 27 Fev 2021

Bom dia,

Ando a começar a panicar.
Vou de férias 2 semanas com o meu marido, o nosso bebe de 8 meses e os avós, pais do meu marido. Acontece que já estou a panicar. Talvez por ser com os pais dele. Se calhar se fossem os meus eu estaria mais relaxada. Talvez o problema também seja meu. Mas ao memso tempo que penso que o bebé tem direito a estar com os avós e passar tempo com eles, também eu e o pai temos que ter tempo com o bebé, pois ambos trabalhos, ele vai para a creche das 8.45h às 18.30h e precisamos de ter tempo qualidade, e são as nossas primeiras férias com um bebe.

Gosto de ir de ferias com os meus sogros, sempre fomos no verão, mas este ano está me a dar a paranóia. Irrita-me ver eles a quererem estar com o bebé o tempo todo, então o meu sogro, quando começa a dizer que pega no bebé e vai abrir a praia com ele e depois às 10h vem para casa, ui passo-me!!!!
É o meu trabalho levar o meu filho à praia, nas minhas primeiras férias com o bebé. Não o trabalho dele. Ele já teve os filhos dele. É o meu trabalho, simplesmente lhe dou a benece de vir também e participar. Portanto, já estou paranóica só de imaginar o meu sogro a achar que vai ser pai do neto dele.

Por favor, digam-me ideias ou formas de não me enervar, de conseguir manter uma certa distância saudavel durante as férias, eu já avisei a minha sogra que volta e meia vou fazer planos com o bebe e o marido, mas a sogra é mais facil de lidar que o sogro. o sogro só quer andar com o bebe.... a sogra distingue bem o pape de avó e mãe...dá espaço.

O meu sogro ouve o bebé vai chorar vai acurdir. Eu odeio. O bebé nem chora, está só a fazer birra para chamar atenção, e nesses casos eu não gosto de acudir. ele já sabe bem fazer birras para chamar a atenção, e eu já gosto que ele perceba que nem sempre pode ser atendido à primeira. E o meu sogro mete-se. ODEIOOOO.

Foi só um desabafo, embora grande... e por favor dêem me dicas, ideias, e se já passaram pelo mesmo digam-me como fazem.

Obrigada e beijinhos.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Aproveite as férias, divirta-se, relaxe. Os papéis estão sempre definidos e o bebé é de todos o que o amam e achar algo melhor do que ter quem o ame?

Deia 16 -
Offline
Desde 12 Out 2017

Tem mesmo de relaxar. Eu entendo que queria fazer tudo com o seu filho e ser a primeira a dar a fazer com eles. Mas os avós são uma parte importante da vida do seu filho se são presentes e dão amor como descreve aproveite. Quando quiser mesmo estar a só os 3, então saem e nem dê grandes explicações digam que vão sair e que não tem hora para voltar. Eu nunca fiz férias assim sou sincera, já era pelos vistos assim para vocês, se vir que agora no vosso núcleo familiar já na

Deia 16 -
Offline
Desde 12 Out 2017

Não se justifica então para o ano, marquem umas férias completamente diferentes, evitem e ir secalhar para os mesmos sitios para não se sentirem excluidos

Sara_R -
Offline
Desde 02 Dez 2014

Acho que deveria ponderar ajuda psicológica para conseguir lidar com esses sentimentos.
Até consigo perceber que quer ter tempo de qualidade com o seu filho, mas basta dizer ao seu sogro "Se não se importar, acho melhor irmos à praia todos juntos", ou "Ele só está a fazer birra, prefiro que não venham logo acudir"...simples e sem stress. Acho que está a exagerar um pouco, o bebé não é um troféu para ser disputado, pode receber amor e carinho de todos.
Boas férias!

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

O dia tem 24h. Se o avô levar o bebé para a praia manhã cedo os pais podem dormir mais um bocadinho, tomar o pequeno almoço descansados e irem lá ter nas calmas. Penso que para a grande maioria dos pais isso soaria ao paraíso, não digo todos os dias mas nalguns deles.
Essa possessividade em relação ao seu filho não me parece saudável.

MariaRS27 -
Offline
Desde 07 Maio 2018

MisaL escreveu:
Aproveite as férias, divirta-se, relaxe. Os papéis estão sempre definidos e o bebé é de todos o que o amam e achar algo melhor do que ter quem o ame?

Adorei este comentário! 💛💛
*
Para a autora: eu compreendo muito bem o desabafo, acho que foi isso mesmo. Um desabafo emocional. Acho que está mãe merece alguma empatia.. Agora é preciso racionalizar e desconstruir. É preciso também ver que é uma questão de personalidades por vezes e há determinadas personalidades mais proativas e outras mais sensíveis,, que se sentem atacadas com este tipo de comentários. Acho q o caminho é perceber que os avós dizem isso com toda a boa intenção, todo o orgulho, porque amam o neto, querem aproveitar, nao para diminuir os pais ou provocar. Tente “ouvi lo” com esta intenção porque com certeza é esse o sentimento por trás e vai ver que parecerá menor. Outra coisa é q é possível que esteja a sofrer por antecipação, pq depois na prática todos os papéis são necessários e com certeza haverá espaço para todos os programas, com todos, ou só com alguns, e se por acaso o avô quiser levar um dia o neto à praia, os pais podiam aproveitar para dormir ou namorar 😁 (olhe que quantos mais filhos temos, mais desejamos que alguém nos leve as crias por umas horas 😂) mas digo isto com toda a compreensão, porque sei que com o primeiro temos que tipo de sentimentos, sem isso significar alguma coisa de patológico!. E se depois isso a incomodar muito é fácil, diga que também quer ir! Sobre os avós acudirem os netos, é pensar que são avós e esse é mesmo o papel deles, não dê valor a isso. Olhe, eu as vezes tb me chateia q as avós queiram sempre adormecer os meus bebés ao colo, porque depois em casa sou eu que me tramo, eles querem colo e eu não tenho braços 😁 mas estou a pedir impossível, elas são avós. Se não é algo essencial, há que dar um desconto e deixar os confrontos apenas para aquilo que interfira com os nossos princípios mais fundamentais! Boas férias ☀️

carlaper -
Offline
Desde 11 Out 2011

Eu compreendo pq são as primeiras com o seu filho, mas acredite que férias com bebés e crianças são tudo menos férias Sorriso qts mais braços para ajudar melhor. E tem duas semanas, há tempo para todos desfrutarem do bebé. Como já disseram, relaxe e aproveite.

Sónia S. Silva -
Online
Desde 21 Set 2021

Ana,
Na minha opinião está a exagerar.. 😊 Confesso que quando li tive pena do sogro 😇!! Relaxe querida, e aproveite que ele tem avós que o amam tanto, ninguém lhe está a roubar o filho... Deixe-o criar memórias com os avós tb, ele não vai gostar menos de si por isso! Pessoalmente acho a atitude do sogro adorável...
Se vai de férias com os sogros não os exclua. Para o ano tire uns dias só a 3, mas relaxe e não parta já com rancor ou contrariada. Os avós estragam os netos, o papel deles é esse 😁

Sónia Silva

Mama do Martim -
Offline
Desde 29 Mar 2010

Eu vou de férias com o meu marido,4 filhos e os avós paternos dos meus filhos mais velhos,ou seja os meus ex sogros 😂😂 existem quem ache muita confusão mas são os avós e os avós são tão importantes na vida das crianças.
Claro que existem coisas que discordo deles,mas são só uns dias e só lhes tenho a agradecer o amor que tem pelos netos (mesmo pelo meu bebé que não é deles mas eles tratam de igual forma).

* Martim * 11-11-2008* 3190g e 49,5cm *
* Valentim * 01-12-2013 * 2160g e 43cm *
* Francisca * 15-07-2016 * 2760g e 46,5cm *
* Benjamim * 14-08-2021 * 3112g e 47,5cm *

Sara_R -
Offline
Desde 02 Dez 2014

Adorei ler isto! Palmas! Palmas!
Sem dúvida o que falta a muita gente, saberem separar as coisas. Felicidades!

Mama do Martim escreveu:
Eu vou de férias com o meu marido,4 filhos e os avós paternos dos meus filhos mais velhos,ou seja os meus ex sogros 😂😂 existem quem ache muita confusão mas são os avós e os avós são tão importantes na vida das crianças.
Claro que existem coisas que discordo deles,mas são só uns dias e só lhes tenho a agradecer o amor que tem pelos netos (mesmo pelo meu bebé que não é deles mas eles tratam de igual forma).

Bisgalha -
Offline
Desde 17 Nov 2014

Eu tive o azar de em todas as ferias que fiz vinha sogros atrás, ou senão vinham pais. No princípio é tudo bonito, depois começam a se chatear e a mandar bocas. Não sei o que são férias a sós com o marido: ir por onde quiser ou comer onde quiser.
Se diz que sempre gostou de viajar com eles, considere se com sorte, já é bastante bom, acredite.
Quanto ao bebé, esse stress específico que fala é normal, mas daqui a uns anos vai querer que alguém fique com eles acredite. O bebé é um docinho que todos querem segurar. ..e depois há amuos porque a mãe deixou um pegar e já não deixa o outro pegar já sei como é, passei por isso algumas vezes.
De início, defina como quer as coisas. Diga: a praias sou eu que vou levar. Ou outra coisa. Defina.
Se houver amuos depois já fica a saber. Vai tirando as conclusões. Há avós que não se metem, há outros que julgam que estão a ser pais pela segunda vez, há outros que gostam dos netos mas na verdade nem se importam com eles.
No meu caso sempre houve chatices em férias. Sempre houve alguém que se irritou.
O meu conselho é, se quiserem cuidar dele, deixe cuidar e aproveite, e defina o dia e atividade em que tambem vai aproveitar com o seu filho.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

Quanto aos avós... Sinceramente meterem-se faz parte do pacote de passarem férias juntos.
Quanto ao bebé, com 8 meses não faz birras e deve ser logo atendido. Não é por isso que vai ser mimado/mal habituado etc etc etc. Isso são mitos que TÊM DE CAIR POR TERRA!!! Temos que mimar sem medo, dar amor, dar colo, dar afeto, dar segurança sem medo. Está tudo bem com os adultos que foram amados. Está tudo mal com os que não foram...

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

* Mas eu percebo-a!!! Eu também passei assim por umas paranóias. Foi muuuuuuito difícil fazer contas e ver que a minha filha passava mais horas acordada com a avó que comigo quando ela lá ficava todo o dia lá. Havia um medo quase primitivo de não vincar o meu lugar, uma insegurança. Isso passou, a minha filha soube sempre quem é a mãe e o pai, embora adore os meus sogros. Essa fase vai passar, vai acabar por ver que são papeis diferentes e é bom que outros também amem os nossos filhos e sejam amados por eles. Atualmente olho para trás e consigo perceber que estava a ser exagerada, já não me identifico com isso, mas não esqueço de como me senti e por isso percebo-a perfeitamente. O melhor conselho que lhe posso dar é que não pense nisso. Não sofra por antecipação. Não se sinta contrariada mas escolha as batalhas que quer travar. Ceda numas coisas, bata pé noutras, há de correr bem.

MALT -
Offline
Desde 27 Jul 2019

DianaES escreveu:
Quanto aos avós... Sinceramente meterem-se faz parte do pacote de passarem férias juntos.
Quanto ao bebé, com 8 meses não faz birras e deve ser logo atendido. Não é por isso que vai ser mimado/mal habituado etc etc etc. Isso são mitos que TÊM DE CAIR POR TERRA!!! Temos que mimar sem medo, dar amor, dar colo, dar afeto, dar segurança sem medo. Está tudo bem com os adultos que foram amados. Está tudo mal com os que não foram...

Diana, disseste tudo o que eu era para dizer. 👏☺
Mimo e amor nunca se negam a um filho e nunca são demais. ❤

Mama do Martim -
Offline
Desde 29 Mar 2010

Sara_R escreveu:
Adorei ler isto!
Sem dúvida o que falta a muita gente, saberem separar as coisas. Felicidades!

Mama do Martim escreveu:Eu vou de férias com o meu marido,4 filhos e os avós paternos dos meus filhos mais velhos,ou seja os meus ex sogros 😂😂 existem quem ache muita confusão mas são os avós e os avós são tão importantes na vida das crianças.
Claro que existem coisas que discordo deles,mas são só uns dias e só lhes tenho a agradecer o amor que tem pelos netos (mesmo pelo meu bebé que não é deles mas eles tratam de igual forma).

O que acabou foi a minha relação de casal com o filho deles,ainda tentei uma relação de amizade com ele mas não deu,separou se de tudo e todos...
Com eles continuam a ser os avós dos meus filhos,e meus amigos,família até,porque temos quase 20 anos de convivência em que sempre nos demos bem.
Quando o avô soube da separação chorou muito,eu pensei que fosse mesmo pela separação até que ele me disse que não,que não queria era perder uma amiga,uma filha e eu garanti lhe que a minha relação com eles nunca iria mudar. Quando conheci o meu marido disse lhe logo que continuava a ter uma relação muito próxima com os meus ex sogros,ele aceitou na boa,e tem uma relação óptima com eles (eles também sabem ver que ele é o que o filho nunca foi para os netos).
O meu bebé nasceu num sábado,no sábado seguinte estavam aqui (vivem a 200km de nós) para o conhecerem,e trouxeram uma pulseirinha de ouro a dizer "lembrança dos avós",não foi pelo valor,mas pela mensagem,tocou me muito.
Sou criticada por muita gente,eles também certamente,mas não estamos a fazer mal a ninguém,estamos a ser uma família para além dos laços de sangue,estamos a dar amor uns aos outros.

Por muito que os avós possam parecer chatos e intrometidos (obviamente em doses normais) eu defendo que devemos relevar,pois é esse mesmo o papel deles. Se já amamos tanto os nossos filhos como não amar ainda mais os filhos dos nossos filhos??

* Martim * 11-11-2008* 3190g e 49,5cm *
* Valentim * 01-12-2013 * 2160g e 43cm *
* Francisca * 15-07-2016 * 2760g e 46,5cm *
* Benjamim * 14-08-2021 * 3112g e 47,5cm *

Mag_M -
Offline
Desde 13 Jul 2018

Os bebés não fazem birras muito menos percebem seja o que for quando não são logo atendidos. Não têm de todo essa capacidade cognitiva, não são mini mestres do crime 😉 Pelo contrário, devem ser encharcados em amor!
.
Quanto ao resto, acho que as mamãs acima já deram excelentes conselhos. As mães recentes todas passam por esses sentires. Acho que a primeira vez que me permiti relaxar e deixar o bebé dormir no colo da minha tia vi que podia desfrutar e e estava muito bem entregue.
.
São férias, passam a correr, e há tempo para todos!

Ana Maria Costa1 -
Offline
Desde 01 Fev 2019

Então se fossem os seus pais já podiam querer estar o tempo todo com o neto?

Andreissse -
Offline
Desde 13 Nov 2015

Por partes... Se queria aproveitar as férias com o marido e o vosso filho então devia ter tirado férias unicamente com eles. Se colocaram na equação os sogros, normal que o que refere, aconteça. Sinceramente eu relaxava. O avo nunca sera o pai nem o pai, o avo. Ambos sao papeis distintos e acredite que o seu bebé, em momento algum, ficará confundido. Se o avô quer estar com o neto deixei-o estar.. Com certeza nao vai estar com o neto 24h. Aproveite para relaxar, difrutar e descansar. Como uma mamã disse, o nosso filho não é só nosso, tem direito a ser mimado e amado por todos. Não há necessidade nenhuma, desde que o bebé esteja bem, que os pais, neste caso, a mãe monopolize toda atenção do bebe. Haverá tempo para todos disfrutarem com o bebe.

Andreissse -
Offline
Desde 13 Nov 2015

Mama do Martim escreveu:

Sara_R escreveu:Adorei ler isto!
Sem dúvida o que falta a muita gente, saberem separar as coisas. Felicidades!

Mama do Martim escreveu:Eu vou de férias com o meu marido,4 filhos e os avós paternos dos meus filhos mais velhos,ou seja os meus ex sogros 😂😂 existem quem ache muita confusão mas são os avós e os avós são tão importantes na vida das crianças.
Claro que existem coisas que discordo deles,mas são só uns dias e só lhes tenho a agradecer o amor que tem pelos netos (mesmo pelo meu bebé que não é deles mas eles tratam de igual forma).

O que acabou foi a minha relação de casal com o filho deles,ainda tentei uma relação de amizade com ele mas não deu,separou se de tudo e todos...
Com eles continuam a ser os avós dos meus filhos,e meus amigos,família até,porque temos quase 20 anos de convivência em que sempre nos demos bem.
Quando o avô soube da separação chorou muito,eu pensei que fosse mesmo pela separação até que ele me disse que não,que não queria era perder uma amiga,uma filha e eu garanti lhe que a minha relação com eles nunca iria mudar. Quando conheci o meu marido disse lhe logo que continuava a ter uma relação muito próxima com os meus ex sogros,ele aceitou na boa,e tem uma relação óptima com eles (eles também sabem ver que ele é o que o filho nunca foi para os netos).
O meu bebé nasceu num sábado,no sábado seguinte estavam aqui (vivem a 200km de nós) para o conhecerem,e trouxeram uma pulseirinha de ouro a dizer "lembrança dos avós",não foi pelo valor,mas pela mensagem,tocou me muito.
Sou criticada por muita gente,eles também certamente,mas não estamos a fazer mal a ninguém,estamos a ser uma família para além dos laços de sangue,estamos a dar amor uns aos outros.
Por muito que os avós possam parecer chatos e intrometidos (obviamente em doses normais) eu defendo que devemos relevar,pois é esse mesmo o papel deles. Se já amamos tanto os nossos filhos como não amar ainda mais os filhos dos nossos filhos??

Adorei o seu comentário, principalmente a parte que diz que se ja amamos tanto os nossos filhos como não amar os filhos dos nossos filhos.. Pura verdade e um dia seremos avós. Eu também dou abertura tanto aos meus pais como sogra (sogro ja faleceu) para estarem com a menina sem minha constante supervisão, desde bebe.. Um dia serei avó e também ficaria triste se minha filha estivesse em constante atitude de defesa comigo, etc.. Digo isto, em relações normais..

MALT -
Offline
Desde 27 Jul 2019

Como é possível alguém vos criticar?!
Eu acho maravilhoso vocês continuarem a dar-se assim tão bem e que os seus ex-sogros vejam o seu bebé como neto. Achei amorosa a mensagem na pulseirinha 🥰

Mama do Martim escreveu:

Sara_R escreveu:Adorei ler isto!
Sem dúvida o que falta a muita gente, saberem separar as coisas. Felicidades!

Mama do Martim escreveu:Eu vou de férias com o meu marido,4 filhos e os avós paternos dos meus filhos mais velhos,ou seja os meus ex sogros 😂😂 existem quem ache muita confusão mas são os avós e os avós são tão importantes na vida das crianças.
Claro que existem coisas que discordo deles,mas são só uns dias e só lhes tenho a agradecer o amor que tem pelos netos (mesmo pelo meu bebé que não é deles mas eles tratam de igual forma).

O que acabou foi a minha relação de casal com o filho deles,ainda tentei uma relação de amizade com ele mas não deu,separou se de tudo e todos...
Com eles continuam a ser os avós dos meus filhos,e meus amigos,família até,porque temos quase 20 anos de convivência em que sempre nos demos bem.
Quando o avô soube da separação chorou muito,eu pensei que fosse mesmo pela separação até que ele me disse que não,que não queria era perder uma amiga,uma filha e eu garanti lhe que a minha relação com eles nunca iria mudar. Quando conheci o meu marido disse lhe logo que continuava a ter uma relação muito próxima com os meus ex sogros,ele aceitou na boa,e tem uma relação óptima com eles (eles também sabem ver que ele é o que o filho nunca foi para os netos).
O meu bebé nasceu num sábado,no sábado seguinte estavam aqui (vivem a 200km de nós) para o conhecerem,e trouxeram uma pulseirinha de ouro a dizer "lembrança dos avós",não foi pelo valor,mas pela mensagem,tocou me muito.
Sou criticada por muita gente,eles também certamente,mas não estamos a fazer mal a ninguém,estamos a ser uma família para além dos laços de sangue,estamos a dar amor uns aos outros.
Por muito que os avós possam parecer chatos e intrometidos (obviamente em doses normais) eu defendo que devemos relevar,pois é esse mesmo o papel deles. Se já amamos tanto os nossos filhos como não amar ainda mais os filhos dos nossos filhos??

Mamaciita -
Offline
Desde 30 Jan 2020

A minha dica é, se tiver bom nível de inglês que vá faça uma conta no reddit.com e desabafe num dos forums de lá criados especificamente para mães.

O que aconteceu à compaixão pelas recém mães?

Tem toda a razão em querer fazer as primeiras coisas com o bebé. O avô pode ir também para disfrutar do momento, mas os pais são vocês.

Prémio? Fds

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

Não é uma questão de compaixão, entende-se a situação e há sempre momentos que nos afetam mais, é normal, mas isso não significa que se tenha que dizer "amen", até porque raramente vem daí alguma ajuda, deixa a pessoa exatamente como estava.
E pode fazer as 1as coisas, e todas as outras, o que não se pode é querer colher o melhor dos dois mundos... não vai resultar. Nesse caso o melhor é as primeiras coisas serem a sós. Não se pode ir escolher a 1a roupinha com a avó e depois achar que opina demais e crítica a cor e até foi ela que escolheu o 1o gorro, como a querer sobrepor-se aos pais. Não se pode ir dar a 1a papa à casa dos avós e ofender-se com os palpites que não devia ser assim e assado.
Os bebés nunca confundem, sabem muito bem quem são os pais, a mistura de papéis não é um problema deles. Em nenhuma situação se tem que ter esse receio.

Mamaciita escreveu:
A minha dica é, se tiver bom nível de inglês que vá faça uma conta no reddit.com e desabafe num dos forums de lá criados especificamente para mães.
O que aconteceu à compaixão pelas recém mães?
Tem toda a razão em querer fazer as primeiras coisas com o bebé. O avô pode ir também para disfrutar do momento, mas os pais são vocês.
Prémio? Fds

Anete SSilva -
Offline
Desde 07 Jun 2021

ui... calma... vamos por partes!
Todas as mães penso que passam uma fase nos primeiros meses que sentem que o bebé só está seguro com elas e não lidam muito bem com algumas pessoas a se meterem... tudo bem... isso passa, acredita! Eu também tive isso mas ajudou-me mentalizar de várias coisas... está tudo bem! o bebé não é propriedade minha, pertence a uma família e ainda bem que tem pessoas que o amam imenso... com comunicação e calma conseguimos explicar o que nos incomoda e como queremos que as coisas sejam feitas... nem sempre "ouvem"... depois disso é escolher batalhas, algumas não vale a pena travar...
Sentimos muito que temos que aproveitar o tempo todo com o bebé ou que temos que fazer tudo... mas sinceramente... o tempo com os avós é essencial e muito bom, agradecida à vida por a minha filha ter os 4 avós, aprende tanto com eles, brincam tanto com ela, ganharam os quatro uma nova vida, motivação, alento, ficaram anos mais jovens e isso é tão bom! Fazem coisas que nem como pais fizeram... ver o meu sogro debaixo de uma mesa com a minha filha foi delicioso, o meu pai a vestir bonecas, brincam aos médicos... com as avós ela aprendeu a limpar, faz uns cozinhados... olho para isso com a maior alegria! e faz bem, tão bem uma aldeia a criar uma criança e não uma mãe a querer controlar tudo! relaxa!
Ninguém nos rouba o lugar... os nossos filhos sabem muito bem quem é quem... e também sabem muito bem que os protege, acalma e está com boa energia! por isso boa energia mamã que tudo vai correr bem!
Depois... vais me desculpar, um pequeno aparte mas essa que choro de birra não tem nada que ir acudir! o teu sogro está totalmente certo! bebés não são manipuladores e não acalmam sozinhos! colinho, mimo nessa idade, sempre!

Mamaciita -
Offline
Desde 30 Jan 2020

MisaL escreveu:
Não é uma questão de compaixão, entende-se a situação e há sempre momentos que nos afetam mais, é normal, mas isso não significa que se tenha que dizer "amen", até porque raramente vem daí alguma ajuda, deixa a pessoa exatamente como estava.
E pode fazer as 1as coisas, e todas as outras, o que não se pode é querer colher o melhor dos dois mundos... não vai resultar. Nesse caso o melhor é as primeiras coisas serem a sós. Não se pode ir escolher a 1a roupinha com a avó e depois achar que opina demais e crítica a cor e até foi ela que escolheu o 1o gorro, como a querer sobrepor-se aos pais. Não se pode ir dar a 1a papa à casa dos avós e ofender-se com os palpites que não devia ser assim e assado.
Os bebés nunca confundem, sabem muito bem quem são os pais, a mistura de papéis não é um problema deles. Em nenhuma situação se tem que ter esse receio.

Pessoalmente, não notei nenhuns extremos no texto da OP. Muito menos nada que justificasse dizerem-lhe, de forma tudo menos empática, que precisa de terapia e que vê o filho como um prémio.

Pelo que entendi do texto, fiquei com a ideia que a OP, desde o início, não adorou a ideia de ir de férias com os sogros. Portanto, não me parece nada descabida esta reacção adversa a comentários de "ah *eu* vou fazer xy e z com o menino", sem pensar em primeiro ver o que os pais têm em mente.
E não concordo de todo que por se fazer isto ou aquilo com os avós, se perca o direito de ficar ofendido. Que raio?

Não digo que se tenha de dar sempre palmadinhas nas costas, mas achei os comentários completamente desproporcionados. Quanto muito (e se calhar já me estou a esticar), quem precisa de terapia são as senhoras que ficaram exaltadas com um desabafo inofensivo.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Mamaciita escreveu:

MisaL escreveu:Não é uma questão de compaixão, entende-se a situação e há sempre momentos que nos afetam mais, é normal, mas isso não significa que se tenha que dizer "amen", até porque raramente vem daí alguma ajuda, deixa a pessoa exatamente como estava.
E pode fazer as 1as coisas, e todas as outras, o que não se pode é querer colher o melhor dos dois mundos... não vai resultar. Nesse caso o melhor é as primeiras coisas serem a sós. Não se pode ir escolher a 1a roupinha com a avó e depois achar que opina demais e crítica a cor e até foi ela que escolheu o 1o gorro, como a querer sobrepor-se aos pais. Não se pode ir dar a 1a papa à casa dos avós e ofender-se com os palpites que não devia ser assim e assado.
Os bebés nunca confundem, sabem muito bem quem são os pais, a mistura de papéis não é um problema deles. Em nenhuma situação se tem que ter esse receio.

Pessoalmente, não notei nenhuns extremos no texto da OP. Muito menos nada que justificasse dizerem-lhe, de forma tudo menos empática, que precisa de terapia e que vê o filho como um prémio.
Pelo que entendi do texto, fiquei com a ideia que a OP, desde o início, não adorou a ideia de ir de férias com os sogros. Portanto, não me parece nada descabida esta reacção adversa a comentários de "ah *eu* vou fazer xy e z com o menino", sem pensar em primeiro ver o que os pais têm em mente.
E não concordo de todo que por se fazer isto ou aquilo com os avós, se perca o direito de ficar ofendido. Que raio?
Não digo que se tenha de dar sempre palmadinhas nas costas, mas achei os comentários completamente desproporcionados. Quanto muito (e se calhar já me estou a esticar), quem precisa de terapia são as senhoras que ficaram exaltadas com um desabafo inofensivo.

Não devemos ter lido o mesmo texto ou temos conceitos muito diferentes. Com sinceridade não achei inofensivo, achei desproporcional, extremista, egoísta e a roçar no doentio.

MisaL -
Offline
Desde 17 Abr 2019

É so uma questão de se viver em sociedade, em família, faz parte, mas podem à vontade ficar ofendidas...longe de mim, isso não é nada comigo. Se fizer bem, se for o melhor, se for benéfico para a vida, para a saúde, acho que sim.

Mamaciita escreveu:

MisaL escreveu:Não é uma questão de compaixão, entende-se a situação e há sempre momentos que nos afetam mais, é normal, mas isso não significa que se tenha que dizer "amen", até porque raramente vem daí alguma ajuda, deixa a pessoa exatamente como estava.
E pode fazer as 1as coisas, e todas as outras, o que não se pode é querer colher o melhor dos dois mundos... não vai resultar. Nesse caso o melhor é as primeiras coisas serem a sós. Não se pode ir escolher a 1a roupinha com a avó e depois achar que opina demais e crítica a cor e até foi ela que escolheu o 1o gorro, como a querer sobrepor-se aos pais. Não se pode ir dar a 1a papa à casa dos avós e ofender-se com os palpites que não devia ser assim e assado.
Os bebés nunca confundem, sabem muito bem quem são os pais, a mistura de papéis não é um problema deles. Em nenhuma situação se tem que ter esse receio.

Pessoalmente, não notei nenhuns extremos no texto da OP. Muito menos nada que justificasse dizerem-lhe, de forma tudo menos empática, que precisa de terapia e que vê o filho como um prémio.
Pelo que entendi do texto, fiquei com a ideia que a OP, desde o início, não adorou a ideia de ir de férias com os sogros. Portanto, não me parece nada descabida esta reacção adversa a comentários de "ah *eu* vou fazer xy e z com o menino", sem pensar em primeiro ver o que os pais têm em mente.
E não concordo de todo que por se fazer isto ou aquilo com os avós, se perca o direito de ficar ofendido. Que raio?
Não digo que se tenha de dar sempre palmadinhas nas costas, mas achei os comentários completamente desproporcionados. Quanto muito (e se calhar já me estou a esticar), quem precisa de terapia são as senhoras que ficaram exaltadas com um desabafo inofensivo.

DianaES -
Offline
Desde 08 Out 2013

fmmartins escreveu:

Mamaciita escreveu:

MisaL escreveu:Não é uma questão de compaixão, entende-se a situação e há sempre momentos que nos afetam mais, é normal, mas isso não significa que se tenha que dizer "amen", até porque raramente vem daí alguma ajuda, deixa a pessoa exatamente como estava.
E pode fazer as 1as coisas, e todas as outras, o que não se pode é querer colher o melhor dos dois mundos... não vai resultar. Nesse caso o melhor é as primeiras coisas serem a sós. Não se pode ir escolher a 1a roupinha com a avó e depois achar que opina demais e crítica a cor e até foi ela que escolheu o 1o gorro, como a querer sobrepor-se aos pais. Não se pode ir dar a 1a papa à casa dos avós e ofender-se com os palpites que não devia ser assim e assado.
Os bebés nunca confundem, sabem muito bem quem são os pais, a mistura de papéis não é um problema deles. Em nenhuma situação se tem que ter esse receio.

Pessoalmente, não notei nenhuns extremos no texto da OP. Muito menos nada que justificasse dizerem-lhe, de forma tudo menos empática, que precisa de terapia e que vê o filho como um prémio.
Pelo que entendi do texto, fiquei com a ideia que a OP, desde o início, não adorou a ideia de ir de férias com os sogros. Portanto, não me parece nada descabida esta reacção adversa a comentários de "ah *eu* vou fazer xy e z com o menino", sem pensar em primeiro ver o que os pais têm em mente.
E não concordo de todo que por se fazer isto ou aquilo com os avós, se perca o direito de ficar ofendido. Que raio?
Não digo que se tenha de dar sempre palmadinhas nas costas, mas achei os comentários completamente desproporcionados. Quanto muito (e se calhar já me estou a esticar), quem precisa de terapia são as senhoras que ficaram exaltadas com um desabafo inofensivo.

Não devemos ter lido o mesmo texto ou temos conceitos muito diferentes. Com sinceridade não achei inofensivo, achei desproporcional, extremista, egoísta e a roçar no doentio.


Mas esta versão agudizada, dramatizada e até mesmo doentia é absolutamente normal numa mulher que naturalmente ainda atravessa pela normalização das hormonas, que ainda se está a adaptar à vida no papel de mãe. às vezes parece que nos esquecemos do avassalador que foi estabilizarmos nesta nova normalidade. E se para alguém não foi assim, ótimo, mas para muita gente, foi.

Mamaciita -
Offline
Desde 30 Jan 2020

fmmartins escreveu:
Não devemos ter lido o mesmo texto ou temos conceitos muito diferentes. Com sinceridade não achei inofensivo, achei desproporcional, extremista, egoísta e a roçar no doentio.

Confesso que a primeira vez que li foi um pouco na diagonal. Li novamente e continuo a ter a mesma opinião.

No máximo, escreveu com a irritação do acumular de situações. Podem parecer coisas mínimas, inofensivas, mas para a OP, que não me parece ter um grande à vontade em ser direta com os sogros, magoa e chateia. Como a Diana disse, é recém mãe, as hormonas são fdds e não lidamos todas com as coisas da mesma forma (é quase como se a OP fosse um ser humano).
Ela veio aqui desabafar, tenho a certeza que não fala assim com o sogro.
Dizer que ela tem um discurso doentio é super ofensivo. Pode-se sugerir terapia de uma forma mais simpática. Fiquei muito triste com estes comentários.

Mas pronto, só vim dar os meus dois cêntimos.

anatc90 -
Offline
Desde 27 Fev 2021

Bom dia meninas,

Desde já quero agradecer todas as respostas. Eu escrevi um texto num momento de saturação, a precisar de opiniões, paraeu também perceber se estaria assim tão mal, ou o que poderia fazer quanto a isso.
Não sou uma pessoa nada possessiva. Não sou uma mulher que está sempre com o seu filho, e não o entrega a ninguém. O meu bebé está na creche desde os 5 meses. Nunca tive problemas em deixa-lo. Sempre o deixei nos meus pais, nos meus sogros, com o meu marido, com vizinhas, sem qualquer receio e sem remorsos por não estar com ele. Para poder ou ir passear cão, ou ir à praia... ou compras o que quer que seja. Porque também sou pessoa para além do bebé.

Mas às vezes há todo um acumlar de coisas. Eu gosto de ir de ferias com os meus sogros, como com o meu irmao, cunhada, e bebe dele, ou pais.... mas às vezes há coisas que acho intrometidas demais. Se calhar como me disseram, tenho de relaxar mais, relativizar mais, ou até mesmo não dar importência a certos comentários.
Mas é o meu primeiro filho, estou a viver algo pela primeira vez, e a verdde é que às vezes o meu sogro, porque a minha sogra, ela talvez sendo mãe e já tendo passado pelo mesmo, dá um espaço brutal, até me dá mais espaço que a minha mãe, mas o meu sogro quer o bebe o tempo todo. E às vezes saturo-me e a coisa já não cai tão bem.

Quando fui para casa da maternidade, mal andava que fui cozida até sei lá eu onde, cansada, que ele nasceu à meia noite e eu mal dormia à 2 dias, e tive que levar com eles a irem lá jantar ate as tantas com champanhe quando, há tempo para o bebe.... e tem sido assim até hoje... ou seja há todo um acumular. Eu gosto de estar com eles... eu quero fazer férias com eles... mas ao meu ritmo, não ao deles, ou então a um ritmo 50/50. O meu marido gosta de fazer férias com eles, se calhar até vou mais pelo marido que por mim. Porque sempre passei férias em familia só com pais e irmão, os meus pais nunca andaram com a familia toda atrás. Não é habito meu, mas da familia do meu marido pelos vistos já é. E eu não lhe nego isso.
Sou mais adepta de deixar o bebe passar férias com os avós, do que termos de ir todos. Posso partilhar férias, mas também gostava que fossem vividas comigo, em casal... mas claro, ao mesmo tempo gosto que os meus sogros vivam o momento. Mas eles não têm que sentir q eles também têm que fazer tudo. Porque não têm. Eles tiveram os filhos deles, eles viveram o momentodeles, eu quero viver o meu. o meu bebe vai fazer 8 meses, eu trabalho. Saiu cedo, deixo-o na creche ás 8.30h vou busca-lo as 18.30/19h e sinto que passa a correr. está a aprender a gatinhar. A minha sogra foi mae a tempo inteiro. Eu sinto que esta a passar tao rapido, e parece que não aproveito. Está a aprender a gatinhar, a comer..até a palrar e qlq dia a querer falar, eu quero participar nos momentos que posso estar 100% presente. e é nisso que penso. Não em quere-lo só para mim.
Os meus sogros e marido e irmão dele sempre passaram e fizeram tudo juntos, em familia com todos os avos atras, mas teem um ponto de diferença, a minha sogra e meu sogro comandavam tudo, o avo do meu marido e avó sempre foram por ir. Mas o meu sogro quer comandar. E na minha familia (nos 3), quem tem q comandar sou eu e meu marido. Apenas podemos proporcionar que eles participem. Depois de muito pensar acho que é mais assim que tem que ser.
Talvez de cabeça quente me tenha ficado presa à frase "vou abrir a praia com o francisco". Porque foi um momento de varios culminares de coisas. Se fosse agora, tinha relativizado, mas na altura caiu-me mal.
Eu vou aproveitar as ferias em familia, simplesmente vou deixar que os meus sogros participem, mas sao as minhas primeiras ferias em familia. Diferentes das ferias que eu imaginava ter em familia. porque nunca fiz ferias com pais e avós atras. Talvez estas sejam as primeiras e ultimas com avos atras, não sei.
Mas uma coisas é certa, deixarei sempre o meu filho ir passar uma semana de ferias com avos, foram sempre das minhas melhores ferias. Nunca o privarei de avós.

Fui uma criança que usufruiu bastante dos avós. Os meus pais trabalhavam muito, e eu passei muitas ferias nos avos, e digo é e foi a melhor coisa do mundo. E quero muito que o meu saiba o que é isso. Jamais, negarei isso ao meu filho nem o privarei. mas não quero que digam a minha frente q vão fazer isto ou aquilo, devem pedir, ou falar de outra forma. às vezes a forma como se diz as coisas faz toda a diferença.

Posto isto, obrigadaa todas, algumas fizeram muita diferença para eu me acalmar e ver as coisas de outra forma. Uma coisa que tenho vindo a aprender, desde que o meu bebé nasceu, é a não dar grande importância a certas coisas que são ditas, tanto comentários de familiares... mas às vezes ainda é dificil.

Obrigada a todas, desculpem o texto grande.

Sónia S. Silva -
Online
Desde 21 Set 2021

Querida Ana,
Que bom que foi ler o seu texto e perceber um pouco melhor a dinâmica, e que bom perceber também que levou os nossos conselhos com toda a naturalidade e sem o dramatismo ou acusações que algumas imaginaram...
É isso mesmo, relaxe agora. Pessoalmente, e depois de ler mais um pouco das circunstâncias, acho que o melhor seria mesmo fazerem férias onde pudessem estar só os 3. Talvez seja altura de conversar com o marido. Confesso que tb não gostaria de nunca passar tempo a sós, por muito que goste das pessoas. Se é assim, não adie muito, quanto mais depressa colocar os pontos nos is, mais fácil para todos. Sem drama. Desfrute agora! Beijinho

Sónia Silva