Depressão na criança | De Mãe para Mãe

Depressão na criança

Responda
19 mensagens
Soraiafefausto -
Offline
Desde 03 Ago 2022

Olá mães espero que estejam bem. Então é assim os meus filhos de 15 e 13 anos estão sempre infelizes por mais que eu faça de ir passear com eles, de brincar com eles, eles nunca se riem, dizem que não lhes interessa viver e eu não sei o que fazer, quarta feira tenho consulta no médico de família para ver o que posso fazer. Eu sei que é das idades mas não acho normal. Alguma mãe que já passou por isso que me possa dar umas luzes por favor muito obrigada

Mia. -
Offline
Desde 12 Set 2013

Já conversou com cada um deles sobre aquilo que sentem? Há espaço para se poderem partilhar sentimentos e preocupações, sem crítica nem julgamento?

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

Eu com essa idade não queria andar com os meus pais, andava sempre de trombas porque tinha de andar atrás deles... só para lhe dar outra perspectiva..

soniamst -
Online
Desde 22 Dez 2016

Infelizmente cada vez mais isso acontece, sentam-se num canto e passam ali o tempo todo sem dirigir a palavra a ninguém. A minha sobrinha de 13 anos é assim, a filha de um primo do meu marido de 15 anos igual, esta ultima fomos a um casamento e desde que se sentou à mesa não se levantou mais dali durante todo o banquete. Confesso que me faz confusão, mas de um modo geral cada vez estão mais agarrados ao telemovel e aos jogos on-line. Não conheço como serão dentro da escola e o relacionamento com os colegas.
Faz bem em levá-los a uma consulta, provavelmente o médico irá sugerir irem a um psicólogo.
Hoje em dia os miudos tem tudo de mão beijada e não dão valor a nada.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Confesso que o título me deixou intrigada...com 13 e 15 anos são adolescentes, não crianças,...brincar com eles? acredito que seja uma força de expressão mas é importante reconhecer que a infância passou e os desafios agora são outros. O fundamental agora é a comunicação, deixar todos os caminhos para o diálogo abertos, ouvir sem julgar.
Como é o comportamento deles com os amigos e na escola? Isolam-se?

Mag_M -
Offline
Desde 13 Jul 2018

Olá mãe. Acredito que deva estar preocupada com os seus filhos. Há duas coisas no seu testemunho que me chamaram a atenção: uma, o facto de serem adolescentes e estarem numa fase de natural isolamento dos pais e maior proximidade aos seus pares. Isso é expectável. A outra, o dizerem que não lhes interessa viver.... essa é outra conversa. Pode ser um exagero deles, ou até uma forma sua de escrever, mas aqui já mexemos com outras emoções.
O facto de verbalizarem isso é positivo.
As perguntas da Guialmi são muito importantes. Como é o comportamento deles com os amigos? Na escola?
Talvez haja ou não motivo de preocupação, eu ficaria atenta.

carlaper -
Offline
Desde 11 Out 2011

A parte preocupante é quando diz que não lhes interessa viver. Acho perfeitamente normal não quererem sair consigo e que qql programa em família seja uma seca e estejam sempre de trombas. Passo pelo mesmo e a minha ainda só tem 10 anos.
O que fazem eles durante o dia? Há de haver alg coisa que os motive. E como são dois e de idades próximas, não se entretêm os dois, não se dão bem?

carlaper -
Offline
Desde 11 Out 2011

soniamst escreveu:
Infelizmente cada vez mais isso acontece, sentam-se num canto e passam ali o tempo todo sem dirigir a palavra a ninguém. A minha sobrinha de 13 anos é assim, a filha de um primo do meu marido de 15 anos igual, esta ultima fomos a um casamento e desde que se sentou à mesa não se levantou mais dali durante todo o banquete. Confesso que me faz confusão, mas de um modo geral cada vez estão mais agarrados ao telemovel e aos jogos on-line. Não conheço como serão dentro da escola e o relacionamento com os colegas.
Faz bem em levá-los a uma consulta, provavelmente o médico irá sugerir irem a um psicólogo.
Hoje em dia os miudos tem tudo de mão beijada e não dão valor a nada.

Há 30 anos não era diferente, pq eu também era assim, as secas que eu apanhava nos casamentos ( o meu.pai conhecia muita gente, então os meses de verão era casórios com fartura), um telemóvel tinha dado bastante jeito:D

JustLove -
Offline
Desde 20 Jun 2016

Eu c essa idade não andava c os meus pais só obrigada tipo as férias.....lembro me bem de levar os meus phones c um leitor de cassetes para nem ouvir as músicas dos meus pais. Ah e as secas das férias que pareciam não ter fim quando estava apenas c os pais e irmã.
Quanto à situacão em si não posso ajudar mas se calhar eles já nao querem ir brincar mas sim sair c amigos/amigas. O não querer viver é de facto uma afirmação preocupante,já o não quererem andar com a mãe é normal.

Sobre JustLove

Iiu / 4 fivs sem sucesso
G não evolutiva
G natural  Maio 2017 AE 9 sem
G natural Agosto 2017 AR 9 sem
fiv +++ bhcg 2000

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

Pois, para.mim , os.cassamentos e outras ocasiões onde tivesse de fazer conversa com tios etc era um suplício..e não havia telemóveis

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

soniamst escreveu:
Infelizmente cada vez mais isso acontece, sentam-se num canto e passam ali o tempo todo sem dirigir a palavra a ninguém. A minha sobrinha de 13 anos é assim, a filha de um primo do meu marido de 15 anos igual, esta ultima fomos a um casamento e desde que se sentou à mesa não se levantou mais dali durante todo o banquete. Confesso que me faz confusão, mas de um modo geral cada vez estão mais agarrados ao telemovel e aos jogos on-line. Não conheço como serão dentro da escola e o relacionamento com os colegas.
Faz bem em levá-los a uma consulta, provavelmente o médico irá sugerir irem a um psicólogo.
Hoje em dia os miudos tem tudo de mão beijada e não dão valor a nada.

Isto demonstra um profundo desconhecimento sobre a adolescência.

fmmartins -
Offline
Desde 14 Dez 2016

Com a idade deles lembro-me de preferir ficar em casa ao domingo com 30 graus a ir à praia com os meus pais e não tínhamos uma má relação.

Marina4 -
Offline
Desde 15 Maio 2016

fmmartins escreveu:
Com a idade deles lembro-me de preferir ficar em casa ao domingo com 30 graus a ir à praia com os meus pais e não tínhamos uma má relação.

Eu igual

Soraiafefausto -
Offline
Desde 03 Ago 2022

Olá mães espero que estejam bem, para mim eles claro que vão ser sempre crianças, sabendo que são adolescente. Mas o motivo para eu vos pedir conselhos é mesmo de que não sei o que fazer, eles na escola, ele por exemplo é horrível, não faz testes só mete o nome e data, rasga os livros e cadernos, parte canetas e lapis. Responde me mal, da murros na mesa e cama para não me dar a mim. Grita comigo. E eu estou a pagar a ele a psicóloga aos sábados. Ela ajuda me em casa sim, na escola ela esforça se apesar dela ter a auto estima em baixo ela não se arranjar, não quer se pentear, não quer tomar banho tenho eu que mandar, anda sempre de preto roupa. E não se ri, e quando eu falo de brincadeiras é jogar com eles termos tema de conversa, plantar ir á praia essas brincadeiras assim. obrigada a todas por terem participado muito obrigada

Mag_M -
Offline
Desde 13 Jul 2018

Soraia, mas como é que está a relação com a psicóloga? Está bem estabelecida? Falam com ela?

carlaper -
Offline
Desde 11 Out 2011

Soraiafefausto escreveu:
Olá mães espero que estejam bem, para mim eles claro que vão ser sempre crianças, sabendo que são adolescente. Mas o motivo para eu vos pedir conselhos é mesmo de que não sei o que fazer, eles na escola, ele por exemplo é horrível, não faz testes só mete o nome e data, rasga os livros e cadernos, parte canetas e lapis. Responde me mal, da murros na mesa e cama para não me dar a mim. Grita comigo. E eu estou a pagar a ele a psicóloga aos sábados. Ela ajuda me em casa sim, na escola ela esforça se apesar dela ter a auto estima em baixo ela não se arranjar, não quer se pentear, não quer tomar banho tenho eu que mandar, anda sempre de preto roupa. E não se ri, e quando eu falo de brincadeiras é jogar com eles termos tema de conversa, plantar ir á praia essas brincadeiras assim. obrigada a todas por terem participado muito obrigada

O que descreve já me parece mais grave, tem mesmo de procurar outra ajuda , se essa não está a resultar.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Pelo que descreve, ambos deveriam ser vistos por um pedopsiquiatra. Qual é o diagnóstico do seu filho? Como é que a escola está a lidar com a situação? Têm relações de amizade?
Peça encaminhamento ao médico de família, com urgência.

soniamst -
Online
Desde 22 Dez 2016

Soraiafefausto escreveu:
Olá mães espero que estejam bem, para mim eles claro que vão ser sempre crianças, sabendo que são adolescente. Mas o motivo para eu vos pedir conselhos é mesmo de que não sei o que fazer, eles na escola, ele por exemplo é horrível, não faz testes só mete o nome e data, rasga os livros e cadernos, parte canetas e lapis. Responde me mal, da murros na mesa e cama para não me dar a mim. Grita comigo. E eu estou a pagar a ele a psicóloga aos sábados. Ela ajuda me em casa sim, na escola ela esforça se apesar dela ter a auto estima em baixo ela não se arranjar, não quer se pentear, não quer tomar banho tenho eu que mandar, anda sempre de preto roupa. E não se ri, e quando eu falo de brincadeiras é jogar com eles termos tema de conversa, plantar ir á praia essas brincadeiras assim. obrigada a todas por terem participado muito obrigada

O cenário é bem pior do que eu julgava, pelo menos da parte do seu filho. O seu filho sempre foi assim? Quando começou com esses "temperamentos"? Deve trabalhar em articulação com a escola, mas não espere pelo recomeço da escola, procure ajuda eu diria de um psiquiatra, mas fale com o médico de familia para melhor a aconselhar (se não tem medido de familia ligue SNS24 e procure orientação). Você está a sofrer mas o seu filho também está em sofrimento.

carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

Nessa idade eu lembro-me de andar sempre chateada com os meus pais, e sempre irritada.
Sempre lhe chamei a idade da estupidez!
Depois passou.
Convém acompanhar sempre, insistir por mais que nos custe essa atitude e afastamento.
Por outro lado, dar liberdade qb.
Deixar abrir as asas mas sempre com supervisao. Os meus pais fizeram isso. Na altura era diferente.
Eu vivia na terrinha onde andávamos sempre na rua. Ia-se a pé a todo o lado.
Agora é diferente.
Há que adaptar.
Com os amigos, o que eles gostam de fazer?
Eu estimulo desde o início, as atividades entre nós e com amigos e família dos amigos.
Espero que eles se interessem por atividades connosco.