CUF Descobertas + Mala Maternidade + Entrada Pai | De Mãe para Mãe

CUF Descobertas + Mala Maternidade + Entrada Pai

Responda
15 mensagens
aAMFACD -
Offline
Desde 22 Out 2019

Com este vírus por aí sinto-me um pouco perdida.
Tenho DPP para final de Maio na CUF Descobertas. Além de no site deles terem apenas a informação usual, no facebook não acrescentam qualquer orientação nem informação prática para grávidas e acompanhantes.
Já me mentalizei que o pai estar ou não presente pode variar de dia para dia e portanto já nem penso muito no assunto.
Mas tenho de ser prática.
Caso o meu marido possa entrar e TENHA de entrar logo comigo, o que é importante eu levar para ele? O Ovo entra também logo connosco?
E o que não me posso esquecer para mim e para a bebé?
Alguma dica?
Obrigada a todas.

Sobre aAMFACD

Joana G.S.F. -
Offline
Desde 08 Maio 2017

Olá. Eu não vou para a CUF, vou para os Lusíadas, e lá eu sei que pedem para a grávida e o marido fazerem o teste à covid e o pai pode inclusive assistir ao parto se o resultado for negativo, mas para ficar no internamento não pode voltar a sair até à alta da mãe e do bebé. Mas é como dizes, isto muda. Nos Lusíadas isto é uma situação relativamente recente, até há pouco tempo o pai não podia assistir ao parto. Se enviares e-mail para lá pode ser que te respondam às tuas questões (digo e-mail porque pelo menos nos Lusíadas pedem preferencialmente contacto por e-mail, se calhar até podes telefonar para a CUF).
Para o meu marido aquilo que pediram nos Lusíadas foram produtos de higiene, pijama, chinelos para o banho, e não perguntei sobre o ovo mas nós decidimos que vamos levar logo na entrada. Nos Lusíadas, no site, têm a lista de maternidade para a mãe e o bebé e eu guiei-me por aí. Se contactares a CUF pede a lista deles 😊
Não sei se ajudo alguma coisa. Pode ser que apareça aqui uma mamã que esteja mais familiarizada com a CUF.

ASSOL84 -
Offline
Desde 03 Fev 2016

Olá mamã aAMFACD,

Tive a minha pimpolha no passado dia 10 de Abril na CUF Descobertas, por isso posso relatar como aconteceu no meu caso. Também estava mentalizada para estar sozinha durante esse período, mas afinal, não fiquei.

Fiz o teste para o covid-19 3 dias antes do parto(todas as grávidas em final de gestação fazem), que se revelou negativo (uff!).
Com 38 semanas e já descansada por esse teste ter dado negativo, rebentaram-me as águas e fui directa às urgências. Na véspera da minha filha nascer levantaram a restrição do pai poder acompanhar e assistir ao parto (parece que a pequena estava mesmo só à espera disso).
Como no meu caso não entrei em trabalho de parto acabei por fazer uma cesariana.
O pai pôde acompanhar-me no quarto onde fiquei até chegar a hora de ir para o bloco, e também pôde estar ao meu lado no bloco durante o parto, bem como no recobro. Depois da filhota nascer, fomos para o quarto onde fiquei nos 3 dias seguintes.
No entanto, e como temos mais outra pequena que precisa de atenção, o meu marido só ficou connosco na primeira noite. Uma vez que os pais saem, não voltam a entrar, mas foi opção nossa a saída dele depois da primeira noite e depois de eu ter levantado da cama e já andar autónoma de um lado para o outro.
Não foi necessário trazer grande coisa para ele, uma vez que o objectivo era ele ficar o mínimo de tempo possível, mas se for ficar consigo durante o internamento todo, é melhor ir preparado (roupa, pijama, artigos de higiene pessoal...).
Quanto ao ovo, não levámos logo connosco, porque o meu marido viria buscar-nos no momento da alta. De qualquer forma até pode ficar no carro, porque ele pode ir buscar e depois entregar o ovo às auxiliares ou enfermeiras do piso em que ficar internada (uma vez que sai, já não pode voltar a entrar, mas pode entregar o ovo no piso em que estiver, que fá-lo-ão chegar até ao seu quarto sem problema).

Connosco correu tudo bem e foi uma excelente experiência, mesmo dentro dos tempos conturbados em que vivemos. Só tenho a dizer bem dos profissionais que estiveram connosco, da comida e das condições que foram proporcionadas.

Força! Vai correr tudo bem Piscar o olho

ASSOL84 -
Offline
Desde 03 Fev 2016

Esqueci-me de referir que, naturalmente, as refeições que são servidas durante o tempo em que o pai está com a mãe, são servidas a ambos! Sorriso (Mas eu levei uns snacks na mala, porque o pai é de muito alimento e podia ser preciso algum reforço! eheh)

Kelf -
Offline
Desde 17 Abr 2020

A lista do que levar encontra se no site da cuf... 😊

Rita Leal -
Offline
Desde 26 Mar 2020

ASSOL84 escreveu:
Olá mamã aAMFACD,
Tive a minha pimpolha no passado dia 10 de Abril na CUF Descobertas, por isso posso relatar como aconteceu no meu caso. Também estava mentalizada para estar sozinha durante esse período, mas afinal, não fiquei.
Fiz o teste para o covid-19 3 dias antes do parto(todas as grávidas em final de gestação fazem), que se revelou negativo (uff!).
Com 38 semanas e já descansada por esse teste ter dado negativo, rebentaram-me as águas e fui directa às urgências. Na véspera da minha filha nascer levantaram a restrição do pai poder acompanhar e assistir ao parto (parece que a pequena estava mesmo só à espera disso).
Como no meu caso não entrei em trabalho de parto acabei por fazer uma cesariana.
O pai pôde acompanhar-me no quarto onde fiquei até chegar a hora de ir para o bloco, e também pôde estar ao meu lado no bloco durante o parto, bem como no recobro. Depois da filhota nascer, fomos para o quarto onde fiquei nos 3 dias seguintes.
No entanto, e como temos mais outra pequena que precisa de atenção, o meu marido só ficou connosco na primeira noite. Uma vez que os pais saem, não voltam a entrar, mas foi opção nossa a saída dele depois da primeira noite e depois de eu ter levantado da cama e já andar autónoma de um lado para o outro.
Não foi necessário trazer grande coisa para ele, uma vez que o objectivo era ele ficar o mínimo de tempo possível, mas se for ficar consigo durante o internamento todo, é melhor ir preparado (roupa, pijama, artigos de higiene pessoal...).
Quanto ao ovo, não levámos logo connosco, porque o meu marido viria buscar-nos no momento da alta. De qualquer forma até pode ficar no carro, porque ele pode ir buscar e depois entregar o ovo às auxiliares ou enfermeiras do piso em que ficar internada (uma vez que sai, já não pode voltar a entrar, mas pode entregar o ovo no piso em que estiver, que fá-lo-ão chegar até ao seu quarto sem problema).
Connosco correu tudo bem e foi uma excelente experiência, mesmo dentro dos tempos conturbados em que vivemos. Só tenho a dizer bem dos profissionais que estiveram connosco, da comida e das condições que foram proporcionadas.
Força! Vai correr tudo bem

Olá mamã!

Muitos parabéns e fico muito feliz pela experiencia positiva na maternidade Sorriso
Também vou ter bebé na CUF Descobertas, qual é a tua médica?
Queria perguntar-te como fizeste com a tua filhota mais velha enquanto ficaste com o maridão no hospital? Estou aqui num dilema que não sei o que fazer com a minha menina.

Um beijinho

ASSOL84 -
Offline
Desde 03 Fev 2016

Rita Leal escreveu:

ASSOL84 escreveu:Olá mamã aAMFACD,
Tive a minha pimpolha no passado dia 10 de Abril na CUF Descobertas, por isso posso relatar como aconteceu no meu caso. Também estava mentalizada para estar sozinha durante esse período, mas afinal, não fiquei.
Fiz o teste para o covid-19 3 dias antes do parto(todas as grávidas em final de gestação fazem), que se revelou negativo (uff!).
Com 38 semanas e já descansada por esse teste ter dado negativo, rebentaram-me as águas e fui directa às urgências. Na véspera da minha filha nascer levantaram a restrição do pai poder acompanhar e assistir ao parto (parece que a pequena estava mesmo só à espera disso).
Como no meu caso não entrei em trabalho de parto acabei por fazer uma cesariana.
O pai pôde acompanhar-me no quarto onde fiquei até chegar a hora de ir para o bloco, e também pôde estar ao meu lado no bloco durante o parto, bem como no recobro. Depois da filhota nascer, fomos para o quarto onde fiquei nos 3 dias seguintes.
No entanto, e como temos mais outra pequena que precisa de atenção, o meu marido só ficou connosco na primeira noite. Uma vez que os pais saem, não voltam a entrar, mas foi opção nossa a saída dele depois da primeira noite e depois de eu ter levantado da cama e já andar autónoma de um lado para o outro.
Não foi necessário trazer grande coisa para ele, uma vez que o objectivo era ele ficar o mínimo de tempo possível, mas se for ficar consigo durante o internamento todo, é melhor ir preparado (roupa, pijama, artigos de higiene pessoal...).
Quanto ao ovo, não levámos logo connosco, porque o meu marido viria buscar-nos no momento da alta. De qualquer forma até pode ficar no carro, porque ele pode ir buscar e depois entregar o ovo às auxiliares ou enfermeiras do piso em que ficar internada (uma vez que sai, já não pode voltar a entrar, mas pode entregar o ovo no piso em que estiver, que fá-lo-ão chegar até ao seu quarto sem problema).
Connosco correu tudo bem e foi uma excelente experiência, mesmo dentro dos tempos conturbados em que vivemos. Só tenho a dizer bem dos profissionais que estiveram connosco, da comida e das condições que foram proporcionadas.
Força! Vai correr tudo bem

Olá mamã!
Muitos parabéns e fico muito feliz pela experiencia positiva na maternidade
Também vou ter bebé na CUF Descobertas, qual é a tua médica?
Queria perguntar-te como fizeste com a tua filhota mais velha enquanto ficaste com o maridão no hospital? Estou aqui num dilema que não sei o que fazer com a minha menina.
Um beijinho


Olá Rita Sorriso

A minha médica é a Dra Lina Fernandes. Quando as águas rebentaram preparei rapidamente uma mala para a mais velha (com pijama, 2 mudas de roupa, uns bonecos de estimação e alguns snacks) e seguiu para casa dos avós, onde pernoitou nessa primeira noite em que o meu marido ficou connosco no hospital. Para ela foi uma festa, porque não estava com eles há muito (tínhamos estado em isolamento em casa umas semanas antes da data da mais nova nascer, e os avós também, por isso considerámos que a opção era segura)... Quando pude andar de um lado para o outro sem ajuda, dei “alta” ao meu marido para que então ele voltasse para junto da mais velha até sairmos do hospital. Ele desta forma acompanhou todo o processo, o parto e desfrutou dos primeiros mimos à bebé com calma e tempo.

ASSOL84 -
Offline
Desde 03 Fev 2016

Esqueci-me de referir que, no nosso caso, os avós moram bastante perto (e no trajecto do hospital) por isso deixámo-la lá antes de seguir para a maternidade.

Uma hora pequenina para ti e que corra tudo bem! Sorriso

Rita Leal -
Offline
Desde 26 Mar 2020

ASSOL84 escreveu:

Rita Leal escreveu:
ASSOL84 escreveu:Olá mamã aAMFACD,
Tive a minha pimpolha no passado dia 10 de Abril na CUF Descobertas, por isso posso relatar como aconteceu no meu caso. Também estava mentalizada para estar sozinha durante esse período, mas afinal, não fiquei.
Fiz o teste para o covid-19 3 dias antes do parto(todas as grávidas em final de gestação fazem), que se revelou negativo (uff!).
Com 38 semanas e já descansada por esse teste ter dado negativo, rebentaram-me as águas e fui directa às urgências. Na véspera da minha filha nascer levantaram a restrição do pai poder acompanhar e assistir ao parto (parece que a pequena estava mesmo só à espera disso).
Como no meu caso não entrei em trabalho de parto acabei por fazer uma cesariana.
O pai pôde acompanhar-me no quarto onde fiquei até chegar a hora de ir para o bloco, e também pôde estar ao meu lado no bloco durante o parto, bem como no recobro. Depois da filhota nascer, fomos para o quarto onde fiquei nos 3 dias seguintes.
No entanto, e como temos mais outra pequena que precisa de atenção, o meu marido só ficou connosco na primeira noite. Uma vez que os pais saem, não voltam a entrar, mas foi opção nossa a saída dele depois da primeira noite e depois de eu ter levantado da cama e já andar autónoma de um lado para o outro.
Não foi necessário trazer grande coisa para ele, uma vez que o objectivo era ele ficar o mínimo de tempo possível, mas se for ficar consigo durante o internamento todo, é melhor ir preparado (roupa, pijama, artigos de higiene pessoal...).
Quanto ao ovo, não levámos logo connosco, porque o meu marido viria buscar-nos no momento da alta. De qualquer forma até pode ficar no carro, porque ele pode ir buscar e depois entregar o ovo às auxiliares ou enfermeiras do piso em que ficar internada (uma vez que sai, já não pode voltar a entrar, mas pode entregar o ovo no piso em que estiver, que fá-lo-ão chegar até ao seu quarto sem problema).
Connosco correu tudo bem e foi uma excelente experiência, mesmo dentro dos tempos conturbados em que vivemos. Só tenho a dizer bem dos profissionais que estiveram connosco, da comida e das condições que foram proporcionadas.
Força! Vai correr tudo bem

Olá mamã!
Muitos parabéns e fico muito feliz pela experiencia positiva na maternidade
Também vou ter bebé na CUF Descobertas, qual é a tua médica?
Queria perguntar-te como fizeste com a tua filhota mais velha enquanto ficaste com o maridão no hospital? Estou aqui num dilema que não sei o que fazer com a minha menina.
Um beijinho

Olá Rita
A minha médica é a Dra Lina Fernandes. Quando as águas rebentaram preparei rapidamente uma mala para a mais velha (com pijama, 2 mudas de roupa, uns bonecos de estimação e alguns snacks) e seguiu para casa dos avós, onde pernoitou nessa primeira noite em que o meu marido ficou connosco no hospital. Para ela foi uma festa, porque não estava com eles há muito (tínhamos estado em isolamento em casa umas semanas antes da data da mais nova nascer, e os avós também, por isso considerámos que a opção era segura)... Quando pude andar de um lado para o outro sem ajuda, dei “alta” ao meu marido para que então ele voltasse para junto da mais velha até sairmos do hospital. Ele desta forma acompanhou todo o processo, o parto e desfrutou dos primeiros mimos à bebé com calma e tempo.

Olá mamã!

O meu plano sempre foi deixar a menina com os avós, mas com o vírus tenho medo.. Ambos devem começar a trabalhar novamente em breve (uma semana trabalham, duas semanas ficam em casa).. Eles tentam tranquilizar-me que podem ficar com ela que pelo menos até à data não têm sintomas. Não sei o que fazer.. Ainda faltam umas semanas, mas isto virou-me os planos de cabeça para baixo.

A minha médica é a Dr.ª Cristina Horgan, fiz a minha eco morfológica com a Dr.ª Lina Sorriso
Fizeste o teste do covid mais o marido? Com quantas semanas?
Espero que esteja tudo bem com a tua bebé e restante família Sorriso

Um beijinho

ASSOL84 -
Offline
Desde 03 Fev 2016

Rita Leal escreveu:

ASSOL84 escreveu:
Rita Leal escreveu:
ASSOL84 escreveu:Olá mamã aAMFACD,
Tive a minha pimpolha no passado dia 10 de Abril na CUF Descobertas, por isso posso relatar como aconteceu no meu caso. Também estava mentalizada para estar sozinha durante esse período, mas afinal, não fiquei.
Fiz o teste para o covid-19 3 dias antes do parto(todas as grávidas em final de gestação fazem), que se revelou negativo (uff!).
Com 38 semanas e já descansada por esse teste ter dado negativo, rebentaram-me as águas e fui directa às urgências. Na véspera da minha filha nascer levantaram a restrição do pai poder acompanhar e assistir ao parto (parece que a pequena estava mesmo só à espera disso).
Como no meu caso não entrei em trabalho de parto acabei por fazer uma cesariana.
O pai pôde acompanhar-me no quarto onde fiquei até chegar a hora de ir para o bloco, e também pôde estar ao meu lado no bloco durante o parto, bem como no recobro. Depois da filhota nascer, fomos para o quarto onde fiquei nos 3 dias seguintes.
No entanto, e como temos mais outra pequena que precisa de atenção, o meu marido só ficou connosco na primeira noite. Uma vez que os pais saem, não voltam a entrar, mas foi opção nossa a saída dele depois da primeira noite e depois de eu ter levantado da cama e já andar autónoma de um lado para o outro.
Não foi necessário trazer grande coisa para ele, uma vez que o objectivo era ele ficar o mínimo de tempo possível, mas se for ficar consigo durante o internamento todo, é melhor ir preparado (roupa, pijama, artigos de higiene pessoal...).
Quanto ao ovo, não levámos logo connosco, porque o meu marido viria buscar-nos no momento da alta. De qualquer forma até pode ficar no carro, porque ele pode ir buscar e depois entregar o ovo às auxiliares ou enfermeiras do piso em que ficar internada (uma vez que sai, já não pode voltar a entrar, mas pode entregar o ovo no piso em que estiver, que fá-lo-ão chegar até ao seu quarto sem problema).
Connosco correu tudo bem e foi uma excelente experiência, mesmo dentro dos tempos conturbados em que vivemos. Só tenho a dizer bem dos profissionais que estiveram connosco, da comida e das condições que foram proporcionadas.
Força! Vai correr tudo bem

Olá mamã!
Muitos parabéns e fico muito feliz pela experiencia positiva na maternidade
Também vou ter bebé na CUF Descobertas, qual é a tua médica?
Queria perguntar-te como fizeste com a tua filhota mais velha enquanto ficaste com o maridão no hospital? Estou aqui num dilema que não sei o que fazer com a minha menina.
Um beijinho

Olá Rita
A minha médica é a Dra Lina Fernandes. Quando as águas rebentaram preparei rapidamente uma mala para a mais velha (com pijama, 2 mudas de roupa, uns bonecos de estimação e alguns snacks) e seguiu para casa dos avós, onde pernoitou nessa primeira noite em que o meu marido ficou connosco no hospital. Para ela foi uma festa, porque não estava com eles há muito (tínhamos estado em isolamento em casa umas semanas antes da data da mais nova nascer, e os avós também, por isso considerámos que a opção era segura)... Quando pude andar de um lado para o outro sem ajuda, dei “alta” ao meu marido para que então ele voltasse para junto da mais velha até sairmos do hospital. Ele desta forma acompanhou todo o processo, o parto e desfrutou dos primeiros mimos à bebé com calma e tempo.

Olá mamã!
O meu plano sempre foi deixar a menina com os avós, mas com o vírus tenho medo.. Ambos devem começar a trabalhar novamente em breve (uma semana trabalham, duas semanas ficam em casa).. Eles tentam tranquilizar-me que podem ficar com ela que pelo menos até à data não têm sintomas. Não sei o que fazer.. Ainda faltam umas semanas, mas isto virou-me os planos de cabeça para baixo.
A minha médica é a Dr.ª Cristina Horgan, fiz a minha eco morfológica com a Dr.ª Lina
Fizeste o teste do covid mais o marido? Com quantas semanas?
Espero que esteja tudo bem com a tua bebé e restante família
Um beijinho

Os meus sogros estão reformados, por isso a confiança com que deixámos a miúda com eles foi grande. Eles ficando por casa nas semanas anteriores puderam dar apoio nesta altura. Penso que se estivesse nessa situação optaria por outros familiares próximos (em casa de irmãos meus ou do meu marido). É só uma noite, por isso penso que conseguiríamos apoio noutro lado (no nosso caso). A segunda opção (e que esteve sempre em cima da mesa até ao momento de levantarem as restrições à presença do pai) era o meu marido levar-me com a mais velha no carro e regressar com ela (mas assim só conheceria a pequena no momento da alta).
O meu marido não fez o teste do covid (não testam os pais... acho que partem do princípio que o pai e a mãe vivendo juntos se um desse positivo o outro também daria).
Eu fiz o teste a partir do momento em que passou a ser obrigatório as grávidas fazerem. Na consulta e CTG das 37 semanas (que calhou na semana em que foi comunicada a obrigatoriedade do teste) já foi pedido pela médica pra fazer (uma vez que o parto poderia estar eminente... e assim foi! A miúda quis nascer 3 dias depois de sair o resultado).

Não é uma decisão fácil , mas de certeza que tomarão a melhor decisão! Piscar o olho

smargarida.guedes -
Offline
Desde 20 Abr 2013

Boa tarde, também vou ter o meu bebé na cuf descobertas e queria-lhe perguntar: se a senhora teve de estar sempre de mascara antes de entrar para o bloco, no parto e no internamento ou como foi?O teste do covid 19 foi feito no laboratório da cuf ou pode ser feito noutro?Quanto tempo demorou a ter o resultado?O teste do pezinho fizeram no 3dia na cuf?
O pai também fez o teste?Obrigada. Susana Cunha

smargarida.guedes -
Offline
Desde 20 Abr 2013

.

ASSOL84 -
Offline
Desde 03 Fev 2016

smargarida.guedes escreveu:
Boa tarde, também vou ter o meu bebé na cuf descobertas e queria-lhe perguntar: se a senhora teve de estar sempre de mascara antes de entrar para o bloco, no parto e no internamento ou como foi?O teste do covid 19 foi feito no laboratório da cuf ou pode ser feito noutro?Quanto tempo demorou a ter o resultado?O teste do pezinho fizeram no 3dia na cuf?
O pai também fez o teste?Obrigada. Susana Cunha

Olá Susana!

Então cá vão as respostas:

- Antes do parto estive com o meu marido num quarto privado. Tínhamos máscara ambos, mas na verdade só a colocávamos quando entrava alguém no quarto 😇
No bloco estivemos ambos de máscara (e nem dei por nada porque tive de ir confirmar na foto que um profissional de saúde nos tirou com a bebé logo que nasceu ❤️). No internamento também só a colocava quando entrava algum profissional... estava sozinha num quarto com a minha filha... não senti necessidade de ter máscara a todo o momento.

- penso que o teste do covid pode ser feito noutro lado, mas decidi fazer na cuf para ser mais ágil o processo (já estava em fim de tempo e queria celeridade no resultado). Para ser no SNS não conheço o procedimento, mas talvez ligando para a saúde 24 indiquem um laboratório para tal. Eu tinha um pedido do obstetra para realizar esse teste. Não sei se dadas as circunstâncias isto teria de passar pelo médico de família, uma vez que é obrigatório para todas as grávidas.

- o resultado na altura ficou disponível de um dia para o outro na aplicação do mycuf (mas não sei se por estar em fim de tempo saía mais rápido ou não)

- o teste do pezinho foi feito no terceiro dia, porque como foi cesariana e fiquei 3 dias internada, realizaram logo. Se fosse parto normal, e estivesse apenas 2 dias internada, julgo que não era feito antes da alta (esse teste penso que só se pode fazer a partir dos 3 dias de vida)

- o pai na altura não fez o teste ao covid (talvez por eu estar negativa), mas era tudo novidade nessa altura.. não sei se mudaram os procedimentos entretanto. No meu parto foi assim 🙂 (e foi perfeito!)

Felicidades!

smargarida.guedes -
Offline
Desde 20 Abr 2013

ASSOL84 escreveu:

smargarida.guedes escreveu:Boa tarde, também vou ter o meu bebé na cuf descobertas e queria-lhe perguntar: se a senhora teve de estar sempre de mascara antes de entrar para o bloco, no parto e no internamento ou como foi?O teste do covid 19 foi feito no laboratório da cuf ou pode ser feito noutro?Quanto tempo demorou a ter o resultado?O teste do pezinho fizeram no 3dia na cuf?

Muito obrigada:)

O pai também fez o teste?Obrigada. Susana Cunha

Olá Susana!
Então cá vão as respostas:
- Antes do parto estive com o meu marido num quarto privado. Tínhamos máscara ambos, mas na verdade só a colocávamos quando entrava alguém no quarto 😇
No bloco estivemos ambos de máscara (e nem dei por nada porque tive de ir confirmar na foto que um profissional de saúde nos tirou com a bebé logo que nasceu ❤️). No internamento também só a colocava quando entrava algum profissional... estava sozinha num quarto com a minha filha... não senti necessidade de ter máscara a todo o momento.
- penso que o teste do covid pode ser feito noutro lado, mas decidi fazer na cuf para ser mais ágil o processo (já estava em fim de tempo e queria celeridade no resultado). Para ser no SNS não conheço o procedimento, mas talvez ligando para a saúde 24 indiquem um laboratório para tal. Eu tinha um pedido do obstetra para realizar esse teste. Não sei se dadas as circunstâncias isto teria de passar pelo médico de família, uma vez que é obrigatório para todas as grávidas.
- o resultado na altura ficou disponível de um dia para o outro na aplicação do mycuf (mas não sei se por estar em fim de tempo saía mais rápido ou não)
- o teste do pezinho foi feito no terceiro dia, porque como foi cesariana e fiquei 3 dias internada, realizaram logo. Se fosse parto normal, e estivesse apenas 2 dias internada, julgo que não era feito antes da alta (esse teste penso que só se pode fazer a partir dos 3 dias de vida)
- o pai na altura não fez o teste ao covid (talvez por eu estar negativa), mas era tudo novidade nessa altura.. não sei se mudaram os procedimentos entretanto. No meu parto foi assim 🙂 (e foi perfeito!)
Felicidades!

smargarida.guedes -
Offline
Desde 20 Abr 2013

muito obrigada:)

Outros tópicos relacionados

Diarreia na gravidez...?
Bom dia! Estou actualmente de 35 semanas, perdi o rolhão mucoso há 2 semanas e desde então estou de repouso, porque também tenho o colo do útero curto. Enfim, nisto estou a tentar aguentar este bebé o mais tempo possível e tem estado a correr bem,...
Para quem está ou esteve de repouso
Bom dia a todas. Estou de repouso por ter perdido o rolhão mucoso às 33 semanas e por na eco termos avaliado um colo do útero um pouco curto e mole. Na altura, o OB falou-me em repouso durante 2/3 semanas, esta semana tenho consulta e estou com...
O meu parto - indução
Boa tarde. Quase 2 semanas após ter sido mãe, venho deixar o relato do meu parto. Tinha indução agendada por conveniência (o meu OB estava de banco e já contava com 39 semanas, sendo que desde as 33 que estava em repouso por perda de rolhão mucoso...
Grávidas ou mamãs que estiveram de repouso
Olá a todas. Hoje tive consulta no GO e depois de termos falado da perda de rolhão esta semana (actualmente, é a 33ª semana de gestação), fizémos eco endovaginal e constatou-se que o colo do útero está ccurto (24mm) e a querer abrir. Risco de parto...
1º Gráfico de temperatura basal. Não entendo...
Bom dia a todas. Este é o primeiro mês que meço a temperatura basal, a medição tem sido feita oralmente. Mas apesar de esperar um ciclo longo (o último foi de 32 dias...), acho estranho não ter tido variações de temperatura que sugerissem a ovulação...
Gráfico de TB trifásico??
Olá a todas. Antes de mais, perdoem-me estar a criar propositadamente este tópico, mas tenho uma dúvida séria e já pedi ajuda noutros tópicos relacionados mas quem viu não deve ter sabido responder... Alguém sabe o que são gráficos de TB trifásicos...

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?