Água bebé | De Mãe para Mãe

Água bebé

Responda
16 mensagens
MFNG -
Offline
Desde 01 Fev 2010

Bom dia mamãs.

Tenho uma bebé com 3 meses alimentada em exclusivo com leite de fórmula. O pediatra disde que não era necessário oferecer água mas na net encontra-se facilmente informação contraditória assim como já tive algumas pessoas a dizerem que se deve dar água para se habituar. Gostava de saber como é que com os vossos bebés? Obrigada e bom domingo.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

O LA já contém água. Se o bebé tiver sede, ofereça leite.
Água para habituar? Habituar a quê?
Que informação contraditória encontra na net? Fiz agora uma pesquisa rápida e a recomendação é para dar água depois dos 6 meses, ou quando se iniciar a IA (que deverá também ser perto dos 6 meses).

MFNG -
Offline
Desde 01 Fev 2010

Sansa escreveu:
O LA já contém água. Se o bebé tiver sede, ofereça leite.
Água para habituar? Habituar a quê?
Que informação contraditória encontra na net? Fiz agora uma pesquisa rápida e a recomendação é para dar água depois dos 6 meses, ou quando se iniciar a IA (que deverá também ser perto dos 6 meses).

Em alguns sites refere que devemos dar água a bebés alimentados exclusivamente por formula, daí a minha pergunta. Quando digo habituar, ou melhor, o que me disseram é habituar a beber água. Como é obvio, sigo as indicações do pediatra e só coloquei esta questão aqui para saber como fazem as outras mães de bebés alimentados por fórmula. Obrigada.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

MFNG escreveu:

Sansa escreveu:O LA já contém água. Se o bebé tiver sede, ofereça leite.
Água para habituar? Habituar a quê?
Que informação contraditória encontra na net? Fiz agora uma pesquisa rápida e a recomendação é para dar água depois dos 6 meses, ou quando se iniciar a IA (que deverá também ser perto dos 6 meses).

Em alguns sites refere que devemos dar água a bebés alimentados exclusivamente por formula, daí a minha pergunta. Quando digo habituar, ou melhor, o que me disseram é habituar a beber água. Como é obvio, sigo as indicações do pediatra e só coloquei esta questão aqui para saber como fazem as outras mães de bebés alimentados por fórmula. Obrigada.


Eu nao encontrei nenhum site que recomende oferecer agua antes da IA, dai ter perguntado, porque e estranho que recomendem dar agua a um bebe com 3 meses.
De qualquer forma, nao deve mesmo dar agua porque o estomago do bebe e pequenino e ao dar agua vai estar a encher o estomago com um liquido que nao tem nenhum valor nutritivo, numa fase em que e importante que o bebe receba nutrientes.

MFNG -
Offline
Desde 01 Fev 2010

Este é só um exemplo.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Não consigo ter acesso ao site da sociedade brasileira de pediatria para perceber a razão dessa recomendação. No entanto, sabendo que o Brasil é um país muito mais quente que Portugal, possivelmente esta seja uma das razão por trás da recomendação.
Pessoalmente, a não ser que o bebé esteja em risco de desidratação por causa do calor, não recomendaria dar água. E é ainda da importante ter em conta o peso do bebé antes de oferecer água.
Portanto, apenas ofereça água se for mesmo necessário.

Anotski85 -
Offline
Desde 09 Jun 2020

Também já li sobre isso e encontrei a mesma informação que a autora do tópico. Eu acho que é uma questão de razoabilidade. Eu daria verificando-se alguns pressupostos: só dar LA a cada 3h, estar um calor extremo e a bebe transpirar muito. Na verdade eu nunca cumpriria o primeiro pressuposto, acho que o bebé deve mamar em LD mesmo o LA. Mas como aqui em PT as mães saem da maternidade com indicação para dar leite a cada 3h, eu acho prudente ir dando uns poucos mililitros de água aos bebés em dias de calor extremo (acima dos 30 graus) se de facto eles estão 3h sem ingerir qualquer leite. É que 3h é muito tempo sem comer nem beber. É para mim, que tenho 37 anos, imagine para um bebé que só bebe leitinho e o digere num instante. Ou dá mais vezes leite, ou dá um bocadinho de água. Se der água ao fim de 1h da mamada mal vão encher nem saciar o bebé, que ainda terá 2h para absorver essa água e ficar cheio de fome.

Anotski85 -
Offline
Desde 09 Jun 2020

Se o problema for o calor e a bebe transpirar muito, tente algumas estratégias para a refrescar. Eu passo compressas de embebidas em água fria no meu, sento-o no meu colo e deixo-o chapinhar com os pés em água tépida no lavatório. E não o ponho só de fralda. Visto um body com mangas porque me apercebi que só com a fralda o corpo deles recebe diretamente o nosso calor quando estão a colo. Um body de algodão, larguinho, ajuda mais que estar de tronco nu.

Anotski85 -
Offline
Desde 09 Jun 2020

*com mangas cavas, ou seja sem mangas! 😅

Anotski85 -
Offline
Desde 09 Jun 2020

Sansa escreveu:
O LA já contém água. Se o bebé tiver sede, ofereça leite.
Água para habituar? Habituar a quê?
Que informação contraditória encontra na net? Fiz agora uma pesquisa rápida e a recomendação é para dar água depois dos 6 meses, ou quando se iniciar a IA (que deverá também ser perto dos 6 meses).

Sabes que aqui em PT as mães que têm dificuldades com a amamentacao ou que não amamentam de todo saem da maternidade com indicação para dar o biberão de LA a cada 3h. É uma coisa que me irrita bastante, confesso-te, porque vai contra a natureza do próprio processo alimentar. Tenho uma amiga que teve um bebé um pouco depois de mim, um bebé com um problema de baixo peso grave, e nem assim a regra das 3h foi flexibilizada. 😤
E era ver o bebé a chorar de fome ao fim de 2h e os pais à espera mais 1h para lhe dar o biberão porque "foi assim que a pediatra mandou dar". 😡😡😡
Eh pá, é uma coisa que me dá cá uma revolta nas entranhas. Se os bebés têm fome, é para dar leite, não é para deixar chorar para cumprir horário. Que raio de regra mais absurda!
É que ainda por cima é contra as recomendações mais recentes em matéria de aleitamento. E vai contra a própria intuição da mãe, que quando vê o bebé a chorar com fome tem o instinto de o alimentar! Que coisa. Nem imaginas como isso me irrita.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Anotski85 escreveu:

Sansa escreveu:O LA já contém água. Se o bebé tiver sede, ofereça leite.
Água para habituar? Habituar a quê?
Que informação contraditória encontra na net? Fiz agora uma pesquisa rápida e a recomendação é para dar água depois dos 6 meses, ou quando se iniciar a IA (que deverá também ser perto dos 6 meses).

Sabes que aqui em PT as mães que têm dificuldades com a amamentacao ou que não amamentam de todo saem da maternidade com indicação para dar o biberão de LA a cada 3h. É uma coisa que me irrita bastante, confesso-te, porque vai contra a natureza do próprio processo alimentar. Tenho uma amiga que teve um bebé um pouco depois de mim, um bebé com um problema de baixo peso grave, e nem assim a regra das 3h foi flexibilizada. 😤
E era ver o bebé a chorar de fome ao fim de 2h e os pais à espera mais 1h para lhe dar o biberão porque "foi assim que a pediatra mandou dar". 😡😡😡
Eh pá, é uma coisa que me dá cá uma revolta nas entranhas. Se os bebés têm fome, é para dar leite, não é para deixar chorar para cumprir horário. Que raio de regra mais absurda!
É que ainda por cima é contra as recomendações mais recentes em matéria de aleitamento. E vai contra a própria intuição da mãe, que quando vê o bebé a chorar com fome tem o instinto de o alimentar! Que coisa. Nem imaginas como isso me irrita.


Realmente confesso que tenho a tendência de assumir que quem dá LA também o faz em LD, o que influencia a opinião que dou.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Eu já fui acusada de ter a mania de achar que sei mais que os médicos. E sim, com alguma arrogância admito, que em algumas matérias tenho conhecimento suficiente para poder argumentar com algumas recomendações que leio por aqui. Também sei que o curso de medicina mal aborda a questão da nutrição infantil, e os pediatras têm de procurar informação e manter-se actualizados. Porém, especialmente os da velha guarda, que estão habituados a serem considerados deuses e detentores do conhecimento absoluto, e inacessível ao comum dos mortais, não evoluem, não procuram actualizar-se, e continuam a "receitar" o mesmo esquema alimentar praticado às mais de meio século atrás.
Sim, esperar 3 horas é completamente contra natura e não tem fundamento absolutamente nenhum.
Vou ver se encontro a história do LA.

Anotski85 -
Offline
Desde 09 Jun 2020

Sansa escreveu:
Eu já fui acusada de ter a mania de achar que sei mais que os médicos. E sim, com alguma arrogância admito, que em algumas matérias tenho conhecimento suficiente para poder argumentar com algumas recomendações que leio por aqui. Também sei que o curso de medicina mal aborda a questão da nutrição infantil, e os pediatras têm de procurar informação e manter-se actualizados. Porém, especialmente os da velha guarda, que estão habituados a serem considerados deuses e detentores do conhecimento absoluto, e inacessível ao comum dos mortais, não evoluem, não procuram actualizar-se, e continuam a "receitar" o mesmo esquema alimentar praticado às mais de meio século atrás.
Sim, esperar 3 horas é completamente contra natura e não tem fundamento absolutamente nenhum.
Vou ver se encontro a história do LA.

Mas os pediatras mais jovens já não fazem esta recomendação. Tenho cá em casa o livro do Hugo Rodrigues e ele diz, claramente, para dar em LD, sempre respeitando os sinais de fome e saciedade dos bebés. Mas às vezes nem mostrando isto aos pais que tiveram a recomendação das 3h ele mudam. Eh pá, ficam com medo, sei lá eu. Já me fartei de dizer à minha amiga que deve dar em LD. Ela não dá. Deixa o bebé a chorar. Não posso fazer mais nada... Não vejo qual é o problema de dar leite mais vezes. O bebé ajusta a quantidade que bebe à sua fome e sede. Algumas vezes irá beber mais, noutras menos. O que importa é que esteja saciado e não se deixe o bebé a chorar de fome ou sede.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Partilho este excerto do livro How To Get You Kid To Eat But Not Too Much da Ellyn Sater, que permite perceber a origem do horário rígido do LA.
.
"Back in the thirties, when people were first beginning to bottle-feed, they tried very hard to learn how. This was the “scientific age of feeding.” A formula based on evaporated milk had just been perfected. Supplemented with vitamin C in some form, it finally solved the age-old problem of babies’ getting diarrhea from artificial feedings, and opened the door for bottle-feeding. And people switched from breast to bottle-feeding in increasing numbers.
.
Bottle-feeding was “modern,” but nobody really knew how to do it. Unfortunately, to begin with, nobody asked the babies. The then-new professions of pediatrics and nutrition attempted to fill the gap with scientific reasoning. They figured out how many calories babies “should” be having per pound of body weight, weighed them and measured them and calculated their total allotment. Then they divided that into six equal feedings (every four hours, you know) and instructed parents to give the babies just that, no more, no less, at exactly those intervals around the clock. If parents failed to follow the regimen, there were dire warnings about the physical and emotional distortions that would result.
.
Like the feeding recommendations, these were largely the product of someone’s imagination, and had very little to so with knowledge babies really operated.
.
But at the Gesell Institute, Arnold Gesell and Frances Ilg challenged these assumptions.1 They said, essentially, wait a minute, that’s not the way babies really are! If feeders are that controlling and ignore information coming from babies, it is going to cause a lot of problems, and both parents and babies are going to suffer.
.
By way of backing up their contention, they did a series of bottle-feeding experiments with babies, where they fed them when they were hungry and as much as they were hungry for. They let them go to sleep when they wanted to and sleep as long as they wanted to. And when they woke up they fed them whenever they asked for it, even if they wanted to eat twice in a row after a long nap. They kept track of how much the babies ate and weighed them every day.
.
Figures 4-1 and 4-2, show what happened with one little boy, Baby “J.” The only thing that was consistent about J’s intake was its inconsistency. One day he ate a lot, the next day not so much. His intake from day to day varied by about 20% to 30%. During the third week of the study, when he was eight weeks old, he had a cold and his intake varied even more. One day, for example, it was only 20 ounces, the next day it was 32. But his growth was perfectly smooth, even during that third week when his food intake varied so widely. Little “J” knew what he was doing."

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Anotski85 escreveu:

Sansa escreveu:Eu já fui acusada de ter a mania de achar que sei mais que os médicos. E sim, com alguma arrogância admito, que em algumas matérias tenho conhecimento suficiente para poder argumentar com algumas recomendações que leio por aqui. Também sei que o curso de medicina mal aborda a questão da nutrição infantil, e os pediatras têm de procurar informação e manter-se actualizados. Porém, especialmente os da velha guarda, que estão habituados a serem considerados deuses e detentores do conhecimento absoluto, e inacessível ao comum dos mortais, não evoluem, não procuram actualizar-se, e continuam a "receitar" o mesmo esquema alimentar praticado às mais de meio século atrás.
Sim, esperar 3 horas é completamente contra natura e não tem fundamento absolutamente nenhum.
Vou ver se encontro a história do LA.

Mas os pediatras mais jovens já não fazem esta recomendação. Tenho cá em casa o livro do Hugo Rodrigues e ele diz, claramente, para dar em LD, sempre respeitando os sinais de fome e saciedade dos bebés. Mas às vezes nem mostrando isto aos pais que tiveram a recomendação das 3h ele mudam. Eh pá, ficam com medo, sei lá eu. Já me fartei de dizer à minha amiga que deve dar em LD. Ela não dá. Deixa o bebé a chorar. Não posso fazer mais nada... Não vejo qual é o problema de dar leite mais vezes. O bebé ajusta a quantidade que bebe à sua fome e sede. Algumas vezes irá beber mais, noutras menos. O que importa é que esteja saciado e não se deixe o bebé a chorar de fome ou sede.


Os pediatras mais jovens têm outra sensibilidade, e têm também mais humildade em reconhecer que a profissão de médico não faz deles seres superiores, e que têm como missão ajudar os seus pacientes,cê isso só pode ser feito com conhecimento adequado à faixa etária com que trabalham.
.
É exasperante que recomendações totalmente desatualizadas, que são prejudiciais à saúde do bebé, continuem em vigor, e pior, difícil de combater.
Sinceramente, causa-me uma certa irritação que as pessoas não usem a cabeça para pensar, e rejeitem qualquer informação que as possa ajudar a tomar melhores decisões.
Esse exemplo da tua amiga é assustador. Para mim, é negligência. Eu não consigo entender como se deposita tanta confiança na recomendação de um médico, ao ponto de ignorar o choro do próprio bebé. Não há um pingo de pensamento crítico nessas cabeças? Não sentem necessidade de procurar informarem-se melhor? É tão estranho para mim.

Diana Silva5 -
Offline
Desde 12 Abr 2022

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=pfbid02vbmKzNq32xtbX5vSewY7L...

Post do facebook da Enf.ª Carmen Ferreira, a respeito do tema em discussão e que vai de encontro ao que já foi dito😊