Goste de nós no Facebook

últimos tópicos no forum

Fórum Grávidas

Varizes - Lovenox??

Fórum Treinantes

Alguma madeirense?

Fórum Família

Desabafo...

Fórum Parto e Preparação

Recuperação pós-parto

Fórum Mães & Bebés

O que dar no primeiro aniversário

Fórum Grávidas

Diabetes?

Fórum Infertilidade

FIV-Para Setembro /Outubro?

Fórum Mães & Bebés

Sono difícil

Fórum Perda Gestacional (Aborto)

Gravidez não evolutiva

Fórum Mães & Bebés

Licença de maternidade

Fórum Mães & Bebés

Pediatra Hospital da Arrábida

Fórum Geral & Apresentação

1º ano do basico( 1ª classe) DUVIDAS

Destaques nas lojas

Loja Sofifas

*Artigos de bebé (menino) até aos 3 anos, muito estimados e ...

Loja kidstore2011

Artigos novos e usados. A preço baratinho....

Loja socirero

Novidades!!!...

Loja nanina

Olá a todas!!! Nesta loja poderão encontrar uma vasta gama d...

Loja Pokiti

SAPATINHOS NOVOS PARA RECÉM NASCIDO, DESDE 4.25€....

Loja susana08

3€ !!!!!!! - ARTIGOS NOVOS EM DESTAQUE A € 3,00!!!...

Loja joanasab

Roupinha menina/menino dos 0meses para cima, calçado,amamemt...

Loja becassine

Babygrows 0-6m (2.00€).tee shirts 1.25€ Aproveitem!...

Loja Karina Dias

•*¨`*•.♫Novidades Outono/Inverno!...

Loja Su H

Descontos quantidade,para desocupar ;) .......

produtos à venda

€3.00
€2.00
€2.90
€2.00
€5.50
€7.00
€4.00
€4.00
€6.00
€6.00
€2.00
€10.00

artigos recentes

Sangue do Cordão Umbilical: transplantes, doenças tratáveis e utilizações experimentais

Durante séculos, o cordão umbilical foi considerado como sendo...

Review: as nossas mamãs testaram o creme anti-estrias LAURODERME

De entre os muitos produtos com os quais as mães não passam no...

Cuidados a ter com o bebé aquando do nascimento dos dentes

Antes de os podermos ver, os dentes têm que subir e romper as...

Está com dificuldades em engravidar?

Algumas das causas (reversíveis) de infertilidade são mais comuns...

Desvendando as células estaminais

Existem mais de 216 tipos distintos de células nos seres humanos...

Nasceu um bebé

16.07.2015
04.07.2015
26.06.2015
09.06.2015

Votação

Tem familiares ou amigos próximos com filhos até os 36 meses?

Está aqui

Como lidar com as dores do parto

O parto faz obviamente parte de uma gravidez e as dores fazem naturalmente parte do parto, por isso antes de acontecer, mais tarde ou mais cedo irá começar a ter de pensar nele: Por que tipo de parto optar? Que género de parto me proporcionará menos dor?… São dúvidas que surgem numa mãe expectante. A experiência que já teve, ou pensa ter, como parturiente, irá ser determinante para a sua decisão. Ficam aqui algumas explicações acerca do parto e da gestão da dor para a ajudar a fundamentar ou a gerir as suas expectativas e decisões.

Se é uma grávida à espera do primeiro parto, então certamente que a sua curiosidade já brotou… provavelmente já deu por si a ver imagens ou cenas de filmes de mulheres em trabalho de parto; talvez já tenha escutado testemunhos de outras mulheres: umas que lhe disseram que o parto nada custa e outras que se queixaram das inúmeras dores, umas aconselharam-na a optar pela epidural, outras nem pensar em fazê-lo. Saiba que vai existir dor, isso é inevitável, mas tudo varia de mulher para mulher; por isso ficam aqui algumas opções para a ajudar a decidir como lidar com as dores do parto.

Optar por epidural

Existem diversas vantagens em optar por uma epidural para a ajudar a aliviar as dores do parto. Depois de uma epidural ser administrada a uma mulher em trabalho de parto, ela será capaz de relaxar. Continuará a conseguir movimentar as pernas, não perdendo a força, isto porque a dose de anestesia administrada através do cateter da epidural é apenas a suficiente para aliviar as dores das contrações. A anestesia não atravessa a placenta e por isso não afeta o bebé. Não existe efeito sedativo nem na mãe nem no feto. Isto permite à parturiente relaxar ou até receber carinho do parceiro, caso ele esteja presente.

Outra das vantagens da epidural é que permite à mulher fazer força quando lhe é pedido. Não diminui a capacidade de fazer força para expelir o bebé. A anestesia epidural também não aumenta a necessidade de cesariana, e terminado o parto, permite à mãe segurar logo no bebé e começar a criar laços afetivos.

Contudo a epidural, como qualquer procedimento médico tem riscos, que embora raros podem englobar: infeção, sangramento e danos nervosos.

Se considera recorrer a uma epidural então deverá considerar que:

 Decida previamente se pretende uma anestesia epidural durante o parto. Se, durante o parto, esperar muito tempo antes de decidir receber uma, poderá ser difícil de administrar. Muitas vezes poderá até ser tarde demais. A administração de uma epidural necessita de calma e cooperação da parte da mulher: se estiver inquieta por causa das dores das contrações, com o decorrer do tempo torna-se cada vez mais difícil de conseguir administrar.

 Tenha expectativas realísticas acerca da anestesia epidural, pois continuará a sentir a pressão das contrações, apenas não sentirá dor ou fraqueza.

Logo no início do parto, comunique ao seu obstetra e anestesiologista acerca de qual é o seu grau de tolerância à dor. Isto ajudará a decidir quando é que receberá a epidural.

Informe-se acerca do que esperar durante a administração da epidural – a melhor posição para o fazer, a anestesia local para adormecer a área, a pressão sentida enquanto a agulha é inserida…

Caso esteja muito ansiosa acerca do trabalho de parto e acerca da gestão da dor, converse acerca das suas opções com o anestesiologista; pode sempre marcar uma consulta com um médico anestesiologista para conversar acerca deste assunto, ficando esclarecida e mais descansada.

Optar por respiração profunda e relaxamento

Para quem preferir um parto sem recorrer ao uso de medicamentos, existem técnicas de relaxamento e massagens as quais poderá recorrer. Isto também significa que terá de frequentar aulas de aprendizagem destas técnicas. O útero é um músculo que necessita de oxigénio para conseguir contrair-se efetivamente. Padrões de boa respiração significam que a mãe e o bebé recebem o oxigénio necessário para funcionarem eficazmente durante o parto.

A respiração profunda também suprime as hormonas do stress (adrenalina e cortisol) e ajuda as fibras uterinas a contraírem-se mais eficazmente. Um parto sem recurso a medicamentos para evitar a dor permite à futura mãe movimentar-se mais e adotar posições mais fáceis para o parto e para fazer o bebé sair mais rapidamente. Estas posições incluem colocar-se de joelhos caso os ombros do bebé estejam presos, ou agachar-se, se o ritmo cardíaco do bebé desacelerar e necessitar de nascer rapidamente.

 É muito importante que dedique bastante tempo de pesquisa acerca da sua anatomia, para perceber o que se vai passar e praticar as práticas de parto. O dia do parto será um dia muito marcante na sua vida e na do seu bebé, por isso reconheça essa unicidade e tente torná-lo o mais especial possível.

Optar por um parto natural

Existem muitas mulheres que optam por não recorrer à anestesia durante o parto, podendo optar por exercícios de respiração profunda, focalizando a mente nas contrações. Contudo deverá conversar com o seu médico acerca deste tipo de decisão.

Cada pessoa tem um nível diferente de tolerância à dor - o que pode ser uma dor excruciante para uma mulher poderá ser algo perfeitamente tolerável para outra. Contudo, mesmo que opte por um parto natural, a epidural poderá ser requerida em algumas circunstâncias, pois a epidural ajuda a baixar a pressão sanguínea alta da gravidez; ou caso tenha de se recorrer a uma cesariana. Muitas mulheres iniciam o parto decididas a não utilizarem anestesia, e durante o trabalho de parto mudam de opinião, pois o nível de dor aumenta.

Optar por uma parteira

Algumas mulheres decidem recorrer a uma parteira para assistência no parto, auxiliando a controlar o nível de dor. Uma parteira, quer seja em casa ou no hospital, tem como missão providenciar os cuidados necessários à parturiente, não utilizando medicamentos ou drogas para aliviar as dores; permitindo à mãe escolher as melhores posições para dar à luz. Uma parteira deve ser capaz de verificar se existe algum problema durante o parto e pós-parto, e se assim for re-encaminhar a mulher para um hospital.

Independentemente de optar por um parto natural ou com anestesia, deve conversar estas hipóteses com o seu médico, e certificar-se que a sua gravidez não é de risco. Considere que o parto irá ser um momento especial independentemente de como acontecer; ele fará parte da sua memória e da vida do seu bebé, para sempre.