. | De Mãe para Mãe

.

Responda
54 mensagens
Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

.

BagaLaranja -
Offline
Desde 02 Abr 2014

O pai normalmente tem de pagar metade de tudo. Mas o melhor seria acordarem um valor mensal que de para tudo, se nao todos os meses vao andar a discutir despesas, porque a mae gasta, o pai acha que nao era necessário, depois nao quer pagar, depois a mae tem de pagar tudo sozinha... Nao consegue fazer uma estimativa do que é necessário e acordar esse valor fixo? Assim só teriam discussoes se houvesse alguma despesa extra grande. Claro que para haver mudancas teriam de fazer novo acordo.

RH -
Offline
Desde 29 Abr 2013

São todas as despesas e não só as referentes ao início do ano lectivo, até porque o filho é do seu marido todo o ano e não apenas em períodos específicos... Claro que se as despesas forem exageradamente altas, há que conversar e definir um valor máximo, mas a regra em geral é dividir...

Sobre RH

Treinos desde 2014
14 de abril de 2015 encaminhamento para consultas de infertilidade CHMA
1ª consulta 18 de Agosto -2ª 28 de Janeiro
Relatório de psicologia OK oligoastenoteratozospermia e trompas obstruidas
Outubro 2018 cirurgia endometriose profunda hospital da Luz

bolas_e_bolinhas -
Offline
Desde 31 Mar 2012

Enfim...
Entao mas responda lá, a criança só é filha do seu marido no inicio do ano letivo?!?!
Porque razão haveria a mãe de ter se suportar mais despesas escolas escolares do que o pai?
Aposto que se fosse a senhora a mãe da criança, ja iria achar natural a divisao de todas as despesas necessárias.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Sim, o pai tem de pagar metade de todas as despesas escolares ao longo do ano. No entanto, relativamente a despesas fixas mais elevadas (como um centro de estudos ou atividades extra curriculares), seria bom que houvesse um acordo prévio. Não é só apresentar recibos e exigir metade, a meu ver.

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

O pai tem a obrigação de pagar as despesas escolares o ano todo, caso o atl escolhido pela mãe seja mais caro do que o que o pai pode pagar, podem e devem tentar chegar a um consenso e encontrar alternativas.

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

bolas_e_bolinhas escreveu:
Enfim...
Entao mas responda lá, a criança só é filha do seu marido no inicio do ano letivo?!?!
Porque razão haveria a mãe de ter se suportar mais despesas escolas escolares do que o pai?
Aposto que se fosse a senhora a mãe da criança, ja iria achar natural a divisao de todas as despesas necessárias.

Minha senhora, trata-se de uma dúvida. Pois como sabe ou deveria saber há maes que abusam só pra ficar na boa vida. Enquanto o pai se tem q matar a trabalhar para que os filhos possam ter tudo, ou pelo menos assim achar. Engraçado como as pessoas se acham no direito de criticar sem conhecer a historia. Secalhar é mais uma que vive de pensões e afins 😉

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

guialmi escreveu:
Sim, o pai tem de pagar metade de todas as despesas escolares ao longo do ano. No entanto, relativamente a despesas fixas mais elevadas (como um centro de estudos ou atividades extra curriculares), seria bom que houvesse um acordo prévio. Não é só apresentar recibos e exigir metade, a meu ver.

Sim, porque a situação está a tornar-se insustentavel uma vez que para alem da pensão é exigido metade de despesas de saude, metade das refeições escolares, metade dos materiais e afins, metade do centro de estudos que serve para a mae como atl uma vez que as crianças frequentam o 1° e o 3° ano, (ao que o pai logo inicialmente disse que nao poderia pagar uma vez que tem muitas outras despesas, inclusive que dizem respeito à progenitora das crianças) e o vestuario é praticamente comprado apenas por nós. São dois filhos e parece-me que existem realmente abusos.

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Martaraq escreveu:

guialmi escreveu:Sim, o pai tem de pagar metade de todas as despesas escolares ao longo do ano. No entanto, relativamente a despesas fixas mais elevadas (como um centro de estudos ou atividades extra curriculares), seria bom que houvesse um acordo prévio. Não é só apresentar recibos e exigir metade, a meu ver.

Sim, porque a situação está a tornar-se insustentavel uma vez que para alem da pensão é exigido metade de despesas de saude, metade das refeições escolares, metade dos materiais e afins, metade do centro de estudos que serve para a mae como atl uma vez que as crianças frequentam o 1° e o 3° ano, (ao que o pai logo inicialmente disse que nao poderia pagar uma vez que tem muitas outras despesas, inclusive que dizem respeito à progenitora das crianças) e o vestuario é praticamente comprado apenas por nós. São dois filhos e parece-me que existem realmente abusos.

Depende da situação.
O pai do meu filho também torceu o nariz no 1º ano quando lhe disse que ia colocar o miúdo num centro de estudos. Mas eu trabalho o dia inteiro, a criança so tinha aulas até às 13h. Ia ficar 4 horas sozinho em casa com 6 anos? Também não gostou quando lhe disse que ia para a escola na carrinha do atl quando foi para o 5º ano. Mais uma vez lhe expliquei que a escola fica a 1,5 km de casa e eu não tenho carro, ia la ele leva-lo e busca-lo? Tá quieto… E muitas outras histórias destas eu tive ao longo dos anos. Ele foi obrigado a ceder, porque eu tinha a razão do meu lado. Portanto é bom perceber a história de raiz e no seu todo, porque lendo o que se leu até aqui não me parece que a mãe esteja a abusar. Devia ser só ela a pagar as despesas de saúde? As despesas de educação? Isso seria justo?

Por outro lado o pai do meu filho queria que ele fosse acompanhado por um psicólogo particular (familiar da nova esposa) que por mês ia levar-me uns 200 € (a parte dele seria de graça, por ser família). Eu não estava disposta a pagar isso tudo mexi-me e consegui com que as consultas fossem comparticipadas pela segurança social num outro psicologo. Mas eu mexi-me, eu perdi dias de trabalho a procurar informação, a levantar relatórios médicos, a ir à SS etc etc, não me limitei a dizer "não pago", resolvi a situação para não ter de pagar. E acho que é aqui que a maioria dos pais falham, não querem pagar mas também não querem saber das necessidades nem resolver os problemas, como se só as mães é que tivessem a obrigação de pagar ou resolver. Portanto o conselho é sempre o mesmo, cheguem a um consenso, trabalhem nas opções.

Videl86 -
Offline
Desde 18 Jul 2014

Marta, está claro que não tem razão nenhuma. Uma pessoa que cogita a possibilidade do pai só suportar metade das despesas escolares dos filhos no início do ano...dificilmente está a pensar de forma justa! Que justificação arranja na sua cabeça para que o pai não pague "metade de despesas de saude, metade das refeições escolares, metade dos materiais e afins, metade do centro de estudos que serve para a mae como atl uma vez que as crianças frequentam o 1° e o 3° ano"? As crianças estão no ATL porque de certeza a mãe não tem como os ir buscar à hora de saída...que sugestão alternativa tem?
E honestamente com a exceção de ex mulheres de jogadores de futebol e assim, que mulher é que os dias que correm vive de pensões? xD

Sobre Videl86

08 de dezembro de 2014 <3 49,5 cm e 2,920 de amor e doçura <3
13 de dezembro de 2017 <3 47 cm e 2,815 de fofurice e amor <3

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

Videl86 escreveu:
Marta, está claro que não tem razão nenhuma. Uma pessoa que cogita a possibilidade do pai só suportar metade das despesas escolares dos filhos no início do ano...dificilmente está a pensar de forma justa! Que justificação arranja na sua cabeça para que o pai não pague "metade de despesas de saude, metade das refeições escolares, metade dos materiais e afins, metade do centro de estudos que serve para a mae como atl uma vez que as crianças frequentam o 1° e o 3° ano"? As crianças estão no ATL porque de certeza a mãe não tem como os ir buscar à hora de saída...que sugestão alternativa tem?
E honestamente com a exceção de ex mulheres de jogadores de futebol e assim, que mulher é que os dias que correm vive de pensões? xD

Com certeza nao me estou a fazer entender, mas é um assunto complicado.
Nao digo que ele nao tem q pagar despesas medicas escolares e afins, no entanto, as criancas tem prolongamento na escola (gratuito) ate as 17h/18h
Vao para esse centro de estudos, ate as 19h ao meu ver desnecessario uma vez que ha dias em que as 17h ela se encontra em casa. Depois ela optou por os colocar numa escola ainda mais longe de nós, nao perto da morada dela mas perto do trabalho, ou seja, se as criancas ficassem a meio caminho era ate escusado estarem no atl porque eu prontifico-me a ficar com as criancas. E trata-se de abuso sim uma vez que estas ferias escolares para que nenhum dos 2 tivesse que arcar com mais dinheiro de atl me prontifiquei a ficar com eles (gravida de 7 meses, agr 9) e ela apenas os vinha buscar 2x por semana. O valor da pensão nao pode ser alterado. Ou seja, fiquei com os miudos, dei comida e ainda tivemos que dar a pensao por igual. Ha coisas que nao me parecem justas, ate porque agora vou ter uma filha tambem, e com estas despesas todas vai faltar pra ela, porque para os outros 2 nao pode faltar e nao me parece justo.

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

Tyta.B escreveu:

Martaraq escreveu:
guialmi escreveu:Sim, o pai tem de pagar metade de todas as despesas escolares ao longo do ano. No entanto, relativamente a despesas fixas mais elevadas (como um centro de estudos ou atividades extra curriculares), seria bom que houvesse um acordo prévio. Não é só apresentar recibos e exigir metade, a meu ver.

Sim, porque a situação está a tornar-se insustentavel uma vez que para alem da pensão é exigido metade de despesas de saude, metade das refeições escolares, metade dos materiais e afins, metade do centro de estudos que serve para a mae como atl uma vez que as crianças frequentam o 1° e o 3° ano, (ao que o pai logo inicialmente disse que nao poderia pagar uma vez que tem muitas outras despesas, inclusive que dizem respeito à progenitora das crianças) e o vestuario é praticamente comprado apenas por nós. São dois filhos e parece-me que existem realmente abusos.

Depende da situação.
O pai do meu filho também torceu o nariz no 1º ano quando lhe disse que ia colocar o miúdo num centro de estudos. Mas eu trabalho o dia inteiro, a criança so tinha aulas até às 13h. Ia ficar 4 horas sozinho em casa com 6 anos? Também não gostou quando lhe disse que ia para a escola na carrinha do atl quando foi para o 5º ano. Mais uma vez lhe expliquei que a escola fica a 1,5 km de casa e eu não tenho carro, ia la ele leva-lo e busca-lo? Tá quieto… E muitas outras histórias destas eu tive ao longo dos anos. Ele foi obrigado a ceder, porque eu tinha a razão do meu lado. Portanto é bom perceber a história de raiz e no seu todo, porque lendo o que se leu até aqui não me parece que a mãe esteja a abusar. Devia ser só ela a pagar as despesas de saúde? As despesas de educação? Isso seria justo?
Por outro lado o pai do meu filho queria que ele fosse acompanhado por um psicólogo particular (familiar da nova esposa) que por mês ia levar-me uns 200 € (a parte dele seria de graça, por ser família). Eu não estava disposta a pagar isso tudo mexi-me e consegui com que as consultas fossem comparticipadas pela segurança social num outro psicologo. Mas eu mexi-me, eu perdi dias de trabalho a procurar informação, a levantar relatórios médicos, a ir à SS etc etc, não me limitei a dizer "não pago", resolvi a situação para não ter de pagar. E acho que é aqui que a maioria dos pais falham, não querem pagar mas também não querem saber das necessidades nem resolver os problemas, como se só as mães é que tivessem a obrigação de pagar ou resolver. Portanto o conselho é sempre o mesmo, cheguem a um consenso, trabalhem nas opções.


Exato, as coisas tem q se resolver e devemo nos mexer. É o que estou a fazer...
Mas só um exemplo, uma das criancas partiu um dente numa queda e a mae tratou de tudo, na clínica maló (aquele que vai a tvi) excusado será dizer que ficou super caro e só informou o pai do valor depois de estar feito, ora penso que uma pessoa nao pode se guiar pelo dinheiro q a outra possa ter ou nao, deveria no meu ponto de vista ter feito um orçamento, informado o pai, e depois entao de acordado seguir em frente. Não é chegar, ir ao dentista mais caro de lisboa e agora toma lá,paga metade.

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Se acham que estão a ser assim tão injustiçados, porque não pedem ao tribunal para rever o acordo? Ou pedem para ficar com guarda partilhada para que legalmente a mãe não possa tomar decisões sem o consentimento prévio do pai?

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Se acham que estão a ser assim tão injustiçados, porque não pedem ao tribunal para rever o acordo? Ou pedem para ficar com guarda partilhada para que legalmente a mãe não possa tomar decisões sem o consentimento prévio do pai?

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

[quote=Tyta.B]Se acham que estão a ser assim tão injustiçados, porque não pedem ao tribunal para rever o acordo? Ou pedem para ficar com guarda partilhada para que legalmente a mãe não possa tomar decisões sem o consentimento prévio do pai?[/quote
É o q pretendemos, so que neste momento nao nos é possivel pagar um advogado

RH -
Offline
Desde 29 Abr 2013

Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Sobre RH

Treinos desde 2014
14 de abril de 2015 encaminhamento para consultas de infertilidade CHMA
1ª consulta 18 de Agosto -2ª 28 de Janeiro
Relatório de psicologia OK oligoastenoteratozospermia e trompas obstruidas
Outubro 2018 cirurgia endometriose profunda hospital da Luz

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

RH escreveu:
Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Exactamente. Mas visto que apagou o tópico, não era deste tipo de resposta que estava à espera Bocejo

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

Tyta.B escreveu:

RH escreveu:Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Exactamente. Mas visto que apagou o tópico, não era deste tipo de resposta que estava à espera


Está enganada, apenas fiz a pergunta pois pensei q poderia eliminar todo o conteudo depois de esclarecida, no entanto reparei q nao e apaguei porque nao quero q fique exposto na internet. Obrigada, boa noite 😘

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Martaraq escreveu:

Tyta.B escreveu:
RH escreveu:Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Exactamente. Mas visto que apagou o tópico, não era deste tipo de resposta que estava à espera

Está enganada, apenas fiz a pergunta pois pensei q poderia eliminar todo o conteudo depois de esclarecida, no entanto reparei q nao e apaguei porque nao quero q fique exposto na internet. Obrigada, boa noite 😘


Más notícias, pode ter apagado a primeira mensagem, mas o conteúdo ficou exposto na mesma, na net, para sempre. É essa a natureza da Internet, o que se publica fica para todo o sempre. É isso que ensinamos aos nossos filhos... E por isso quem publica seja o que for, para mais num fórum público, deve ter a certeza do que quer publicar. Sinceramente, não vejo porque quereria apagar a sua pergunta, que era uma pergunta como outra qualquer. Já as suas reacções mostram uma atitude que talvez não seja a mais adequada num contexto tão delicado como aquele em que se encontra.

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

guialmi escreveu:

Martaraq escreveu:
Tyta.B escreveu:
RH escreveu:Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Exactamente. Mas visto que apagou o tópico, não era deste tipo de resposta que estava à espera

Está enganada, apenas fiz a pergunta pois pensei q poderia eliminar todo o conteudo depois de esclarecida, no entanto reparei q nao e apaguei porque nao quero q fique exposto na internet. Obrigada, boa noite 😘

Más notícias, pode ter apagado a primeira mensagem, mas o conteúdo ficou exposto na mesma, na net, para sempre. É essa a natureza da Internet, o que se publica fica para todo o sempre. É isso que ensinamos aos nossos filhos... E por isso quem publica seja o que for, para mais num fórum público, deve ter a certeza do que quer publicar. Sinceramente, não vejo porque quereria apagar a sua pergunta, que era uma pergunta como outra qualquer. Já as suas reacções mostram uma atitude que talvez não seja a mais adequada num contexto tão delicado como aquele em que se encontra.


Hummmm, ok. Muito obrigado! Como as pessoas nao sabem na situação total e apenas uma parte dela fica fácil dar opiniões. No entanto, a dúvida terei que a tratar com um advogado visto que as pessoas neste forum ficaram mais preocupadas em criticar, ou colocar se do lado da mãe, apenas porque tambem o sao, sem conhecerem a história completa.

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Martaraq escreveu:

guialmi escreveu:
Martaraq escreveu:
Tyta.B escreveu:
RH escreveu:Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Exactamente. Mas visto que apagou o tópico, não era deste tipo de resposta que estava à espera

Está enganada, apenas fiz a pergunta pois pensei q poderia eliminar todo o conteudo depois de esclarecida, no entanto reparei q nao e apaguei porque nao quero q fique exposto na internet. Obrigada, boa noite 😘

Más notícias, pode ter apagado a primeira mensagem, mas o conteúdo ficou exposto na mesma, na net, para sempre. É essa a natureza da Internet, o que se publica fica para todo o sempre. É isso que ensinamos aos nossos filhos... E por isso quem publica seja o que for, para mais num fórum público, deve ter a certeza do que quer publicar. Sinceramente, não vejo porque quereria apagar a sua pergunta, que era uma pergunta como outra qualquer. Já as suas reacções mostram uma atitude que talvez não seja a mais adequada num contexto tão delicado como aquele em que se encontra.

Hummmm, ok. Muito obrigado! Como as pessoas nao sabem na situação total e apenas uma parte dela fica fácil dar opiniões. No entanto, a dúvida terei que a tratar com um advogado visto que as pessoas neste forum ficaram mais preocupadas em criticar, ou colocar se do lado da mãe, apenas porque tambem o sao, sem conhecerem a história completa.

Engana-se. As pessoas estão do lado das crianças.

Mama_Xana -
Offline
Desde 15 Maio 2012

Martaraq escreveu:

guialmi escreveu:
Martaraq escreveu:
Tyta.B escreveu:
RH escreveu:Se não pode pagar advogado, a SS paga um...peça um formulário de apoio jurídico preencha devidamente e especifique que é para alteração das responsabilidades parentais... Depois do serviço confirmar a veracidade da sua falta de rendimentos para suportar as despesas do processo e advogado, serão dispensados das taxas ou sugerido um plano de pagamento em prestações...

Exactamente. Mas visto que apagou o tópico, não era deste tipo de resposta que estava à espera

Está enganada, apenas fiz a pergunta pois pensei q poderia eliminar todo o conteudo depois de esclarecida, no entanto reparei q nao e apaguei porque nao quero q fique exposto na internet. Obrigada, boa noite 😘

Más notícias, pode ter apagado a primeira mensagem, mas o conteúdo ficou exposto na mesma, na net, para sempre. É essa a natureza da Internet, o que se publica fica para todo o sempre. É isso que ensinamos aos nossos filhos... E por isso quem publica seja o que for, para mais num fórum público, deve ter a certeza do que quer publicar. Sinceramente, não vejo porque quereria apagar a sua pergunta, que era uma pergunta como outra qualquer. Já as suas reacções mostram uma atitude que talvez não seja a mais adequada num contexto tão delicado como aquele em que se encontra.

Hummmm, ok. Muito obrigado! Como as pessoas nao sabem na situação total e apenas uma parte dela fica fácil dar opiniões. No entanto, a dúvida terei que a tratar com um advogado visto que as pessoas neste forum ficaram mais preocupadas em criticar, ou colocar se do lado da mãe, apenas porque tambem o sao, sem conhecerem a história completa.

Não comentei antes pois poderia muito facilmente ser mais uma a "critica-la", e sim na maioria todas são mães e como tal conseguem ver um pouco "para além" e colocarem-se do lado das crianças. Tem opiniões sobre a duvida que colocou, como é obvio não eram as que queria! As opiniões forma dadas pelo que deu a conhecer da situação, total ou parcial foi o que deu a conhecer e foi baseado nela que as opiniões foram emitidas.
Creio que o melhor será consultar um advogado e contar-lhe a historia toda para ver se consegue a ajuda que pretende.
Boa sorte para as crianças as que já existem e também para o seu filho que está para nascer.

BagaLaranja -
Offline
Desde 02 Abr 2014

Eu perguntaria de outra maneira. Se o pai do seu filho a deixar, a que acha que tem direito? O que é que ele deve pagar?

Martaraq -
Offline
Desde 13 Set 2018

BagaLaranja escreveu:
Eu perguntaria de outra maneira. Se o pai do seu filho a deixar, a que acha que tem direito? O que é que ele deve pagar?

Aqui nada tem a ver com o que o meu filho tem ou nao direito mas sim com aquilo q o tribunal manda, q no caso era isso no entanto agora uma parte do salario foi retirada ao pai das crianças, dai querer saber o que realmente significava aquela frase em termos juridicos. Acho bem melhor o pai tentar de alguma forma que a situacao se torne sustentavel do que fazer como muitos que andam por ai que deixam de pagar e não querem saber dos filhos, o que nao acontece neste caso, ate porque ficamos com os meninos mais dias do que aqueles estipulados em tribunal. E caso me separa-se do pai da minha filha, sei exatamente o tipo de homem que ele é e se disser que nao pode é mesmo porque nao pode, uma vez que faz tudo pelos filhos.

RoxyGirl -
Offline
Desde 27 Jan 2016

Tirando o facto de a pergunta inicial da Marta ter sido um pouco “parva” acho que está mais que na altura do seu marido e ex -mulher reverem o acordo parental e respectivos valores, pois a situação do pai vai mudar em breve com o nascimento de uma nova filha.
Acho que foi infeliz da forma como colocou a questão, mas pelo pouco que li não lhe tiro a razão e parece haver um abuso por parte da ex-mulher do seu marido.
Quanto ao apagar o tópico acho que consigo perceber um pouco o porquê.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Assim como a Marta nos acusa de não conhecermos o contexto, a Marta também não conhece o nosso. Eu e o meu marido estivemos numa situação relativamente semelhante, com a diferença de que o valor da pensão (bastante alto) já incluía teoricamente as despesas de educação e saúde. Mesmo assim, houve muitas despesas pagas pelo pai que legalmente não lhe caberiam, assim como foi paga durante anos uma pensão (muito) superior ao estipulado por decisão do pai (e que não se conseguiu alterar em tribunal porque o juiz considerou que não havia razões para um aumento tão significativo). Portanto, se comentei não foi propriamente no papel de "mãe".
Se houve críticas foi à sua postura de alguma arrogância em comentários que fez. De resto, o conselho que dei volto a dar: em primeiro lugar, tentar dialogar com a mãe da criança e exigir que despesas mais significativas (como o arranjo dos dentes ou a decisão sobre o ATL) sejam previamente acordadas. Se o diálogo for impossível, então partir para uma revisão do acordo.
Mas já quando alega que as crianças ficam mais tempo convosco que o estipulado e isso devia ser retirado da pensão, aí, sim, desculpe mas está a ser mesquinha. Se o pai pode e quer ficar com elas mais que o acordado e a mãe não se opõe, ganham todos, mas sobretudo as crianças.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Assim como a Marta nos acusa de não conhecermos o contexto, a Marta também não conhece o nosso. Eu e o meu marido estivemos numa situação relativamente semelhante, com a diferença de que o valor da pensão (bastante alto) já incluía teoricamente as despesas de educação e saúde. Mesmo assim, houve muitas despesas pagas pelo pai que legalmente não lhe caberiam, assim como foi paga durante anos uma pensão (muito) superior ao estipulado por decisão do pai (e que não se conseguiu alterar em tribunal porque o juiz considerou que não havia razões para um aumento tão significativo). Portanto, se comentei não foi propriamente no papel de "mãe".
Se houve críticas foi à sua postura de alguma arrogância em comentários que fez. De resto, o conselho que dei volto a dar: em primeiro lugar, tentar dialogar com a mãe da criança e exigir que despesas mais significativas (como o arranjo dos dentes ou a decisão sobre o ATL) sejam previamente acordadas. Se o diálogo for impossível, então partir para uma revisão do acordo.
Mas já quando alega que as crianças ficam mais tempo convosco que o estipulado e isso devia ser retirado da pensão, aí, sim, desculpe mas está a ser mesquinha. Se o pai pode e quer ficar com elas mais que o acordado e a mãe não se opõe, ganham todos, mas sobretudo as crianças.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Por mais que se ache a pergunta descabida, não me parece que haja necessidade nenhuma de responder da maneira que algumas pessoas responderam. Será que não poderiam deixar de dizer determinadas coisas a uma mulher no final da gravidez? Sabem, aquela coisa do “há coisas que se pensam mas não se dizem” ? Ou a necessidade de se sentirem moralmente superiores é bem maior que a capacidade de medir as palavras que escrevem?
E se, em vez de se pensar imediatamente o pior, no lembrarmos que Setembro é um mês particularmente duro no orçamento familiar, e que a Mart vê o marido a ficar apertafo de dinheiro para comprar as coisas para o seu bebé. Isto, para uma mulher grávida, com as hormonas a vibrarem, ver o seu bebé a ser prejudicado a favor de certas despesas, que segundo a Marta, podiam ser reduzidas, fere no coração de uma mãe.
E o facto da Marta ter acrescentado mais alguns detalhes para justificar que as crianças têm o apoio do pai e da madrasta em nada tem a ver com mesquinhez. Mesquinhez é não se conseguir conter de chamar a autora do tópico arrogante e mesquinha. É feio e é ser-se má.
Podem não concordar, podem até pensar o pior, mas podiam dar o desconto, tendo em consideração o estado em que a Marta se encontra.

Videl86 -
Offline
Desde 18 Jul 2014

Sansa, as pessoas não fazem isso porque grávida ou não, a autora do tópico está a apresentar uma postura condenável...e já que ninguém diz, eu digo: machista! A postura da autora do tópico é, aparentemente, machista. Digo aparentemente porque de facto não estou dentro do assunto e posso não saber de coisas que justifiquem certos comentários, mas daquilo que é dito não me restam dúvidas que a Marta provocou estas críticas devido a transparecer uma imagem de mulher machista. Disse que a mãe das crianças nem as devia ter num atl porque há dias em que o seu horário é compatível e devia ir buscar as crianças...há muitas mulheres que vivem das pensões de alimentos dos filhos...o marido, coitadinho, é um sacrificado que manda imenso dinheiro para os dois filhos de um casamento anterior e agora vai ter um terceiro e tem de dar para todos...todos estes comentários são machistas. Sansa, isto não é claro para ti?

E eu não ia comentar mais este tópico porque este tipo de assunto me irrita, mas afinal vou. Eu gostava de ter 3 filhos, mas se calhar não conseguiria ter condições económicas para ter 3, pelo que me fico pelos 2...se me divorciasse a minha situação económica não iria melhorar (possivelmente até piorava), portanto continuaria a não poder ter mais um filho. Um homem que se divorcia é igual, não é porque se divorcia que os outros filhos passam a ser menos filhos e menos sua responsabilidade. Se, com uma nova companheira, fazem as contas e realmente têm a possibilidade de sustentar 3 filhos, muita força. Se têm de cortar no básico a uns para que não falte o básico aos outros...oh pah, se calhar não tenham mais filhos, não?
E outra, estou cansada de ver comentários (geralmente de mulheres) a dizer "ah se o pai não tem mesmo possibilidade, a mãe tem de entender"...o quê?? se o pai não tem mesmo possibilidade de sustentar os filhos, a mãe tem de entender? Uma coisa é dizerem "ah o pai agora vai passar a ter 3 filhos, se calhar o valor da pensão terá de ser alterada", isto é uma coisa, outra muito diferente é desculpabilizarem o pai que coitadinho trabalha tanto (obrigação de quem tem filhos, just saying) e se não conseguir pagar as despesas médicas e escolares dos filhos, paciência. Já alguma de vocês disse isto em relação ao pai/mãe com a guarda efetiva da criança? "ai oha aqueles pais trabalham muito, mas se não tiverem mesmo possibilidade de pagar a fruta para o mês todo da criança, paciência, pronto, a criança vai ter de aceitar que não vai comer fruta o mês todo"...ou mesmo a uma mãe? "ah o pai não paga a pensão e a mãe trabalha tanto, mas pronto se calhar não vai ter dinheiro suficiente para pagar as despesas médicas da criança...olha paciência, a criança vai ter de aceitar que não há dinheiro para as suas despesas médicas" alguém já disse ou ouviu uma coisa destas? Não, porque é absurdo! Porque é uma obrigação LEGAL E MORAL dos pais providenciarem financeiramente para as necessidades básicas e essenciais dos filhos que escolhem pôr no mundo! Obrigação dos pais, plural!
Eu não sei os motivos pelos quais a mãe escolhe manter os filhos no atl até às 19h quando tem dias em que está em casa às 17, possivelmente porque nesses dias trata de recados que não consegue tratar nos outros dias (eu sei que esse é o motivo pelo qual os meus filhos por vezes ficam até mais tarde na creche). Não acredito que seja porque ela quer que o pai gaste mais com as crianças, isso nem sequer tem sentido. E a mãe possivelmente põe as crianças perto do trabalho dela para os conseguir levar e ir buscar, digo eu! Não acho que seja para prejudicar o pai. Vamos parar de assumir que todas as mulheres têm como intenção perpétua prejudicar os exs, ok?? Somos todas mulheres, devíamos apoiar-nos mais!
Marta, se pensão que o pai paga for realmente elevada, entre com um pedido de reajuste de pensão em tribunal, isso sim tem direito e legitimidade para fazer, dependendo dos rendimentos. Agora se estivermos a falar de um pai que paga 100 euros de pensão por cada filho mais metade das despesas escolares...lá está, é o mínimo dos mínimos! Ah, quanto ao resto em que discordam, não é só discordar, como já sugeriram. Se discordam do atl, ou dos médicos, etc, vocês têm de se mexer e arranjar orçamentos/respostas educacionais alternativas, em tempo útil, para que seja possível escolher o mais adequado. Em casos urgentes (como esse caso do dentista), tem de estar estabelecido no acordo parental o que é para fazer. Por exemplo, se fosse comigo no acordo parental iria incluir uma alínea a referir que em caso de tratamento urgente por motivo de doença ou acidente, eu me comprometia a ir a local x (hospital x, clínica y, dentista k, etc) e fazer o tratamento lá, ficando o pai depois de me dar 50% do valor. Algo nestas linhas, não é difícil de mudar e assim fica tudo acautelado e protege todas as partes.
E não, eu não tenho exs nem tenho pensões lol nem sequer tenho de lidar com maridos e homens nesse papel. Mas tenho um filho menino que vi ser criado para ser tão responsável (em todos os sentidos) pelos seus futuros filhos como a minha filha menina.

Sobre Videl86

08 de dezembro de 2014 <3 49,5 cm e 2,920 de amor e doçura <3
13 de dezembro de 2017 <3 47 cm e 2,815 de fofurice e amor <3

Tyta.B -
Offline
Desde 31 Jul 2015

Videl86 escreveu:
Sansa, as pessoas não fazem isso porque grávida ou não, a autora do tópico está a apresentar uma postura condenável...e já que ninguém diz, eu digo: machista! A postura da autora do tópico é, aparentemente, machista. Digo aparentemente porque de facto não estou dentro do assunto e posso não saber de coisas que justifiquem certos comentários, mas daquilo que é dito não me restam dúvidas que a Marta provocou estas críticas devido a transparecer uma imagem de mulher machista. Disse que a mãe das crianças nem as devia ter num atl porque há dias em que o seu horário é compatível e devia ir buscar as crianças...há muitas mulheres que vivem das pensões de alimentos dos filhos...o marido, coitadinho, é um sacrificado que manda imenso dinheiro para os dois filhos de um casamento anterior e agora vai ter um terceiro e tem de dar para todos...todos estes comentários são machistas. Sansa, isto não é claro para ti?
E eu não ia comentar mais este tópico porque este tipo de assunto me irrita, mas afinal vou. Eu gostava de ter 3 filhos, mas se calhar não conseguiria ter condições económicas para ter 3, pelo que me fico pelos 2...se me divorciasse a minha situação económica não iria melhorar (possivelmente até piorava), portanto continuaria a não poder ter mais um filho. Um homem que se divorcia é igual, não é porque se divorcia que os outros filhos passam a ser menos filhos e menos sua responsabilidade. Se, com uma nova companheira, fazem as contas e realmente têm a possibilidade de sustentar 3 filhos, muita força. Se têm de cortar no básico a uns para que não falte o básico aos outros...oh pah, se calhar não tenham mais filhos, não?
E outra, estou cansada de ver comentários (geralmente de mulheres) a dizer "ah se o pai não tem mesmo possibilidade, a mãe tem de entender"...o quê?? se o pai não tem mesmo possibilidade de sustentar os filhos, a mãe tem de entender? Uma coisa é dizerem "ah o pai agora vai passar a ter 3 filhos, se calhar o valor da pensão terá de ser alterada", isto é uma coisa, outra muito diferente é desculpabilizarem o pai que coitadinho trabalha tanto (obrigação de quem tem filhos, just saying) e se não conseguir pagar as despesas médicas e escolares dos filhos, paciência. Já alguma de vocês disse isto em relação ao pai/mãe com a guarda efetiva da criança? "ai oha aqueles pais trabalham muito, mas se não tiverem mesmo possibilidade de pagar a fruta para o mês todo da criança, paciência, pronto, a criança vai ter de aceitar que não vai comer fruta o mês todo"...ou mesmo a uma mãe? "ah o pai não paga a pensão e a mãe trabalha tanto, mas pronto se calhar não vai ter dinheiro suficiente para pagar as despesas médicas da criança...olha paciência, a criança vai ter de aceitar que não há dinheiro para as suas despesas médicas" alguém já disse ou ouviu uma coisa destas? Não, porque é absurdo! Porque é uma obrigação LEGAL E MORAL dos pais providenciarem financeiramente para as necessidades básicas e essenciais dos filhos que escolhem pôr no mundo! Obrigação dos pais, plural!
Eu não sei os motivos pelos quais a mãe escolhe manter os filhos no atl até às 19h quando tem dias em que está em casa às 17, possivelmente porque nesses dias trata de recados que não consegue tratar nos outros dias (eu sei que esse é o motivo pelo qual os meus filhos por vezes ficam até mais tarde na creche). Não acredito que seja porque ela quer que o pai gaste mais com as crianças, isso nem sequer tem sentido. E a mãe possivelmente põe as crianças perto do trabalho dela para os conseguir levar e ir buscar, digo eu! Não acho que seja para prejudicar o pai. Vamos parar de assumir que todas as mulheres têm como intenção perpétua prejudicar os exs, ok?? Somos todas mulheres, devíamos apoiar-nos mais!
Marta, se pensão que o pai paga for realmente elevada, entre com um pedido de reajuste de pensão em tribunal, isso sim tem direito e legitimidade para fazer, dependendo dos rendimentos. Agora se estivermos a falar de um pai que paga 100 euros de pensão por cada filho mais metade das despesas escolares...lá está, é o mínimo dos mínimos! Ah, quanto ao resto em que discordam, não é só discordar, como já sugeriram. Se discordam do atl, ou dos médicos, etc, vocês têm de se mexer e arranjar orçamentos/respostas educacionais alternativas, em tempo útil, para que seja possível escolher o mais adequado. Em casos urgentes (como esse caso do dentista), tem de estar estabelecido no acordo parental o que é para fazer. Por exemplo, se fosse comigo no acordo parental iria incluir uma alínea a referir que em caso de tratamento urgente por motivo de doença ou acidente, eu me comprometia a ir a local x (hospital x, clínica y, dentista k, etc) e fazer o tratamento lá, ficando o pai depois de me dar 50% do valor. Algo nestas linhas, não é difícil de mudar e assim fica tudo acautelado e protege todas as partes.
E não, eu não tenho exs nem tenho pensões lol nem sequer tenho de lidar com maridos e homens nesse papel. Mas tenho um filho menino que vi ser criado para ser tão responsável (em todos os sentidos) pelos seus futuros filhos como a minha filha menina.

Palmas!

Quando vejo estes tópicos só agradeço o meu filho ter uma madrasta sensata. Ela trata muito bem o meu filho, nas questões de dinheiro realmente dava-lhe a travadinha de vez em quando, mas bastou ter o seu próprio filho para ate nisso mudar. Deve-lhe ter caído a ficha! Agora até dão mais do que o estipulado enquanto que antes por meia dúzia de tostões tentavam convencer-me a fazer coisas absurdas que nenhuma mãe decente admitiria fazer ao seu filho.

Sansa -
Offline
Desde 18 Jan 2018

Tyta.B escreveu:

Videl86 escreveu:Sansa, as pessoas não fazem isso porque grávida ou não, a autora do tópico está a apresentar uma postura condenável...e já que ninguém diz, eu digo: machista! A postura da autora do tópico é, aparentemente, machista. Digo aparentemente porque de facto não estou dentro do assunto e posso não saber de coisas que justifiquem certos comentários, mas daquilo que é dito não me restam dúvidas que a Marta provocou estas críticas devido a transparecer uma imagem de mulher machista. Disse que a mãe das crianças nem as devia ter num atl porque há dias em que o seu horário é compatível e devia ir buscar as crianças...há muitas mulheres que vivem das pensões de alimentos dos filhos...o marido, coitadinho, é um sacrificado que manda imenso dinheiro para os dois filhos de um casamento anterior e agora vai ter um terceiro e tem de dar para todos...todos estes comentários são machistas. Sansa, isto não é claro para ti?
E eu não ia comentar mais este tópico porque este tipo de assunto me irrita, mas afinal vou. Eu gostava de ter 3 filhos, mas se calhar não conseguiria ter condições económicas para ter 3, pelo que me fico pelos 2...se me divorciasse a minha situação económica não iria melhorar (possivelmente até piorava), portanto continuaria a não poder ter mais um filho. Um homem que se divorcia é igual, não é porque se divorcia que os outros filhos passam a ser menos filhos e menos sua responsabilidade. Se, com uma nova companheira, fazem as contas e realmente têm a possibilidade de sustentar 3 filhos, muita força. Se têm de cortar no básico a uns para que não falte o básico aos outros...oh pah, se calhar não tenham mais filhos, não?
E outra, estou cansada de ver comentários (geralmente de mulheres) a dizer "ah se o pai não tem mesmo possibilidade, a mãe tem de entender"...o quê?? se o pai não tem mesmo possibilidade de sustentar os filhos, a mãe tem de entender? Uma coisa é dizerem "ah o pai agora vai passar a ter 3 filhos, se calhar o valor da pensão terá de ser alterada", isto é uma coisa, outra muito diferente é desculpabilizarem o pai que coitadinho trabalha tanto (obrigação de quem tem filhos, just saying) e se não conseguir pagar as despesas médicas e escolares dos filhos, paciência. Já alguma de vocês disse isto em relação ao pai/mãe com a guarda efetiva da criança? "ai oha aqueles pais trabalham muito, mas se não tiverem mesmo possibilidade de pagar a fruta para o mês todo da criança, paciência, pronto, a criança vai ter de aceitar que não vai comer fruta o mês todo"...ou mesmo a uma mãe? "ah o pai não paga a pensão e a mãe trabalha tanto, mas pronto se calhar não vai ter dinheiro suficiente para pagar as despesas médicas da criança...olha paciência, a criança vai ter de aceitar que não há dinheiro para as suas despesas médicas" alguém já disse ou ouviu uma coisa destas? Não, porque é absurdo! Porque é uma obrigação LEGAL E MORAL dos pais providenciarem financeiramente para as necessidades básicas e essenciais dos filhos que escolhem pôr no mundo! Obrigação dos pais, plural!
Eu não sei os motivos pelos quais a mãe escolhe manter os filhos no atl até às 19h quando tem dias em que está em casa às 17, possivelmente porque nesses dias trata de recados que não consegue tratar nos outros dias (eu sei que esse é o motivo pelo qual os meus filhos por vezes ficam até mais tarde na creche). Não acredito que seja porque ela quer que o pai gaste mais com as crianças, isso nem sequer tem sentido. E a mãe possivelmente põe as crianças perto do trabalho dela para os conseguir levar e ir buscar, digo eu! Não acho que seja para prejudicar o pai. Vamos parar de assumir que todas as mulheres têm como intenção perpétua prejudicar os exs, ok?? Somos todas mulheres, devíamos apoiar-nos mais!
Marta, se pensão que o pai paga for realmente elevada, entre com um pedido de reajuste de pensão em tribunal, isso sim tem direito e legitimidade para fazer, dependendo dos rendimentos. Agora se estivermos a falar de um pai que paga 100 euros de pensão por cada filho mais metade das despesas escolares...lá está, é o mínimo dos mínimos! Ah, quanto ao resto em que discordam, não é só discordar, como já sugeriram. Se discordam do atl, ou dos médicos, etc, vocês têm de se mexer e arranjar orçamentos/respostas educacionais alternativas, em tempo útil, para que seja possível escolher o mais adequado. Em casos urgentes (como esse caso do dentista), tem de estar estabelecido no acordo parental o que é para fazer. Por exemplo, se fosse comigo no acordo parental iria incluir uma alínea a referir que em caso de tratamento urgente por motivo de doença ou acidente, eu me comprometia a ir a local x (hospital x, clínica y, dentista k, etc) e fazer o tratamento lá, ficando o pai depois de me dar 50% do valor. Algo nestas linhas, não é difícil de mudar e assim fica tudo acautelado e protege todas as partes.
E não, eu não tenho exs nem tenho pensões lol nem sequer tenho de lidar com maridos e homens nesse papel. Mas tenho um filho menino que vi ser criado para ser tão responsável (em todos os sentidos) pelos seus futuros filhos como a minha filha menina.

Quando vejo estes tópicos só agradeço o meu filho ter uma madrasta sensata. Ela trata muito bem o meu filho, nas questões de dinheiro realmente dava-lhe a travadinha de vez em quando, mas bastou ter o seu próprio filho para ate nisso mudar. Deve-lhe ter caído a ficha! Agora até dão mais do que o estipulado enquanto que antes por meia dúzia de tostões tentavam convencer-me a fazer coisas absurdas que nenhuma mãe decente admitiria fazer ao seu filho.


E ora lá está Tyta, a esta mãe, seguramente também lhe vai cair a ficha e ganhará uma nova perspectiva das coisas, e certamente mudará a sua opinião sobre muitos assuntos. Mas acho que um pouco de empatia nunca fez mal a ninguém, e se não são capazes de empatizar, tentem ao menos compreender, e mesmo que acham absurdo há palavras e formas de dizer as coisas que não ferem tanto. Não precisamos de aprovar a postura da Marta, podemos até condenar essa postura, mas não nos faz mal nenhum abstermo-nos de certos comentários.
A Videl soube dar a sua opinião sem ser má.

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?