Como agir com as outras crianças do Colégio? | De Mãe para Mãe

Está aqui

Como agir com as outras crianças do Colégio?

Responda
27 mensagens
Benimamy -
Offline
Desde 21 Mar 2016

Boa noite mamãs..
Tenho andado distante e ausente por motivos profissionais, mas já há uns tempos que tenho esta dúvida e hoje tive algum tempo para vir perguntar a vossa opinião.
Quando vou buscar a minha pipoca ao colégio, tento sempre ser simpática para os outros meninos e se vêm ter comigo eu brinco com eles e dou atenção, afinal eles são os amiguinhos da minha filha e ela passa muito tempo com eles.
No entanto também tenho visto que os outros pais/mães não se comportam da mesma forma, já vi por exemplo a minha filha chegar-se ao pé de uma mãe e ela nem para a menina falou…
Eu sei que não somos todos iguais e que há pessoas que apenas ligam aos filhos e nada mais, mas não consigo entender como se ignora uma criança…
Não tenho sequer receio que a minha filha fique com sequelas, porque não me parece que seja caso para isso, mas fico na dúvida se sou eu que estou a agir mal ou se são os outros…
Não são todas as mães assim, mas a sua maioria age desta forma, não liga a mais nenhuma criança da sala e mesmo quando os meninos se dirigem a elas nem lhes falam.
Serei eu que estou errada em falar para os outros meninos e dar atenção, ou serão os outros?
Se houver aqui alguma educadora de infância, gostava que me ajudasse a perceber qual a melhor forma de agir, porque também podem haver pais que não gostem que os pais dos outros meninos sejam afáveis com os deles.
Qual é a vossa opinião?
Desculpem o testamento, mas gostava mesmo de esclarecer isto

Sobre Benimamy

A minha princesa chegará em breve .... Sorriso Sorriso Sorriso
Já és tão amada meu amor
Sorriso Sorriso Sorriso Sorriso

ClaraMiguel -
Offline
Desde 03 Nov 2013

Eu acho que talvez não deva procurar quem tem o comportamento certo e errado, mas assumir que as pessoas se comportam de forma diferente e pronto.
Nesta situação , acredito que (a minha ainda não está na escola) não ignorarei outra criança que fale comigo mas sei desde já que não estarei ali na conversa e na brincadeira pois não é do meu feitio. Noto isso quando vou ao parque com a minha filha: quando alguma criança fala comigo, eu respondo mas sem mais conversas. Da mesma forma, vejo outros pais a falarem com a minha filha por iniciativa própria enquanto que eu nunca me dirijo a outra criança para falar com ela sem ela ter falado comigo antes.
Não é porque tenho apenas olhos para a minha filha mas sim porque tenho algum desconforto em interagir com crianças que não são me são próximas. Não as conheço bem, não conheço os pais, não sei se eles gostam de outras pessoas falem e brinquem com os filhos, por isso não sinto esse à-vontade.

Submetido por ClaraMiguel em Seg, 20/11/2017 - 22:48
carlaper -
Offline
Desde 11 Out 2011

Isso vai do feitio de cada pessoa julgo eu. Continue a agir conforme a sua personalidade, há apenas pais que são mais distantes, mas acredito que não seja por mal. Eu, se alguma criança se dirigir a mim, não a ignoro claro, falo e meto-me com elas e geralmente as crianças simpatizam comigo. Mas de personalidade sou reservada e nem sempre tenho iniciativa de dizer alguma coisa, mas não é por mal ou antipatia, é mesmo por ser reservada Sorriso

Submetido por carlaper em Seg, 20/11/2017 - 22:53
BagaLaranja -
Offline
Desde 02 Abr 2014

Eu acho que está a complicar um bocadinho. Sorriso Eu sou timida, mesmo com crianças, pelo que só falo com alguma se se vier meter comigo. Quanto muito digo olá e já está. Não é que não goste delas, mas não sei o que lhes dizer. Há outros pais que brincam com as crianças todas, se metem com elas, se formos ao parque infantil andam na correria atrás dos miúdos. Cada um é como é, não quer dizer que gostem mais ou menos, são feitios diferentes.

Submetido por BagaLaranja em Ter, 21/11/2017 - 08:13
FSilsa -
Offline
Desde 08 Abr 2014

Olá, já me aconteceu sem ser na escola de pessoas virem ter comigo para pegar na minha filha e falar com ela. pessoas que só conhecia de vista. Achei um bocado invasivo. Mas acho também que é uma atitude extremista, porque só mesmo uma pessoa muito extrovertida é que o faz. Eu na realidade até aceno aos outros miúdos quando estão "babados" a olhar para mim, sorriu ou falo quando acho que é isso que estão à espera que faça. Mais que isso, não faço porque realmente os pais das crianças podem não gostar. Só por isso, por uma questão de respeito. Se brincarem com a minha filha (mais do que eu brinco com os filhos deles) não levo a mal, nem me chateio por isso, porque sei que cada um tem a sua forma de ser e de estar. Claro que há limites que também não quero ver ultrapassados. E como não sei dos "limites" dos outros, prefiro me guardar de eventuais conflitos.
Não complique, faça o que achar melhor e não se ofenda com as atitudes das outras mães porque elas provavelmente já estão com a cabeça cheia depois de um dia de trabalho, ainda vão para casa fazer uma série de coisas, e já não tem tanta sensibilidade para dar atenção a esses pormenores.

Submetido por FSilsa em Ter, 21/11/2017 - 09:37
Desde 13 Set 2012

bom dia!

Olha, isto de vez em quando até surgem uns tópicos bem interessantes por aqui...

Há um provérbio da sabedoria chinesa de que não me lembro exatamente, mas cuja mensagem é que cada um deve agir de acordo com a sua Natureza e não com base naquilo que os outros possam esperar.

Não há uma receita para o que questiona, desde logo porque cada um de nós tem limites que não quer ultrapassar nem ver ultrapassados e também está condicionado às possíveis reações alheias.

Se a sua personalidade e desejo lhe diz que deve interagir e reagir com as outras crianças, pois faça isso! No entanto não espere dos outros o mesmo comportamento. Pode haver quem seja parecido consigo, mas há com certeza quem seja muito diferente.

Eu, por personalidade e muito provavelmente por consequência da minha condição (sou cega total), tenho uma personalidade muito relacional. Como a comunicação visual me está vedada, desenvolvi uma forma alternativa de aferir as emoções alheias. Ora, para isso é preciso comunicar verbalmente e ate´fisicamente. As crianças não têm tantos filtros como os adultos e quando querem alguma coisa e até têm à-vontade, aproximam-se e falam logo. Quando assim é, eu reajo em conformidade, brinco, respondo, esclareço ou simplesmente dou a atenção que eles pedem. Talvez por isso, os aniversários da minha filha (já tem 13 anos) foram sempre muito participados. Se a turma tinha 25, eram 25 que apareciam, número muitas vezes aumentado porque o coleguinha trazia o irmão ou irmã. Houve anos que contratei animadores devido ao grande número de crianças, mas eu sempre participei ativamente nas atividades. No entanto, havia pais que simplesmente chegavam, cumprimentavam formalmente, deixavam os filhos depois de perguntarem a que horas os deviam ir buscar e pronto, o contacto ficava-se por aí. Isso nunca me fez questionar a minha postura mas também nunca questionei a postura de quem é diferente.

Mudei de casa em setembro deste ano. O meu apartamento fica num prédio com 11 andares de habitação, totalizando 44 famílias. Já me cruzei com vários vizinhos no elevador e, embora reconheça simpatia em todos eles, obviamente uns são mais extrovertidos do que outro. Há um vizinho no 3º andar que considero particularmente extrovertido. ele deve ter uns trinta e poucos anos e tem 2 filhos, um aí com uns 3 anitos e outro ainda bebé. É o que eu designo de superpai. Encontro-o muitas vezes no terraço comum a jogar bola com o filho enquanto o outro os observa ainda no carrinho. Claro que este vizinho mete-se sempre muito com o meu filho de 4 anos! Eu acho absolutamente normal esse comportamento pois parece-me que espelha a personalidade do senhor! No outro dia no elevador perguntou ao meu filho qual era o clube dele. Olhem, nem sei porquê mas o meu D disse que era do Sporting... Pronto, o vizinho disse-lhe logo um montão de coisas fixes e o meu pequeno achou que ganhou um amigo para a vida! Se me perguntarem se vou deixar o meu filho ir para casa deste vizinho brincar com o filho dele, respondo que para já não pois n o conheço nem de perto nem de longe, mas se calharem de se encontrar no terraço e começarem a brincar, isso não me vai incomodar nem um pouco! Na verdade acho este vizinho um bocadinho parecido comigo em termos de personalidade relacional.

Benemamy, não se preocupe com os outros, mas foque-se no que para si lhe faz mais sentido... Se viver focada nos outros, nunca se vai sentir descontraída! Se quer que lhe diga, acho pouco provável que alguém se vá incomodar por ver a mãe de uma menina a dar atenção ao próprio filho; de um modo geral, o ditado "Quem meus filhos beija, minha boca adoça" costuma refletir a realidade.

Beijinhos e tudo de bom para todas

Submetido por Sónia Maria Santos em Ter, 21/11/2017 - 10:24

SMSantos

mamagemelar -
Offline
Desde 29 Ago 2011

bem eu sou daquelas pessoas que nao me consigo controlar... alem das criancas terem tendencia para se meter cmg( nem sei pk) , meto me muito tb eu com elas.... quando vou buscar os miudos a escola é uma festa... muitos miudos conhecem os meus filhos que tb sao muito sociaveis e dirigem se a nos e querem falar cmg tb. ahahahah se os pais levam a mal... n me parece... conheci muitos pais assim tb e fico a conversa com eles por vezes... ha pais mais contidos mas regra geral nao me parece que levem a mal os miudos estarem a conversa cmg... mas percebo o que sentes pelo facto de o meu marido me chamar a atenção! ele ta sempre a dizer q qq dia vou ouvir das boas de algum pai por me meter com as criancas... sim eu sou aquela sra maluca que diz adeus as criancas dos outros carros quando elas estao a olhar para mim fixamente.... epah nao consigo deixar de acenar... se as criancas estao a olhar é pk esperam uma reaccao ne??? e fico de coracao cheio qd me retribuem o aceno! ahahahaha por isso entendo quem é mais efusivo e entendo tb quem é mais retraido... se algum dia me chamarem a atencao olha... sigo em frente e teho mais cuidado com essa crianca... e tento ignora la numa proxima vez... ou talvez nao... Espertalhão

Submetido por mamagemelar em Ter, 21/11/2017 - 10:48

Fez se luz no meu coracao a 22\11\2010... Rafaela as 00h10m e Fábio as 00h13m..Minhas vidas!!! Amo vos mto mto Afilhada e Madrinha babada da mnh kerida TWINMUMMY!!!mais uma madrinha e afilhada 5* SUSANA CORVOS mais uma afilhada linda. Sara78_98 . madrinha e afilhada da APIPAS querida!!!

Joca3080 -
Offline
Desde 20 Nov 2017

Olá querida mamã. Acho que tal como os adultos se comportam de formas diferentes uns com os outros, também os pais (e adultos) fazem o mesmo com as crianças. Eu sou como a mamã, adoro crianças e não seria capaz de ignora-las dessa forma (tal como não gostaria que fizessem com os meus), nem consigo resistir... são tão queridas as crianças e quer queiramos quer não, são a segunda família dos nossos filhos. Os meus ainda ficam com a minha mãe, mas tenho a certeza que passarei pelo mesmo no futuro... somos todos diferentes.
Acho que deve continuar a agir assim, e bem, tem um grande coração de certeza. E se algum dia alguém não gostar irá falar consigo, e aí a mamã terá de decidir, mas não acredito que isso vá acontecer. Devemos agir como o nosso coração manda.

Submetido por Joca3080 em Ter, 21/11/2017 - 11:29
janew -
Offline
Desde 18 Jun 2016

Olá,
penso que ninguém está errado, desde que não maltratem os miúdos tudo bem, é da personalidade da pessoa, do dia (nem sempre há paciência), etc.
Não sou muito ternurenta com os outros (com os meus sou super brincalhona e adoro enchê-los de beijos). Se vierem ter comigo não os ignoro mas também não vou andar à palhaçada com eles.
Já o meu até pede para parar com os beijos.
Não se preocupe, os miúdos percebem com quem podem "abusar", não vai ficar com sequela nenhuma. Vai aprender como é a vida.
Felicidades!

Submetido por janew em Ter, 21/11/2017 - 11:48
Jomosian -
Offline
Desde 23 Out 2016

Eu também só sou uma pessoa mais afável com o meu filho.
Nunca liguei a crianças e bebés, mas se uma criança se dirigir a mim, tento falar com ela e ser simpática.
Já me aconteceu o q relatou, crianças virem falar cmg enqto estou à espera do meu filho no Colégio, e digo sempre qq coisa.
No entanto, fico um bocado sem jeito e, tal como a ClaraMiguel, não dou mais conversa.

Submetido por Jomosian em Ter, 21/11/2017 - 12:21
Videl86 -
Offline
Desde 18 Jul 2014

Pessoalmente não me meto com crianças, nem com adultos, não é do meu feitio Careta mas sou simpática para toda a gente, criança ou adulto! O que quer dizer que por iniciativa não digo nada, mas se falam para mim respondo educadamente e com simpatia, seja adulto ou criança. E acho que isto é o esperado de toda a gente, respeitando os traços de personalidade. Há pessoas mais dadas a falarem com crianças, e isso é da personalidade delas, desde que respeitem a resposta da criança por mim tanto me dá Careta o meu filho é extremamente sociável e mete-se com toda a gente, pais dos coleguinhas, pessoas aleatórias na rua, pessoas na paragem do autocarro, toda a gente! Para uma pessoa mais reservada como eu é um bocado infernal, mas ele é assim e fica feliz por falar com toda a gente e eu fico feliz quando o respeitam e lhe respondem! A única coisa que não suporto é quando o ignoram, porque há pessoas que fazem isso. Isso eu acho de muito mau tom e fico mesmo irritada porque acho que é desrespeitar a criança. Por exemplo, o meu filho é capaz de ir no elevador e dizer "olá, bom dia" a toda a gente, uma pessoa de cada vez. Há pessoas que pura e simplesmente ignoram como se ele não estivesse a falar para elas. E ele não percebe isso e insiste, insiste imenso, até irmos embora. E para mim é muito difícil explicar-lhe porque é que há pessoas que o ignoram totalmente. E fico a achar que são umas pessoas frustradas porque sinceramente não acho normal fazer isso a ninguém. Agora, se a pessoa se limita a responder um tímido "olá" ou se desata numa conversa com ele, isso é-me indiferente...porque na minha perspetiva qualquer uma dessas atitudes demonstra respeito e educação.

Submetido por Videl86 em Ter, 21/11/2017 - 14:33
Sobre Videl86

08 de dezembro de 2014 <3
49,5 cm e 2,920 de amor e doçura <3

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

Por acaso é engraçado ter colocado este tópico, pq eu Tb coloquei aqui um parecido há para aí um ano. No meu caso, não era no ambiente escolar mas pior ainda, no ambiente dos meus amigos
Lembro-me que na altura até foi a clara Miguel que me respondeu e sossegou o meu coração Sorriso
Na altura, vinha muito transtornada depois de um lanche de natal entre amigas, em que todas tinham sido mães há relativamente pouco tempo, e eu tinha sido a última a ser mãe ( p Vasco era o mais novo ), e qual não é o meu espanto qd eu fui dar um carinho e atenção a cada criança que lá estava e ninguém veio ver ou dar atenção ao meu bebe , fiquei mesmo chocada e até ofendida
Sou muito extrovertida, adoro crianças e tento sempre dar um pouco de atenção a toda a gente excepto alguém q não goste em particular.
Hoje em dia o meu filho que já tem ano e meio, Tb é super extrovertido e vai ter com as pessoas a dizer olá e às vezes até as “puxa” para elas olharem para ele, e faz-me muita confusão algumas pessoas ignorarem este comportamento do meu filho. É a minoria mas ainda existem. A mim só me dá vontade de rir qd vejo alguma criança a ter este tipo de atitude Sorriso
Lá está, depende do feitio de cada um
Eu não vou mudar a minha conduta mas Tb já não fico tão ofendida com quem não é assim Sorriso

Submetido por Ansha em Ter, 21/11/2017 - 14:42
mamagemelar -
Offline
Desde 29 Ago 2011

Ansha escreveu:
Por acaso é engraçado ter colocado este tópico, pq eu Tb coloquei aqui um parecido há para aí um ano. No meu caso, não era no ambiente escolar mas pior ainda, no ambiente dos meus amigos
Lembro-me que na altura até foi a clara Miguel que me respondeu e sossegou o meu coração Sorriso
Na altura, vinha muito transtornada depois de um lanche de natal entre amigas, em que todas tinham sido mães há relativamente pouco tempo, e eu tinha sido a última a ser mãe ( p Vasco era o mais novo ), e qual não é o meu espanto qd eu fui dar um carinho e atenção a cada criança que lá estava e ninguém veio ver ou dar atenção ao meu bebe , fiquei mesmo chocada e até ofendida
Sou muito extrovertida, adoro crianças e tento sempre dar um pouco de atenção a toda a gente excepto alguém q não goste em particular.
Hoje em dia o meu filho que já tem ano e meio, Tb é super extrovertido e vai ter com as pessoas a dizer olá e às vezes até as “puxa” para elas olharem para ele, e faz-me muita confusão algumas pessoas ignorarem este comportamento do meu filho. É a minoria mas ainda existem. A mim só me dá vontade de rir qd vejo alguma criança a ter este tipo de atitude Sorriso
Lá está, depende do feitio de cada um
Eu não vou mudar a minha conduta mas Tb já não fico tão ofendida com quem não é assim

Olá... acho que nunca me cruzei com esse topico.. mas posso ter a explicação para a reaccao das tuas amigas... principalmente se elas lerem em foruns como estes recem mamas constantemente a queixarem se por nao gostarem de lhes tocarem nos filhos recem nascidos!!! o teu menino devia ser pequenito não é? isto comeca a ser uma reaccao em cadeia... ja ninguem sabe lidar com os filhos dos outros, porque as pessoas vivem centradas nelas proprias e nas esquisitisses que tocar numa crianca pequena lhe pode causar logo doecas e afins como se adoecer nao seja algo normal! ahahahaha eu é como digo... sou muito extrovertida mas nao toco em bebes de pessoas que nao conheco e mesmo as que conheco ja nem sei bem como reagir... eu nunca me importei que mexessem nos meus meninos e os acarinhassem...e acho que no teu lugar tb ficaria muito sentida se os meus proprios amigos me fizessem algo assim!!! Podes partilhar o topico para ler as opinioes? beijinhos

Submetido por mamagemelar em Ter, 21/11/2017 - 15:03

Fez se luz no meu coracao a 22\11\2010... Rafaela as 00h10m e Fábio as 00h13m..Minhas vidas!!! Amo vos mto mto Afilhada e Madrinha babada da mnh kerida TWINMUMMY!!!mais uma madrinha e afilhada 5* SUSANA CORVOS mais uma afilhada linda. Sara78_98 . madrinha e afilhada da APIPAS querida!!!

Ansha -
Offline
Desde 13 Abr 2016

Desde ontem que não consigo aceder à minha conta aqui no site. Está muito lento e só abre o fórum....por isso não consigo partilhar o tópico...
mas na altura ele já tinha 6 meses... acho q não foi bem isso, acho q todas estavam tão embrenhadas nos seus próprios filhos... não gostei nada desse lanche, lembro-me que todas se atropelavam umas às outras para contarem o q cada filho fazia... e eu nem consegui falar ! Lol
Até comentei que num outro grupo de amigos que tenho, que não têm filhos, aí sim é um gosto levar o meu pequeno, pq fazem-lhe uma festa Sorriso
Ali naquelas é que a reação é estranha... hoje em dia pronto os miúdos brincam uns com os outros e está feita a festa.
Ainda noutro grupo em q Tb já têm filhos, já são mais como eu, e dão atenção aos filhos dos outros e até trocamos por momentos os filhos Sorriso no colinho

Submetido por Ansha em Ter, 21/11/2017 - 17:56
Ana Svensson -
Offline
Desde 23 Abr 2017

Concordo com o que foi dito. Não existe necessariamente um comportamento certo... Tudo depende da personalidade de cada uma de nós.
Eu não sou uma pessoa extrovertida, nem particularmente sociável e, como tal, dificilmente tomaria a iniciativa de me meter com uma criança que não conheço. Mas adoro crianças e elas parecem ter um íman a mim. Aliás, desde os meus tempos de secundário que os meus amigos gozam comigo pela frequência com que as crianças metem conversa comigo, em qualquer sítio a que vamos. Nestas situações repondo-lhes sempre e, se tiver tempo e lhes achar piada, até continuo a conversa. Mas nunca sou eu a tomar a iniciativa. Não faz parte do meu feitio.
A minha filha mais velha é reservada como eu, já a pequenita, facilmente mete conversa com alguém que não conhece. Confesso que a mim, apesar de não me chatear quando outras crianças me abordam, me faz confusão que ela se comporte assim porque tenho sempre medo que esteja a incomodar. E, se vir que isso pode estar a acontecer, não a deixo continuar a ser chatinha. Mas claro que prefiro que sejam simpáticos com ela Sorriso

Submetido por Ana Svensson em Qua, 22/11/2017 - 01:05
guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Eu sou muito reservada e não tenho facilidade em meter conversa nem com adultos nem com crianças que não conheço, portanto se alguma criança me abordar eu não ignoro, claro, respondo ao "olá" ou às perguntas, mas pouco mais. Ignorar é uma falta de respeito, também não ignoro um adulto se me cumprimentar ou tentar falar comigo, posso é ser bastante lacónica (aquelas típicas conversas de consultório ou transportes públicos...) Sorriso
Já o meu marido é o oposto de mim, fala com toda a gente e adora bebés e crianças, mas já reparei que por vezes os pais ficam com um olhar do tipo "mas quem é este para estar a meter-se com o meu filho". Quem anda nestes fóruns (como alguém disse antes) constata que atitudes perfeitamente normais e inofensivas (no meu ponto de vista) são vistas por alguns como intrusivas e ofensivas.
A mim acontecia-me era o oposto, adultos ou crianças falarem para as minhas filhas e elas, por serem muito tímidas, nunca respondiam, o que também passou muitas vezes por falta de educação. Aconteceu uma vez estar com elas na sala de espera do consultório do pediatra e estava uma criança e a mãe a serem tão, mas tão insistentes (a miúda queria abraçá-las e dar beijinhos e a mãe reforçava) que eu tive de intervir e dizer que era melhor não, que estavam doentes (não estavam) e podia ser algo contagioso.
Finalmente, um reparo e não levem a mal as mães de crianças muito sociáveis...às vezes a insistência das crianças torna-se excessiva e os pais devem estar minimamente atentos a isso. Já me aconteceu responder amigavelmente a uma criança pequena estando eu ocupada a fazer qualquer coisa ou simplesmente sem disposição e a criança insistir e insistir...também não é uma situação simpática.

Submetido por guialmi em Qua, 22/11/2017 - 10:30
Jomosian -
Offline
Desde 23 Out 2016

Algumas crianças, simplesmente, levam o facto de lhes pedirem para não falarem com estranhos muito a sério. Sorriso

Submetido por Jomosian em Qua, 22/11/2017 - 22:00
guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Jomosian escreveu:
Algumas crianças, simplesmente, levam o facto de lhes pedirem para não falarem com estranhos muito a sério.

Não foi o caso das minhas filhas,nunca lhes disse para não falarem a estranhos - seria redundante.

Submetido por guialmi em Qua, 22/11/2017 - 23:24
Videl86 -
Offline
Desde 18 Jul 2014

guialmi escreveu:

Finalmente, um reparo e não levem a mal as mães de crianças muito sociáveis...às vezes a insistência das crianças torna-se excessiva e os pais devem estar minimamente atentos a isso. Já me aconteceu responder amigavelmente a uma criança pequena estando eu ocupada a fazer qualquer coisa ou simplesmente sem disposição e a criança insistir e insistir...também não é uma situação simpática.

Eu concordo, mas sinceramente não sei como o impedir. O meu filho fica mesmo mesmo confuso se não lhe respondem e insiste imenso. Eu acho que ele faz isso por inocência, eu tenho uma avó surda que só lhe responde quando percebe que ele está a falar para ela, portanto a insistência nesse caso funciona, e eu acho que ele pensa dessa forma. Mas honestamente não me apoquento muito com isso, porque entendo que uma pessoa não queira estar a falar com uma criança, mas não entendo o que é que custa tanto em retribuir um "bom dia". Como referi, eu não sou muito sociável, gosto do meu sossego e sinceramente até me incomoda ele ser assim porque muitas vezes as pessoas depois ficam a falar comigo e eu não tenho muita paciência para conversas inteiras com estranhos...por outro lado só o deixo insistir no "olá" no "bom dia", até porque as conversas dele não vão muito mais longe, para já. Ironicamente ele não insiste com crianças, é mais com adultos.

Submetido por Videl86 em Qua, 22/11/2017 - 23:49
Sobre Videl86

08 de dezembro de 2014 <3
49,5 cm e 2,920 de amor e doçura <3

Jomosian -
Offline
Desde 23 Out 2016

guialmi escreveu:

Jomosian escreveu:Algumas crianças, simplesmente, levam o facto de lhes pedirem para não falarem com estranhos muito a sério.

Não foi o caso das minhas filhas,nunca lhes disse para não falarem a estranhos - seria redundante.

Só para q conste, o meu comentário não é dirigido a si, foi um comentário geral.

Submetido por Jomosian em Qui, 23/11/2017 - 06:18
guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Jomosian escreveu:

guialmi escreveu:
Jomosian escreveu:Algumas crianças, simplesmente, levam o facto de lhes pedirem para não falarem com estranhos muito a sério.

Não foi o caso das minhas filhas,nunca lhes disse para não falarem a estranhos - seria redundante.

Só para q conste, o meu comentário não é dirigido a si, foi um comentário geral.


É possível, mas fui eu a única que referi ter crianças que nunca se dirigiam nem respondiam a estranhos. É uma questão de personalidade, mas senti-em muitas vezes julgada como mãe, como se fosse eu a incutir-lhes que deviam ignorar as outras pessoas.

Submetido por guialmi em Qui, 23/11/2017 - 18:26
Jomosian -
Offline
Desde 23 Out 2016

Pessoalmente acho bem que não falem com estranhos.
Eu espero que o meu não fale, qd tiver idade para isso, prefiro julgar pelo seguro.
As pessoas podem ter 2 dedos de testa e perceber, se não, problema delas.

Submetido por Jomosian em Qui, 23/11/2017 - 18:36
guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Videl86 escreveu:

guialmi escreveu:
Finalmente, um reparo e não levem a mal as mães de crianças muito sociáveis...às vezes a insistência das crianças torna-se excessiva e os pais devem estar minimamente atentos a isso. Já me aconteceu responder amigavelmente a uma criança pequena estando eu ocupada a fazer qualquer coisa ou simplesmente sem disposição e a criança insistir e insistir...também não é uma situação simpática.

Eu concordo, mas sinceramente não sei como o impedir. O meu filho fica mesmo mesmo confuso se não lhe respondem e insiste imenso. Eu acho que ele faz isso por inocência, eu tenho uma avó surda que só lhe responde quando percebe que ele está a falar para ela, portanto a insistência nesse caso funciona, e eu acho que ele pensa dessa forma. Mas honestamente não me apoquento muito com isso, porque entendo que uma pessoa não queira estar a falar com uma criança, mas não entendo o que é que custa tanto em retribuir um "bom dia". Como referi, eu não sou muito sociável, gosto do meu sossego e sinceramente até me incomoda ele ser assim porque muitas vezes as pessoas depois ficam a falar comigo e eu não tenho muita paciência para conversas inteiras com estranhos...por outro lado só o deixo insistir no "olá" no "bom dia", até porque as conversas dele não vão muito mais longe, para já. Ironicamente ele não insiste com crianças, é mais com adultos.

Mas quando eu falo em insistir é noutro sentido, é quando respondemos, ficamos um bocadinho a falar com a criança mas ela continua ali, a fazer perguntas, às vezes até a mexer nas nossas coisas (já me aconteceu)...e às vezes não faz mal nenhum, outras vezes torna-se incomodativo. Quando se passava com as minhas filhas (quando elas eram pequeninas, claro) era ainda mais constrangedor porque elas só me gritavam por socorro com o olhar...e eu a gerir filhas, crianças alheias e pais de crianças alheias.
Responder a um bom dia ou um olá ou uma pergunta para mim é básico, é o mínimo que se pode esperar de um adulto em sociedade. Infelizmente, há adultos que se portam como trogloditas, nas mais variadas situações...

Submetido por guialmi em Qui, 23/11/2017 - 19:04
guialmi -
Offline
Desde 13 Jul 2013

Jomosian escreveu:
Pessoalmente acho bem que não falem com estranhos.
Eu espero que o meu não fale, qd tiver idade para isso, prefiro julgar pelo seguro.
As pessoas podem ter 2 dedos de testa e perceber, se não, problema delas.

Pois já eu acho triste que uma criança seja levada a pensar que todos os adultos são predadores e que tenha medo quando alguém a interpela (na presença dos pais e com comentários apropriados, evidentemente)
O meu marido é super simpático com crianças, brinca muito com elas, e tenho pena que haja pais que o vejam como um potencial agressor.

Submetido por guialmi em Qui, 23/11/2017 - 19:14
Jomosian -
Offline
Desde 23 Out 2016

Pois, são opiniões, cada um tem direito à sua, felizmente! Sorriso

Submetido por Jomosian em Qui, 23/11/2017 - 21:37
Panda2014 -
Offline
Desde 03 Jun 2014

Às vezes o equilíbrio é quase impossível. Pouco depois dos 18M a minha filha passou uma fase em que, quando íamos à praia, em vez de estar junto a mim percorria o areal à procura de sacos de praia, brinquedos, frascos de creme, etc. Mexia em tudo e eu, muito embaraçada, atrás dela o tempo todo para controlar. Não era fácil. Lembro-me de pensar que provavelmente ela estava farta de mim porque nunca ficava perto de mim... Menos de meio ano depois ela passou ao inverso: tinha muito medo de pessoas estranhas, sobretudo homens e idosos, agarrava-se a mim, pedia colo e fechava os olhos até estar noutro sítio (imaginem quando ela fez isto no oftalmologista! lol não abria os olhos, então não houve consulta; para ajudar o médico disse-lhe que a mamã ia embora e ela ficava lá com ele e a assistente, quanta sensibilidade lol).
Actualmente está mais equilibrada, mas demorou imenso tempo.

Eu sou muito tímida e reservada, portanto não falo muito com adultos e crianças que não conheço, além de que sou desastrosa quando tento manter conversa de circunstância lolol mas na escolinha até gostava de prestar mais atenção às outras crianças; não consigo porque levo a bebé e a mais velha está sempre bastante sensível ou aborrecida e exige muita atenção e cuidado. De forma geral noto que cada pai/mãe está sempre mais focado na sua cria :p mas adoro aqueles pais que agem como a mamã gemelar, conseguem sempre fazer-me sorrir, o que após noites difíceis é um tónico!
Acho que não há posturas ideais mesmo e devemos tão somente agir de forma coerente com a.nossa personalidade.

Beijinho

Submetido por Panda2014 em Sex, 24/11/2017 - 00:18
Benimamy -
Offline
Desde 21 Mar 2016

Olá mamãs
Desculpem, mas tenho tido problemas em aceder ao site e por isso não tenho aqui vindo, por não conseguir...
Em relação ao meu post, eu estou a falar em ser simpática e não ignorar as crianças.. afinal não custa nada dizer olá, bom dia, etc....
Também não gosto de abusos e não me sinto confortável quando alguém que não conheço queira por exemplo mexer na minha mala, como é o caso de algumas crianças, mas são crianças e nesse caso simplesmente retiro a mala do seu alcance e dou um sorriso.
O que eu acho estranho é alguém ver uma criança em frente a ela a dizer olá, porque é habitual ver essa pessoa por ser pai ou mãe de algum coleguinha e nem Olá diz à criança. Isso é que me faz confusão, mas claro que cada um é como cada qual é nós só temos que respeitar.
O que eu também não quero é que os outros pais se sintam mal porque os filhos vêm dizer olá e por exemplo de seguida começam a mexer na minha pulseira e eu digo gostas da minha pulseira, é bonita? Não quero que os pais achem que é um abuso, mas também não vou mudar a minha forma de ser.
Eu pessoalmente adoro crianças e nunca as vou ignorar.
Se algum pai não gostar, olhem paciência e que me diga e aí eu deixo de falar para a criança ou de interagir tanto.
Todos somos diferentes e temos formas de agir diferentes
Obrigada pelas vossas partilhas

Submetido por Benimamy em Sex, 24/11/2017 - 13:42
Sobre Benimamy

A minha princesa chegará em breve .... Sorriso Sorriso Sorriso
Já és tão amada meu amor
Sorriso Sorriso Sorriso Sorriso