Contar ou não contar á família sobre a infertilidade | De Mãe para Mãe

Contar ou não contar á família sobre a infertilidade

Responda
44 mensagens
RitaMC -
Offline
Desde 28 Mar 2017

Sei que é um tema controverso e que existem diferentes opiniões. Era mesmo isso que gostava de perceber. Optaram por contar á família ou por manter só entre casal? No meu caso a maior parte da família sabe, não porque quisessemos assim, ao início não contamos a ninguém mas depois optamos por contar aos nossos pais e irmãos, depressa se espalhou por mais membros e a situação chegou até a ser desconfortante. Arrependo-me de ter contado, se fosse hoje teria ficado apenas entre nós dois. Por incrível que pareca o nosso maior apoio não está na nossa família, normalmente é em situações complicadas da vida que realmente vemos quem se preocupa verdadeiramente connosco e está situação já nos trouxe bastantes dissabores em relação a isso. O apoio familiar é nenhum. Sei que quando tivermos o nosso bebé (acredito com todas as minhas forças que esse dia vai chegar e não vou desistir até o alcançar), vai ser tudo muito lindo. Às vezes penso que quando essa altura chegar a minha atitude devia ser a mesma que estão a ter comigo e com o meu marido, desprezar, estar nem aí e simplesmente ser feliz com o meu marido e com o meu futuro filho/a e com as pessoas que estão ao nosso lado a apoiar-nos sempre, que não, não são a família. Desculpem o desabafo, mas por vezes dói. Monetariamente fazemos um enorme sacrifício para alcançar o nosso sonho, muito grande mesmo e nunca tivemos uma simples pergunta por parte da família como por exemplo "Precisam de alguma coisa?". Muitas vezes não é o dar, mas a atitude em sim. O simples facto de perguntarem isso já seria "reconfortante", mesmo que dissessemos que não. Com este texto se calhar também não me expressei da melhor maneira. Mas acho que muitas de vocês me entendem. Hoje ouvi por parte de uma pessoa amiga "Vocês dois têm uma força incrível. É tão bonito a forma como lutam pelo vosso sonho" ... Ouvir isto reconfortou-me o coração, mas ao mesmo tempo fiquei triste.. não nunca ouvi isto dos meus pais, dos meus irmãos.. nem da família do meu marido... Nem isto nem nada... E o silêncio é o que mais dói na minha alma...

sjsms -
Offline
Desde 23 Jun 2013

Olá RitaMC.
Na relaidade existem três situações: ambas famílias apoiam; só uma apoia; nenhuma apoia.
Se ambas apoiam ainda bem; se só uma menos mal; se nenhuma apoia , muito mal!
Infelizmente, quando as pessoas são mesquinhas e não gostam muito de nós rapidamente contam as nossas derrotas aos outros. Eu própria passei por isso... Não conseguia engravidar e a minha sogra espalhou isso a pessoas que eu não tenho a mínima confiança. Chegaram-me a perguntar no meio de um batizado, à frente de pessoas que eu nao conhecia "Como está o teu útero?", ou disseram-me "Ainda és nova para ser mãe, tens tempo" sem eu ter dito uma palavra.
E, ainda por cima têm a lata de dizer que não disseram nada.. Já a cunhada do meu marido quando engravidou (foi logo depois de mim), contou a toda a gente inclusiver ligou-nos a contar.
Quando engravidei, não contou a ninguém! E, agora, "não larga" o meu marido por causa do nosso filho..
Portanto a minha ideia é esta , e foi a minha mãe que uma vez me disse : "quando as pessas fica muito contentes com a gravidez de outra pessoa, contam sempre a alguém: não fazem por mal: estão felizes!" OU seja; se as pessoas forem mesquinhas e não a tiverem em muita consideração, infelizmente isso espalha-se... Quando engravidar, vai poder filtrar quem lhe quer bem, pois vai ver quem dá as boas noticias.
Sou muito fria em relação ao aspecto da educação e do desprezo.: achava que conseguia promover uma ligação mínima entre o meu filho e a família do meu marido mesmo depois de tudo mas, infelizmente, cheguei á conclusão que não consigo não só pelo que me fizeram como pelo que tenho medo que digam á frente do meu filho (mas isso ja são por outros motivos).
Eu e o meu marido contamos muito um com o outro...Façam o que melhor vos parecer mas lembre-se que na nossa vida nós temos três tipos de pessoas: 1. As pessoas que nos ajudam nos tempos difíceis 2. As pessoas que nos deixam nos momentos difíceis. 3. As que nos colocam em momentos difíceis.
Lidar com a jornada da infertilidade não é facil, é uma questão muito sensivel: pessoas humanas e boas sabem que são momentos sensíveis para o casal e frágeis; pessoas insensíveis e más não têm essa noção (preferem a bisbilhotice).
Desculpe o texto e a minha opinião franca.
Muita força, esperança...
Vai ter um filho, acredite que vai ter.
Deus escreve direito por linhas tortas.
Beijinhos

RH -
Offline
Desde 29 Abr 2013

Na minha situação sabe só a minha mãe... Mais ninguém, por sei que as pessoas iriam comentar de forma desajustada...se mesmo sem saberem de nada, já tive de lidar com comentários desagradáveis, imagino se soubessem...
E para piorar a situação, nem com o meu marido posso falar sobre o assunto abertamente, porque ele lida muito mal com tudo...esse foi inclusive um dos principais motivos, para colocar os tratamentos em espera...
Para mim, a infertilidade é um assunto muito pessoal, e do casal...ao abrir o assunto a terceiros, ainda que familiares, abre se a porta a opiniões que nem sempre serão as melhores...Já para não falar na pena que certamente sentirão do casal...

Sobre RH

Treinos desde 2014
14 de abril de 2015 encaminhamento para consultas de infertilidade CHMA
1ª consulta 18 de Agosto -2ª 28 de Janeiro
Relatório de psicologia OK oligoastenoteratozospermia e trompas obstruidas
Outubro 2018 cirurgia endometriose profunda hospital da Luz

luazinha23 -
Offline
Desde 24 Nov 2015

No meu caso, durante 2 anos apenas os amigos mesmo mais chegados sabiam, mas quando encontrava casais com problemas em engravidar, não tinha qualquer problema em partilhar.
Contudo nunca os nossos pais sonharam. Estamos juntos à 17 anos e já enjoava a conversa, por isso este natal e depois de uma FIV negativa foi o meu limite, e contei às nossas mães.
Disse às duas depois de serem super chatas sobre os netinhos, que não podíamos ter filhos fim de conversa. E disse que podiam contar aos nossos pais e era só.
Não aguento a pressão da família, principalmente da dele por ser muito grande, porque somos o casal junto à mais tempo e o único sem filhos, mas depois de ter informado as mães, no meu caso em particular não ia aguentar as perguntas, por da parte da minha sogra, implica ligar todos os dias a toda a hora, e o que é de mais enjoa.
Agora que conseguimos uma gravidez, optámos por contar logo só aos nosso pais, e ficaram "proibidos" de contar seja a quem for, mas ainda assim a minha sogra liga todos os dias, ora a querer saber se enjoo, se estou, se dormi bem, se tenho cólicas…. céus é demasiado, e já lhe disse.
No fundo eu acho que as pessoas, são o 8 ou o 80, ou são demasiado preocupadas, ou são completamente desinteressadas, e o problema é como lidamos com isso Triste

Junho 2015 - Começo dos treinos // Janeiro 2017 - 1.ª Consulta infertilidade MAC
Março 2017 - Histerossalpingografia com trompa direita totalmente obstruída
1.ª FIV - MAC: Outubro 2018 (-)
2.ª Fiv - Lusíadas: Janeiro 2019 (+)

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

Olá,
Têm muita força, sem dúvida, são muito corajosos e lutadores e acreditem
...as pessoas sabem isso!
Não passei pelo mesmo, até pelo contrário, mas não teria essa coragem e era uma decisão já tomada.
Eu acho que as pessoas que gostam de nós, não são obrigadas a saber o que necessitamos, o que queremos...temos de fazer um esforço por entender que eles não sabem como reagir. E a maneira que encontram é não falar.
Eu sou a favor que se fale, mas que também se diga o que se quer: passa-se isto, só preciso que me ouças/que me abraces/que não me faças perguntas/que esqueças o que te contei... As pessoas ficam sem reação e por vezes os de fora lançam alguma coisa e ou acertam em cheio ou nos ofendem, mas os nossos retraem qualquer opinião ou palavra com medo a não acertarem.
Decidimos (quando pensei engravidar) que se algum dia a vida não nos desse filhos, não iriamos atrás deles a todo o custo (digo situações mais complexas como fiv, etc etc) e as pessoas próximas sabiam. Se não fosse para ser, não era. Um dia em conversa disse algo como: se algum dia vos contar que não consigo ter filhos, nunca mais me falem nisso, nem façam perguntas.
Temos de pensar um pouco na situação em que ficam! Não acha que a sua mãe fica triste? Não acha que ela sabe que está a sofrer com esta situação? Ela só não quer pior, se calhar nem fala, faz de conta que nem sabe.
Um beijinho

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

Nós durante muito tempo nem contamos que estávamos a tentar, sabia a minha irmã q é a pessoa mais próxima. Com o passar do tempo e o agravar da situação começamos a contar. A minha sogra sabe e deixou d fazer pressão, vai falando mas o normal. O meu pai d certeza q tb s apercebeu. E sabe a minha patroa pk tinha d pedir dias para exames e consultas então preferi contar. E as minhas amigas tb q tem sido o meu maior suporte. Ag não escondo nada. Acho que não devia ser tabu, infelizmente há muitos casais na nossa situação. Devíamos falar disso cm se fosse um assunto normal, eu fico muito mais leve sp q abro o jogo. Lógico q n digo a toda a gente pk n tem de saber da minha vida, mas qd pessoas cm as quais tenho confiança tocam no assunto eu digo logo q temos problemas para engravidar. Até a conversa s torna mais agradável pk deixas d ouvir coisas q n gostas.

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

Claro que cada pessoa sabe de si e nem todos reagimos igual, mas concordo bastante com essa atitude, acho que é o melhor a fazer-se. Um dos problemas é que as pessoas que são menos abertas ouvem mais coisas que não querem. Acho que o sofrimento aumenta quando se vive a sós, a dois, para além do lidar com a situação é o ter de esconder.
Continue a falar e a mostrar que nem tudo acontece à primeira e não se nem mais nem.menos por isso.
Quando o seu bebé estiver preparado, ele vai ter aos vossos braços. Há bebés menos despachados 😉

MónikaMar escreveu:
Nós durante muito tempo nem contamos que estávamos a tentar, sabia a minha irmã q é a pessoa mais próxima. Com o passar do tempo e o agravar da situação começamos a contar. A minha sogra sabe e deixou d fazer pressão, vai falando mas o normal. O meu pai d certeza q tb s apercebeu. E sabe a minha patroa pk tinha d pedir dias para exames e consultas então preferi contar. E as minhas amigas tb q tem sido o meu maior suporte. Ag não escondo nada. Acho que não devia ser tabu, infelizmente há muitos casais na nossa situação. Devíamos falar disso cm se fosse um assunto normal, eu fico muito mais leve sp q abro o jogo. Lógico q n digo a toda a gente pk n tem de saber da minha vida, mas qd pessoas cm as quais tenho confiança tocam no assunto eu digo logo q temos problemas para engravidar. Até a conversa s torna mais agradável pk deixas d ouvir coisas q n gostas.

elir -
Offline
Desde 31 Mar 2011

Eu não contei a ninguém. Quero contar à minha mãe, mas cada vez que penso nisso fico com vontade de chorar e não consigo. Ainda é relativamente recente, ainda não assimilei muito bem. É um desgosto muito grande que a vida me deu. Como será também para todas vocês...
Queria muito saber lidar melhor com isto, mas não sei. É um luto...

Sobre elir

Dez 2017: decisão de tentar engravidar.
Fev 2018: consulta na GO – tudo ok.
Out 2018: 1.ª consulta de infertilidade – Amh 1.2 / fsh 9.7 / baixa contagem de folículos
Dez 2018: histerossalpingografia – ok. Ciclo com ovitrelle e progeffik – negativo.

atuaespera -
Offline
Desde 19 Out 2016

MónikaMar escreveu:
Nós durante muito tempo nem contamos que estávamos a tentar, sabia a minha irmã q é a pessoa mais próxima. Com o passar do tempo e o agravar da situação começamos a contar. A minha sogra sabe e deixou d fazer pressão, vai falando mas o normal. O meu pai d certeza q tb s apercebeu. E sabe a minha patroa pk tinha d pedir dias para exames e consultas então preferi contar. E as minhas amigas tb q tem sido o meu maior suporte. Ag não escondo nada. Acho que não devia ser tabu, infelizmente há muitos casais na nossa situação. Devíamos falar disso cm se fosse um assunto normal, eu fico muito mais leve sp q abro o jogo. Lógico q n digo a toda a gente pk n tem de saber da minha vida, mas qd pessoas cm as quais tenho confiança tocam no assunto eu digo logo q temos problemas para engravidar. Até a conversa s torna mais agradável pk deixas d ouvir coisas q n gostas.

Obrigado Monica. Revi me no que acabou de escrever. Também penso assim. Somos tantos e tantos casais e anda meio mundo escondido e calado quando poderiamos ser mais unidos e lidar melhor com as situações. Eu sempre falei abertamente que n conseguíamos ter filhos. Sempre achei que n valia apena esconder. Vivo longe dos meus pais e entao sempre que o meu Xuxu n podia ir comigo as consultas e ecos era a minha sogra e a minha cunhada que iam. Se eu tivesse ficado calada tinha perdido todo o apoio que a familia sempre me deu. Vivo no baixo alentejo onde tudo e todos sabem da vida de uns dos outros e tive que aprender a viver com os outros a falarem de mim. Se custa? Muito! Mas muita gente também veio falar comigo e contar as suas histórias de infertilidade. Afinal na terra não somos assim tão poucos como eu achava inicialmente. No entanto eu sou assim... E a minha maneira de ser. No trabalho também contei porque e um trabalho pesado e precisei de colocar baixas e faltar varias vezes. Toda agente compreendeu e n senti que tivessem pena..
Acreditem que quando conseguimos finalmente o nosso positivo quem sabe da nossa luta fica tao feliz como nós e é um sentimento muito bonito de se ver que afinal a luta nao era so nossa, como pensavamos! Tinhamos muita gente a apoiar. Nao sou a favor que se contar as coisas correm mal. Sou a favor que o que tiver que ser vai ser, saibam ou não.
Beijinhos e decidam o que é melhor pra vocês. É uma decisão que acaba por ser muito pessoal😘

Desde 08/14
01/02/03/04 2016 Duf + Duphaston (-)
06/16 IVI - 07/08/09 2016 CP Pur+Preg(-)11/16 1 IIU IVI (-)
CIRMA 31/01/17 -1 IIU 05/17 (-) 06/17(-) -consulta fiv 14/09/18
Fiv - punção a 19/10/18 - hiper - 11 embriões Crio TEC 24/01/19 beta 04/02 - 👶455❤ 🙏 É menino ❤ Martim 💙

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

BiaC escreveu:
Claro que cada pessoa sabe de si e nem todos reagimos igual, mas concordo bastante com essa atitude, acho que é o melhor a fazer-se. Um dos problemas é que as pessoas que são menos abertas ouvem mais coisas que não querem. Acho que o sofrimento aumenta quando se vive a sós, a dois, para além do lidar com a situação é o ter de esconder.
Continue a falar e a mostrar que nem tudo acontece à primeira e não se nem mais nem.menos por isso.
Quando o seu bebé estiver preparado, ele vai ter aos vossos braços. Há bebés menos despachados 😉

MónikaMar escreveu:Nós durante muito tempo nem contamos que estávamos a tentar, sabia a minha irmã q é a pessoa mais próxima. Com o passar do tempo e o agravar da situação começamos a contar. A minha sogra sabe e deixou d fazer pressão, vai falando mas o normal. O meu pai d certeza q tb s apercebeu. E sabe a minha patroa pk tinha d pedir dias para exames e consultas então preferi contar. E as minhas amigas tb q tem sido o meu maior suporte. Ag não escondo nada. Acho que não devia ser tabu, infelizmente há muitos casais na nossa situação. Devíamos falar disso cm se fosse um assunto normal, eu fico muito mais leve sp q abro o jogo. Lógico q n digo a toda a gente pk n tem de saber da minha vida, mas qd pessoas cm as quais tenho confiança tocam no assunto eu digo logo q temos problemas para engravidar. Até a conversa s torna mais agradável pk deixas d ouvir coisas q n gostas.


Nós precisamos do apoio externo, para não nos sentirmos deslocados. E acho que não devíamos fazer disto um tabu e bicho d 7 cabeças, é um problema que tem vindo a aumentar na nossa sociedade e acho q se deve, desculpem a expressão “enfrentar o touro pelos cornos”. Eu sei que não é fácil para toda a gente mas acreditem q sentimos um alívio ao falar abertamente com outras pessoas, principalmente que não são da família. Ainda esta semana uma rapariga q n é minha amiga mas cm a qual tenho bastante confiança me perguntou e então para quando um bebé ao que eu respondo, para nós n é fácil, temos problemas e somos acompanhados em infertilidade. Já lá vão dois anos de tentativas. O ambiente n ficou constrangedor e conseguimos conversar sobre isso cm naturalidade. Mas ainda hoje outra pessoa perguntou mas como n tenho confiança só respondi, isso logo se vê com o tempo.
Temos que deixar o mundo com menos tabus.

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

elir escreveu:
Eu não contei a ninguém. Quero contar à minha mãe, mas cada vez que penso nisso fico com vontade de chorar e não consigo. Ainda é relativamente recente, ainda não assimilei muito bem. É um desgosto muito grande que a vida me deu. Como será também para todas vocês...
Queria muito saber lidar melhor com isto, mas não sei. É um luto...

Tu estás a sofrer mas acredita que manteres as pessoas que te querem bem no escuro não é saudável para ti nem para eles. Desde criança que o meu sonho era ser mãe, só nós sabemos a dor que sentimos por n conseguir. Infelizmente a minha mãe já não está cá para me amparar nesta luta, pk sei q se estivesse era o meu pilar.
Mas tenho uma sogra que o maior desejo dela é ser avó. Eu sei o que aquela mulher tb sofre por isso. Por isso o meu marido decidiu contar-lhe para ela não viver sp a pensar que não lhe queríamos dar netos. Mas eu sei que ela mesmo n falando no assunto pk sabe que é sensível para mim, eu sei que ela nos está a apoiar.

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

atuaespera escreveu:

MónikaMar escreveu:Nós durante muito tempo nem contamos que estávamos a tentar, sabia a minha irmã q é a pessoa mais próxima. Com o passar do tempo e o agravar da situação começamos a contar. A minha sogra sabe e deixou d fazer pressão, vai falando mas o normal. O meu pai d certeza q tb s apercebeu. E sabe a minha patroa pk tinha d pedir dias para exames e consultas então preferi contar. E as minhas amigas tb q tem sido o meu maior suporte. Ag não escondo nada. Acho que não devia ser tabu, infelizmente há muitos casais na nossa situação. Devíamos falar disso cm se fosse um assunto normal, eu fico muito mais leve sp q abro o jogo. Lógico q n digo a toda a gente pk n tem de saber da minha vida, mas qd pessoas cm as quais tenho confiança tocam no assunto eu digo logo q temos problemas para engravidar. Até a conversa s torna mais agradável pk deixas d ouvir coisas q n gostas.

Obrigado Monica. Revi me no que acabou de escrever. Também penso assim. Somos tantos e tantos casais e anda meio mundo escondido e calado quando poderiamos ser mais unidos e lidar melhor com as situações. Eu sempre falei abertamente que n conseguíamos ter filhos. Sempre achei que n valia apena esconder. Vivo longe dos meus pais e entao sempre que o meu Xuxu n podia ir comigo as consultas e ecos era a minha sogra e a minha cunhada que iam. Se eu tivesse ficado calada tinha perdido todo o apoio que a familia sempre me deu. Vivo no baixo alentejo onde tudo e todos sabem da vida de uns dos outros e tive que aprender a viver com os outros a falarem de mim. Se custa? Muito! Mas muita gente também veio falar comigo e contar as suas histórias de infertilidade. Afinal na terra não somos assim tão poucos como eu achava inicialmente. No entanto eu sou assim... E a minha maneira de ser. No trabalho também contei porque e um trabalho pesado e precisei de colocar baixas e faltar varias vezes. Toda agente compreendeu e n senti que tivessem pena..
Acreditem que quando conseguimos finalmente o nosso positivo quem sabe da nossa luta fica tao feliz como nós e é um sentimento muito bonito de se ver que afinal a luta nao era so nossa, como pensavamos! Tinhamos muita gente a apoiar. Nao sou a favor que se contar as coisas correm mal. Sou a favor que o que tiver que ser vai ser, saibam ou não.
Beijinhos e decidam o que é melhor pra vocês. É uma decisão que acaba por ser muito pessoal😘


Completamente de acordo. Felizmente nós conseguimos sp ir os dois as consultas de infertilidade, mas nas anteriores onde ainda estava a ser feito o diagnóstico iam sp as minhas amigas comigo. Temos sp tido o apoio dos amigos e da família. Tb sou de Trás-os-Montes e vivo numa cidade pequena onde eu não sabia que havia imensa gente com este problema, e ao falar abertamente com um paciente com quem tenho muita confiança descobri que a filha dele é fruto de uma FIV. Algo que eu nunca ia saber s não me abri-se. É tão bom ver casos perto de nós que deram bons resultados. São uma família fantástica. Ou então ouvir de outra paciente que é farmacêutica “nem imaginas quantas injeções de Gonal eu administro” coisas do género que nos fazem ver que não estamos sós.
Eu só acho que não devia ser tabu um assunto tão importante

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

BiaC -
Offline
Desde 08 Jul 2012

No mínimo é importante sabermos que podemos conversar com alguém, abertamente e sem rodeios.
Mesmo as pessoas menos agradáveis se souberem na próxima já se contêm mais, se se opta por "mentir" na próxima vou mandar outra qur vai magoar.
De repente lembrei-me de algo que não tem muito a ver, não sei nadar e não consigo aprender. Tinha imensa vergonha, ninguém sabia e escondia de todos, fugia das idad à piscina com amigos, um dia fartei-me e comecei a abrir o jogo. Descobri que meio mundo não sabe nadar e muitos dos que dizem saber apenas sabem flutuar, mas não se metem sem pé com confiança em lado nenhum. O efeito de falar foi: descorbi que imensa gente tem o meu problema; nunca mais me convidaram ou insistiram para fazer coisas que eu não sei.

MónikaMar escreveu:

BiaC escreveu:Claro que cada pessoa sabe de si e nem todos reagimos igual, mas concordo bastante com essa atitude, acho que é o melhor a fazer-se. Um dos problemas é que as pessoas que são menos abertas ouvem mais coisas que não querem. Acho que o sofrimento aumenta quando se vive a sós, a dois, para além do lidar com a situação é o ter de esconder.
Continue a falar e a mostrar que nem tudo acontece à primeira e não se nem mais nem.menos por isso.
Quando o seu bebé estiver preparado, ele vai ter aos vossos braços. Há bebés menos despachados 😉

MónikaMar escreveu:Nós durante muito tempo nem contamos que estávamos a tentar, sabia a minha irmã q é a pessoa mais próxima. Com o passar do tempo e o agravar da situação começamos a contar. A minha sogra sabe e deixou d fazer pressão, vai falando mas o normal. O meu pai d certeza q tb s apercebeu. E sabe a minha patroa pk tinha d pedir dias para exames e consultas então preferi contar. E as minhas amigas tb q tem sido o meu maior suporte. Ag não escondo nada. Acho que não devia ser tabu, infelizmente há muitos casais na nossa situação. Devíamos falar disso cm se fosse um assunto normal, eu fico muito mais leve sp q abro o jogo. Lógico q n digo a toda a gente pk n tem de saber da minha vida, mas qd pessoas cm as quais tenho confiança tocam no assunto eu digo logo q temos problemas para engravidar. Até a conversa s torna mais agradável pk deixas d ouvir coisas q n gostas.

Nós precisamos do apoio externo, para não nos sentirmos deslocados. E acho que não devíamos fazer disto um tabu e bicho d 7 cabeças, é um problema que tem vindo a aumentar na nossa sociedade e acho q se deve, desculpem a expressão “enfrentar o touro pelos cornos”. Eu sei que não é fácil para toda a gente mas acreditem q sentimos um alívio ao falar abertamente com outras pessoas, principalmente que não são da família. Ainda esta semana uma rapariga q n é minha amiga mas cm a qual tenho bastante confiança me perguntou e então para quando um bebé ao que eu respondo, para nós n é fácil, temos problemas e somos acompanhados em infertilidade. Já lá vão dois anos de tentativas. O ambiente n ficou constrangedor e conseguimos conversar sobre isso cm naturalidade. Mas ainda hoje outra pessoa perguntou mas como n tenho confiança só respondi, isso logo se vê com o tempo.
Temos que deixar o mundo com menos tabus.

elir -
Offline
Desde 31 Mar 2011

Tens toda a razão, Mónika. Eu quero contar. Simplesmente gostava de o fazer de uma maneira calma e serena. A minha mãe está a sofrer muito (e eu também ) por causa da morte do meu pai há um ano. Não queria que isto viesse carregá-la ainda mais de sofrimento. Mas reconheço que tenho um problema. Não estou a conseguir partilhar isto nem a pedir a ajuda de que preciso e há dias em que é mesmo muito duro...

MónikaMar escreveu:

elir escreveu:Eu não contei a ninguém. Quero contar à minha mãe, mas cada vez que penso nisso fico com vontade de chorar e não consigo. Ainda é relativamente recente, ainda não assimilei muito bem. É um desgosto muito grande que a vida me deu. Como será também para todas vocês...
Queria muito saber lidar melhor com isto, mas não sei. É um luto...

Tu estás a sofrer mas acredita que manteres as pessoas que te querem bem no escuro não é saudável para ti nem para eles. Desde criança que o meu sonho era ser mãe, só nós sabemos a dor que sentimos por n conseguir. Infelizmente a minha mãe já não está cá para me amparar nesta luta, pk sei q se estivesse era o meu pilar.
Mas tenho uma sogra que o maior desejo dela é ser avó. Eu sei o que aquela mulher tb sofre por isso. Por isso o meu marido decidiu contar-lhe para ela não viver sp a pensar que não lhe queríamos dar netos. Mas eu sei que ela mesmo n falando no assunto pk sabe que é sensível para mim, eu sei que ela nos está a apoiar.

Sobre elir

Dez 2017: decisão de tentar engravidar.
Fev 2018: consulta na GO – tudo ok.
Out 2018: 1.ª consulta de infertilidade – Amh 1.2 / fsh 9.7 / baixa contagem de folículos
Dez 2018: histerossalpingografia – ok. Ciclo com ovitrelle e progeffik – negativo.

Selminha Silva -
Offline
Desde 31 Maio 2018

Acho que faz bem ter com quem falar sobre isso, mesmo que seja alguém que não sabe bem o que é, mas também nós sabe bem deitar isso cá pra fora. E as vezes é bom no sentido não nós fazerem aquele tipo de perguntas então é pra quando ou ta hora de um bebé. Tenho pessoas que sabem,amigos chegados e família, mas as vezes com perguntas que fazem gostava ter a coragem de dizer que ta difícil que não é fácil pra todos engravidar. Mas também as vezes me custa muito mesmo família parece mesmo sabendo parece que as vezes sei lá esqueceram o que ouviram ou não sei, que dizem coisas sem jeito nenhum pra quem sabe das coisas, e as vezes pessoas não nós querem magoar mas nem sabem o quanto magoam com certas coisas. Por exemplo a minha mãe custou me muito falar deste assunto a minha irmã mais nova não, a minha mãe só me apetecia,e me apetece chorar quando se toca nesse assunto dos netos, custa-me muito. A mae dele sabe apoia,mas mesmo tempo as vezes sai coisas não devia e por exemplo secalhar contou mais ela ao resto do que nós, o que não sei se ajudou ou não, porque as vezes nem sei se sabem ou não das coisas. Mas acho que não devia ser uma coisa tão tabu, porque acontece mais do que imaginamos, e as vezes temos casos dissos tão perto de nós e nem sabemos.

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

Selminha Silva escreveu:
Acho que faz bem ter com quem falar sobre isso, mesmo que seja alguém que não sabe bem o que é, mas também nós sabe bem deitar isso cá pra fora. E as vezes é bom no sentido não nós fazerem aquele tipo de perguntas então é pra quando ou ta hora de um bebé. Tenho pessoas que sabem,amigos chegados e família, mas as vezes com perguntas que fazem gostava ter a coragem de dizer que ta difícil que não é fácil pra todos engravidar. Mas também as vezes me custa muito mesmo família parece mesmo sabendo parece que as vezes sei lá esqueceram o que ouviram ou não sei, que dizem coisas sem jeito nenhum pra quem sabe das coisas, e as vezes pessoas não nós querem magoar mas nem sabem o quanto magoam com certas coisas. Por exemplo a minha mãe custou me muito falar deste assunto a minha irmã mais nova não, a minha mãe só me apetecia,e me apetece chorar quando se toca nesse assunto dos netos, custa-me muito. A mae dele sabe apoia,mas mesmo tempo as vezes sai coisas não devia e por exemplo secalhar contou mais ela ao resto do que nós, o que não sei se ajudou ou não, porque as vezes nem sei se sabem ou não das coisas. Mas acho que não devia ser uma coisa tão tabu, porque acontece mais do que imaginamos, e as vezes temos casos dissos tão perto de nós e nem sabemos.

Olá. Há sp quem não consiga perceber como este nosso mundo é. Mas isso já é da própria pessoa. A minha irmã sp foi muito relaxada então não encara isto cm a mesma gravidade que eu. Às vezes fico furiosa cm o q ela diz. Não é para m magoar, ela pensa q está a ajudar. Mas é dela ser tão relaxada. Mas sei que as pessoas q sabem não s põem por aí a contar mas s contarem não tenho problema nenhum. Pode ser que chegue a outro casal cm problemas e posso ver q n estão sozinhos. Bjinho

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

Duane -
Offline
Desde 17 Dez 2018

No meu caso ainda não há ninguém que saiba ao certo o nosso problema. Nunca contamos que andávamos a tentar engravidar precisamente para não sentir pressão. Com o tempo a passar claro que começa a ser difícil esconder, mas tento sempre evitar o assunto porque não quero que me vejam de forma diferente (sei do que falo) e porque também é um assunto que me custa falar.
Quanto ao apoio, muitas vezes as pessoas desiludem, tenho noção que no meu caso não me iria trazer grande vantagem, por isso esse venho-o buscar aqui, onde as pessoas estão a passar pelo mesmo e compreendem de facto a nossa situação.
Mas cada caso é um caso e cabe a nós avaliar a situação e não julgar os outros pelas decisões que tomam..
Muita força!

Sara12345 -
Offline
Desde 21 Maio 2014

Eu tb sempre contei e conto o que se passa. Tenho necessidade disso, mais não seja para as pessoas perceberem que na minha vida nem tudo é um mar de rosas como parece. Há pessoas que preferem não falar. Sinceramente, o que tenho percebido ao longo deste 4 anos é que as pessoas que não passam pelo mesmo não entendem. E como não imaginam o que sofremos muitas vezes nem sabem o que dizer e preferem não dizer nada. Outras dizem e sai tudo ao lado. Eu as vezes penso "se te calhasse a ti um quarto do que me calhou a mim queria ver se dizias isso". Mas para que importar com o que calha aos outros? Esta é a nossa história e temos de aprender a lidar c ela... mesmo qdo dói sentir que não temos quase ninguém que nos apoie. Por isso tenho reunido todas as minhas forças aqui no fórum e faço questão de participar. Porque me ajuda a superar e pq acho que posso tb as vezes ajudar quem me lê.
Tenho pensado mto até em criar um grupo de partilha, mas não sei se as pessoas estão preparadas para falar disto cara a cara, sobretudo nos meios mais pequenos. Mas as vezes penso que todo este caminho deve ter um propósito...
Outro apoio que tenho usado mto e acho importante é a psicoterapia. Mais nao seja para não estarmos sempre a bater na mm tecla c quem nos é próximo. Assim falamos c alguém que tá ali mm para isso!

Sobre Sara12345

1a gravidez - 04/15 AR 7 semanas; 2a gravidez - 07/16 ectopica (remoção trompa direita); 1a FIV - 05/17 (-); 2a FIV 09/17 (+) 3a gravidez - 18.10.2017 - 06/18 nasceu o meu bebe!; 4a gravidez - 02/19 - ectópica (remoção da trompa esquerda 😔); 3a FIV - 05/19 (-); 1a TEC - 06/19 (-); 4a FIV - AGOSTO

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

Sara12345 escreveu:
Eu tb sempre contei e conto o que se passa. Tenho necessidade disso, mais não seja para as pessoas perceberem que na minha vida nem tudo é um mar de rosas como parece. Há pessoas que preferem não falar. Sinceramente, o que tenho percebido ao longo deste 4 anos é que as pessoas que não passam pelo mesmo não entendem. E como não imaginam o que sofremos muitas vezes nem sabem o que dizer e preferem não dizer nada. Outras dizem e sai tudo ao lado. Eu as vezes penso "se te calhasse a ti um quarto do que me calhou a mim queria ver se dizias isso". Mas para que importar com o que calha aos outros? Esta é a nossa história e temos de aprender a lidar c ela... mesmo qdo dói sentir que não temos quase ninguém que nos apoie. Por isso tenho reunido todas as minhas forças aqui no fórum e faço questão de participar. Porque me ajuda a superar e pq acho que posso tb as vezes ajudar quem me lê.
Tenho pensado mto até em criar um grupo de partilha, mas não sei se as pessoas estão preparadas para falar disto cara a cara, sobretudo nos meios mais pequenos. Mas as vezes penso que todo este caminho deve ter um propósito...
Outro apoio que tenho usado mto e acho importante é a psicoterapia. Mais nao seja para não estarmos sempre a bater na mm tecla c quem nos é próximo. Assim falamos c alguém que tá ali mm para isso!

Falas de um grupo de partilha aberto ou só entra quem quiser e só essas pessoas podem ler? Pk se for a segunda opção acho fantástica.

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

Sara12345 -
Offline
Desde 21 Maio 2014

MónikaMar escreveu:

Sara12345 escreveu:Eu tb sempre contei e conto o que se passa. Tenho necessidade disso, mais não seja para as pessoas perceberem que na minha vida nem tudo é um mar de rosas como parece. Há pessoas que preferem não falar. Sinceramente, o que tenho percebido ao longo deste 4 anos é que as pessoas que não passam pelo mesmo não entendem. E como não imaginam o que sofremos muitas vezes nem sabem o que dizer e preferem não dizer nada. Outras dizem e sai tudo ao lado. Eu as vezes penso "se te calhasse a ti um quarto do que me calhou a mim queria ver se dizias isso". Mas para que importar com o que calha aos outros? Esta é a nossa história e temos de aprender a lidar c ela... mesmo qdo dói sentir que não temos quase ninguém que nos apoie. Por isso tenho reunido todas as minhas forças aqui no fórum e faço questão de participar. Porque me ajuda a superar e pq acho que posso tb as vezes ajudar quem me lê.
Tenho pensado mto até em criar um grupo de partilha, mas não sei se as pessoas estão preparadas para falar disto cara a cara, sobretudo nos meios mais pequenos. Mas as vezes penso que todo este caminho deve ter um propósito...
Outro apoio que tenho usado mto e acho importante é a psicoterapia. Mais nao seja para não estarmos sempre a bater na mm tecla c quem nos é próximo. Assim falamos c alguém que tá ali mm para isso!

Falas de um grupo de partilha aberto ou só entra quem quiser e só essas pessoas podem ler? Pk se for a segunda opção acho fantástica.

Gostava de fazer um grupo real. Sem ser na internet. Um grupo de partilha, como há por ex, alcoólicos anónimos, ou aqueles grupos para pessoas que perdem familiares próximos... Mas ainda estou a estudar o assunto

Sobre Sara12345

1a gravidez - 04/15 AR 7 semanas; 2a gravidez - 07/16 ectopica (remoção trompa direita); 1a FIV - 05/17 (-); 2a FIV 09/17 (+) 3a gravidez - 18.10.2017 - 06/18 nasceu o meu bebe!; 4a gravidez - 02/19 - ectópica (remoção da trompa esquerda 😔); 3a FIV - 05/19 (-); 1a TEC - 06/19 (-); 4a FIV - AGOSTO

Cláudia PN -
Offline
Desde 28 Abr 2016

Sara12345 escreveu:

MónikaMar escreveu:
Sara12345 escreveu:Eu tb sempre contei e conto o que se passa. Tenho necessidade disso, mais não seja para as pessoas perceberem que na minha vida nem tudo é um mar de rosas como parece. Há pessoas que preferem não falar. Sinceramente, o que tenho percebido ao longo deste 4 anos é que as pessoas que não passam pelo mesmo não entendem. E como não imaginam o que sofremos muitas vezes nem sabem o que dizer e preferem não dizer nada. Outras dizem e sai tudo ao lado. Eu as vezes penso "se te calhasse a ti um quarto do que me calhou a mim queria ver se dizias isso". Mas para que importar com o que calha aos outros? Esta é a nossa história e temos de aprender a lidar c ela... mesmo qdo dói sentir que não temos quase ninguém que nos apoie. Por isso tenho reunido todas as minhas forças aqui no fórum e faço questão de participar. Porque me ajuda a superar e pq acho que posso tb as vezes ajudar quem me lê.
Tenho pensado mto até em criar um grupo de partilha, mas não sei se as pessoas estão preparadas para falar disto cara a cara, sobretudo nos meios mais pequenos. Mas as vezes penso que todo este caminho deve ter um propósito...
Outro apoio que tenho usado mto e acho importante é a psicoterapia. Mais nao seja para não estarmos sempre a bater na mm tecla c quem nos é próximo. Assim falamos c alguém que tá ali mm para isso!

Falas de um grupo de partilha aberto ou só entra quem quiser e só essas pessoas podem ler? Pk se for a segunda opção acho fantástica.

Gostava de fazer um grupo real. Sem ser na internet. Um grupo de partilha, como há por ex, alcoólicos anónimos, ou aqueles grupos para pessoas que perdem familiares próximos... Mas ainda estou a estudar o assunto

Adoro a ideia Sara podes contar com o meu apoio para o grupo!
Quanto a mim eu nao espalho o nosso problema mas familia mais chegada sabe claro e sempre que existe o tipo de conversa por parte de amigos de filhos ai sim dou a entender que nao é fácil para nós e exponho o caso ou nao conforme as pessoas!
Ja fui sim olhada como coitada e nos inicios pedi que nao me andassem sempre a fazer perguntas sobre o caso ...e assim foi as pessoas respeitam!!!!
Acho importante termos sempre com quem falar ..
Apesar que para muitas pessoas que nao fazem ideia do que esta caminhada é ..
Torna se simples eles falarem e dizerem sempre barbaridades como um dia acontece lolol
Mas hoje isso ja nao me magoa e quem olha para eles com pena sou eu por serem felizmente ignorantes nestes assuntos!!!! Mas ainda bem qje assim é ...porqje tarefas e caminhos destes so sao dados a pessoas especiais como nós!!!! <3 <3 <3

1ºICSI a 09/2017 Positivo 94 - Não Evolutiva
1°TEC 04/2018 Embrião Não Sobreviveu à Descongelação
Julho 2018 - Miomectomia Laparoscopica
Fevereiro 2019 - 2° ICSI - Positivo Beta 644 ❤❤❤

Selminha Silva -
Offline
Desde 31 Maio 2018

MónikaMar escreveu:

Selminha Silva escreveu:Acho que faz bem ter com quem falar sobre isso, mesmo que seja alguém que não sabe bem o que é, mas também nós sabe bem deitar isso cá pra fora. E as vezes é bom no sentido não nós fazerem aquele tipo de perguntas então é pra quando ou ta hora de um bebé. Tenho pessoas que sabem,amigos chegados e família, mas as vezes com perguntas que fazem gostava ter a coragem de dizer que ta difícil que não é fácil pra todos engravidar. Mas também as vezes me custa muito mesmo família parece mesmo sabendo parece que as vezes sei lá esqueceram o que ouviram ou não sei, que dizem coisas sem jeito nenhum pra quem sabe das coisas, e as vezes pessoas não nós querem magoar mas nem sabem o quanto magoam com certas coisas. Por exemplo a minha mãe custou me muito falar deste assunto a minha irmã mais nova não, a minha mãe só me apetecia,e me apetece chorar quando se toca nesse assunto dos netos, custa-me muito. A mae dele sabe apoia,mas mesmo tempo as vezes sai coisas não devia e por exemplo secalhar contou mais ela ao resto do que nós, o que não sei se ajudou ou não, porque as vezes nem sei se sabem ou não das coisas. Mas acho que não devia ser uma coisa tão tabu, porque acontece mais do que imaginamos, e as vezes temos casos dissos tão perto de nós e nem sabemos.

Olá. Há sp quem não consiga perceber como este nosso mundo é. Mas isso já é da própria pessoa. A minha irmã sp foi muito relaxada então não encara isto cm a mesma gravidade que eu. Às vezes fico furiosa cm o q ela diz. Não é para m magoar, ela pensa q está a ajudar. Mas é dela ser tão relaxada. Mas sei que as pessoas q sabem não s põem por aí a contar mas s contarem não tenho problema nenhum. Pode ser que chegue a outro casal cm problemas e posso ver q n estão sozinhos. Bjinho

Também não vejo problema nenhum dos outros saberem, mas la esta infelizmente muitas pessoas nao fazem a minima que isto acontece muito mais do que pensam, e não por acontecer que pessoa por exemplo nunca vai ter filhos, que é logo umas fas questões que fazem quando ouvem infertelidade, e a pergunta as vezes é es tu ou ele que tem problema, e as vezes nem é nenhum, acontece. Por isso acho que devia ser mais falado que é,pra pessoas também verem que as vezes podem dizer coisas sem intenção de magoar mas que magoa quem as ouve.

Sheepelgirl -
Offline
Desde 01 Mar 2016

Já me arrependi de ter contado. Agora que vamos partir para a ovodoação nem quero que ninguém saiba, pelo menos na fase do tratamento.

As razões para me ter arrependido de ter contado à família são várias: a pressão de se conseguir e o não entendimento quando não se consegue (deveria ser fácil não?), tenho uma família do meu lado hiper mega complicada e sinceramente há períodos que simplesmente não quero falar a minha mãe (mas quando a minha sogra e a minha mãe falam mais entre elas do que connosco é natural), a relação demasiado próxima entre a minha sogra e o filho (vivemos na mesma casa, mas não é esse o problema...desde que o meu sogro infelizmente morreu o meu marido tem uma necessidade extrema de lhe contar tudo e mais alguma coisa), o facto de mesmo assim a minha sogra ser uma pessoa completamente egoísta e que mesmo sabendo quando andamos em tratamentos não é capaz de dar uma palavra de alento e nem de perguntar se precisamos de alguma coisa (não, não precisamos, mas é o que é).

Não me arrependo de ter contado à minha chefia e aos meus colegas mais próximos (já passaram pelo mesmo directa e indirectamente e têm sido um grande apoio).

Isto é tudo muito subjectivo e depende de quem está do outro lado para nos apoiar ou não. Mas o que é certo é que face à experiência que tenho, se começasse hoje não o teria feito.

2016 - AMH 0,7/2018 - AMH 0,45
2016/ICSI (-): 1 embrião 3D/4 células
2017/02 - GN - GQ (a esperança deste positivo!)/2017/ICSI – 2ª GQ: 1 embrião 3D/5 células
2019/01 - lista de espera OVODOAÇÃO
2019/03 - GN - 1º BETA 716 - 2º BETA 774 - não evoluiu Triste
A luta pelo nosso sonho continua! <3

Susye -
Offline
Desde 08 Fev 2015

por um lado, deixam de fazer tantas perguntas. Por outro, muitos acham uma estupidez gastar-se tanto dinheiro com base em pensamentos muito inteligentes do género “se calhar estava destinado não terem filhos”

Sobre Susye

1ª FIV (HUC 2017-2018): 5 blastos | TEF (-), TEC (-), TEC (-)
2ª FIV (IVI 2018): 3 blastos | TEC (-), TEC (-)
3ª FIV DO (IVI 2019): 3 blastos | TEC (+)

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

Percebo aquilo que vocês dizem. Eu comecei a contar aos poucos a algumas pessoas mais próximas e que era possível entenderem. Mas mesmo assim há sp quem não perceba. Eu tb já ouvi d td. Ouvi de uns colegas do meu marido num certo jantar algo do género, “o homem altera td o que era para ser normal, ag quer-se um filho e faz-se uma fertilização, já nada é feito com seleção natural, é assim que estamos a destruir o planeta”. Estou a falar de uma pessoa estudada e na ciências e onde a mulher é médica. Fiquei parva ao ouvir aquilo. Só não respondi pk n tinha confiança. Pk estive mesmo para perguntar pk vacinava as filhas, isso tb vai contra a seleção das espécies. Pk segundo ele nós somos fracos para ter filhos. Caiu-me tão mal q andei a chorar durante dias sp q m lembrava daquilo.
Existem pessoas assim, mas o facto de eu achar importante contar é para desmistificar td a volta da infertilidade. Mentalidades não se mudam de um dia para o outro, é preciso paciência e perseverança. Bjinho

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

Sara12345 -
Offline
Desde 21 Maio 2014

MónikaMar escreveu:
Percebo aquilo que vocês dizem. Eu comecei a contar aos poucos a algumas pessoas mais próximas e que era possível entenderem. Mas mesmo assim há sp quem não perceba. Eu tb já ouvi d td. Ouvi de uns colegas do meu marido num certo jantar algo do género, “o homem altera td o que era para ser normal, ag quer-se um filho e faz-se uma fertilização, já nada é feito com seleção natural, é assim que estamos a destruir o planeta”. Estou a falar de uma pessoa estudada e na ciências e onde a mulher é médica. Fiquei parva ao ouvir aquilo. Só não respondi pk n tinha confiança. Pk estive mesmo para perguntar pk vacinava as filhas, isso tb vai contra a seleção das espécies. Pk segundo ele nós somos fracos para ter filhos. Caiu-me tão mal q andei a chorar durante dias sp q m lembrava daquilo.
Existem pessoas assim, mas o facto de eu achar importante contar é para desmistificar td a volta da infertilidade. Mentalidades não se mudam de um dia para o outro, é preciso paciência e perseverança. Bjinho

Esse pensamento não é nada que não me passe as vezes pela cabeça. Tantas vezes já pensei que se não engravidava era porque talvez não fosse para eu ser mãe. Mas depois realmente pensamos nisso tudo: nos tratamentos de todas as doenças que tb vieram para fazer uma selecção talvez. E raras são as pessoas que pensam 2 vezes sobre isso. No fundo, a infertilidade é mais uma consequência do nosso estilo de vida, como as depressões, os cancros etc. Por isso pq não usarmos a ciência para prosseguir o nosso objectivo de vida? Que aliás, enquanto mulheres na maioria dos casos é o maior de toda a nossa existência. As pessoas falam mto, não fazem ideia do que fariam se estivessem no lugar dos outros. Mas na maior parte das vezes não o fazem por mal. Muitas vezes nós tb já devemos ter sido mto inconvenientes para outras pessoas que passam por qualquer outro problema que nos não fazemos ideia..! Tenho tendência a ser mto dura para as pessoas e todo este filme tem me ajudado a relativizar um bocado as relações. Há pessoas com quem não vale mm a pena partilharmos o que nos vai na alma, e outras a quem nos podemos apoiar!

Sobre Sara12345

1a gravidez - 04/15 AR 7 semanas; 2a gravidez - 07/16 ectopica (remoção trompa direita); 1a FIV - 05/17 (-); 2a FIV 09/17 (+) 3a gravidez - 18.10.2017 - 06/18 nasceu o meu bebe!; 4a gravidez - 02/19 - ectópica (remoção da trompa esquerda 😔); 3a FIV - 05/19 (-); 1a TEC - 06/19 (-); 4a FIV - AGOSTO

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

Há pessoas que a partida nos apercebemos q n vale a pena dizer nada. Pk n vão acrescentar nada importante. Eu tb já pensei q tb n fosse feita para ser mãe mas dp olho a volta e apercebo-me q n pode ser verdade pk vejo tanta mulher a parir q n devia ser mãe. Isto é uma batalha. E ou lutamos ou moeremos a tentar.

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

Susye -
Offline
Desde 08 Fev 2015

500 a 600 mil casais, só em Portugal, então, não estariam destinados a ter filhos. Alguns adiaram porque não eram « casados », ou porque a carreira não o permitia, ou porque « não há condições ». A própria sociedade tem muita culpa nisto tudo.
E se pensarmos que a fertilidade, principalmente masculina, é hoje em dia muito afectada pela poluição e alimentação contaminada... Seleção natural uma ova!!!

Sobre Susye

1ª FIV (HUC 2017-2018): 5 blastos | TEF (-), TEC (-), TEC (-)
2ª FIV (IVI 2018): 3 blastos | TEC (-), TEC (-)
3ª FIV DO (IVI 2019): 3 blastos | TEC (+)

Carlitaa -
Offline
Desde 22 Ago 2018

Eu junto-me também a vós nesta luta... apesar de ser mais recente, andamos à cerca de um ano e meio a tentar, sinto que toda a gente olha para nós como aquele casal que já está junto há mais anos que todos os outros e somos os únicos sem filhos. Se é porque queremos? Claro que não! Se entendem? Alguns sim, outros não. Se faço questão de explicar? A quem percebe sim, aos outros é melhor não porque não sabemos qual a sua reação.
Eu contei a minha mãe como as coisas vão correndo e passado pouco tempo já sei que ela já contou a meio mundo. O que eu faço agora é filtrar o que lhe conto. Se soubesse o que sei hoje, provavelmente nunca lhe tinha contado nada. Tenho o apoio do meu marido que, no auge da sua descontração, não sei muito bem se ele percebe as minhas dúvidas, os meus receios, a minha ansiedade, os medos e as desilusões. Eu penso que sim mas, por vezes, precisava que falasse mais comigo, que me ouvisse e que juntos procurássemos mais alternativas.
Eu sei que temos amigos que passaram pelo mesmo que nós porque, por acaso, veio a conversa. Não é algo que fale, mesmo com os mais próximos, pois a postura dos dias seguintes pode não ser a melhor e a fragilidade já é muita para ainda ter que lidar com estas frustrações (tem sido mais de 10 anos a lidar com uma doença auto-imune e agora esta questão da infertilidade...). 😞
Obrigada por me “ouvirem”. Participar neste grupo dá-me um alento muito importante.
Beijinho a todas! 😘

Sobre Carlitaa

https://atampadotacho.blogspot.com - o blog de uma treinante, com fé e esperança! 🙏🏻🍀

Carlitaa -
Offline
Desde 22 Ago 2018

Eu junto-me também a vós nesta luta... apesar de ser mais recente, andamos à cerca de um ano e meio a tentar, sinto que toda a gente olha para nós como aquele casal que já está junto há mais anos que todos os outros e somos os únicos sem filhos. Se é porque queremos? Claro que não! Se entendem? Alguns sim, outros não. Se faço questão de explicar? A quem percebe sim, aos outros é melhor não porque não sabemos qual a sua reação.
Eu contei a minha mãe como as coisas vão correndo e passado pouco tempo já sei que ela já contou a meio mundo. O que eu faço agora é filtrar o que lhe conto. Se soubesse o que sei hoje, provavelmente nunca lhe tinha contado nada. Tenho o apoio do meu marido que, no auge da sua descontração, não sei muito bem se ele percebe as minhas dúvidas, os meus receios, a minha ansiedade, os medos e as desilusões. Eu penso que sim mas, por vezes, precisava que falasse mais comigo, que me ouvisse e que juntos procurássemos mais alternativas.
Eu sei que temos amigos que passaram pelo mesmo que nós porque, por acaso, veio a conversa. Não é algo que fale, mesmo com os mais próximos, pois a postura dos dias seguintes pode não ser a melhor e a fragilidade já é muita para ainda ter que lidar com estas frustrações (tem sido mais de 10 anos a lidar com uma doença auto-imune e agora esta questão da infertilidade...). 😞
Obrigada por me “ouvirem”. Participar neste grupo dá-me um alento muito importante.
Beijinho a todas! 😘

Sobre Carlitaa

https://atampadotacho.blogspot.com - o blog de uma treinante, com fé e esperança! 🙏🏻🍀

MónikaMar -
Offline
Desde 26 Dez 2015

Uma coisa eu já me apercebi nesta vida, quem não compreende nem vale a pena insistir. Esses nunca vão conseguir compreender. Há pessoa que nos desiludem nesse sentido, tb me aconteceu com alguém da qual eu não esperava mas pronto. Há que seguir em frente e não pensar nesses casos.

🔸6 meses a tentar naturalmente sem sucesso
🔸diagnóstico de SOP.
🔸8 meses a tentar com dufine e duphaston sem sucesso
🔸2 meses a tentar só com Dikirogen
🔸Ciclos com letrozol e ovitrelle.
🔸Finalmente o nosso positivo 16/3/2019 😍😍😍 que corra td bem

Outros tópicos relacionados

Ritmo cardíaco do bebé
Hello meninas. Ontem fui fazer registo e fiquei preocupada (mãe sofre), o ritmo cardíaco do meu bebé não estava "normal". e a médica mandou-me repetir à tarde no fim do almoço fiquei logo alarmada e com receio, á tarde repeti e o médico disse-me que...
PERCENTIL DO BEBÉ ÁS 31 SEMANAS
Meninas estou com uma dúvida, ontem fiz a eco das 31 semanas e a médica disse-me que o meu bebé é pequenino, têm percentil 5 e têm cerca de um quilo e meio, dentro de 15 dias irei farei nova eco, para vêr a evolução do bebé. Fiquei preocupada, como...
Saida do tampão mucoso as 33 semanas
Boa tarde meninas O que me traz hoje por cá é uma duvida. No dia 4 saiu-me um bocadinho de tampão mucoso de cor caramelo, no dia 5 (domingo de Pascoa) saiu-me mais um bocado desta vez enorme de tampão mucoso de cor caramelo tendo que me limpar 2...
Tampão mucoso às 34 semanas
Olá mamãs! Estou com 34 semanas e um dia. Ontem pareceu-me que estava a começar a perder o tampão mucoso. Mas foi só um bocadinho. Hoje de manhã voltou a sair mais um pouco. Será caso para ir ao hospital? Há quem diga que a bebé vai nascer prematura...
Tampão mucoso??
Bom dia a todas as mamãs. Hoje início as 35 semanas mas desde ontem que tenho andado com algumas dores no fundo das costas e uma ligeira pressão na virilha direita também já à alguns dias. Até aqui tudo ok, já faltam poucas semanas pensei eu. Esta...
Tampão mucoso
Olá meninas boa noite! Gostaria de tirar uma duvida,estou grávida de 37 semanas e queria saber se sempre q perdemos o tampão mucoso ou de muco sai um pouco de sangue junto. Pode nao sair sangue? Bjinhus

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?