Tudo sobre as células estaminais do tecido do cordão umbilical | De Mãe para Mãe

Goste de nós no Facebook

Destaques nas lojas

Loja susana08

VISITEM A MINHA LOJA: https://guigagu.wixsite.com/guigagu P...

Loja Loving Mom

20% de desconto em tudo ;) H&M, Girândola, Zara, Mayoral...

Loja nublada

Muitas peças de roupa em bom estado, sobretudo menino....

Loja dtandsmps

Em atualizações...A não perder!!!...

Loja M_Marques

60% 60% 60% desconto em TUDO - LIQUIDAÇÃO TOTAL ...

Loja patilago

0-5 anos,.Roupinhas.Babygrows, Pijamas, camisas, sapatinhos...

Loja susana seixas

50% 50% em tudo POR FAVOR ENVIAR MENSAGEM PARA QUALQUE...

Loja Liliya

Novidades já chegaram! Por favor, enviem MP!...

Loja raquel_oliveira

NOVIDADE!!! Roupinhas de menino e menina, usadas mas em bom...

Loja Sefa

Novidades!! Testes de gravidez e de ovulação!...

produtos à venda

€7.00
€6.00
€4.00
€4.00
€5.00
€5.00
€2.00
€2.00
€2.00
€4.00
€2.00
€3.00

artigos relacionados

Células estaminais

Tudo sobre células estaminais

Célula Estaminal: do latim - “Stamine”,...

Sangue do Cordão Umbilical: transplantes, doenças tratáveis e utilizações experimentais

Durante séculos, o cordão umbilical foi considerado como sendo...

Desvendando as células estaminais

Existem mais de 216 tipos distintos de células nos seres humanos...

Bebé deitado com cordão umbilical

Como cuidar do cordão umbilical do bebé

Depois do parto, quanto tempo fica o cordão umbilical preso ao...

Nasceu um bebé

14.02.2017
13.02.2017
21.01.2017
Rui
03.01.2017

Votação

Quanto gastou ou pretende gastar no carrinho de bebé?

Está aqui

Tudo sobre as células estaminais do tecido do cordão umbilical

Durante muito tempo, o cordão umbilical foi considerado um excedente do parto, mas atualmente é visto como uma importante fonte de células estaminais, com elevado potencial terapêutico. Para além do sangue que é possível recolher do cordão umbilical, e que presentemente é usado no tratamento de mais de 80 doenças – desde as doenças do foro hemato-oncológico a doenças metabólicas e do sistema imunitário – também o próprio tecido do cordão umbilical, que rodeia os vasos sanguíneos no seu interior, é rico em células estaminais. Estas células têm potencialidades diferentes das que se encontram no sangue, tendo capacidade para originar células de diferentes tecidos.

O que são células estaminais mesenquimais?

O tecido do cordão umbilical é rico naquilo que é designado como células estaminais mesenquimais. Estas células são capazes de originar células dos músculos, ossos, cartilagem e gordura, e têm a capacidade de regular a resposta do sistema imunitário, podendo por isso ter um papel importante no tratamento de doenças autoimunes, como a diabetes tipo 1 e o lúpus, entre outras. Atualmente, estas células já são utilizadas em co-transplante com células estaminais hematopoiéticas (do sangue do cordão umbilical, sangue periférico ou medula óssea), no sentido de ajudarem a reduzir as complicações associadas aos transplantes e aumentarem a probabilidade do sucesso dos mesmos.

Ensaios clínicos com células mesenquimais do tecido do cordão umbilical

Comparativamente com as células do sangue do cordão umbilical, o interesse clínico nas células estaminais mesenquimais deu-se mais tarde mas, apesar disso, neste momento o número de ensaios clínicos em curso com células mesenquimais do tecido do cordão umbilical – para avaliação do seu potencial no tratamento de diversas doenças – é considerável. Atualmente, estão a ser testadas em doenças como a diabetes, colite ulcerosa, cirrose hepática, cardiomiopatias, esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla, lúpus, artrite reumatoide, doença do enxerto contra o hospedeiro, paralisia cerebral, autismo, distrofia muscular de Duchenne e doença de Alzheimer, entre outras.

Principais características das células mesenquimais

Apesar das células estaminais mesenquimais se poderem obter a partir de outras fontes, como a medula óssea e o tecido adiposo, o tecido do cordão umbilical apresenta algumas vantagens quando comparado com outras fontes. A sua colheita é simples, indolor e sem riscos (para a mãe e para o bebé); devido ao facto de serem muito primitivas, estas células têm um maior potencial de diferenciação e proliferação; e apresentam um menor risco de infeção por bactérias e vírus.
O uso de células estaminais na prática clínica, em particular as células estaminais mesenquimais, tem aumentado consideravelmente na última década. Durante este tempo, a comunidade científica tem tentado compreender os seus mecanismos de ação na reparação e regeneração de tecidos e demonstrar o seu potencial na terapia celular e medicina regenerativa.
Pelas potencialidades que apresentam, as células estaminais mesenquimais representam uma das maiores esperanças da medicina regenerativa, sendo expectável que venham a contribuir para o tratamento de doenças para as quais não existe ainda uma terapêutica eficaz.