FISSURA VAGINAL | De Mãe para Mãe

Está aqui

FISSURA VAGINAL

Qua, 21/03/2018 - 18:47
Ginecologia e obstetricia

Venho sofrendo com a tal fissura vaginal há um bom tempo... Gostaria de saber se encontraram a solução para este problema que causa tanto desconforto para nós mulheres... Já li, já assisti vídeos.... Enfim, é um assunto pouquíssimo falado na internet... É muito constrangedor falar sobre isso... As pessoas afirmam que a falta de lubrificação é a causa das fissuras, mas no meu caso não é esse o problema... Estou desesperada..

Marcela Forjaz

É importante perceber qual a verdadeira causa dessa fissura para que se possa fazer um tratamento eficaz. Terá de se eliminar a hipótese de ocorrer por acção de agentes infecciosos, ou de ter uma doença sistémica que eventualmente para já só dê esse sintoma. É assim necessária uma história clínica completa e cuidada (idade, filhos, tipo de partos, fases do ciclo em que ocorre, se há factores precipitantes , se há outros sintomas gerais como secura de olhos, da boca, alterações articulares, história familiar de doenças autoimunes, etc) que o seu ginecologista colherá consigo em consulta, eventualmente recorrendo a alguns exames complementares de diagnóstico, para tratá-la correctamente.

Mais perguntas

Seg, 30/04/2018 - 11:58
Ginecologia e obstetricia
acr.silva offline

Boa tarde,

Tenho 35 anos e estou de 12 semanas e 4 dias na minha segunda gravidez, sendo que na primeira correu tudo super bem (parto normal, gravidez de termo aos 33 anos).
Foi-me diagnosticada artrite reumatoide aos 28 anos e a minha medicação diária atual, tal como já foi na primeira gravidez, é 1 cp ácido fólico, 1 cp lepicortinolo 5mg e 4 cp salazopirina.

Na passada sexta feira, dia 24/04, fiz a ecografia do primeiro trimestre e estava tudo bem, com exceção do IP Ducto Venoso que estava elevado - 1.4. ( > IP 0,95).
A TN estava a 2.0 (< IP 0,95) e o osso nasal estava presente.
O médico que fez a ecografia disse que o valor isoladamente tem pouca relevância mas que tinha de ser relatado.
A minha obstetra disse que o valor só por si nada indica, pois terá de ser analisado conjuntamente com os resultados do rastreio que fiz às 10 semanas e que ainda não chegaram.
Por prevenção marcou nova consulta e ecocardiografia para análise do coração do bebé para o próximo dia 18 de maio (estarei com 15 semanas) e já me informou que quer que faça nova ecografia completa às 18 semanas.
Também me disse que assim que os resultados do rastreio chegassem, caso estivessem alterados, contactava.

Já tenho lido vários artigos sobre o assunto, mas as conclusões a que chego são poucas e não percebo o que poderá estar em causa.

A alteração do IP Ducto Venoso, só por si, pode ser indicador de algum problema?
É possível que tal valor regularize com o avançar da gravidez?
Quais podem ser as consequências de tal alteração para o meu bebé?

Sou uma pessoa positiva e quero estar tranquila, mas o não saber o que pode estar em causa está a deixar-me ansiosa.

Muito obrigada.

Cumprimentos,

Ana Carolina Silva

Qua, 21/03/2018 - 16:03
Ginecologia e obstetricia

Boa tarde!
O meu nome é Susana e tenho 31 anos. No passado mês de dezembro descobri que estava grávida, mas passado 2 semanas sofri um aborto espontâneo. Após um ciclo menstrual (final de janeiro) voltei a tentar engravidar e obtive um novo positivo. A minha questão é que de momento tenho sensação de peso no baixo ventre e por vezes dores tipo cólica menstrual, mas nada que não seja suportável. Será normal? Será um prenúncio de aborto novamente? Desde já obrigada pela ajuda

Qui, 25/01/2018 - 12:06
Ginecologia e obstetricia

Boa tarde.
Tenho útero pequeno e ovários também, e verificou-se que tenho um útero de 28,8cm3. Queria saber se no futuro terei algum comprometimento no desenvolvimento do feto, por ter este volume de útero? eu sei que com este volume o feto não tem espaço para se desenvolver e queria ter este esclarecimento.
Muito obrigada
SC

Qui, 11/01/2018 - 15:15
Ginecologia e obstetricia
mama85 offline

Boa tarde. Estou grávida pela terceira vez. A minha primeira gravidez correu tudo bem parto natural. A segunda gravidez gémeos, um ficou evenescente às 16 smns nasceu um menino parto natural com recurso a ventosa. Agora estou grávida de 35 semanas e é um menino que está em posição pélvica. Confesso que tenho andado nervosa e preocupada pois na maternidade disseram que farão parto natural. Tenho lido sobre o assunto e dizem que não é normal estar em posição pélvica não sendo uma primeira gravidez e os outros dois terem nascido em posição cefálica. Poderá haver algum problema com o meu bebé? E o parto natural é o mais correto?

Ter, 03/10/2017 - 10:06
Ginecologia e obstetricia
MariPopi offline

Bom dia,

Tive o meu filhote há um ano. Foi um parto distócico (ventosas e laceração grau II) e com atonia uterina. Para além disto, fiquei com uma diastase abdominal de 7,5 cm.

O plano seria engravidar dois anos depois do parto, mas fomos presenteados mais cedo, estou grávida novamente.

Que cuidados especiais deverei ter tendo em conta o que relatei? Há perigo para a minha saúde ou para a do bebé?

Poderei fazer ginástica para tentar atenuar a diastase e reforçar o pavimento pélvico?
E quais as probabilidades de voltar a ter uma atonia no parto?

Muito obrigada

Ter, 12/09/2017 - 16:05
Ginecologia e obstetricia
joana__c offline

Boa tarde. Gostaria de saber quais as principais diferenças entre a toma do Ovusitol (saquetas) de 12 em 12 horas ou o Natalben Supra 1 comprimido diário.

Ficarei a aguardar uma resposta.
Grata pela ajuda.

Votação

Qual destas bebidas consome no dia-a-dia?