Um irmão de 4 patas | De Mãe para Mãe

Está aqui

Um irmão de 4 patas

Maria RibeiroDra. Margarida Raposo Médica Veterinária

Imagina este cenário: é um dos teus primeiros dias de chegada à Terra - tudo é grande e imenso, mas aquilo que mais te afeta e mais te nutre é definitivamente o amor, pois tu também és simples amor. Os teus pais são a tua fonte principal de nutrição mas existe uma outra - uma fonte de amor incondicional que não se esgota, que não se cansa, que raramente se zanga e que está sempre pronto para ti - este é o teu irmão de 4 patas, que os teus pais fizeram questão de amar antes da tua chegada, e ele está pronto para te receber e te ensinar sobre a vida da forma mais pura e simples.

 


É isto que dá aos seus bebés quando antes decidiu já ser mãe de um outro ser. E quanto amor é necessário para receber um ser de outra espécie na nossa família? Na verdade não é assim tanto, pois o amor deles é tão grandioso que nos contagia todos os dias, mesmo quando parece que o nosso coração poderá estar mais apagado. Este ser maravilhoso de 4 patas que alegra a sua vida será o irmão ou a irmã, de outra espécie, mais velho do seu bebé... que lindo! E é muito comum que numa instantânea conexão, ainda quando o seu bebé está a crescer dentro de si, que ele ou ela comece logo a dar sinais de maior proteção - vem aí alguém muito especial que merece ser protegido todos os dias - com a sua presença constante, com um ladrar mais frequente ou um “chega para lá” a estranhos. Esta fase pode existir e é importante que a veja com a naturalidade com que segue todo o resto do percurso inicial de vida do seu bebé. Parece que ele já tem um guarda-costas e isso é um privilégio!


Chegar a um ninho de amor é mais completo com um cão ou um gato, ou mesmo outro animal, que tenha escolhido para fazer parte da sua família, para ser o seu primeiro filho. São eles, do alto das suas 4 patas, caudas a abanar e ronronares de cura, que tornarão o seu lar ainda mais cheio de amor. Da forma mais pura possível, eles iniciarão o bebé ao movimento, às diferentes emoções, à alegria verdadeira e genuína, à capacidade de pedir (quero ir à rua), à capacidade de ser persistente (quando me dás esse pedacinho de comida?), à paciência (sim, eu sei que ele está há algum tempo a tentar subir para cima de mim e eu não me importo), às várias emoções e ao amor próprio e incondicional por tudo - mesmo por aqueles que fisicamente não se assemelham a nós. E nisto, para além do amor que dão aos seus filhos, eles serão ainda o seu porto seguro quando se sentir insegura, quando tiver dúvidas, quando sequer pensar que pode não ser a melhor mãe - nesse momento eles abanarão a cauda mais rápido, ronronarão mais alto ou simplesmente recolherão as suas lágrimas com aquele pelo tão macio. Eles estarão sempre aí para si e agora também para o novo membro da família linda que decidiu criar.

Para além do amor e de todas as lições que os animais estão dispostos a passar às crianças, ainda está provado que a presença de animais numa família diminui a hipótese de ocorrência futura de problemas de saúde para o bebé: existem alguns estudos que relacionam um menor risco de Asma para a criança e até um menor risco de doença de Crohn Juvenil e Colite Ulcerativa, quando existe contacto com animais de quinta.



Preparar a chegada do bebé

Quando percebemos que vai chegar mais um membro da família é habitual que exista a dúvida de como vamos introduzir o nosso bebé ao nosso já elemento animal da família. Existem algumas dicas simples que podemos introduzir na vida do nosso animal antes do bebé chegar. Para um acompanhamento mais avançado e para animais que possam ter um comportamento menos estável é muito importante que, ainda antes do bebé chegar, os pais recorram a um profissional de comportamento animal - por favor não deixe este passo para os últimos dias, pois, na verdade, o mais importante para que a receção do bebé pelo animal seja repleta de todo o amor possível é que o animal, antes do bebé chegar, esteja o mais estável possível tanto ao nível comportamental, como emocional, mental e físico. Desta forma, é muito importante que, como família, façam uma visita ao vosso veterinário de eleição para saber se está tudo bem com o elemento de 4 patas. A prevenção é a chave de todo um bom processo.



A alimentação

No meu caso, como veterinária holística dedicada especialmente à nutrição natural de cães e gatos, é muito importante que a alimentação seja a mais adequada. Um animal bem nutrido é um animal mais estável a nível comportamental. A presença de grandes quantidades de carbohidratos na maioria das rações animais resultam em picos e quedas abruptas de glicose, o que inevitavelmente tem implicações no comportamento dos nossos 4 patas.



O check-up

O check-up físico é também extremamente importante - um animal com dor, por exemplo, será um animal menos tolerante e mais reativo - pelo que todos os fatores de bem-estar do nosso animal devem ser revistos antes deste acontecimento importante.



Manter rotinas

Ao nível comportamental é essencial que dentro do possível e sem culpas associadas, a família tente manter as rotinas dos 4 patas. Se acha que não vai conseguir manter os passeios e outras rotinas, peça ajuda a alguém - este é um passo muito importante.



Introduzir a nova realidade

Para além do check-up animal prévio à chegada do bebé em todas as frentes (físico, comportamental, emocional), portanto holístico, poderá começar, antes do nascimento do bebé, a introduzir em casa sons de bebés a chorar - use a Internet para este fim - com volume mais baixo e, gradualmente, mais alto - assim o seu animal já estará habituado a este som quando chegar o bebé. Antes de sair da maternidade, poderá pedir a alguém para trazer roupa usada da(o) bebé para mostrar ao seu animal e colocar em casa para ele cheirar. Desta forma, estará já a introduzir o cheiro do novo membro da família ainda antes de chegar. Se desejar restringir o acesso do animal ao quarto do futuro membro da família, comece a fazê-lo o mais cedo possível, ainda na gravidez, para que não seja mais uma mudança brusca na vossa logística familiar.

E, no meio de tudo isto que pode fazer, o mais importante é que a família esteja com a energia o mais segura e confiante possível em todo este processo. Os animais estão intrinsecamente conectados às nossas emoções. Vai, com certeza, correr tudo bem! Tem, claro, os devidos cuidados em controlar os momentos em que os seus animais estão junto do bebé, especialmente quando os bebés são muito pequenos, mas lembre-se sempre que está perante seres de puro amor, por isso desfrute profundamente desta nova era para toda a sua família!