Conhecer a criança que vai adotar pela primeira vez

Reuniu os documentos para a candidatura, ultrapassou as fases de estudo e avaliação, viu o seu processo aprovado e depois de algum tempo de espera, o telefone tocou e recebeu a notícia que ansiava. E agora? É hora de conhecer a criança pela qual tanto esperou! Respire fundo…

A véspera

É natural que a ansiedade seja muita e que não consiga parar de olhar para a fotografia da criança que está prestes a adotar e imaginar como será ao vivo. Será que vai gostar de si? E do marido? Será que vão gostar dela? Será que vai haver uma ligação? Será que ela vai estranhar, chorar, não querer estar convosco? É perfeitamente normal que os candidatos a adotantes tenham estas dúvidas, afinal de contas, tudo isto é uma experiência nova e até um pouco assustadora. Ontem não tinha filhos e amanhã já vai ter! É incrível, não é? Inspire-se nessa energia positiva e aproveite para relaxar o máximo possível – o dia seguinte vai ser um dos mais emocionantes e intensos da sua vida e é importante estar bem descansado para poder aproveitá-lo por completo. Para além disso, terá de considerar a deslocação: é longe, perto, a que horas terá de sair de casa, será melhor ir no dia antes e pernoitar? Avalie cada opção e faça a melhor escolha para que possa viver o grande dia com a máxima descontração e o mínimo stress.

O grande dia

Chegou o dia pelo qual tanto esperou: vai conhecer o seu filho! A ansiedade e as expectativas serão muitas, mas saiba que antes de conhecer a criança terá, muito provavelmente, uma reunião com a equipa de adoção da Segurança Social e com as pessoas responsáveis pela instituição onde a criança está inserida. Vai conhecer as suas rotinas diárias, aquilo que gosta mais, aquilo que gosta menos, cuidados a ter… esta é também uma boa altura para esclarecer eventuais dúvidas que possa ter. Para que nada lhe escape, faça uma lista no dia anterior: mesmo que possam parecer descabidas, coloque lá todas as perguntas que lhe passarem pela cabeça e faça-as. Toda a informação que conseguir obter será preciosa. Saiba ainda que a criança estará também a mais preparada possível para conhecer os novos pais – a sua compreensão total acerca do que irá acontecer também dependerá, naturalmente, da sua idade.

Levar ou não um presente?

Pode passar-lhe pela cabeça, mas também pode acontecer que não, porém, a resposta para esta pergunta é: sim. Vai conhecer o seu filho, por isso, pode e deve levar-lhe um presente! No entanto, aconselha-se que seja uma pequena lembrança e nada muito extravagante – algo tão simples como um livro, um carrinho, uma boneca ou peluche vai ser muito bem recebido. Adeque o presente que comprar à idade da criança e, se já souber as suas preferências (boneco ou brinquedo preferido, por exemplo), tanto melhor. Se tiver alguma dúvida relativamente a este assunto, contacte a equipa de adoção que tem acompanhado o seu processo e esclareça tudo antes do grande dia. É uma excelente maneira de “quebrar o gelo” com a criança e mostrar o quanto tem pensado nela e aguardado o vosso primeiro encontro…

Fotografias: sim ou não?

Este vai ser certamente um momento para nunca mais esquecer e a vontade de tirar mil e uma fotografias à criança que acabou de conhecer e que vai ser o seu filho é mais do que muita. Será apropriado? Deve ou não tirar fotografias à criança? Antes de mais, deve esclarecer esta questão junto da equipa de adoção e do pessoal da instituição. Se a resposta for sim, recomenda-se que as primeiras horas sejam inteiramente reservadas para o conhecimento, a interação, a conversa e a brincadeira… mais tarde, quando já estiverem mais confortáveis na presença um do outro, aproveitem para tirar as primeiras fotografias de família! Claro que a sessão fotográfica pode acontecer mais cedo ou mais tarde – tudo depende do desenrolar deste primeiro encontro e da idade da criança em questão.

Telefonemas: atender ou não atender?

É natural que também os familiares e amigos mais chegados queiram saber como tudo está a correr, mas aconselha-se que desligue os telemóveis ou pelo menos que os mantenha em silêncio. Neste momento, não há nada mais importante do que estar com a criança que vai adotar, o seu filho, por isso, evite interromper este precioso momento – por si e pela criança. Terá certamente uma pausa no dia para poder efetuar os telefonemas que desejar e assim fazer um ponto de situação com quem está a torcer por si! Para sossegar os familiares e amigos que possam tentar ligar nesse dia, avise-os que vai ter o telemóvel desligado ou então que não vai atender telefonemas e que dará notícias mal tenha disponibilidade para o fazer.

A despedida

O dia foi inesquecível – estiveram com o vosso filho! São pais! Parabéns! É natural que queiram levar a criança para a vossa casa o mais depressa possível, mas isso nem sempre acontece logo no primeiro dia – existem protocolos a cumprir e o tempo de integração e conhecimento deve ser respeitado. Por isso mesmo, vão ter de se separar e despedirem-se um do outro até amanhã: vai ser difícil e provavelmente vai haver lágrimas (da criança e vossas!), mas amanhã estarão novamente juntos e em breve estarão juntos para sempre. Explique isso calmamente à criança e fique sossegada porque terá também o apoio das técnicas que estarão a acompanhar o processo e que estão muito habituadas e experientes em lidar com estes momentos mais dolorosos, mas passageiros. Amanhã é um novo dia e o re-encontro vai ser mágico!

0
Média: 4.6 (7 votos)