Discussão/bebé no quarto dos pais | De Mãe para Mãe

Discussão/bebé no quarto dos pais

Responda
84 mensagens
Alexandra_s -
Offline
Desde 26 Maio 2019

Olá meninas,
Preciso das vossas opiniões sobre um assunto que me está a deixar muito triste. Tenho uma bebé que fez recentemente 1 aninho, tinha a menina 4 meses já o meu marido dizia para a mudar para o quartinho dela, ora eu achei muito cedo e disse-lhe para esperarmos até pelo menos ter 1 ano. Eu sei que quanto mais cedo melhor, mas não me sinto nada preparada para isso, ela já não mama mas acorda duas, três vezes por noite e normalmente só precisa que lhe coloque a chupeta. O quarto não é própriamente ao lado e o meu receio é enorme. Agora que fez 1 ano voltou com a mesma insistência desta vez com uma escolha. Ou ficava ela no quarto ou ele. Pedi para esperarmos mais um pouco, a resposta dele foi silenciosa,nessa mesma noite foi dormir para o sofá e lá dorme já faz 3 dias,desde então está a fazer-me "o tratamento do silêncio". Só queria mais um pouco de compreensão... Esta situação está a deixar-me tão triste, não consigo parar de chorar, não consigo alimentar-me como deve ser. Estarei assim tão errada? Têm alguma experiência semelhante?
Obrigada desde já.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Comigo bem que podia fazer o tratamento do silêncio na boa, que era da maneira que era menos um a fazer barulho. Eu cada vez mais prezo muito o silêncio. Outra coisa que adoro é esticar-me na cama e não ter de ouvir alguém a ressonar durante a noite. Se fosse comigo, que fosse dormir para o sofá à vontade, só vejo vantagens.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Na minha opinião, um ano é uma excelente altura para passar a criança para a quarto dela. Provavelmente até vai passar a dormir melhor. Não concordo com a reação do seu marido, mas também não concordo com a sua intransigência neste assunto.

BagaLaranja -
Offline
Desde 02 Abr 2014

O tratamento do silencio deixa-me a mim furiosa, só me apetece berrar com o homem até o fazer berrar também. Odeio que me tratem assim. Se tiver alguma coisa a discutir que discuta, que apresente ideias, que diga o que pensa e sente, que proponha solucoes, que oica a minha parte. Agora virar as costas e nao falar nao. Isso é para criancas do infantário.
Voces tem 2 pontos de vista diferentes e tem de falar, ver o porque de se sentirem assim, e tentar arranjar uma solucao que sirva para os 2. Ignorar o outro nao é (pelo menos para mim) aceitável numa relacao.
Sei que nao é muito comum deixar as criancas no quarto dos pais, e quanto mais velhas menos comum. Mas há muita gente que deixa. Até bastante mais velhas. E há imensos motivos para isso. E nao tem problema nenhum, tem é de estar os 2 de acordo ou perceber quais os motivos da outra parte.

ClaraMiguel -
Offline
Desde 03 Nov 2013

Não é verdade que “quanto mais cedo melhor” no que toca a ter os bebés no quarto deles. Neste momento é recomendado que fiquem os primeiros 12 meses no quarto dos pais pelo que esta podia ter sido uma informação a dar ao seu marido para que ambos estivessem em sintonia neste assunto. A partir dos 12 meses, caberá ao casal ver o que é melhor.
Se o quarto não é perto do vosso e têm medo de não a ouvir, compre um intercomunicador, assim se ela chorar poderá ouvi-la sem problemas. Se o que a incomoda é levantar-se várias vezes por noite e ter de ir até ao quarto dela (a mim isto iria destabilizar-me muito mais o sono do que acordar e tê-la logo ali por isso compreendo) é preciso ver se esta tarefa lhe cabe só a si ou se o marido está disposto a levantar-se ele já que quer a filha no quarto dela mesmo acordando tantas vezes.
O seu marido tem razão num ponto: dizer para esperar mais um pouco é simplesmente vago. O que é mais um pouco? Mais um mês? Mais 6 meses? Mais um ano? É normal que espere compreensão da parte dele mas também deve compreendê-lo, tentar perceber as razões que o levam a não querer a bebé no vosso quarto e perceber que uma resposta vaga não é resposta. Deveriam sentar-se os dois e combinar uma altura para a mudança da bebé, chegar a um consenso.
Por outro lado, o tratamento de silêncio e o dormir no sofá é simplesmente ridículo. Por mim não cedia a isto, as coisas resolvem-se conversando e não com birrinhas deste género.

Joana123 -
Offline
Desde 31 Maio 2016

Se a Alexandra aos quatro meses disse que passaria a bebé para o quarto dela com um ano, eu também ficaria aborrecida no lugar do seu marido. Dito isto, o meu filho passou para o quarto dele muito cedo e só nos fez bem a todos, a ele que passou a dormir muito melhor (acordava com tudo) e a nós que voltámos a ter o nosso quarto e a descansar com mais tranquilidade. O quarto dele é ao lado do nosso, mas no início tinha sempre o intercomunicador na mesma, e depois passou a nem ser necessário porque quando precisava o miúdo fazia-se ouvir. Ou seja, percebo perfeitamente porque é que o seu marido ficou chateado. Não percebo é porque é que foi dormir para o sofá e andam há três dias nesse impasse tão tontinho, a chorar e sem comer... Falem, discutam e cheguem a um consenso, sabendo porém que o consenso irá obrigatoriamente desagradar a algum de vocês, aqui não há meias cedências e não podem pôr a miúda a dormir à porta: ou fica ou vai.

Maria_Papoila -
Offline
Desde 06 Fev 2015

Sansa escreveu:
Comigo bem que podia fazer o tratamento do silêncio na boa, que era da maneira que era menos um a fazer barulho. Eu cada vez mais prezo muito o silêncio. Outra coisa que adoro é esticar-me na cama e não ter de ouvir alguém a ressonar durante a noite. Se fosse comigo, que fosse dormir para o sofá à vontade, só vejo vantagens.

Oh yeah! ✌🏼

♥ Abril 2015 - Diagnóstico Falência Ovárica Precoce (29 anos - AMH 0,1)
♥ Julho 2015 - Inscrição p/DO
♥ Outubro 2015 - TEC (-)
♥ Dezembro 2015 - TEC (+)
♥ Maio 2018 - TEC (-)
♥ Dezembro 2018 - TEC (+)

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Eu não não acho que esteja errada, a minha filha tem 17 meses e dorme no nosso quarto. Tal como a sua menina, acorda algumas vezes durante a noite e pelas mesmas razões (chucha ou para que a tape). Ainda há dias o marido falou no assunto da transição, (aqui para nós também não me sinto preparada, não é só preguiça) mas como ele dorme que nem uma rocha e nem sequer ouve a miúda chorar ao lado, usei esse argumento. Disse-lhe que depois ia sobrar sempre para mim andar a correr para o quarto da miúda, lá me disse que teriamos de ir à vez e iamos comprar um intercomunicador mas eu lá vou empatando a coisa 🙂 relativamente ao silêncio do seu marido, daqui a pouco passa-lhe a birra (quando tiver dores no corpo do sofá). Esta é apenas a minha visão do assunto mas sou severamente criticada por ter a miúda ainda a dormir no nosso quarto (a minha mãe então...).

Isabelamartinho -
Offline
Desde 17 Jan 2018

Olá por aqui o meu dorme desde os 6 meses no quarto dele mas é ao lado do nosso, oiço o sempre, foi o melhor para todos nós

Alexandra1981 -
Offline
Desde 18 Maio 2009

guialmi escreveu:
Na minha opinião, um ano é uma excelente altura para passar a criança para a quarto dela. Provavelmente até vai passar a dormir melhor. Não concordo com a reação do seu marido, mas também não concordo com a sua intransigência neste assunto.

Partilho a mesma opinião!!

Alexandra1981 -
Offline
Desde 18 Maio 2009

ClaraMiguel escreveu:
Não é verdade que “quanto mais cedo melhor” no que toca a ter os bebés no quarto deles. Neste momento é recomendado que fiquem os primeiros 12 meses no quarto dos pais

Recomendado por quem? 🤔

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Alexandra1981 escreveu:

ClaraMiguel escreveu:Não é verdade que “quanto mais cedo melhor” no que toca a ter os bebés no quarto deles. Neste momento é recomendado que fiquem os primeiros 12 meses no quarto dos pais

Recomendado por quem? 🤔

Presumo que esteja relacionado com o síndrome de morte súbita. Há estudos sobre isso.

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

que grande insensibilidade da parte dele.

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

Apesar de pertencer à turma das que ficam felizes do marido ir dormir para o sofá ✌🏻😃 ( mas no nosso caso sem discussões, só mesmo para dormirmos melhor em fases caóticas), concordo com a Clara Miguel , seriam essas as minhas palavras para si.
O meu filho mais velho só passou aos 18 meses e gostei do timing

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

fmmartins escreveu:
Eu não não acho que esteja errada, a minha filha tem 17 meses e dorme no nosso quarto. Tal como a sua menina, acorda algumas vezes durante a noite e pelas mesmas razões (chucha ou para que a tape). Ainda há dias o marido falou no assunto da transição, (aqui para nós também não me sinto preparada, não é só preguiça) mas como ele dorme que nem uma rocha e nem sequer ouve a miúda chorar ao lado, usei esse argumento. Disse-lhe que depois ia sobrar sempre para mim andar a correr para o quarto da miúda, lá me disse que teriamos de ir à vez e iamos comprar um intercomunicador mas eu lá vou empatando a coisa 🙂 relativamente ao silêncio do seu marido, daqui a pouco passa-lhe a birra (quando tiver dores no corpo do sofá). Esta é apenas a minha visão do assunto mas sou severamente criticada por ter a miúda ainda a dormir no nosso quarto (a minha mãe então...).

a minha dorme no nosso quarto, mas isso não está aberto para discussão nem à família nem aos amigos! é um assunto da casa. Não entendo como é que pode ser criticada por isso, pediu a opinião dos outros? se eles criticam.é porque dá aos outros informação de que eles não precisam, pois não sabem estar calados

aries23 -
Offline
Desde 18 Jul 2016

Muitas vezes os homens que querem isso são quem mal acordam à noite. Triste Isso irrita-me porque muitas vezes as mulheres que não querem mudar os seus filhos já é porque eles ainda acordam durante a noite e estar perto ajuda. Passei praticamente 2 anos a dormir mal e essa falta de compreensão a favor da intimidade do casal, que é muitas vezes a razão, chateia-me. Se fosse para uma tentativa de todos dormirem melhor ainda é compreensível. Agora se a mulher apenas está a facilitar essa árdua tarefa nocturna, e ainda é exigida ter as coisas mais difíceis, só para aquele companheiro que sempre dormiu como uma pedra possa ter mais satisfação, então o que é que esse companheiro faz para aliviar a sua mulher? Levantar-se durante a noite até ao outro quarto para que ela possa dormir?

Para esses casos onde a questào é a intimidade nào percebo. A intimidade também se constrói quando o homem partilha a dor do casal e faz sacrifícios, já que os sacrifícios da mulher muitas vezes são muitos. E para além da intimidade emocional, intimidade física também existe fora da cama. Careta Sejam criativos!

No meu caso tentei mudar o nosso filho para o seu quarto antes de um ano. Foi desastroso, e eu com a privação acumulada e arrastar até ao quarto do bebé? Mas que tortura é essa?
O que fiz depois foi mudar-me para o quarto dele também. O meu marido teve que compreender pois tem sido eu quem cuidava do nosso filho à noite. E ele bem compreendeu quando eu não aguentei muito mais e ele começou a ser acordado para me ajudar a acalmar o nosso filho. Agora temos partilhado, embora ele tem dormido as noites todas a não ser quando está com algum incómodo.

Os casais devem falar sim, mas há que haver compreensão e apoio mais para quem sacrifica mais. E a falta de qualidade do sono é um enorme sacrifício.

Se o meu marido tivesse vindo com a história da intimidade do casal eu ressentiria muito porque demonstra egoismo e falta de apoio quando eu andei a penar todas as noites para que ele não sofra do mesmo. Acho que querer fazer isso para tentar ver se todos dormem melhor é mais válida.

Não sei qual a razào aqui mas espero que o marido também partilha as responsabilidades nocturnas.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Marina4 escreveu:

fmmartins escreveu:Eu não não acho que esteja errada, a minha filha tem 17 meses e dorme no nosso quarto. Tal como a sua menina, acorda algumas vezes durante a noite e pelas mesmas razões (chucha ou para que a tape). Ainda há dias o marido falou no assunto da transição, (aqui para nós também não me sinto preparada, não é só preguiça) mas como ele dorme que nem uma rocha e nem sequer ouve a miúda chorar ao lado, usei esse argumento. Disse-lhe que depois ia sobrar sempre para mim andar a correr para o quarto da miúda, lá me disse que teriamos de ir à vez e iamos comprar um intercomunicador mas eu lá vou empatando a coisa 🙂 relativamente ao silêncio do seu marido, daqui a pouco passa-lhe a birra (quando tiver dores no corpo do sofá). Esta é apenas a minha visão do assunto mas sou severamente criticada por ter a miúda ainda a dormir no nosso quarto (a minha mãe então...).

a minha dorme no nosso quarto, mas isso não está aberto para discussão nem à família nem aos amigos! é um assunto da casa. Não entendo como é que pode ser criticada por isso, pediu a opinião dos outros? se eles criticam.é porque dá aos outros informação de que eles não precisam, pois não sabem estar calados

Mas as críticas não me afetam minimamente porque não são essas pessoas que passam as noites com a minha filha e acordam com ela a chorar para simplesmente meter-lhe a chucha.

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

aries23 escreveu:
Muitas vezes os homens que querem isso são quem mal acordam à noite. Isso irrita-me porque muitas vezes as mulheres que não querem mudar os seus filhos já é porque eles ainda acordam durante a noite e estar perto ajuda. Passei praticamente 2 anos a dormir mal e essa falta de compreensão a favor da intimidade do casal, que é muitas vezes a razão, chateia-me. Se fosse para uma tentativa de todos dormirem melhor ainda é compreensível. Agora se a mulher apenas está a facilitar essa árdua tarefa nocturna, e ainda é exigida ter as coisas mais difíceis, só para aquele companheiro que sempre dormiu como uma pedra possa ter mais satisfação, então o que é que esse companheiro faz para aliviar a sua mulher? Levantar-se durante a noite até ao outro quarto para que ela possa dormir?
Para esses casos onde a questào é a intimidade nào percebo. A intimidade também se constrói quando o homem partilha a dor do casal e faz sacrifícios, já que os sacrifícios da mulher muitas vezes são muitos. E para além da intimidade emocional, intimidade física também existe fora da cama. Sejam criativos!
No meu caso tentei mudar o nosso filho para o seu quarto antes de um ano. Foi desastroso, e eu com a privação acumulada e arrastar até ao quarto do bebé? Mas que tortura é essa?
O que fiz depois foi mudar-me para o quarto dele também. O meu marido teve que compreender pois tem sido eu quem cuidava do nosso filho à noite. E ele bem compreendeu quando eu não aguentei muito mais e ele começou a ser acordado para me ajudar a acalmar o nosso filho. Agora temos partilhado, embora ele tem dormido as noites todas a não ser quando está com algum incómodo.
Os casais devem falar sim, mas há que haver compreensão e apoio mais para quem sacrifica mais. E a falta de qualidade do sono é um enorme sacrifício.
Se o meu marido tivesse vindo com a história da intimidade do casal eu ressentiria muito porque demonstra egoismo e falta de apoio quando eu andei a penar todas as noites para que ele não sofra do mesmo. Acho que querer fazer isso para tentar ver se todos dormem melhor é mais válida.
Não sei qual a razào aqui mas espero que o marido também partilha as responsabilidades nocturnas.

👏👏👏

anaritateixeira -
Offline
Desde 20 Jun 2014

Olhe faça o que o seu coração diz e o que voce acha melhor. Mas deve sem duvida discutir o assunto com o marido tambem. Posso lhe dizer que tenho um filho com 4anos e 4meses e ainda dorme no meu quarto, na sua cama claro, e não há qualquer problema. No meu caso tem mesmo que ser pois ainda não tenho uma casa com um quarto so para ele, se tivesse um quarto so para ele, sim ja dormiria la. Pode sempre comprar um intercomunicador de video assim pode ver e ouvir o seu filho, ou então esperar mais um pouco ate o mudar para o quarto dele, talvez quando já dormir a noite toda sem acordar. Pode ouvir sempre opinioes mas faça o que achar que é melhor para si e o que o seu coração diz, e não faço so porque os outros estao a dizer para fazer. Posso lhe dar outro exemplo, que ate ja fiz posts aqui no forum sobre isso. Como ja disse o meu filho tem 4anos e 4 meses, e ainda esta em casa comigo, por opção minha mesmo, e estava na duvida se o punha ou nao no jardim de infancia este ano ou so para o proximo ja com os 5 anos feitos. Como é obviu pode ser um pouco tarde. Depois de muito ler e pensar e ouvir opinioes, opinioes essas que dizem para o por no jardim de infancia este ano, e que ate ja devia ter posto antes, decidi po lo no jardim de infancia so para o ano, por vontade minha e do pai, e porque acho melhor assim por outros motivos. E pronto é isto que vou fazer porque quero e acho o melhor neste momento. Aceito a opiniao dos outros, mas não faço o que dizem, faço sim o que eu quero e o que o meu coração diz. Sorriso

CatiaS_S -
Offline
Desde 30 Set 2016

Eu ao início também tinha ideia de o passar para o quarto dele muito mais cedo do que o que passei. Simplesmente percebi que era um bebé que sempre precisou de muita atenção durante a noite e como eu é que tinha de ir fazer "piscinas", ficou decidido que o mudava quando EU me sentisse preparada .
Foi agora no início da primavera, que ele já anda a fazer sonos maiores, já se habituou ao biberon e já o consigo adormecer só com colo caso não tenha fome (sim, coisas que antes dos 14 meses não conseguia fazer, era só mama). Se melhorou o sono? Não, exatamente igual. Mas pelo menos já não está frio xD. Mas eu tenho a sorte do quarto ser logo aqui ao lado e também comprei um intercomunicador. Ah, e também tenho uma cama no quarto dele caso precise de passar cá a noite
Siga o conselho das outras mães, conversem, apresente os seus pontos de vista, ouça os dele e tentem encontrar soluções. Que corra tudo bem.

Sobre CatiaS_S

Agosto 2016: Vamos tentar ter um filhote!
Set-Out 2016: Consultas, exames, análises; Folicil e Yodafar
Novembro 2016: Começam os treinos
10 Maio 2017: Positivo ao 5º ciclo Espertalhão
DPP: 11 Janeiro.....e se não quiser nascer, indução marcada para dia 17...
http://outroblogsobrematernidade.blogspot.pt/

CatiaS_S -
Offline
Desde 30 Set 2016

(ok, início da primavera em termos de bom tempo, vendo bem as coisas foi no início de Maio e isso já é meio da primavera xD xD )

Sobre CatiaS_S

Agosto 2016: Vamos tentar ter um filhote!
Set-Out 2016: Consultas, exames, análises; Folicil e Yodafar
Novembro 2016: Começam os treinos
10 Maio 2017: Positivo ao 5º ciclo Espertalhão
DPP: 11 Janeiro.....e se não quiser nascer, indução marcada para dia 17...
http://outroblogsobrematernidade.blogspot.pt/

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Alexandra1981 escreveu:

guialmi escreveu:Na minha opinião, um ano é uma excelente altura para passar a criança para a quarto dela. Provavelmente até vai passar a dormir melhor. Não concordo com a reação do seu marido, mas também não concordo com a sua intransigência neste assunto.

Partilho a mesma opinião!!


Já é mãe?

Desde 24 Maio 2017

aries23 escreveu:
Muitas vezes os homens que querem isso são quem mal acordam à noite. Isso irrita-me porque muitas vezes as mulheres que não querem mudar os seus filhos já é porque eles ainda acordam durante a noite e estar perto ajuda. Passei praticamente 2 anos a dormir mal e essa falta de compreensão a favor da intimidade do casal, que é muitas vezes a razão, chateia-me. Se fosse para uma tentativa de todos dormirem melhor ainda é compreensível. Agora se a mulher apenas está a facilitar essa árdua tarefa nocturna, e ainda é exigida ter as coisas mais difíceis, só para aquele companheiro que sempre dormiu como uma pedra possa ter mais satisfação, então o que é que esse companheiro faz para aliviar a sua mulher? Levantar-se durante a noite até ao outro quarto para que ela possa dormir?
Para esses casos onde a questào é a intimidade nào percebo. A intimidade também se constrói quando o homem partilha a dor do casal e faz sacrifícios, já que os sacrifícios da mulher muitas vezes são muitos. E para além da intimidade emocional, intimidade física também existe fora da cama. Sejam criativos!
No meu caso tentei mudar o nosso filho para o seu quarto antes de um ano. Foi desastroso, e eu com a privação acumulada e arrastar até ao quarto do bebé? Mas que tortura é essa?
O que fiz depois foi mudar-me para o quarto dele também. O meu marido teve que compreender pois tem sido eu quem cuidava do nosso filho à noite. E ele bem compreendeu quando eu não aguentei muito mais e ele começou a ser acordado para me ajudar a acalmar o nosso filho. Agora temos partilhado, embora ele tem dormido as noites todas a não ser quando está com algum incómodo.
Os casais devem falar sim, mas há que haver compreensão e apoio mais para quem sacrifica mais. E a falta de qualidade do sono é um enorme sacrifício.
Se o meu marido tivesse vindo com a história da intimidade do casal eu ressentiria muito porque demonstra egoismo e falta de apoio quando eu andei a penar todas as noites para que ele não sofra do mesmo. Acho que querer fazer isso para tentar ver se todos dormem melhor é mais válida.
Não sei qual a razào aqui mas espero que o marido também partilha as responsabilidades nocturnas.

É isto! 👌

Desde 24 Maio 2017

Sansa escreveu:
Comigo bem que podia fazer o tratamento do silêncio na boa, que era da maneira que era menos um a fazer barulho. Eu cada vez mais prezo muito o silêncio. Outra coisa que adoro é esticar-me na cama e não ter de ouvir alguém a ressonar durante a noite. Se fosse comigo, que fosse dormir para o sofá à vontade, só vejo vantagens.

Tu és demais! 😂

PatríciaASC -
Offline
Desde 30 Mar 2018

Fico um pouco mais aliviada por saber que não sou nenhum bicho pela minha atitude. Sempre fui eu que me levantei para a acalmar atendendo também que o meu marido tem um trabalho bastante cansativo, eu compreendo e não me importo, mas desta forma parece que não está a pensar no meu bem estar, pois ao mudá-la iria ter noites muito menos descansadas. Agora basta esticar o braço, meter-lhe a chucha e fica novamente a dormir. Não mencionei no primeiro comentário mas o meu marido daqui a poucos dias vai começar a fazer horário nocturno ou seja passarei a dormir sozinha. Tem lógica esta pressa toda se nem sequer vai estar lá de noite?!

Alexandra_s -
Offline
Desde 26 Maio 2019

PatríciaASC escreveu:
Fico um pouco mais aliviada por saber que não sou nenhum bicho pela minha atitude. Sempre fui eu que me levantei para a acalmar atendendo também que o meu marido tem um trabalho bastante cansativo, eu compreendo e não me importo, mas desta forma parece que não está a pensar no meu bem estar, pois ao mudá-la iria ter noites muito menos descansadas. Agora basta esticar o braço, meter-lhe a chucha e fica novamente a dormir. Não mencionei no primeiro comentário mas o meu marido daqui a poucos dias vai começar a fazer horário nocturno ou seja passarei a dormir sozinha. Tem lógica esta pressa toda se nem sequer vai estar lá de noite?!

Não achem estranho o nome do utilizador estar diferente. Esta era uma conta antiga que tinha e hoje consegui recuperá-la. Mas para não ficar confuso vou passar a utilizar a nova.

Ifam -
Offline
Desde 04 Set 2015

Pediu para esperar mais um pouco mas argumentou, justificou, debateu? Ou ficaram só por aí? Não concordo nada com a atitude dele mas acho que é algo que tem de ser decidido pelos dois e sendo que por ele já teriam mudado a menina há muito tempo, já houve uma cedência da parte dele...No meu caso mesmo o meu filhote acordar de hora em hora, duas em duas horas, até fazer 2 anos, mudámos para o quarto dele aos 10 meses, fazendo parte de uma tentativa de ver se ele dormia melhor, que não resultou, mas já não voltei atrás, até porque mesmo sendo eu a fazer piscinas entre os 2 quartos toda a noite, não porque o pai não quisesse alternar mas porque eu acordava na mesma e comigo ele acalmava mais depressa, apesar de tudo era melhor para mim ir lá eu, e pelo menos dormia nos intervalos, com ele no nosso quarto, eu não dormia ponto, ele mexia-se imenso, estava sempre a bater nas grades e eu não conseguia descansar nada.. Voltou ao nosso quarto esporadicamente quando estava mais doente e contam-se pelos dedos de uma mão as noites que dormiu na nossa cama, eu também sou das que não se importa nada do marido dormir no sofá de vez em quando para ficar com a cama só para mim, muito menos concebo as minhas noites com o meu filho às cambalhotas e em cima de mim o tempo todo!Também acho que não se prende necessariamente com intimidade, isso não se restringe ao quarto, mas o resto da casa já está por conta do filhote, os brinquedos espalhados na sala, as tvs 80% do tempo no Panda, para mim é quase como se o nosso quarto fosse a unica divisão adulta, é como se fosse o nosso retiro.. Mas isto é um assunto mesmo muito pessoal de cada família, de cada casal, só acho é que tem de ser bem conversado e que a vida do casal já muda tanto com a chegada de um bébé, já dedicamos tanta da nossa atenção aos filhotes, que nos esquecemos da relação, e eu fiz muito isso e estou agora a tentar que não volte a acontecer e a aprender a ceder um pouco mais... E porque não experimenta umas noites, até pode correr bem e a sua filhota dormir melhor, há tantos relatos de crianças que começaram a dormir melhor... Se não resultar volta a conversar com o marido, explica que não está a resultar e que se ele nem vai estar em casa à noite que não faz sentido fazê-la passar por isso...

Desde 13 Set 2012

Bom dia!

É pá essa tortura do silêncio eu tb conheço. Não pelas mesmas razões, mas o meu marido tb gosta muito dessa estratégia. Azar o dele porque, quando fica calado, eu calada fico e sigo em diante, até que ele começa a fazer asneiradas umas atrás das outras e o caldo entorna de vez. Aí surge a discussão e a solução! parecem crianças gigantes! credo, não há pachorra!

Mas bom, relativamente às crianças, elas são responsabilidade de ambos e sobre tudo o que as envolve há que conversar e até discutir, se for o caso. Não permita esse silêncio durante demasiado tempo. Se ele não avança, avance você. Exponha os seus argumentos e ouça os dele. É importante. Alguém terá que ceder. Se é bom ou mau manter a menina no vosso quarto, levaria a uma discussão diferente. Ela já tem 12 meses e por isso acho que pelo menos valeria a pena tentar a mudança e, caso não resultasse, nada vos impede de retroceder. Não vejo nenhum motivo para criticar pais que mantêm filhos nos quartos até tarde e também não vejo motivo para criticar quem os mude bem cedo. é tudo uma questão de dinâmica familiar e quanto a isto ninguém de fora tem nada com isso. A minha opinião obviamente é apenas isso: a minha opinião. Acho que é saudável mudar os miúdos para o próprio espaço e existem muitos argumentos que legitimam esta atitude. O momento em que esta mudança é feita pode variar, mas 12 meses parece-me razoável. Uns poderão conseguir e outros não, mas sem testar não dá para saber. Você na verdade combinou algo com o marido. Se não se sente preparada para cumprir, tem que falar com ele e reajustarem os ponteiros. Sinceramente, não me parece nada um motivo suficientemente forte para gerar rupturas prolongadas.

Tenho 2 filhos. A miúda já tem 14 anos e mudei-a para o quarto dela aos 12 meses. Foi excelente, para nós e para ela, pois passou a dormir melhor e nós também! Acho que na verdade nos acordávamos uns aos outros. Ela sempre dormiu bem mas tinha e tem um sono agitado, desassossegado, com muito movimento e sons. eu tenho um sono leve e acordava frequentemente por razão nenhuma. quando a mudámos de quarto mantivemos o intercomunicador por um tempo mas depois não foi preciso. Correu lindamente. 9 anos mais tarde nasceu o pequeno e, pronto, ficou no nosso quarto até aos 4 anos! Não, não foi porque mudei de ideias, mas sim porque não tinha mesmo era quarto para ele! Confesso que não me incomodou porque o pequeno Duarte sempre dormiu a noite toda e mais calmo, bem mais calmo que a irmã. Incomodava-me a falta de espaço, ter o quarto muito cheio e, também, o facto de, aos 4 anos, ele realmente precisar do espaço dele para brincar. Entretanto mudámos de casa e eu tive algum receio dele ter dificuldades para se adaptar a uma nova casa e a um quarto sozinho pela primeira vez, mas tal não se confirmou. Adorou a casa nova e o quarto novo, pois tem montes de espaço para brincar e para guardar brinquedos. Por isso, independentemente do que está recomendado pela OMS, a verdade é que os miúdos se adaptam. É preciso que os adultos cuidadores, pais ou outros, encontrem sintonia para que os miúdos se sintam seguros. Se o seu coração não está preparado para a mudança, precisa de falar sobre isso com o seu marido. quanto a manter os meninos no quarto dos pais, deixo aqui um artigo de opinião escrito por Rita Ferro Rodrigues. Aos quase 6 anos, o meu pequeno Duarte, ainda faz curtos périplos pela madrugada, não é sempre, mas de vez em quando lá faz, à procura do pó de amor presente na minha almofada. Se isso me incomoda? Nem um pouco!

A cama dos pais tem um íman e cá para mim (ninguém me convence do contrário) tem uma magia soporífera, um misterioso pó de amor impregnado nas almofadas, que faz com que os filhos adormeçam imediatamente e que o pior dos pesadelos, o mais trepidante terror nocturno, fuja a sete pés.

Na cama dos pais, o último refúgio dos medos, a paz é absoluta e total.

Ali chegam, levados por pais extenuados e vencidos, ou pelo seu próprio pé, transpirados e assustados, passarinhos a voar de noite aos encontrões pelos corredores da casa, até chegarem ao lugar dos lugares. Dois colos com lençóis macios e o cheiro dos progenitores. Caem que nem tordos a dormir, apaziguados.

Os pais fingem que se importam, na manhã seguinte: «Lá foste tu para a nossa cama! Quando é que aprendes a ultrapassar os medos e a dormir sozinho? Tens de crescer!», mas nem olham muito nos olhos dos filhos quando dizem estas coisas, com medo de que eles descubram que naquele breve regresso ao ninho, ao berço inicial, os pais se enchem de amor e ternura e também eles se confortam nas suas inquietações.

Um pescoço morno. Uma mãozinha gorducha no nosso cabelo. Um pé de regresso à costela da mãe. A respiração tranquila na fronha partilhada.

O desejo secreto de que o ninho fique assim para sempre. E que a manhã demore muito a chegar.

Que o misterioso pó de amor das almofadas preserve para sempre estas excursões nocturnas de mimo que não são mais do que um inteligente prenúncio, de uma saudade imensa, dos melhores dias desta vida.

Beijinhos e tudo de bom!

SMSantos

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Sansa escreveu:

Alexandra1981 escreveu:
guialmi escreveu:Na minha opinião, um ano é uma excelente altura para passar a criança para a quarto dela. Provavelmente até vai passar a dormir melhor. Não concordo com a reação do seu marido, mas também não concordo com a sua intransigência neste assunto.

Partilho a mesma opinião!!

Já é mãe?


A pergunta não será para mim, mas considerando que a Alexandra apenas concordou com o que eu disse, porquê a dúvida de ser ou não mãe? Uma mãe "a sério" não pode/deve ter a mesma opinião que eu?

Ns -
Offline
Desde 08 Fev 2008

guialmi escreveu:

Sansa escreveu:
Alexandra1981 escreveu:
guialmi escreveu:Na minha opinião, um ano é uma excelente altura para passar a criança para a quarto dela. Provavelmente até vai passar a dormir melhor. Não concordo com a reação do seu marido, mas também não concordo com a sua intransigência neste assunto.

Partilho a mesma opinião!!

Já é mãe?

A pergunta não será para mim, mas considerando que a Alexandra apenas concordou com o que eu disse, porquê a dúvida de ser ou não mãe? Uma mãe "a sério" não pode/deve ter a mesma opinião que eu?

Eu tenho Sorriso acho que até um ano já um bocado tarde, eles com um ano já tem mais consciencia e já começam a sentir mais a separação, os meus passaram a dormir muito melhor depois que os mudei, mas no meu caso era o meu marido a querer que eles ficassem durante mais tempo no quarto Sorriso

Déinha_89 -
Offline
Desde 11 Ago 2009

Realmente ás vezes sinto que lá por casa somos uma família completamente disfuncional!
O meu filho tem 5 anos, faz os 6 em novembro e sim, ainda dorme no nosso quarto. por várias e determinadas razões, mas uma delas pelo facto de o quarto dele ser no r/c e o nosso no primeiro andar, provavelmente será isto uma desculpa, sim provavelmente é. também podem dizer, ah e tal porque é que não metes um intercomunicador, não meto porque não dá, nenhum tem alcance! O miúdo dorme toda a noite, sim sempre dormiu e depois? lá por ele dormir eu tenho que estar em stress porque posso não o ouvir ou porque ele pode acordar e meter-se escada a cima e cair etc etc.
Eu acho que cada vez mais todo o mundo tem uma opinião sobre o que se passa entre 4 paredes de cada família. Na minha casa vivemos bem assim, não é motivo de stress e muito menos o meu marido faria uma birra por isso. O seu deu razões para isso? como podem ver em nada nos impede de termos uma vida normal enquanto casal (por sinal estou grávida novamente) e garantidamente que o meu filho não presencia coisa nenhuma!
Já está decidido EM FAMILIA, mãe, pai e filho que antes da mana nascer vamos todos mudar de quarto, o miúdo passará para o quarto dele e da mana e a mãe e o pai vão para o quarto ao lado. Sem assim causar stress a ninguém.
Acho que cada família se deve adaptar à sua realidade, ao seu bem estar e à sua forma de viver em família e que isso não deve ter regras iguais para cada casa.
Mas é só a minha opinião!
Acho que não devem entrar nesse stress todo mas sim, conversar sobre esse motivo de discórdia!
um beijinho

Outros tópicos relacionados

expectoraçao
mamas a minha bebe ao chorar pareçe k noto um barulho estranho,pareçe o som da expectoraçao solta,sera possivel?ela e pequenina,o k acham?
mamas com placenta anterior/27s
mamas eu tou com 27 semanas e tenho a placenta anterior,foi me dito k os movimentos da leonor foram sentidos mais tarde(21s e 4d)por causa da placenta...e quando a sinto os movimentos sao mto levezinhos...nesta altura já nao deveria tar a sentir uns...
bolsa estourou?
mamas experientes,não sei ao certo o k aconteceu,mas vou contar p ter uma opiniao vossa...durante a noite acordei a largar um liquido da vagina,em pouca quantidade daria sei lá 4 colheres de sopa...acordei o namorido a dizer k a placenta tinha...
21 semanas e 4 dias
olá mamas...gostava de ter a vossa opiniao em relaçao a eco morfologica...sugeria k as mamas k tivessem a mesma idade gestacional da minha leonor partilhassem os resultados das ecos...e comentassem... diam.biparietal 4.9cm peri.cefalico 18.9 cm comp...
papel/faixa decorativa
Olá mamãs...sou novata nestes assuntos gostaria de ter a vossa opinião em relação a papel de parede ou até mesmo faixas decorativas...tou grávida de 18 semanas da minha Leonor,e já começo a pensar em montar o quarto dela... sou da zona de aveiro....
Diário de gravidez
Olá mamas... Alguma mãe se lembrou de fazer um diário de gravidez,enquanto passa por esta fase tão bonita?A contar todo o tipo de experiencias k passou desde o dia em k soube k engravidou até ao nascimento? gostaria de saber as vossas opinioes...e...

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?