Epidural | De Mãe para Mãe

Está aqui

Epidural

Responda
18 mensagens
NesRodri -
Offline
Desde 10 Set 2017

Olá mamas. Tenho visto em muitas publicações mamas que dizem que a epidural em comparação com as dores das contrações não dói nada. O meu problema é que vou fazer cesariana por marcação e provavelmente não terei as dores das contrações para contrabalançar.
Posto isto gostava de perguntar as mamas que tiverem cesarianas sem entrarem em trabalho de parto se a epidural vos doeu?
Estou em pânico com a cesariana. Cada dia "panico" por um assunto diferente. Hoje foi a epidural.

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

A dar a epidural não dói quase nada. A mim custou-me um pouco porque tinha a barriga gigante (gémeos) e não conseguia curvar-me como devia ser. Foi mais difícil a anestesista encontrar o sítio certo.
Agora mentalize-se que a epidural pode não retirar toda a sensibilidade e em alguns casos (foi o meu) sente-se os médicos a mexer, o que é um bocadinho complicado. Tem de ir calma. Se sente que está muito, muito ansiosa, talvez seja melhor pedir anestesia geral.

Submetido por guialmi em Qua, 22/11/2017 - 19:45
Cathara -
Offline
Desde 13 Set 2016

Nem senti a epidural. Não me doeu nada Sorriso

Submetido por Cathara em Qua, 22/11/2017 - 20:22
NesRodri -
Offline
Desde 10 Set 2017

Isso é outro assunto que certamente até lá me irá preocupar também. O facto de a epidural poder não fazer o efeito desejado ou não ser tão eficaz e a sensação de te mexerem por dentro e cozerem te é algo que não faço a mínima ideia como será e assusta me.

Submetido por NesRodri em Qua, 22/11/2017 - 20:49
BagaLaranja -
Offline
Desde 02 Abr 2014

Eu não fiz cesariana, mas a epidural não doeu nada. Ou acho que a primeira picadinha com uma anestesia local doeu qualquer coisa (foi só uma picadinha), mas nada de especial.

Submetido por BagaLaranja em Qua, 22/11/2017 - 21:29
Ana Svensson -
Offline
Desde 23 Abr 2017

Com a dor da epidural, não se preocupe, que não se sente nada de especial. Mas concordo que não tira, ou pelo menos pode não tirar, toda a sensibilidade. Se tivesse feito cesariana, teria optado pela anestesia geral. Mas isso sou eu que me faz muita confusão a ideia de estar ali acordada e a saber que tenho a barriga aberta e os médicos a mexerem lá dentro.

Submetido por Ana Svensson em Qua, 22/11/2017 - 22:54
guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

NesRodri escreveu:
Isso é outro assunto que certamente até lá me irá preocupar também. O facto de a epidural poder não fazer o efeito desejado ou não ser tão eficaz e a sensação de te mexerem por dentro e cozerem te é algo que não faço a mínima ideia como será e assusta me.

É sempre possível porem na a dormir durante a cesariana. Comigo houve uma altura em que senti bastante aflita e a anestesista disse que se reforçasse a anestesia ia ficar adormecida. Eu rejeitei porque fazia mesmo muita questão de ver logo as minhas filhas e sou muito auto-controlada. Não se sente dor, é difícil descrever. Na fase de coser não senti mesmo nada.

Submetido por guialmi em Qua, 22/11/2017 - 23:34
Soph_713 -
Offline
Desde 25 Mar 2015

O meio de anestesia é o mesmo (punção na coluna epidural), parto normal ou cesariana.

Mas, na cesariana não é dada um mero analgésico a que vulgarmente nos referimos como epidural, que tem um efeito analgésico e NÃO anestésico. Ou seja, a analgesia apenas retira a dor e não a sensibilidade. Daí não tirar a capacidade de movimentação das pernas, p. ex.

Na cesariana é dada anestesia raquidiana (via epidural) ou geral (via intravenosa).

Depois fazem a algaliação (já sob efeito anestésico).

Durante a cirurgia sente-se uma pressão, quando se tira o bebé e tal, mas não dor.

Já quanto à punção na coluna, costumam dar uma anestesia local (que dói tt como uma vacina) para depois não se sentir a punção em si (que é mais dolorosa).

Portanto, relaxa! A cesariana é hoje em dia uma cirurgia muito segura e indolor.

Submetido por Soph_713 em Qua, 22/11/2017 - 23:43
KellyPT -
Offline
Desde 05 Abr 2011

O que custa na administração da epidural, quanto a mim, são os nossos nervos. De resto, é uma picada perfeitamente suportável que dura 2 segundos. Eu também fiz cesariana programada no primeiro parto (e cesariana de emergência no segundo) e dizia que preferia mil vezes ter levado anestesia geral. Mas, depois, cheguei à conclusão de que mais vale estar acordada para ver o bebé nascer, porque realmente não custa quase nada.

Quer dizer, da primeira vez custaram-me os primeiros 7 minutos: administraram-me a epidural (que no caso das cesarianas se chama mais exatamente "anestesia raquidiana") às 14:25 e o meu filho nasceu às 14:32 (vi no relógio). Foram, literalmente, 7 minutos e o que custou mesmo, mais uma vez, foi gerir os nervos. É verdade que não bloqueia a sensibilidade, mas no meu caso até achei graça, porque de facto a dor desaparece completamente (e se não desaparece põem-te a dormir, não te preocupes).. Depois de o bebé nascer, fiquei tão embevecida que não pensei mesmo em mais nada Sorriso

Boa sorte e não sofras por antecipação, que isso é o pior

Submetido por KellyPT em Qua, 22/11/2017 - 23:49
agpereira -
Offline
Desde 16 Jan 2014

Aproveitando este post... estou na mesma situação com cesariana marcada... não há possibilidade de a anestesia começar a passar a meio quando estamos ali de barriga aberta pois n? Isto é o que me horroriza mais...

É possivel pedir anestesia geral como disseram? Pensei q n fosse...

Submetido por agpereira em Qui, 23/11/2017 - 01:59
Soph_713 -
Offline
Desde 25 Mar 2015

Agpreira,

Não! A cesariana é uma cirurgia e como tal vais ser colocada a soro, vão avaliar-te os sinais vitais e auscultar os batimentos cardíacos do bebé. Vais estar permanentemente monitorizada através dos sensores (oxigénio, batimentos cardíacos, tensão).

O anestesista (sempre presente na cesariana) vai verificar o nível da anestesia para saber se estás pronta para a cirurgia.

De qualquer modo, o procedimento em si nunca costuma demorar mais de uma hora (cosedura incluída) pelo que a dose anestésica está preparada para durar bem mais, incluindo no recobro, que costuma durar cerca de 2h e onde vais recuperar a sensibilidade nas pernas. Para minimizar as dores do pós-operatório administram-te analgésicos.

Penso que a anestesia geral é usada apenas em situações específicas, já que como tem um alcance global e não apenas regional, afecta mais o bebé. Nas cesarianas programadas não costuma ser usada. Nas de emergência é mais comum, até porque é de mais fácil administração (via máscara de oxigénio). Tudo dependerá da avaliação do bem estar materno-fetal e da urgência dos procedimentos.

Tenham calma!
Mas, vocês não vão ter consulta de anestesia?
Acho estranho n terem consulta de anestesia para dissipar todas as dúvidas, até porque no parto normal fazem esta consulta..

Beijinhos e tudo a correr bem Beijinho

Submetido por Soph_713 em Qui, 23/11/2017 - 21:39
Ana_1987 -
Offline
Desde 08 Set 2014

Eu tive o meu bebé com cesariana marcada e demoraram uma hora a dar-me a epidural, doeu e muito! não encontravam o sitio certo, foi um autentico massacre.. e fiquei com mazelas, até hoje sofro com dores.. Agora estou grávida outra vez e caso seja cesariana quero anestesia geral!

Submetido por Ana_1987 em Qui, 23/11/2017 - 09:05
Sobre Ana_1987

25/05/2016 - Nasceu o nosso principe
Julho 2017 - De volta aos treinos
28/11/2017 - Positivo*

Desde 13 Set 2012

Bom dia!

Guialmi, nem sei o que deve ser uma barriga de gémeos, já que na minha segunda viagem eu tinha um barrigão enorme e era só um! lol

Eu não fiz cesariana, mas creio que neste procedimento não é bem a epidural que se utiliza, mas sim uma analgesia chamada raquidiana. Neste caso, os análgésicos são administrados por agulha de fino calibre no líquido cefalorraquidiano e não no espaço epidural. Na prática o resultado é o mesmo, mas difere o local de aplicação, o modo e a quantidade de fármacos utilizados. Corrijam-me se estiver errada. Pelo que tenho lido, a única consequência menos boa que aparece associada à anestesia raquidiana são fortes dores de cabeça que também passam ao fim de algum tempo.

Quanto à epidural, eu já a experimentei por duas vezes e, sinceramente, não senti nada de nada... a não ser um conforto enorme por poder usufruir de um momento tão importante para a minha existência.

Mamãs que estão prestes a dar à luz, foquem-se no objetivo e não dos procedimentos para lá chegar! Confiem nas equipas médicas e deixem que façam o trabalho deles. Colaborem o mais possível, informem-se mas não sofram por antecipação porque, na esmagadora maioria das situações, tudo corre muito muito bem!

Depois venha cá partilhar connosco a sua experiência!

Beijinhos e tudo de bom para todas!

Submetido por Sónia Maria Santos em Qui, 23/11/2017 - 09:23

SMSantos

guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Eu não tive consulta de anestesia e foi cesariana programada. A minha já foi há bastante tempo (14 anos), portanto as coisas podem ter mudado. Na altura, no meu hospital de residência, era mais habitual a anestesia geral do que a epidural, na minha enfermaria fui a única com epidural.
Comigo as coisas não correram muito bem com a anestesia, eu sentia perfeitamente as pernas, mexia-as, e não sei se era suposto. Acho que senti mais do que devia...mas como disse antes, a anestesista tinha-me posto a dormir se eu quisesse.
Agora existe toda uma parte pré e pós-operatória para a qual é preciso estar preparada. Vamos sentir o frio do bloco operatório, ter a noção de que estamos nuas, ouvir conversar os médicos e enfermeiros, ouvir os sons dos instrumentos...para mim isso não foi problema, mas para uma pessoa muito sensível e ansiosa pode ser.
Ah, e por favor não escrevam que vos vão cozer Sorriso os médicos podem ser mauzinhos, mas não vos vão enfiar dentro de uma panela!

Submetido por guialmi em Qui, 23/11/2017 - 19:47
KellyPT -
Offline
Desde 05 Abr 2011

Sónia Maria Santos escreveu:
Bom dia!
Eu não fiz cesariana, mas creio que neste procedimento não é bem a epidural que se utiliza, mas sim uma analgesia chamada raquidiana. Neste caso, os análgésicos são administrados por agulha de fino calibre no líquido cefalorraquidiano e não no espaço epidural. Na prática o resultado é o mesmo, mas difere o local de aplicação, o modo e a quantidade de fármacos utilizados. Corrijam-me se estiver errada. Pelo que tenho lido, a única consequência menos boa que aparece associada à anestesia raquidiana são fortes dores de cabeça que também passam ao fim de algum tempo.

Eu não percebo grande coisa de conceitos técnicos, mas quanto à questão da anestesia/analgesia, acho que é ao contrário. Para partos normais, aplica-se uma analgesia (que diminui a dor, mas mantém a mobilidade dos membros) e para as cesarianas uma anestesia propriamente dita, raquidiana (que bloqueia totalmente a dor e a mobilidade dos membros inferiores). Por isso é que não se deve comparar experiências de mulheres a quem a epidural "não pegou", porque a técnica é outra e isso não acontece numa cirurgia. Nenhuma cirurgia se inicia se o paciente não estiver bem anestesiado, isso é questão que nem se coloca. O que se coloca, por vezes, é que as mulheres estão tão assustadas que entram em pânico só por sentir que lhes estão a mexer (porque isto sente-se, de facto) e é quase sempre por este motivo que acaba por se ter de recorrer a anestesia geral (que é evitada, porque a recuperação é muito mais difícil e priva a mãe daqueles primeiros e cruciais momentos com o filho).

Eu julgava que o local de administração era o mesmo e o que variava o fármaco, mas posso estar enganada. Mas quanto às dores de cabeça, não é verdade que o risco seja superior com a anestesia raquidiana. Pode acontecer com as analgesias epidurais também e aliás os dois casos mais graves que conheço foram de analgesias em parto normal (com uma cunhada e uma amiga minha e esta última esteve bastante atrapalhada com dores mais de uma semana). Mas depois passou!

Como dizes, não vale mesmo nada a pena sofrer por antecipação, porque quase sempre correr tudo bem e mesmo que qualquer coisita não corra, a recompensa vale bem a pena Sorriso

Submetido por KellyPT em Qui, 23/11/2017 - 23:10
agpereira -
Offline
Desde 16 Jan 2014

Obrigada a todas pelos esclarecimentos. Sorriso
Quanto à consulta de anestesia, pelo menos até agora a minha médica n me disse nada.... n sei.
Tenho algum receio do q foi dito, de se "sentir", mas vou tentar respirar fundo e como diz a kelly, realmente n podem começar uma cirurgia sem o paciente estar bem anestesiado n é....?? Ai... só quero q o momento do parto passe e o meu filho salte cá pra fora..... Sorriso

Submetido por agpereira em Sex, 24/11/2017 - 02:02
KellyPT -
Offline
Desde 05 Abr 2011

Ainda quanto ao local da punção, eu disse que não sabia nada, mas se calhar sei: no parto do meu segundo filho, rebentaram-me as águas antes da data prevista para a cesariana. Fui para o hospital e, como tinha comido há pouco tempo e o parto não estava adiantado, fiquei num quarto a aguardar as 5 horas de jejum recomendadas para uma cirurgia.

O certo é que, nesse tempo as dores intensificaram-se de tal forma que me vieram dar uma analgesia epidural, para as aliviar (eu até comecei por dizer que não queria, mas quando apertaram mesmo calei-me e agradeci). Depois, deram-me a anestesia raquidiana para fazer a cesariana, mas a punção foi a mesma, ou seja, administraram-me o fármaco no cateter que já tinham colocado para a analgesia; não fui picada duas vezes.

E ainda bem que a punção já estava feita, porque como entretanto ele entrou em sofrimento, a cesariana foi feita à pressa; se o cateter não estivesse já colocado, se calhar já não havia tempo para o fazer e tinham-me posto a dormir...

Mas quanto ao "sentir", é preciso ter uma coisa em conta: o tempo que leva até o bebé sair é muito, muito rápido (no caso do meu filho mais velho foi, como eu disse, precisamente 7 minutos). Custou-me bastante, mas foi darem-me a anestesia, deitarem-me, começarem a "mexer"; senti falta de ar e vómitos (é importante avisar imediatamente a equipa médica para terem tempo de fazer alguma coisa); depois chamei pelo meu marido, ele entrou, pegou-me na mão e, de repente, ouvimos o bebé chorar.

O que se passa a seguir é de uma emoção tão grande que praticamente faz esquecer tudo o resto que se está a passar: mostram-no, ficamos alerta enquanto lhe fazem o teste de Apgar; depois veio a neonatologista dizer: "parabéns mamã, está tudo bem!"; vem o pai com ele trazê-lo para o nosso "colo"; ficamos ali os três a namorar; as enfermeiras tiram uma ou outra fotografia à família; a equipa médica vai-nos dando os parabéns...

Enquanto isto, continuam de facto a mexer-nos lá em baixo, mas é tão pouco importante comparado com o que se está a passar, que nem se dá por isso. Sobretudo porque não dói nada. Fazer uma cirurgia nunca é agradável, mas isto está longe de ser uma tragédia e eu não me preocuparia muito.

Boa sorte a todas

Submetido por KellyPT em Sex, 24/11/2017 - 12:54
NesRodri -
Offline
Desde 10 Set 2017

Obrigada mamas. Os vossos comentários de muito me ajudam e acalmam agora que poucos dias faltam para o meu menino o nascer. Cada dia que passa os nervos aumentam e diminuem ao mesmo tempo. Diminui o medo de todas as questões que vos tenho colocado e ânsia de conhecer o meu pequeno e o medo (do desconhecido) do que vem depois aumenta. Mas penso que seja um medo bom e normal. Obrigada pelo vosso tempo Sorriso

Submetido por NesRodri em Sex, 24/11/2017 - 19:13

Votação

Quanto gastou ou pretende gastar no carrinho de bebé?