Ciúmes familia marido | De Mãe para Mãe

Goste de nós no Facebook

últimos tópicos no forum

Destaques nas lojas

Loja Marlas

Roupinha dos meus Gêmeos!...

Loja SARIITA

Brevemente novidades......

Loja Pipoquinha 07

Roupinha e calçado de menina em excelente estado dos 0 aos 1...

Loja Loving Mom

Novidades para Inverno ;) H&M, Zara, Mayoral, Tiffosi, C...

Loja socirero

Novidades!!! 20% desconto em tudo...

Loja bisca

Novidades Dê preferência às mensagens, em vez de comentar ...

Loja ryssie

Roupa de qualidade, artigos praticamente novos. ...

Loja Estela2010

Copos de aprendizagem, biberoes, roupinhas, Testes de gravid...

Loja anitas.paula

Visitem a minha loja... Obrigada...

Loja susana08

PROMOÇÃO: 20% DE DESCONTO EM TODOS OS ARTIGOS SOY LUNA E BLA...

produtos à venda

€25.00
€35.00
€35.00
€4.00
€15.00
€2.00
€1.50
€1.50
€1.50
€1.50
€2.50
€1.50

artigos recentes

A importância do lanche no equilíbrio nutricional da dieta do bebé

A alimentação dos filhos, principalmente no caso dos bebés, é uma...

Babywearing – o que é e quais as vantagens?

O Babywearing tem ganho cada vez mais fãs nos últimos...

7 frases que nunca deve dizer a quem não consegue engravidar

O momento em que o casal decide ter um filho é sempre um momento...

Está grávida? Saiba como se manter hidratada durante o Verão!

A hidratação é uma questão à qual todos devemos estar atentos –...

Lembrem-se sempre disto: ser saudável é o mais importante!

Carolina Deslandes publicou uma fotografia três semanas após o...

Nasceu um bebé

Noa
30.09.2017
12.09.2017
04.09.2017
05.08.2017

Votação

Quanto gastou ou pretende gastar no carrinho de bebé?

Está aqui

16 mensagens
Última entrada
Retrato de Andreia Marina Teixeira
Offline
Desde:
26.09.2016

Ciúmes familia marido

Olá mamãs. Eu tenho alguns ciúmes quando a família do meu marido pega no meu bebé. Até sinto vergonha de dizer isso até porque gosto que o meu bebé se sinta bem com eles mas eu nunca tive muita afinidade com eles e sinto que de certa forma eles querem roubar me a filha e ensinar lhe os ideias deles que são um pouco diferentes dos meus.. por exemplo eu odeio gente que sente preconceito e elez são um pouco preconceituosos.. este é só um exemplo. Não quero que a minha filha não esteja de todo separada deles até porque é a familia do meu marido mas a verdade é que fico cheia de raiva quando pegam nela e falam com ela como se fosse deles.. alguma mamã que sinta o mesmo?

Retrato de guialmi
Offline
Desde:
13.07.2013

Por vezes há famílias (pais ou sogros) que percebem mal o seu papel como avós e são intrusivos ou inconvenientes, mas se não for esse o caso, tem que superar o que sente e aceitar a família do seu marido na vida da sua filha. Se explicar um pouco melhor talvez dê para perceber a sua repulsa, mas assim sem mais informação não dá para entender muito bem essa raiva (é uma palavra muito forte!) e ciúme. Eles podem ser diferentes de si, mas não é por isso que são menos importantes na vida da neta.

Retrato de Andreia Marina Teixeira
Offline
Desde:
26.09.2016

A repulsa prende se com o facto deles terem ideias muiiito diferentes do meu e pai, não fará sentido educar a minha filha de uma forma e logo a seguir os restantes educarem da forma oposta..

Retrato de bolas_e_bolinhas
Offline
Desde:
31.03.2012

Mas alguem da familia do seu marido teve alguma atitude que lhe provocou esses sentimentos?

Retrato de LSL
LSL
Offline
Desde:
28.10.2010

Andreia Marina Teixeira escreveu:
A repulsa prende se com o facto deles terem ideias muiiito diferentes do meu e pai, não fará sentido educar a minha filha de uma forma e logo a seguir os restantes educarem da forma oposta..

Mas quem vai educar são vocês, pais, não? Ou a menina vai ficar a cargo da família do seu marido?
Eu sou a primeira a concordar que há famílias paternas de arrancar cabelos e que passam todos os limites. Mas se isso não aconteceu e a sua repulsa é apenas porque têm ideias muito diferentes vai ter de ultrapassar isso. Isto porque mesmo com ideias diferentes a menina vai seguir a educação que tem em casa. Não são visitas esporádicas que a farão ter as ideias deles. Claro que se há coisas que realmente não quer que eles façam tem de falar com eles e pôr um travão.

Retrato de ClaraMiguel
Offline
Desde:
03.11.2013

Entendo o seu receio quanto à educação mas a não ser que vivam com os seus sogros, não serão umas visitas de vez em quando que deseducarão, sobretudo ao nível dos valores e princípios com que a sua filha será educada. Compreendo bem que vê-la crescer com uma parte da família preconceituosa, por exemplo, nos mexa um pouco com os nervos mas caberá a vocês educarem-na bem, da forma como querem e conversarem com ela em casa sempre que ela tiver ouvido algo que não considerem mais acertado.
Fora isso, não é por a família do marido pegar na bebé que lhes vai passar ideias erradas por contacto. Sorriso E quanto à maneira de falarem como se fosse deles....é ignorar. A minha sogra às vezes fala da minha filha como se fosse filha dela, mas e entao? No fim, a mãe dela sou eu e ela vem para casa comigo por isso...há guerras mais importantes a travar. Sorriso

Retrato de Andreia Marina Teixeira
Offline
Desde:
26.09.2016

Tem razão mamã. Obrigada a todas. Isto foi uma espécie de desabafo pois sei que aqui no fórum não há julgamentos e como não posso partilhar tudo o que sinto com o meu marido (pois é a familia dele para o bem ou mal) gosto de saber que aqui posso ir desabafando.

Retrato de Lili79
Offline
Desde:
12.12.2016

É normal a sua filha ainda é bebé e é o seu instinto maternal a funcionar! Tal como nos animais as mães protegem as suas crias e não deixam ninguém aproximar-se, nos humanos, por mais civilizados que sejamos, o nosso instinto manda-nos proteger o nosso bebé então quando há pessoas que pegam e beijam e e levam para longe de nós e falam como se fosse delas, é normal a mãe sentir ciúmes e querer pegar o bebé de volta e tê-lo só para ela... Com o tempo esses sentimentos vão acalmando...

Retrato de sphiren
Offline
Desde:
04.09.2011

Sinceramente, nós somos animais, ainda que racionais.
Há mães que não tem qualquer problema com o facto da família toda andar com os bebés de mão em mão, vai família, amigos, toda a gente quer tocar. A mim faz-me confusão ir "pegar a cria" de alguém. Embora haja mães que até não tenham problema com isso, eu acho que muitas devem instintivamente passar por esse sentimento idêntico a ciúme. Aquela ânsia do "não toques no meu bebé!", que é normal em fêmeas que acabam de dar á luz! Nós mulheres somos fêmeas! Somos animais! E acho que mesmo família, por mais que amem o recém nascido, deveriam aguentar um pouco os animos até terem luz verde da mãe quando esta se sentir á vontade para ver alguém pegar-lhe na "cria". Tem mulheres que podem ter esse sentimento enfurecedor até mesmo em relação ao próprio marido (se este agarrar o filho)! E é normal, li sobre isto inclusive em livros de psicologia.
Nada de incomum, nada de racional e será passageiro.

Retrato de guialmi
Offline
Desde:
13.07.2013

Eu devo ser mesmo muito pouco animal (se calhar sou vegetal LOL) porque nunca senti esse ciúme e logo na maternidade fiquei feliz por ver as pessoas que me são próximas a dar colo às minhas bebés.

Retrato de Andro
Offline
Desde:
03.03.2016

Eu senti sim e acho que é normal , quando as pessoas já de si só são metidas demais ou simplesmente não sabem qual o seu lugar . No meu caso , os meus sogros eram um pouco assim mas depois consegui conversar e melhorou .
Se não fôr o caso , tem de aprender a lidar com isso . Quanto à parte da educação , a função dos avós , tanto maternos como paternos é ^"deseducar " os netos , no sentido bom da palavra . A educação que temos em casa, não vai , em tempos normais , alterar com umas idas aos avós .

Retrato de ClaraMiguel
Offline
Desde:
03.11.2013

Eu senti isso quando me tiravam a minha filha dos braços. Aí nem à minha mãe permiti. Mas fora isso, sempre fui pessoa de chegar a casa de familiares e passar-lhes logo a minha filha para os braços, deixava que dessem o biberão e mudassem a fralda. Era até um sossego para mim. Mas se ma tentassem tirar...isso é que já não conseguia aceitar, parecia que era mesmo um sentido de protecção animalesco. Mas o meu marido sentiu o mesmo mais tarde. Não logo quando ela nasceu mas umas semanas mais tarde.:)

Retrato de Andro
Offline
Desde:
03.03.2016

ClaraMiguel escreveu:
Eu senti isso quando me tiravam a minha filha dos braços. Aí nem à minha mãe permiti. Mas fora isso, sempre fui pessoa de chegar a casa de familiares e passar-lhes logo a minha filha para os braços, deixava que dessem o biberão e mudassem a fralda. Era até um sossego para mim. Mas se ma tentassem tirar...isso é que já não conseguia aceitar, parecia que era mesmo um sentido de protecção animalesco. Mas o meu marido sentiu o mesmo mais tarde. Não logo quando ela nasceu mas umas semanas mais tarde.:)

Por acaso a minha sogra sempre perguntou se podia pegar porque eu a precavi . Houve vezes que lhe respondi que não , não podia pegar mas sempre por razões obvias, mas tenho uma "amiga" (conhecia) que chegou uma vez e tirou o meu filho do carrinho como se nada fosse , senti muita raiva nesse momento e ainda hoje penso nisso e para esta segunda gravidez já vou concerteza evitar a sua presença. Fez-me mesmo muita confusão.

Retrato de ClaraMiguel
Offline
Desde:
03.11.2013

Andro escreveu:

ClaraMiguel escreveu:Eu senti isso quando me tiravam a minha filha dos braços. Aí nem à minha mãe permiti. Mas fora isso, sempre fui pessoa de chegar a casa de familiares e passar-lhes logo a minha filha para os braços, deixava que dessem o biberão e mudassem a fralda. Era até um sossego para mim. Mas se ma tentassem tirar...isso é que já não conseguia aceitar, parecia que era mesmo um sentido de protecção animalesco. Mas o meu marido sentiu o mesmo mais tarde. Não logo quando ela nasceu mas umas semanas mais tarde.:)

Por acaso a minha sogra sempre perguntou se podia pegar porque eu a precavi . Houve vezes que lhe respondi que não , não podia pegar mas sempre por razões obvias, mas tenho uma "amiga" (conhecia) que chegou uma vez e tirou o meu filho do carrinho como se nada fosse , senti muita raiva nesse momento e ainda hoje penso nisso e para esta segunda gravidez já vou concerteza evitar a sua presença. Fez-me mesmo muita confusão.

A mim aconteceu-me algumas vezes (ainda hoje tentam e ela tem praticamente 2 anos Espertalhão ). À minha mãe expliquei que não gostava que ela o fizesse, à minha sogra tive de virar costas sempre que a via vir na minha direcção até ela ter percebido que só tinha a neta quando eu lha passava e não quando ela ma tirava, depois houve um ou outro familiar que nos apanhou desprevenidos e tiraram, mas já não o conseguiam fazer segunda vez. Espertalhão Mas como disse, nem era por não querer que pegassem pois nisso, sempre fui de deixar de ir para o colo dos outros e muitas sestas fez a minha filha ao colo de avós, primos, amigos....Sem qualquer problema. Desde que não ma tirassem e que ma devolvessem quando eu pedia (quando ela chorava por exemplo e ninguém a conseguia acalmar).

Retrato de KellyPT
Offline
Desde:
05.04.2011

Eu sentia e sinto exatamente o que descreves. Na maternidade, uma cunhada pegou no meu filho mais velho e "ofereceu-o" às filhas para que o pegassem também e cenas idênticas se repetiram com vários familiares do meu marido. Senti uma raiva tal que ainda não me passou completamente e é um dos vários motivos pelos quais não admito que fiquem sozinhos com eles uma tarde que seja. São família, veem-se, mas na minha presença. Custou bastante a po-los na ordem, mas a verdade é que com o segundo já não fazem isso e, se fizerem, é só por breves segundos até eu pegar no miúdo e sair

Retrato de aries23
Offline
Desde:
18.07.2016

Mamã acontece que às vezes o nosso instinto protetor nos leva a sentirmos desconfortáveis quando pegam nos nossos bebés mas tente deixar passar. Sorriso

Quanto aos valores, por muito cuidado que temos os nossos bebés vão crescer e entrar em contacto com diferentes ripos de pessoas. Mas isto é bom! É uma oportunidade para a mamã e o papá falarem com a criança e explicar que isto não é bom e o que é melhor. Se alguma vez a sua criança aprender algum preconceito, quer seja da família ou escola, pegue nela e fale abertamente. É assim que eles aprendem. Se os protegermos demasiado da exposição, um dia hão de ver coisas más e precisarão de saber lidar com elas na mesma.

E as crianças hão de desaprender maus valores já ultrapassados, até porque a sociedade está a evoluir e eles perceberão por eles mais tarde o que não é bom.