Ciúmes do irmão??? | De Mãe para Mãe

Está aqui

Ciúmes do irmão???

Responda
10 mensagens
jujunho -
Offline
Desde 18 Jan 2011

Olá mamas, como podem ver tenho um bebê com 12 dias e um menino com 2 anos e 5 meses.
A questão que venho aqui colocar, e para quem teve assim filhos próximos como foi a reação do mais velho.
Qd o meu mais velho me foi visitar ao hospital não o reconheci, qd ele saiu de lá chorei toda a noite pq apercebi me q algo não estava bem. Qd voltei para casa pior ainda, marquei logo uma consulta na pediatra pr ver se não estaria doente e ela disse q estava tudo ok.
Ele sempre foi um menino MT bom de cuidar durante o Diaz durante a noite tinha dias, ou seja o normal.
Desde que voltei pra casa que ele simplesmente não come, só vai a sopa e qd vai, está magro de meter do Triste ele nunca foi gordinho, mas agora mete impressão.
Ele falava super bem e correctamente, agora do fala a chorar não percebo nada do q ele diz Triste
As noites então nem se fala, tem.que vir pr o nosso meio e às vezes mesmo assim passa a noite toda a chorar pq não quer dormir Triste
Diz não a tudo tudo tudo, recusa me para tudo, só quer o pai Triste
Não alteramos em.nada a rotina dele, apenas incluímos o irmão nela.
Não sei mais o que fazer, sei q isto está a deita me abaixo, parece que não reconheco o meu próprio filho e qd paro pra pensar nisso sinto saudades dele como se ele não estivesse aqui Triste
Alguém que me diga que isto é normal e q vai passar Triste não sei mais o que faço mas já pensei procurar ajuda de uma psicóloga ou assim, mamas que passaram por isto o q fizeram?

Ah esqueci me de referir, ganhou imensos tiques Confuso meter o dedo no nariz , andar c as mãos na boca, ferrar se qd é contrariado :o

moomis -
Offline
Desde 01 Out 2017

Olá mamã antes de mais um abraço apertado e parabéns pelo bebé.

Eu acho que o ideal mesmo é procurar ajuda de um psicólogo. Ao analisar o caso em questão ele pode perceber o que está a levar a essa alteração de comportamento tão grande e coincidente com a vinda do mano.
Eles por volta dos 2/3 anos passam por uma fase muito complicada tb e o comportamento pode estar ligado a isso mas tb pode ser por outros motivos.

Não sei se tem forma mas acho que podia ser bom para ele ter tempo a sós só consigo todos os dias. De resto manter se firme nas regras mas tb dar muito amor e atenção ao mais velho.

Submetido por moomis em Dom, 26/11/2017 - 15:35
jujunho -
Offline
Desde 18 Jan 2011

Isso eu já faço, vou busca lo a creche, estou sp a brincar com ele sozinha enquanto o pai segura no mano etc.
Anda sp com um olhar vazio, que me mete MT confusão Confuso

Submetido por jujunho em Dom, 26/11/2017 - 17:19
Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

Olá jujunho
Não sei como te ajudar pq não tenho experiência nesse campo
Mas queria dar-te os parabéns e encorajar-te para esta nova fase que sem duvida não está a ser fácil Triste
Beijinhos

Submetido por Ansha em Dom, 26/11/2017 - 18:40
Ana Svensson -
Offline
Desde 23 Abr 2017

Em primeiro lugar, parabéns pelo bebé!

Aquilo que descreve parece-me normal. O nascimento de um irmão é uma grande mudança na vida dos nossos filhos e, naturalmente, eles reagem a isso. Sentem-se ameaçados, sentem (e com toda a razão) que a atenção já não está toda neles e, ao início, podem não reagir da melhor forma. Penso que são muitas mais as crianças que sentem ciúmes dos irmãos mais novos (quer demonstrem, quer não demonstrem), do que aquelas que lidam pacificamente com essa alteração.

No meu caso, quando a minha segunda filha nasceu, a mais velha tinha precisamente mais 1 ano que o seu filho. E posso dizer-lhe que a reacção não foi muito diferente. Ela, que sempre foi uma menina daquelas muito certinhas e bem comportadas, começou a fazer birras em casa a torto e a direito, não queria comer, queria que lhe déssemos tudo à boca (embora nunca tenha sido uma criança que gostasse de comer, já comia sozinha há muito tempo), deixou de dormir direito, queria sempre vir para a nossa cama (sempre tinha dormido sozinha na dela), acordava constantemente a meio da noite a chorar e a dizer que tinha pesadelos (isto durou à volta de 1 ano), ignorava-me, queria o pai para tudo, não queria ir ao colégio (que sempre adorou), andava sempre com um olhar triste... Eu tentava passar o máximo de tempo com ela e fazer programas fora de casa sem a irmã, pelo menos 1 vez por semanas. Mas nada parecia resultar. Se foi difícil? Muito! Tanto eu como o meu marido andávamos desesperados, eu fartava-me de chorar e, a certa altura, já não sabíamos mais o que fazer para que ela voltasse ao normal. Mas acredite que tudo passa. Pode demorar mais ou menos tempo, mas passa. Com o tempo, as rotinas foram-se instalando, eu voltei ao trabalho e foi tudo voltando ao que era dantes. Desta vez, felizmente, não senti isso. Noto nela alguns ciúmes do irmão em momentos pontuais, mas não mais do que isso. Na pequenita, não sei se por ser mais nova, se por nunca ter sido filha única, ou apenas por uma questão de feitio, nunca notei nada. Mas, como lhe disse, percebo muito bem o que está a passar.

No seu caso, parece-me cedo para procurar um psicólogo. O bebé tem apenas 12 dias, é perfeitamente normal que ainda nada tenha melhorado e, não a querendo desanimar, pode ainda demorar bastante tempo. Todas as pessoas com quem falei e que passaram pelo mesmo, também se referem a esta fase como longa. As coisas não vão voltar ao normal da noite para o dia, mas com tempo e MUITA paciência, a maioria das crianças ultrapassa esta fase, sem ser preciso recorrer médicos ou psicólogos. Dê tempo ao tempo e vai ver que vai tudo ficar bem.

Submetido por Ana Svensson em Dom, 26/11/2017 - 20:06
jujunho -
Offline
Desde 18 Jan 2011

Ana Svensson escreveu:
Em primeiro lugar, parabéns pelo bebé!
Aquilo que descreve parece-me normal. O nascimento de um irmão é uma grande mudança na vida dos nossos filhos e, naturalmente, eles reagem a isso. Sentem-se ameaçados, sentem (e com toda a razão) que a atenção já não está toda neles e, ao início, podem não reagir da melhor forma. Penso que são muitas mais as crianças que sentem ciúmes dos irmãos mais novos (quer demonstrem, quer não demonstrem), do que aquelas que lidam pacificamente com essa alteração.
No meu caso, quando a minha segunda filha nasceu, a mais velha tinha precisamente mais 1 ano que o seu filho. E posso dizer-lhe que a reacção não foi muito diferente. Ela, que sempre foi uma menina daquelas muito certinhas e bem comportadas, começou a fazer birras em casa a torto e a direito, não queria comer, queria que lhe déssemos tudo à boca (embora nunca tenha sido uma criança que gostasse de comer, já comia sozinha há muito tempo), deixou de dormir direito, queria sempre vir para a nossa cama (sempre tinha dormido sozinha na dela), acordava constantemente a meio da noite a chorar e a dizer que tinha pesadelos (isto durou à volta de 1 ano), ignorava-me, queria o pai para tudo, não queria ir ao colégio (que sempre adorou), andava sempre com um olhar triste... Eu tentava passar o máximo de tempo com ela e fazer programas fora de casa sem a irmã, pelo menos 1 vez por semanas. Mas nada parecia resultar. Se foi difícil? Muito! Tanto eu como o meu marido andávamos desesperados, eu fartava-me de chorar e, a certa altura, já não sabíamos mais o que fazer para que ela voltasse ao normal. Mas acredite que tudo passa. Pode demorar mais ou menos tempo, mas passa. Com o tempo, as rotinas foram-se instalando, eu voltei ao trabalho e foi tudo voltando ao que era dantes. Desta vez, felizmente, não senti isso. Noto nela alguns ciúmes do irmão em momentos pontuais, mas não mais do que isso. Na pequenita, não sei se por ser mais nova, se por nunca ter sido filha única, ou apenas por uma questão de feitio, nunca notei nada. Mas, como lhe disse, percebo muito bem o que está a passar.
No seu caso, parece-me cedo para procurar um psicólogo. O bebé tem apenas 12 dias, é perfeitamente normal que ainda nada tenha melhorado e, não a querendo desanimar, pode ainda demorar bastante tempo. Todas as pessoas com quem falei e que passaram pelo mesmo, também se referem a esta fase como longa. As coisas não vão voltar ao normal da noite para o dia, mas com tempo e MUITA paciência, a maioria das crianças ultrapassa esta fase, sem ser preciso recorrer médicos ou psicólogos. Dê tempo ao tempo e vai ver que vai tudo ficar bem.

Ainda bem que vejo que é normal, as únicas pessoas que conheço não viram grandes alterações nos filhos mais velhos e por isso estava a ficar bastante preocupada, q achar que o meu não tinha capacidade para lidar com isto.
Eu não me importo que demorou eu só quero é que um dia passe, seja ele o dia que forz e que eu tenha o meu filho de volta Sorriso custa muito ele rejeitar me, mas custa me mais olhar para ele e não o ver Confuso e MT estranho dizer isto Triste

Submetido por jujunho em Dom, 26/11/2017 - 21:27
Desde 05 Ago 2017

Olá!
Cá por casa os babies têm diferença de 18 meses! Quando o meu filho me foi visitar ao hospital ignorou-me completamente,nos primeiros dias em casa olhava-me de lado e não queria que me aproximasse, doeu muito..ele não tinha maneira de se exprimir..sempre o chamei para a nossa beira, sempre lhe expliquei o que estava a fazer á irmã,deixo-o participar em tudo que seja possível! Mantemos as mesmas rotinas e com o tempo melhorou, acho que percebeu que a mãe dá conta dos dois!
Saliento que tudo o que refere faz parte dos "terríveis dois anos", tento não atribuir os comportamentos ao ciúme mas sim a essa fase! O meu filho tem alturas que seleciona o que quer comer, o NÃO é a palavra que mais diz ao dia,ele fica comigo em casa mas se tiver o pai prefere-o a ele, também anda com as mãos na boca quando não tem a chupeta..ele passa o dia a testar limites, imponho limites mas tento levá-lo a bem.. é difícil mas compensa tudo quando os vejo a interagir e a sorrir um para o outro! 😍
Sempre que for ao pediatra leve também o mais velho e vá falando das preocupações.

Submetido por Liliana Miguel Gomes em Dom, 26/11/2017 - 22:32

Liliana Miguel Gomes

jujunho -
Offline
Desde 18 Jan 2011

Liliana Miguel Gomes escreveu:
Olá!
Cá por casa os babies têm diferença de 18 meses! Quando o meu filho me foi visitar ao hospital ignorou-me completamente,nos primeiros dias em casa olhava-me de lado e não queria que me aproximasse, doeu muito..ele não tinha maneira de se exprimir..sempre o chamei para a nossa beira, sempre lhe expliquei o que estava a fazer á irmã,deixo-o participar em tudo que seja possível! Mantemos as mesmas rotinas e com o tempo melhorou, acho que percebeu que a mãe dá conta dos dois!
Saliento que tudo o que refere faz parte dos "terríveis dois anos", tento não atribuir os comportamentos ao ciúme mas sim a essa fase! O meu filho tem alturas que seleciona o que quer comer, o NÃO é a palavra que mais diz ao dia,ele fica comigo em casa mas se tiver o pai prefere-o a ele, também anda com as mãos na boca quando não tem a chupeta..ele passa o dia a testar limites, imponho limites mas tento levá-lo a bem.. é difícil mas compensa tudo quando os vejo a interagir e a sorrir um para o outro! 😍
Sempre que for ao pediatra leve também o mais velho e vá falando das preocupações.

Obrigado pelos vossos testemunhos, fico c o coração bem mais sossegado. Qd estava grávida ele aceitava tudo tão bem. O facto de n poder pegar nele, apanhava me tudo q caia ao chão pq sabia q não conseguia etc, acho q foi por isso q nunca pensei q reagisse assim.
Agora é esperar q passe Confuso

Submetido por jujunho em Seg, 27/11/2017 - 07:10
carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

Vou seguir para quando vier o segundo nao me esquecer dos vossos testemunhos.

Submetido por carlabrito em Ter, 05/12/2017 - 10:01
carlabrito -
Offline
Desde 30 Maio 2017

A seguir.

Submetido por carlabrito em Ter, 05/12/2017 - 10:05

Votação

Quanto gastou ou pretende gastar no carrinho de bebé?